caso-anitta-e-eleicao-2018

Ele não, mas e ela? Caso Anitta e a eleição 2018

“Diga quem você é, me diga
(…)
Tira a máscara que cobre o seu rosto
Se mostre e eu descubro se eu gosto
Do seu verdadeiro jeito de ser”

Quando falamos de marca, falamos exatamente disso: transparência.

Qual é a sua essência? Que valores defende? O público quer saber.

Em outro artigo que escrevi sobre a Anitta, também comentei sobre isso. Vamos relembrar alguns dados?

dado 1

dado 1

Cada dia mais as discussões sobre inclusão e direitos está maior. A desigualdade de gênero no ambiente profissional, por exemplo, é algo que está sendo altamente debatido pelas mídias e pelo mercado. Cada dia mais as marcas são obrigadas a reconhecer e enxergar de fato as minorias. Uma marca que ignora e escolhe se manter calada sobre as minorias está suscetível a críticas e a boicote. As marcas sempre tiveram medo de se posicionar, mas hoje elas também têm medo de se manter em silêncio (e devem mesmo).

A verdade é que ninguém mais quer ser representado por uma marca que não olha de verdade para o seu público. Então se a marca prefere se manter calada por medo de perder vendas, isso pode gerar um feedback negativo enorme. Algumas marcas resolvem fazer uma inclusão artificial das minorias na tentativa de se comunicar com elas, só para dizer que não as ignorou ou que se posicionou, o que se torna um tiro no próprio pé.

Como diz a pesquisa da TrendWatching, as pessoas hoje buscam marcas que sejam transparentes para manterem um “relacionamento” verdadeiro. Digo isso porque ninguém quer conversar com uma marca que só interessa pelo seu público na hora de vender algo. Queremos que ela nos conheça, nos enxergue, nos represente e esteja conosco nas horas boas e ruins.

Mas por que estou dizendo isto tudo? Porque Anitta é uma marca.

Ela vende um produto que são as suas músicas e vende um serviço que é o entretenimento. E recentemente teve uma grande polêmica envolvendo sua imagem. Grande parte do seu público começou a cobrar um posicionamento dela, questionando seu papel social como figura pública, acerca do candidato Bolsonaro após ela seguir um perfil de uma amiga que abertamente declara seu apoio ao candidato. Ela, no entanto, diz que tem o direito de não se manifestar sobre política e que não gostaria de ter sua imagem atrelada às eleições.

A grande questão é: ela deveria ou não se posicionar?

Veja bem, a questão vai muito além do fato dela ter seguido um perfil que declara apoio ao candidato ou sobre seu direito ao voto secreto.

No trabalho de gestão de imagem e carreira, temos que lidar com muitas situações diferentes. Nós sabemos que em situações de crise de imagem, é necessário que se tome uma posição. Às vezes, se tem que escolher entre dar uma resposta ao público ou manter-se calado. Mas tudo tem um preço e você está suscetível a críticas nos dois casos. No entanto, uma escolha errada pode custar uma carreira. De verdade.

Aqui Anitta escolheu não se posicionar nem contra e nem a favor do candidato, dando apenas uma declaração rasa sobre o assunto. No entanto, além do candidato em questão ir contra tudo que a cantora já defendeu publicamente, ele já deu muitas declarações homofóbicas e o público LGBT+ é o que mais iria sofrer consequências ruins se ele for eleito.

O público LGBT+ é o que mais gera lucro para a música pop, é o que chamamos de Pink Money. Além disso, grande parte do público da Anitta é LGBT+. A cantora, inclusive, já foi coroada rainha na Parada LGBT+. Ela já declarou publicamente apoio à comunidade e em seus stories (um dos mais vistos no mundo) sempre grita “um beijo para as POCS” (gíria LGBT+). Anitta, portanto, tem um relacionamento de longa data com este público.

O grande questionamento do seu público é: não queremos ser representados por artistas que estão conosco apenas quando a situação é favorável. Então, Anitta, você está conosco nesta luta? O país está passando por um momento muito difícil e a comunidade LGBT+ pode perder seus direitos se este candidato for eleito. Esta luta por direitos já causou a morte de muita gente e pessoas são hostilizadas todos os dias por causa da homofobia. Se a cantora se diz feminista, a favor das minorias, contra desigualdade em todos os níveis e uma defensora dos direitos LGBT+, é óbvio que ela não poderia votar em um candidato que vai contra tudo isto que ela defende. Então, qual é o problema de Anitta ser uma representante destes direitos se ela sempre fez isso durante a sua carreira? Agora que a situação está desfavorável ela não quer se posicionar? Isto é o que está sendo questionado.

Como marca ela não pode representar artificialmente, entende? Se ela sobe ao palco e grita junto com o seu público LGBT+ palavras de luta a favor de seus direitos em um momento feliz, também deve defender esses direitos em momentos desfavoráveis. O efeito desse silêncio é muito pior, especialmente para um artista.

A questão não é se ela é direita ou esquerda, vai além da política. Estamos falando de valores e toda marca tem “missão, visão e valores”. A questão aqui é dizer “eu, como pessoa defensora das diferenças, vou contra os valores que esse candidato prega, então #elenão”. Mas falar isso abertamente e não nas entrelinhas. A conversa tem que ser direta e transparente. É isso que o público pede das marcas hoje em dia. Transparência é tudo e a cantora Anitta sempre foi citada como tendo um de seus pontos fortes a transparência.

Uma pessoa que sempre se posicionou, não pode abrir mão do seu papel social quando a situação aperta. Não estamos falando aqui de uma partida de futebol em que às vezes o jogador é hostilizado pelo seu desempenho na partida e, às vezes, é melhor ficar quieto para a poeira abaixar. Estamos falando de valores, transparência, relação direta com o público.

Então, só para finalizar. É importante sim se posicionar. Não digo sobre política, mas sobre quais valores você defende. E deixar claro para o seu público se você está com ele até o fim ou não. Porque se for uma relação artificial… aí sinto te dizer que esse amor é tipo aquele amor de verão, ele passa e mesmo que voltem a se encontrar, a relação não será mais a mesma.

como-descobrir-qual-o-valor-do-meu-trabalho-e-como-cobrar-por-ele.jpeg

Como descobrir qual o valor do meu trabalho e como cobrar por ele?

Uma das preocupações de quem presta serviço de forma autônoma, categoria em alta no Brasil, diz respeito ao valor do trabalho e como cobrar por ele. Você se identifica com essa questão? Então continue aqui com a gente, pois este post vai lhe ajudar!

Primeiro, para colocar um preço na sua hora trabalhada é preciso levar em consideração diversos fatores e ter um planejamento que envolva o início, o meio e o fim do projeto. Fazer isso evita que o processo sofra alterações que possam causar prejuízos.

Antes de fechar o acordo, deixe bem clara a sua proposta para que não restem dúvidas. Assim, você mantém uma boa imagem profissional e seus clientes saberão como é o seu trabalho.

Confira abaixo as nossas recomendações e descubra como cobrar por suas horas!

Qual o valor do trabalho prestado?

Se você não sabe quanto cobrar pelos seus serviços, então é melhor começar a fazer seus cálculos. Você pode calcular com base no seu último salário — isso se o tipo de função for, ao menos, parecido.

Calma, não é nada complicado! Basta pegar o valor e dividir pelas horas que você levou para executar suas tarefas. Por exemplo: salário fixo dividido por dias trabalhados, e depois por oito horas.

Assim que descobrir o preço exato, faça a lista de recursos utilizados. Você precisa de internet, material de produção, ajuda de um colaborador ou qualquer outro custo? Coloque tudo isso no papel e inclua no valor que você cobrará ao cliente, pois todos os itens e gastos devem ser reembolsados.

O que devo fazer para evitar problemas?

Como prometido, vamos às recomendações para que você não esquente a cabeça com a sua clientela:

Calcule seus custos e tempo de trabalho

Calcular os custos do seu trabalho pode parecer um “bicho de sete cabeças”, mas está longe de ser algo assustador assim. Para fazer isso, você deve analisar tudo o que gasta com o seu produto ou serviço. É importante levar em consideração matéria-prima, impostos, gasto com energia, água, combustível e tudo o que estiver relacionado com o seu trabalho.

O tempo que você gasta para produzir e levar o produto até seu cliente também deve entrar na conta. Se você é prestador de serviço, então o tempo de pesquisa, deslocamento e trabalho também fazem parte das despesas a serem calculadas.

Você deve observar cada detalhe para que sua marca pessoal tenha a valorização ideal.

Observe a concorrência

Avaliar a concorrência é sempre importante em qualquer etapa do negócio, incluindo na hora de precificar o seu valor.

É interessante observar como os concorrentes agem no mercado e seguir a tendência para que você seja visto, especialmente se ainda não tiver um diferencial competitivo.

Assim que começar a aumentar a sua carteira de clientes e a deixar seus produtos ou serviços mais conhecidos, poderá reajustar o preço para elevar a sua rentabilidade.

Avalie o seu público

Você deve ter em mente a rentabilidade do seu público-alvo e entender o quanto ele está disposto a pagar pelo seu trabalho. Faça pesquisa de mercado e veja a situação econômica atual, levando em consideração as escolhas dos seus possíveis consumidores.

Você deve conhecê-los mais a fundo. Verifique suas reais necessidades e desejos para oferecer aquilo que realmente os satisfaça.

Ao seguir essas dicas simples, dá para calcular facilmente o valor do trabalho e você pode ter o sucesso que deseja. Basta ficar de olho na valorização de sua profissão no mercado e cobrar o preço que se enquadra no seu negócio para ganhar diferencial competitivo.

Gostou das nossas dicas? Então compartilhe este artigo nas suas redes sociais e ajude seus amigos!

marketing-pessoal-nas-redes-sociais-como-imprimir-seu-branding-pessoal.jpeg

Marketing pessoal nas redes sociais: como imprimir seu branding pessoal?

A internet trouxe muitos avanços para qualquer profissional que deseja trazer mais reconhecimento para a sua marca. É assim que o marketing pessoal nas redes sociais passou a ser a ferramenta mais importante para quem busca crescimento e novas oportunidades. Isso porque essas mídias têm usuários de todo o mundo e oferecem recursos para quem precisa promover seus serviços.

Mas para imprimir um bom branding pessoal é importante saber como utilizar essas redes, fazendo com que elas atendam às suas necessidades.

Pensando nisso, abaixo separamos algumas dicas para você deixar seu marketing ainda mais eficiente. Confira!

Como fazer um bom marketing pessoal nas redes sociais?

Antes de você usar as redes sociais, é fundamental saber a diferença entre branding e marketing pessoal.

Branding pessoal está relacionado com sua autenticidade. Ou seja, é uma gestão da sua marca pessoal, apresentando sua missão, valores e outras informações que demonstram o seu valor, com o objetivo de criar uma reputação forte. Já o marketing pessoal propaga a imagem construída de acordo com as necessidades e desejos dos clientes, utilizando estratégias que visam atrair pessoas até você.

Tendo a diferença em mente, agora é a hora de elaborar um marketing positivo por meio das redes sociais. Dentre as dicas mais importantes estão:

Planeje o conteúdo postado

Cada rede social aceita um formato de compartilhamento. Você pode escolher postar vídeos, artigos, imagens e diversos outros conteúdos. Mas é preciso cautela e um planejamento, para que cada ação favoreça a sua  marca.

Por isso, antes de colocar qualquer post em seu perfil, faça uma análise de como você quer ser visto pelas pessoas e qual a melhor maneira de atrair possíveis seguidores.

Você deve evitar postagens que possam se tornar prejudiciais, dando preferência para aquelas que tragam alguma informação relevante para os leitores e que estejam relacionadas com a tendência, para se tornarem interessantes e atrativas.

Evite conteúdos ofensivos

Mesmo que a postagem esteja relacionada com suas ideias, é melhor deixá-la de fora, se achar que for ofensiva ou que vá desagradar alguma pessoa. Muitos profissionais acabam prejudicando a própria imagem on-line devido aos conteúdos errados.

Outra coisa que deve ser retirada das suas redes sociais são respostas agressivas e mal-humoradas. Além disso, alguns usuários costumam deixar mensagens nas publicações. Mesmo que elas não sejam do seu agrado, lembre-se de que a cordialidade e o respeito devem sempre prevalecer.

Contrate uma empresa especializada em gestão de imagem

Nada melhor que contar com o apoio e o serviço de uma empresa especializada em gestão de imagem. Isso porque elas contam com pessoal qualificado que vai trabalhar a seu favor, prestando atenção nas suas necessidades e traçando estratégias que ajudarão a alcançar os resultados desejados.

Essas companhias têm ferramentas e softwares que contribuem para um trabalho de eficiência, valorizando ainda mais a sua reputação diante dos internautas. Com isso, fica mais fácil conquistar novos seguidores e, consequentemente, novos clientes.

O marketing pessoal nas redes sociais é a melhor forma de atrair seu público e ressaltar sua marca no mercado, pois a internet abre portas para que você alcance pessoas e outras empresas que estão espalhadas pelo mundo.

Quer conhecer um grupo que trabalha visando a valorização da sua marca? Então entre em contato conosco e confira nossos serviços!

por-que-e-mais-importante-gerar-influencia-do-que-autoridade-descubra.jpeg

Por que é mais importante gerar influência do que autoridade? Descubra!

Liderar uma equipe nem sempre é uma tarefa fácil, mas quando você passa a tratar seus funcionários com respeito, sendo um influenciador, consegue gerar uma relação de confiança, fazendo com que todos trabalhem com a máxima eficiência para atingir os objetivos empresariais.

No entanto, alguns profissionais ainda costumam acreditar que ter autoridade é sinônimo de influenciar, mas isso não é uma verdade. Mesmo que você tenha um cargo alto, isso não quer dizer que exerça influência sobre sua equipe.

Pensando nisso, hoje, vamos mostrar como um influenciador pode gerar melhores resultados em seu negócio. Acompanhe!

Qual a diferença entre influência e autoridade?

Autoridade é quando uma pessoa utiliza o seu poder para conseguir atingir um objetivo com a ajuda dos seus colaboradores. Porém, para isso, é necessário que ela seja vista como um líder, mesmo quando não tiver uma posição superior aos demais.

O que ocorre é que suas ações são vistas como exemplos e fazem com que outros profissionais se engajem no trabalho a ser realizado. O problema da autoridade é que nem sempre a equipe se sente motivada ou influenciada em ter as mesmas atitudes em busca do bem coletivo e da empresa.

Já a influência melhora a relação de confiança e cooperação entre você e seus trabalhadores, sendo estendida não apenas ao ambiente profissional, mas aos relacionamentos entre todos os envolvidos.

Com isso, esse tipo de liderança contribui para que ocorra um relacionamento mais benéfico, sustentável e eficiente, tanto para o clima organizacional quanto para a conquista de resultados mais positivos.

Assim, cada profissional se sente mais seguro e incentivado a colaborar para a conquista das metas traçadas.

Como ser mais influenciador?

Para se tornar mais influenciador e motivar seus colaboradores a trabalhar com mais qualidade, é preciso seguir algumas dicas simples, como:

Mantenha bons relacionamentos

Para que seu negócio prospere e você tenha funcionários satisfeitos e capazes de se dedicar ao máximo, é importante manter uma relação saudável, respeitosa e amigável.

Você já ouviu falar que, para uma equipe crescer e atingir suas metas, é preciso fazê-la se sentir importante? Pois é, ter um relacionamento mais estreito e tratar as pessoas que trabalham com você de forma mais próxima cria empatia e sensação de bem-estar.

Faça com que a equipe goste de você

Ninguém segue a liderança de uma pessoa que não desperta interesse ou que seja difícil de conviver. Para que seus colaboradores possam ser influenciados, você deve fazer com que eles gostem de você e admirem a maneira como lidera.

Para isso, você deve ser sempre gentil, mas mantendo o nível de profissionalismo, principalmente na hora de tomar decisões. Mantenha sua postura, sendo sempre agradável, dinâmico e alegre, pois, assim, você causará boa impressão e gerará encantamento.

Conheça seus parceiros

Um bom influenciador conhece seus colaboradores. Ele fica atento às necessidades e sonhos de cada um, aprendendo não apenas como os funcionários são no âmbito profissional, mas também como eles são como seres humanos.

A influência pode ser a chave para o sucesso, por isso, é mais importante que você seja um influenciador do que uma autoridade, já que o caminho para um trabalho coletivo é se tornar um exemplo para a equipe.

Gostou das nossas dicas? Então, compartilhe este artigo em suas redes sociais e ajude seus amigos a ficar por dentro do assunto!

redes-sociais-6-dicas-para-cuidar-da-sua-imagem-online.jpeg

Redes sociais: 6 dicas para cuidar da sua imagem online!

O mundo evoluiu e, com isso, surgiram diversas oportunidades profissionais — especialmente na era digital. A internet possibilita que você interaja com o público por meio das redes sociais, voltadas para atender às suas necessidades e aproximar sua marca dos clientes.

No entanto, para que essas ferramentas possam proporcionar os benefícios desejados e resultados positivos, é importante ter cautela. Em muitos casos, o uso inadequado pode trazer consequências ruins e sujar seu nome.

Para ajudar você a utilizar tais recursos a seu favor, listamos algumas dicas incríveis para melhorar a imagem virtual e atrair mais pessoas às suas páginas. Continue a leitura e confira!

Como usar a internet e melhorar sua imagem virtual?

Para que você alcance o sucesso online, projetando sua imagem profissional no mercado, é imprescindível usar as redes sociais. Elas se tornaram o meio virtual mais promissor dos últimos anos, promovendo um diferencial competitivo para os profissionais que acompanham essa evolução e fazem dela uma poderosa aliada na conquista de objetivos.

Para que você obtenha sucesso na utilização das redes sociais, é importante seguir algumas regras básicas e simples. Veja, abaixo, 6 delas.

1. Dose a quantidade de postagem

Ao criar uma conta em qualquer rede social, é importante controlar as postagens. Postar conteúdo em excesso pode ser tão maléfico quanto não fazer publicações.

Sendo assim, tenha controle sobre suas ações para que seus seguidores não se sintam incomodados ou acabem deixando a página. Não há uma regra específica para o número ideal, mas o recomendado é que você não saia muito da linha que cada plataforma propõe.

Instagram

Para fazer sua divulgação nessa rede, basta uma publicação diária. Não é necessário mais do que isso, mas, se você achar importante, pode fazer até 3 postagens por dia (desde que alterne os conteúdos). Já nos Stories, é importante manter um controle maior, para que o conteúdo não fique massivo demais.

Facebook

Essa rede social é uma das mais usadas e passou a fazer parte do universo de muitos profissionais. Mas, para surtir o efeito esperado, o recomendado é que você poste dois conteúdos diários, variando entre imagens, vídeos, textos, gifs etc.

É claro que esse número pode aumentar dependendo de seus objetivos. Entretanto, é preciso ser cuidadoso para não ultrapassar o limite.

LinkedIn

Trata-se de uma rede voltada para o mundo dos negócios e ideal para quem procura fazer networking, com boas conexões entre empresas e profissionais. Mas o LinkedIn tornou-se uma ferramenta mais formal e, portanto, é melhor focar em qualidade do que quantidade.

Assim, nada de publicar conteúdos irrelevantes. Faça suas postagens 3 vezes por semana, para respeitar o limite.

YouTube

O canal que se tornou o preferido de muitas pessoas também tem suas regras básicas. A criação de vídeos é um processo demorado, que exige mais tempo do que outros formatos. Mesmo que você tenha que se dedicar mais, tente postar ao menos um conteúdo por semana para atrair o público.

2. Tome cuidado ao fazer reclamações

Muitas pessoas usam as redes sociais para abrir discussões e reclamações — e isso nem sempre é uma boa ideia.

Tais plataformas acabam servindo também como um tipo de SAC, com alguns usuários que aproveitam os perfis para desabafar. Porém, o excesso de protestos e reivindicações pode transmitir uma imagem negativa diante dos seguidores, principalmente quando você tem uma página para promover seu negócio.

Nenhum contato verá com bons olhos um usuário que vive insatisfeito e perde horas do seu dia publicando críticas destrutivas.

3. Tome cuidado com as imagens publicadas

Todo profissional precisa ser respeitado, mesmo na internet. Mas, para criar uma imagem sólida e manter uma reputação exemplar, é necessário cuidar das imagens que são postadas e vinculadas a você.

É preciso que cada etapa das publicações esteja representando sua marca de forma adequada. Uma péssima ideia é usar sua página para divulgar fotos que sejam ofensivas a alguma pessoa, pois essa atitude pode gerar desconforto e afastar possíveis clientes.

Além disso, tenha imagens de boa qualidade e responsivas, que possam ser vistas em todos os tipos de dispositivos móveis. Isso melhora a experiência que as pessoas têm com o seu perfil.

4. Use as redes para compartilhar conhecimento

Uma das coisas que mais cansa um usuário de redes sociais é receber conteúdos fúteis, sem nenhum significado. É claro que distrair a cabeça é válido, mas, para um profissional, compartilhar matérias falsas ou publicações sem sentido pode ser o caminho para o fracasso.

Portanto, sempre que for postar nesses canais, confira a veracidade do assunto e transmita algo que seja interessante e informativo. Isso faz com que as pessoas se sintam confortáveis em seguir sua página, sabendo que vão obter conhecimento.

5. Agregue valor

Sua rede social profissional deve ter valor para os leitores e para sua própria marca. Para conseguir isso, é importante que você:

  • use uma capa atrativa, com uma imagem que reflita a personalidade do seu negócio;
  • coloque uma foto de perfil que seja facilmente identificada pelo público;
  • tenha uma personalidade definida e interaja com as pessoas, para que elas possam se comunicar livremente. Essa é uma forma de humanizar sua marca e aproximá-la dos clientes;
  • responda aos comentários, mostrando que cada um dos seguidores é importante, respeitando o diálogo e mantendo um relacionamento mais íntimo entre vocês.

6. Analise a rede antes de usá-la

Mesmo seguindo as dicas acima, é fundamental fazer uma avaliação nas redes sociais antes de começar a postar. Cada uma tem seus objetivos específicos e é importante que você atente às normas relacionadas a elas.

No Facebook, por exemplo, é comum que as pessoas enviem convites de eventos de suas empresas, até mesmo da festa de aniversário de algum colaborador. Já no LinkedIn, essa prática não é recomendada. Portanto, não perca o foco: conheça sua página e o site em questão.

A imagem virtual é tão importante para você quanto qualquer outra representação física. Por isso, é preciso seguir nossas recomendações para valorizar sua marca e ter um ganho de vantagens competitivas no mercado.

Quer saber como cuidar melhor de sua imagem profissional? Entre em contato conosco e conheça nossos serviços!

como-utilizar-o-linkedin-na-gestao-de-carreiras.jpeg

Como utilizar o LinkedIn na gestão de carreiras?

As redes sociais ganharam o mundo e, nesse contexto, muitos profissionais aproveitam essa oportunidade para conquistar destaque e mostrar os seus trabalhos. Mas, para ganhar verdadeira notoriedade, é importante saber usar o LinkedIn na gestão de carreiras.

Isso porque a rede foi criada exatamente para ajudar pessoas a se relacionarem com outros profissionais e possíveis clientes, demonstrando suas qualidades e especializações.

Por isso, vamos mostrar neste post algumas dicas de como você pode usar o LikedIn para alavancar sua carreira profissional. Continue a leitura e fique de olho!

Crie um perfil atrativo

Tudo começa com uma boa imagem do perfil. Você deve ter bom senso na hora de escolher sua foto. Opte por aquela que seja mais discreta, demonstrando certa maturidade. O ideal é passar uma imagem mais profissional, mas sem exageros.

Outro ponto importante é colocar todas as suas informações profissionais em ordem cronológica para que outros membros possam conhecer sua trajetória. Além disso, é importante preencher os dados com cursos, especializações, idiomas e qualquer outro assunto relevante.

Lembre-se de atualizar o seu perfil sempre que for necessário para não deixar nada de fora.

Faça networking

O LinkedIn permite que você possa ampliar o seu networking. Por isso, sempre que for possível, faça contato com influenciadores da sua área de atuação para que eles ajudem a divulgar e destacar o seu perfil profissional.

Você pode aproveitar para encontrar ex-colegas de estudos ou de trabalhos já realizados, aumentando suas chances e fazendo novas conexões. Essa rede social possibilita novas transações de negócio, criando oportunidades de fechar parcerias e conquistar novos clientes. Faça proveito disso!

Siga o perfil de empresas de sucesso

Você sabia que inúmeras companhias já possuem uma conta no LinkedIn? Isso facilita a comunicação entre profissionais e marcas. Sendo assim, tente seguir o perfil de todas as empresas nas quais você deseja trabalhar.

Assim, você acabará apresentando seu currículo e fazendo com que o grupo conheça todos os detalhes importantes sobre sua carreira de forma rápida, simples e mais efetiva.

Faça uma abordagem certeira

Sabe aquele velho ditado que diz que a primeira impressão é a que fica? No mundo online, o primeiro contato é o que fica.

Assim que você começa uma conversa com uma empresa, é importante que realmente saiba o que dizer. Por isso, pesquise sobre a companhia e o trabalho que ela realiza, obtendo todos os dados necessários para que sua abordagem seja feita de forma correta.

É importante manter um diálogo educado, mas sem perder muito a formalidade. Afinal, você estará entrando em contato com organizações e outros profissionais e, por isso, é preciso manter uma linha mais séria e focada para que não haja excesso de intimidade.

Tenha um perfil em outros idiomas

O LinkedIn permite que você crie o seu perfil em diversos idiomas dentro da mesma URL. Trata-se de um recurso que ajuda a fortalecer a sua imagem perante o mercado, dando um diferencial competitivo diante das empresas internacionais e multinacionais.

Para isso, selecione a opção de incluir a sua rede em outras línguas. O site fará uma cópia das suas informações de forma automática e, então, você poderá fazer a tradução no idioma que desejar.

O LinkedIn na gestão de carreiras contribui para que o seu currículo completo e atualizado possa percorrer o mundo corporativo, abrindo portas que você sempre sonhou. É uma maneira mais prática de conquistar as oportunidades que busca.

Gostou deste post? Quer conhecer outras informações importantes sobre carreira e negócio? Assine nossa newsletter e receba todos os nossos conteúdos diretamente na caixa de entrada do seu e-mail!

neymar-uma-historia-que-nao-toca-o-coracao

Neymar, uma história que não tocou o coração

Vinte e três dias. Este foi o tempo gasto por Neymar para se manifestar publicamente sobre a crise que se abateu sobre a sua imagem desde a questionável performance que o craque da Seleção Brasileira apresentou no Mundial da Rússia. No último domingo, o atacante voltou a ficar sob os holofotes ao se desculpar oficialmente através de um comercial da Gillette em horário nobre na TV Globo. Do ponto de vista da Gillette, não há dúvidas de que a campanha foi muito positiva para a marca, pois todos nós estamos vendo e comentando o comercial. Mas para Neymar, que foi o alvo da iniciativa, ela foi realmente positiva?

O fato é que, desde o vídeo feito pelo jogador, alguns dias depois da última participação da Seleção na Copa do Mundo, em ele aparecia ao lado de algumas crianças e brincava com a situação, Neymar demonstrava não se incomodar com as críticas que vinha recebendo e foi muito criticado pela atitude.  Acredito que todos nós, e não apenas eu que trabalho com Gestão de Imagem e Carreira, estávamos curiosos para saber qual seria sua primeira ação efetiva para trabalhar sua imagem.

Na campanha feita pela Gillette, a marca foi muito competente na ferramenta escolhida para fazer o “comunicado”. O storytelling, recurso usado pelo marketing da empresa, é uma forma muito inteligente e eficiente para trabalhar uma marca. Uma das bases do storytelling é criar emoção partindo da verdade.  Nós, seres humanos, estamos acostumados a contar e a escutar histórias há centenas de anos. Gostamos de ouvir histórias porque em algum momento da narrativa nos conectamos com algo que está sendo contado, e somos tocados no coração.

Neste caso, no entanto, apesar de uma ferramenta adequada para o comunicado, infelizmente não foi o que aconteceu com a história de Neymar.  Ela precisava ser potente, principalmente quando falamos de marca pessoal, e transmitir, para quem estivesse assistindo, uma história verdadeira.  Caso contrário, não emociona e acaba perdendo sua maior função. Toda a história possui um herói e neste caso o herói é Neymar. Mas por que será que não conseguimos nos conectar com ela?

Tenho a minha interpretação sobre o fato. Toda trajetória possui momentos difíceis, erros, quedas, frustações, sonhos interrompidos. E quando isto acontece nós sofremos, choramos e ficamos estirados no chão.  Toda história é feita de perrengues.  Heróis que reconhecem seus erros porque somos humanamente imperfeitos.  No caso da história de Neymar, contada pela Gillette, o jogador em nenhum momento demonstrou sofrimento, tristeza e arrependimento. Ele não saiu do pedestal. E foi exatamente neste momento que deixamos de acreditar naquilo que estava sendo contado.

Acredito que este comercial é um reflexo da comunicação feita por Neymar com a sua audiência em todos os meios que utiliza. Não traz a verdade. Ele está sempre olhando de cima para baixo. Ele não se humaniza. Ele cria um distanciamento, se coloca como inatingível.

A principal pergunta é: o que seria mais eficiente para o jogador conseguir chegar de forma verdadeira até seu público?  Uma mega campanha publicitária, como a que estamos vendo através da Gillette, ou Neymar fazendo um vídeo em seu Instagram, contanto a verdadeira história, reconhecendo seus medos, sofrimento, e, principalmente, o que aprendeu com tudo isto?

É possível, sim, gerenciar um momento de crise como este e reverter essa imagem negativa. Mas, o que estamos vendo, por ações pensadas e executadas de forma equivocada, é que ao invés de dissipar a crise, ela está aumentando cada vez mais.  Ao meu ver, sem verdade não há salvação. Uma coisa é certa, a campanha foi positiva para a marca Gillette e não para a marca Neymar.

qual-a-relacao-entre-o-branding-e-o-storytelling-de-uma-marca.jpeg

Qual a relação entre o branding e o storytelling de uma marca?

Você sabia que o storytelling de uma marca ajuda a criar oportunidades para atrair pessoas até o seu negócio? Por isso, é fundamental que você tenha conhecimento sobre as diferentes ferramentas que auxiliam o seu marketing a conquistar um lugar de destaque no mercado competitivo.

Pensando nisso, preparamos este post para que você entenda melhor o que é storytelling e qual a sua relação com o branding. Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

O que são branding e storytelling de uma marca?

Branding, conhecido também como gestão de marcas, nada mais é do que um conjunto de ações que visa construir a imagem do seu negócio diante da percepção do cliente. Ou seja, é uma forma estratégica que, quando feita de maneira eficiente, consegue colocar sua marca em um posicionamento efetivo e bem visto pelo consumidor.

Para que ele realmente funcione, é necessário corresponder a uma identidade, tornando-se única nos pontos de contatos e tendo ligação direta aos interesses e necessidades dos seus clientes. Em resumo, o branding é a percepção que o seu público-alvo tem em relação à sua marca.

Enquanto isso, storytelling é uma técnica que possibilita adquirir habilidades de contar uma história cativante por meio de recursos audiovisuais e de palavras. Trata-se de um método que auxilia o marketing e, da melhor forma possível, promove o seu empreendimento para que você consiga oferecer os seus produtos e serviços de maneira indireta e mais persuasiva.

Qual a ligação entre branding e storytelling?

Podemos dizer que o storytelling é uma ferramenta de auxílio ao branding. Isso porque, tendo uma gestão de marca eficaz aliada a uma história bem contada, você cria um marketing mais interessante e atrativo.

Assim, é possível fazer com que sua audiência sinta-se mais próxima da sua marca. Essa habilidade de contar histórias que emocionam aumenta a conexão entre você e o seu público, além de construir confiança e empatia entre sua empresa e as pessoas que ela alcança.

Como o storytelling pode contar a história de uma marca?

Quando você consegue contar uma história cativante, isso cria aspectos neurológicos e psicológicos que aumentam o foco e a atenção das pessoas na mensagem que está sendo transmitida. Saiba como conquistar isso!

Crie a mensagem

Ela deve ser positiva, atingindo o lado emocional da pessoa. Você deve passar um recado que consiga prender o público e que possa ser sempre lembrado.

Pense nos grandes mestres da humanidade e em como eles são referenciados até hoje. Um bom exemplo são as famosas marcas de refrigerantes que usam dias comemorativos para emocionar e encantar com suas lindas histórias e efeitos especiais, como a Coca-Cola na época do Natal.

Mude pensamentos

Quando você gera um conflito de ideias, acaba apimentando a história. Tente mudar os padrões das pessoas e fazer com elas reflitam sobre o que a sua empresa está passando para elas! Com isso, você desperta o desejo de conhecer mais sobre o que está sendo falado e de buscar mais informações para saciar a necessidade de aprender.

Construa bons personagens

A ideia é criar personagens que são semelhantes aos seus possíveis clientes, fazendo com que cada pessoa consiga se identificar com ao menos um deles. Use e abuse da criatividade, deixando todo o contexto mais próximo da realidade. Entretanto, dê também aquele toque de sentimentalismo, como os famosos finais felizes dos filmes.

O storytelling de uma marca é fundamental para quem deseja atingir o público e criar um vínculo mais íntimo com ele. Quando que você fizer seu planejamento de marketing, inclua essa ferramenta e se beneficie de tudo o que ela proporciona.

Gostou das nossas dicas? Então, siga-nos no Facebook e no LinkedIn e acompanhe outros conteúdos que vão transformar a sua carreira!

veja-como-usar-pontos-fortes-e-fracos-para-se-destacar-no-mercado.jpeg

Veja como usar pontos fortes e fracos para se destacar no mercado

Você sabe por que deve conhecer quais são seus pontos fortes e fracos para se destacar profissionalmente? Pois bem! Essas informações são fundamentais para que seja possível realçar aquilo que você tem de bom, aprimorar o que for necessário e apresentar um perfil mais interessante para o mercado de trabalho.

Pessoas equilibradas, com qualidades realçadas e defeitos atenuados, tendem a ser mais requisitadas para boas chances de trabalho. Porém, analisar os próprios defeitos e qualidades pode ser um processo complexo. Afinal, nem sempre estamos prontos para encarar nossa intimidade tão de perto, não é mesmo? Mas saiba que tal atitude vale a pena!

Pensando nisso, leia este post com atenção e aprenda como usar seus pontos fortes e fracos para se destacar no mercado!

Por que é importante saber quais são os pontos fortes e fracos?

Independentemente da sua área de atuação, uma coisa é certa: para conquistar as melhores chances e ser lembrado nas oportunidades certas, sendo considerado um profissional de destaque e rendimento, é preciso apresentar um conjunto de fatores.

Qualificação, competência, produtividade, personalidade e agilidade, é claro, estão entre eles. Nesse sentido, para apresentar um conjunto mais equilibrado e interessante, é necessário você mesmo entender quais são seus pontos fortes e fracos.

Como identificar seus pontos fortes e fracos?

Esse é um processo íntimo, que só você pode fazer. É claro que vale, e muito, a iniciativa de buscar a opinião de terceiros sobre como você age, para considerar na sua avaliação. Mas, no fim das contas, só você pode entender a sua vida interior, as origens das suas características e todas as particularidades da sua personalidade.

Por isso, preste atenção nas dicas a seguir e identifique seus pontos fortes e fracos com mais eficiência!

Reflita sobre a sua vida e a sua personalidade

Inicie o processo com uma boa autoanálise e reflexão sobre a sua própria vida, suas conquistas, seus objetivos e suas características inatas. A partir daí, suas qualidades e seus defeitos começam a vir à tona, e iniciar uma mudança fica mais fácil.

Peça feedbacks de pessoas que o conhecem bem

No entanto, basear o seu diagnóstico somente na autoanálise pode fazer com que aspectos importantes fiquem de fora. Há características suas que somente os outros conseguem apontar.

Por isso, é relevante pedir a ajuda de familiares, de amigos e de colegas de trabalho. Pergunte francamente quais são os pontos fortes e fracos que eles enxergam em você e considere isso na sua autoanálise.

Pense sobre como você se porta diante de determinadas situações

Para fechar, pense como você se comporta diante de determinadas situações — seja na vida pessoal, seja no trabalho. Faça perguntas do tipo:

  • Como eu ajo quando estou em um local onde não conheço ninguém?
  • Se perdesse todo o meu dinheiro, como faria para me virar?
  • De que forma eu trato pessoas de diferentes classes sociais?

Colocando-se em situações diferentes, mesmo por mais absurdas ou inesperadas que pareçam, você entra em contato com características que não são óbvias e nem aparecem no dia. Essa é a relevância desse exercício.

Ao concluir seu processo de autoanálise, você deverá saber responder quais são os seus pontos fortes e fracos. Por sua vez, isso é o início de um trabalho de branding, cujo pilar é o autoconhecimento para iniciar uma mudança.

Para saber mais sobre o assunto, que tal assinar a nossa newsletter e receber todas as atualizações do blog direto no seu e-mail? Até a próxima!

imagem-profissional-de-atletas-como-afeta-a-busca-de-patrocinadores.jpeg

Imagem profissional de atletas: como afeta a busca de patrocinadores?

A imagem profissional é muito importante para atletas que desejam conseguir vários patrocinadores e ter uma carreira de sucesso. Isso acontece porque as empresas querem patrocinar pessoas que vão enriquecer a sua marca, capitando e fidelizando clientes  por meio da divulgação dos patrocínios.

Dessa forma, vamos aprender neste post como a imagem profissional de atletas é importante para a busca de patrocinadores.

Marcas do profissionalismo

O profissionalismo é imprescindível para os patrocinadores, uma vez que pessoas problemáticas podem levar as empresas a terem muitos prejuízos. Por isso, veja a seguir algumas das formas que indicam esse comportamento.

Uma esportista precisa transmitir confiança para a empresa que está almejando ser patrocinada. Por exemplo, temos o caso muito conhecido do jogador Messi, que foi patrocinado pela Pepsi, mas foi flagrado almoçando com um latinha de Coca-Cola.

Esse descuido, provavelmente, poderia ter acarretado a perda desse patrocinador, ainda que a brilhante carreira do jogador tenha minimizado o problema. Por isso, é muito importante que você demonstre querer compromisso com os acordos firmados e tenha muito cuidado para não cometer nenhuma gafe e perder os patrocinadores que já tem.

É preciso compreender o que os patrocinadores buscam no atleta. Eles não querem alguém que possa denegrir a sua marca ou difamá-la. Da mesma forma, não desejam quem possa tornar a marca negativa perante as pessoas ou afastar os seus consumidores.

Para ter uma boa imagem profissional

Agora vamos ver alguns caminhos para ter uma boa imagem profissional que se conecte com os valores passados pelas marcas, o que pode aumentar as chances de um patrocínio, especialmente no esporte.

Rede sociais

O seu comportamento nas redes sociais formará o perfil que as pessoas têm de você. Esses canais de comunicação têm muita visibilidade, ainda mais com atletas. Por isso, é preciso ter bastante cautela com o que você expõe nessas redes.

Por exemplo, segundo um artigo da revista Época Negócio, o jogador de futebol Ronaldo Fenômeno tem uma conta no Twitter com mais de quatro milhões de seguidores. Isso é fruto da sua habilidade de se comunicar nessas redes, o que já rendeu contratos milionários com o patrocínio da Claro desde 2014.

Não use as redes sociais apenas para expor as suas ideais. Faça desse ambiente virtual uma forma de interagir com o seu público, pois isso é muito importante para conseguir muitos patrocinadores, já que eles usarão você para levar as pessoas a consumirem os seus produtos.

Entrevista

É comum que, na busca de patrocinadores, você precise realizar muitas entrevistas. É necessário ter comportamento condizente com uma boa imagem profissional para que as suas chances aumentem ainda mais. Sempre olhe nos olhos do seu ouvinte e tenha uma postura corporal correta.

Portanto, você aprendeu neste post como é importante a imagem profissional de atletas que buscam patrocinadores. Lembre-se de que você está sob observação a todo momento. É útil que procure a ajuda de uma empresa especialista em gestão de imagem e carreira para auxiliar.

Então, gostou do nosso texto? Agora informe-se mais lendo o nosso artigo sobre personal branding nas redes sociais.