redes-sociais-para-profissionais-voce-sabe-qual-e-a-melhor-para-voce.jpeg

Redes sociais para profissionais: você sabe qual é a melhor para você?

As redes sociais para profissionais são ferramentas que ajudam em diversos aspectos. Com o avanço da internet, possibilitaram que cada trabalhador oferecesse seus serviços e produtos online, atraindo pessoas de todo o mundo.

Essas mídias fortalecem a imagem do profissional e sua marca, mas também ajudam a capturar possíveis clientes. Porém, para que gerem o resultado esperado, é importante conhecer como funcionam e descobrir qual é a mais indicada para o seu negócio.

Por isso, mostraremos as principais redes sociais da atualidade para que você possa escolher aquela que mais se encaixa em suas necessidades. Acompanhe!

LinkedIn

O LinkedIn se tornou muito popular no mundo dos negócios. Isso porque ele permite aumentar o seu networking para conhecer outros profissionais da sua área.

Para fazer bom uso dessa rede, é importante manter a formalidade, apresentando a sua marca e os seus serviços para que as empresas conheçam melhor o seu perfil e possam ajudar a estabelecer uma boa conexão entre você e outros trabalhadores. É uma forma de apresentar seu currículo de maneira mais moderna.

Instagram

Um dos aplicativos de maior sucesso nos últimos anos é o Instagram. Ele abriu as portas para diversos profissionais e empresas. No entanto, é um site totalmente visual. Ou seja, usado para publicação de fotos e vídeos.

A rede social já bateu a marca de 1 bilhão de usuários ativos por mês. Ela permite que você poste imagens e vídeos do seu negócio para que o público conheça a sua história, dando ênfase à sua personalidade.

Contudo, é importante publicar conteúdos de qualidade e que deixem sua marca mais atraente e forte.

Pinterest

É uma rede para quem gosta de fotografar e apresentar seus produtos. Por meio do Pinterest você consegue fazer um perfil do negócio e postar imagens com descrições importantes sobre seus produtos.

Assim como o Instagram, ele é mais direcionado para quem trabalha com vendas e deseja alcançar pessoas em diversas regiões do mundo, fazendo contato com clientes e outras empresas que também têm interesse nos serviços oferecidos.

Facebook

Continua sendo uma das redes sociais mais utilizadas no mundo e no Brasil. Hoje você pode criar páginas para sua empresa por meio do Facebook Business, com o objetivo de apresentar sua imagem e atrair seguidores. Com isso, é possível conquistar novos clientes.

Essa rede permite que você seja mais informal, fazendo publicações descontraídas e divertidas. Mas é importante ter cuidado, afinal, mesmo que suas postagens sejam mais pessoais, é preciso ter certo profissionalismo para atrair usuários que estejam interessados nos seus serviços.

Assim, utilize conteúdos que estejam relacionados com aquilo que você oferece, mas que tenham informações relevantes e novas. Desse modo, fica mais fácil prender a atenção do seu público.

Perceba que para escolher uma mídia social online é importante saber onde seu público está. Ou seja, não adianta utilizar todas as redes se as pessoas que você deseja atingir não estiverem conectadas nesses espaços.

As redes sociais para profissionais são mais que ferramentas de marketing porque ajudam a conquistar pessoas que poderão se tornar clientes fiéis da sua marca. Além disso, seus vídeos podem dar mais destaque para sua imagem, fazendo com que seu público se aproxime de você.

Gostaria de receber outras dicas como estas e alavancar sua carreira? Então assine nossa newsletter!

caso-anitta-e-eleicao-2018

Ele não, mas e ela? Caso Anitta e a eleição 2018

“Diga quem você é, me diga
(…)
Tira a máscara que cobre o seu rosto
Se mostre e eu descubro se eu gosto
Do seu verdadeiro jeito de ser”

Quando falamos de marca, falamos exatamente disso: transparência.

Qual é a sua essência? Que valores defende? O público quer saber.

Em outro artigo que escrevi sobre a Anitta, também comentei sobre isso. Vamos relembrar alguns dados?

dado 1

dado 1

Cada dia mais as discussões sobre inclusão e direitos está maior. A desigualdade de gênero no ambiente profissional, por exemplo, é algo que está sendo altamente debatido pelas mídias e pelo mercado. Cada dia mais as marcas são obrigadas a reconhecer e enxergar de fato as minorias. Uma marca que ignora e escolhe se manter calada sobre as minorias está suscetível a críticas e a boicote. As marcas sempre tiveram medo de se posicionar, mas hoje elas também têm medo de se manter em silêncio (e devem mesmo).

A verdade é que ninguém mais quer ser representado por uma marca que não olha de verdade para o seu público. Então se a marca prefere se manter calada por medo de perder vendas, isso pode gerar um feedback negativo enorme. Algumas marcas resolvem fazer uma inclusão artificial das minorias na tentativa de se comunicar com elas, só para dizer que não as ignorou ou que se posicionou, o que se torna um tiro no próprio pé.

Como diz a pesquisa da TrendWatching, as pessoas hoje buscam marcas que sejam transparentes para manterem um “relacionamento” verdadeiro. Digo isso porque ninguém quer conversar com uma marca que só interessa pelo seu público na hora de vender algo. Queremos que ela nos conheça, nos enxergue, nos represente e esteja conosco nas horas boas e ruins.

Mas por que estou dizendo isto tudo? Porque Anitta é uma marca.

Ela vende um produto que são as suas músicas e vende um serviço que é o entretenimento. E recentemente teve uma grande polêmica envolvendo sua imagem. Grande parte do seu público começou a cobrar um posicionamento dela, questionando seu papel social como figura pública, acerca do candidato Bolsonaro após ela seguir um perfil de uma amiga que abertamente declara seu apoio ao candidato. Ela, no entanto, diz que tem o direito de não se manifestar sobre política e que não gostaria de ter sua imagem atrelada às eleições.

A grande questão é: ela deveria ou não se posicionar?

Veja bem, a questão vai muito além do fato dela ter seguido um perfil que declara apoio ao candidato ou sobre seu direito ao voto secreto.

No trabalho de gestão de imagem e carreira, temos que lidar com muitas situações diferentes. Nós sabemos que em situações de crise de imagem, é necessário que se tome uma posição. Às vezes, se tem que escolher entre dar uma resposta ao público ou manter-se calado. Mas tudo tem um preço e você está suscetível a críticas nos dois casos. No entanto, uma escolha errada pode custar uma carreira. De verdade.

Aqui Anitta escolheu não se posicionar nem contra e nem a favor do candidato, dando apenas uma declaração rasa sobre o assunto. No entanto, além do candidato em questão ir contra tudo que a cantora já defendeu publicamente, ele já deu muitas declarações homofóbicas e o público LGBT+ é o que mais iria sofrer consequências ruins se ele for eleito.

O público LGBT+ é o que mais gera lucro para a música pop, é o que chamamos de Pink Money. Além disso, grande parte do público da Anitta é LGBT+. A cantora, inclusive, já foi coroada rainha na Parada LGBT+. Ela já declarou publicamente apoio à comunidade e em seus stories (um dos mais vistos no mundo) sempre grita “um beijo para as POCS” (gíria LGBT+). Anitta, portanto, tem um relacionamento de longa data com este público.

O grande questionamento do seu público é: não queremos ser representados por artistas que estão conosco apenas quando a situação é favorável. Então, Anitta, você está conosco nesta luta? O país está passando por um momento muito difícil e a comunidade LGBT+ pode perder seus direitos se este candidato for eleito. Esta luta por direitos já causou a morte de muita gente e pessoas são hostilizadas todos os dias por causa da homofobia. Se a cantora se diz feminista, a favor das minorias, contra desigualdade em todos os níveis e uma defensora dos direitos LGBT+, é óbvio que ela não poderia votar em um candidato que vai contra tudo isto que ela defende. Então, qual é o problema de Anitta ser uma representante destes direitos se ela sempre fez isso durante a sua carreira? Agora que a situação está desfavorável ela não quer se posicionar? Isto é o que está sendo questionado.

Como marca ela não pode representar artificialmente, entende? Se ela sobe ao palco e grita junto com o seu público LGBT+ palavras de luta a favor de seus direitos em um momento feliz, também deve defender esses direitos em momentos desfavoráveis. O efeito desse silêncio é muito pior, especialmente para um artista.

A questão não é se ela é direita ou esquerda, vai além da política. Estamos falando de valores e toda marca tem “missão, visão e valores”. A questão aqui é dizer “eu, como pessoa defensora das diferenças, vou contra os valores que esse candidato prega, então #elenão”. Mas falar isso abertamente e não nas entrelinhas. A conversa tem que ser direta e transparente. É isso que o público pede das marcas hoje em dia. Transparência é tudo e a cantora Anitta sempre foi citada como tendo um de seus pontos fortes a transparência.

Uma pessoa que sempre se posicionou, não pode abrir mão do seu papel social quando a situação aperta. Não estamos falando aqui de uma partida de futebol em que às vezes o jogador é hostilizado pelo seu desempenho na partida e, às vezes, é melhor ficar quieto para a poeira abaixar. Estamos falando de valores, transparência, relação direta com o público.

Então, só para finalizar. É importante sim se posicionar. Não digo sobre política, mas sobre quais valores você defende. E deixar claro para o seu público se você está com ele até o fim ou não. Porque se for uma relação artificial… aí sinto te dizer que esse amor é tipo aquele amor de verão, ele passa e mesmo que voltem a se encontrar, a relação não será mais a mesma.

como-descobrir-qual-o-valor-do-meu-trabalho-e-como-cobrar-por-ele.jpeg

Como descobrir qual o valor do meu trabalho e como cobrar por ele?

Uma das preocupações de quem presta serviço de forma autônoma, categoria em alta no Brasil, diz respeito ao valor do trabalho e como cobrar por ele. Você se identifica com essa questão? Então continue aqui com a gente, pois este post vai lhe ajudar!

Primeiro, para colocar um preço na sua hora trabalhada é preciso levar em consideração diversos fatores e ter um planejamento que envolva o início, o meio e o fim do projeto. Fazer isso evita que o processo sofra alterações que possam causar prejuízos.

Antes de fechar o acordo, deixe bem clara a sua proposta para que não restem dúvidas. Assim, você mantém uma boa imagem profissional e seus clientes saberão como é o seu trabalho.

Confira abaixo as nossas recomendações e descubra como cobrar por suas horas!

Qual o valor do trabalho prestado?

Se você não sabe quanto cobrar pelos seus serviços, então é melhor começar a fazer seus cálculos. Você pode calcular com base no seu último salário — isso se o tipo de função for, ao menos, parecido.

Calma, não é nada complicado! Basta pegar o valor e dividir pelas horas que você levou para executar suas tarefas. Por exemplo: salário fixo dividido por dias trabalhados, e depois por oito horas.

Assim que descobrir o preço exato, faça a lista de recursos utilizados. Você precisa de internet, material de produção, ajuda de um colaborador ou qualquer outro custo? Coloque tudo isso no papel e inclua no valor que você cobrará ao cliente, pois todos os itens e gastos devem ser reembolsados.

O que devo fazer para evitar problemas?

Como prometido, vamos às recomendações para que você não esquente a cabeça com a sua clientela:

Calcule seus custos e tempo de trabalho

Calcular os custos do seu trabalho pode parecer um “bicho de sete cabeças”, mas está longe de ser algo assustador assim. Para fazer isso, você deve analisar tudo o que gasta com o seu produto ou serviço. É importante levar em consideração matéria-prima, impostos, gasto com energia, água, combustível e tudo o que estiver relacionado com o seu trabalho.

O tempo que você gasta para produzir e levar o produto até seu cliente também deve entrar na conta. Se você é prestador de serviço, então o tempo de pesquisa, deslocamento e trabalho também fazem parte das despesas a serem calculadas.

Você deve observar cada detalhe para que sua marca pessoal tenha a valorização ideal.

Observe a concorrência

Avaliar a concorrência é sempre importante em qualquer etapa do negócio, incluindo na hora de precificar o seu valor.

É interessante observar como os concorrentes agem no mercado e seguir a tendência para que você seja visto, especialmente se ainda não tiver um diferencial competitivo.

Assim que começar a aumentar a sua carteira de clientes e a deixar seus produtos ou serviços mais conhecidos, poderá reajustar o preço para elevar a sua rentabilidade.

Avalie o seu público

Você deve ter em mente a rentabilidade do seu público-alvo e entender o quanto ele está disposto a pagar pelo seu trabalho. Faça pesquisa de mercado e veja a situação econômica atual, levando em consideração as escolhas dos seus possíveis consumidores.

Você deve conhecê-los mais a fundo. Verifique suas reais necessidades e desejos para oferecer aquilo que realmente os satisfaça.

Ao seguir essas dicas simples, dá para calcular facilmente o valor do trabalho e você pode ter o sucesso que deseja. Basta ficar de olho na valorização de sua profissão no mercado e cobrar o preço que se enquadra no seu negócio para ganhar diferencial competitivo.

Gostou das nossas dicas? Então compartilhe este artigo nas suas redes sociais e ajude seus amigos!

marketing-pessoal-nas-redes-sociais-como-imprimir-seu-branding-pessoal.jpeg

Marketing pessoal nas redes sociais: como imprimir seu branding pessoal?

A internet trouxe muitos avanços para qualquer profissional que deseja trazer mais reconhecimento para a sua marca. É assim que o marketing pessoal nas redes sociais passou a ser a ferramenta mais importante para quem busca crescimento e novas oportunidades. Isso porque essas mídias têm usuários de todo o mundo e oferecem recursos para quem precisa promover seus serviços.

Mas para imprimir um bom branding pessoal é importante saber como utilizar essas redes, fazendo com que elas atendam às suas necessidades.

Pensando nisso, abaixo separamos algumas dicas para você deixar seu marketing ainda mais eficiente. Confira!

Como fazer um bom marketing pessoal nas redes sociais?

Antes de você usar as redes sociais, é fundamental saber a diferença entre branding e marketing pessoal.

Branding pessoal está relacionado com sua autenticidade. Ou seja, é uma gestão da sua marca pessoal, apresentando sua missão, valores e outras informações que demonstram o seu valor, com o objetivo de criar uma reputação forte. Já o marketing pessoal propaga a imagem construída de acordo com as necessidades e desejos dos clientes, utilizando estratégias que visam atrair pessoas até você.

Tendo a diferença em mente, agora é a hora de elaborar um marketing positivo por meio das redes sociais. Dentre as dicas mais importantes estão:

Planeje o conteúdo postado

Cada rede social aceita um formato de compartilhamento. Você pode escolher postar vídeos, artigos, imagens e diversos outros conteúdos. Mas é preciso cautela e um planejamento, para que cada ação favoreça a sua  marca.

Por isso, antes de colocar qualquer post em seu perfil, faça uma análise de como você quer ser visto pelas pessoas e qual a melhor maneira de atrair possíveis seguidores.

Você deve evitar postagens que possam se tornar prejudiciais, dando preferência para aquelas que tragam alguma informação relevante para os leitores e que estejam relacionadas com a tendência, para se tornarem interessantes e atrativas.

Evite conteúdos ofensivos

Mesmo que a postagem esteja relacionada com suas ideias, é melhor deixá-la de fora, se achar que for ofensiva ou que vá desagradar alguma pessoa. Muitos profissionais acabam prejudicando a própria imagem on-line devido aos conteúdos errados.

Outra coisa que deve ser retirada das suas redes sociais são respostas agressivas e mal-humoradas. Além disso, alguns usuários costumam deixar mensagens nas publicações. Mesmo que elas não sejam do seu agrado, lembre-se de que a cordialidade e o respeito devem sempre prevalecer.

Contrate uma empresa especializada em gestão de imagem

Nada melhor que contar com o apoio e o serviço de uma empresa especializada em gestão de imagem. Isso porque elas contam com pessoal qualificado que vai trabalhar a seu favor, prestando atenção nas suas necessidades e traçando estratégias que ajudarão a alcançar os resultados desejados.

Essas companhias têm ferramentas e softwares que contribuem para um trabalho de eficiência, valorizando ainda mais a sua reputação diante dos internautas. Com isso, fica mais fácil conquistar novos seguidores e, consequentemente, novos clientes.

O marketing pessoal nas redes sociais é a melhor forma de atrair seu público e ressaltar sua marca no mercado, pois a internet abre portas para que você alcance pessoas e outras empresas que estão espalhadas pelo mundo.

Quer conhecer um grupo que trabalha visando a valorização da sua marca? Então entre em contato conosco e confira nossos serviços!