Marcelo Collet

Pai, marido, atleta, cineasta e campeão. Essas são algumas das características que não poderiam faltar em um filme sobre Marcelo Collet. Com muita superação e motivação, provavelmente o roteiro traria inspiração para muitas pessoas. Pois assim tem sido sua trajetória. Enquanto se preparava para a primeira grande competição pela seleção brasileira de triátlon, Marcelo foi vítima de um grave acidente que deixou como sequela a perda de parte dos movimentos da perna esquerda. Usando a natação como reabilitação, conheceu o paradesporto, contexto no qual pode realizar o sonho de representar o Brasil em grandes competições internacionais. Com duas Paralimpíadas no currículo, se propôs a novos desafios. O primeiro, já cumprido de forma brilhante, marcou seu nome na história como o primeiro para-atleta brasileiro a atravessar o Canal da Mancha. O próximo, prestes a se realizar, teve a contribuição do destino. Quis os bons ventos que o triátlon, sua grande paixão, fosse inserido no programa paralímpico justamente nos Jogos do Rio, em 2016. E será lá que Marcelo Collet quer colecionar novas marcas para compor esse filme de uma vida real cheia de conquistas e celebrações que parece não ter fim.

 

Principais conquistas:

  • 2 participação paralímpicas: Jogos de Athenas 2004 e Pequim 2008
  • 1 Ouro e 3 Bronzes nos Jogos Parapan Americanos do Rio de Janeiro 2007
  • 1 Ouro, 2 Pratas e 1 Bronze nos Jogos Parapan Americanos de Mar Del Prata 2003
  • Primeiro para-atleta brasileiro a fazer a travessia do Canal da Mancha (10:06:40) em 2010
  • Vice-campeão mundial de para-triátlon 2013: categoria TR5