donald trump 2

Donald Trump: o retrato de uma péssima liderança

Desde que Donald Trump assumiu a presidência dos EUA, ele tem se tornado destaque nos jornais. Em pouco mais de 200 dias no poder, já aconteceram inúmeros retrocessos de avanços sociais que demoraram anos para serem conquistados. No entanto, o que aconteceu no dia 13 de agosto de 2017 em Charlottesville confirmou a incapacidade de Trump de liderar um país e despertou ainda mais as diferenças na sociedade americana.

De acordo com o jornal El País, a “ideia de uma América pós-racial, que se vislumbrou quando pela primeira vez um afro-americano chamado Barack Obama chegou à Casa Branca, a de uma era na qual a questão da raça passaria a um plano secundário, se mostrou rapidamente fantasiosa”.

A marcha dos suprematistas de Charlottesville resultou na morte de Heather Hayer, manifestante antirracista, que foi atropelada por um carro que foi lançado propositalmente contra os manifestantes antifascistas e que, supostamente, era conduzido por um jovem suprematista. Com isto, era esperado que o presidente se posicionasse perante o acontecimento de violência racial. No entanto, ele fez um discurso em que culpada ambos os lados pela violência e não citou o acontecimento como sendo um ato racista, o que lhe causou muitas críticas.

No dia seguinte, a Casa Branca tentou consertar o discurso do presidente culpando os, então, supremacistas brancos e citando o acontecimento como “violência racista”. Mas já era tarde demais. Como a primeira impressão é sempre a que fica, o governo já tinha sido abalado e a ideia que ele tinha passado para as pessoas era de que o mesmo apoiava os supremacistas e neonazistas.

Toda a questão negativa levantada neste e nos acontecimentos anteriores de sua presidência revelam uma questão que já foi abordada por nós em outros artigos, que é justamente a questão da imagem. No artigo “Imagem negativa: os problemas que ela pode causar em sua carreira”, citamos a seguinte frase “uma imagem negativa arranha a reputação de toda a empresa” e é exatamente isto que está acontecendo no governo americano. De acordo com a revista IstoÉ, Trump ficou isolado depois de declarações sobre acontecimento em Charlottesville e, citando o jornal The New York Times, a IstoÉ afirma que o “cerne do problema não está ligado à composição da equipe presidencial: está ligado ao homem que está no topo”. Vemos ai, então, um problema de liderança!

Esta imagem negativa se agrava com as inúmeras declarações dadas pelo presidente no Twitter. Segundo o jornal Público de Portugal, nos “tweets de Trump, os negros são acusados de racismo três vezes mais do que os brancos” e boa parte destes tweets “serviam para, explicitamente ou implicitamente, negar que ele próprio seja racista”. Então, além disto demonstrar uma questão de valores do líder que está no poder, pode-se perceber que a imagem negativa também repercute nas redes sociais.

Com isso, é sempre bom lembrar que as postagens são públicas — outras pessoas verão além de quem será atingido. Ter uma imagem negativa nas redes sociais pode abalar completamente sua imagem diante de clientes. Então, uma das lições que tiramos deste ‘caso Trump’ é:  evite crises de imagem nas redes sociais.

Como prova de que uma imagem negativa pode acabar com uma carreira, gostaria de retomar uma matéria do jornal O Globo que li antes do acontecimento em Charlottesville, que dizia: “75% dos americanos não confiam no que diz a Casa Branca de Trump”. Ou seja, o presidente não passa confiança quase que alguma aos seus eleitores.

Além disso, a matéria também dizia que mais da metade dos americanos desaprovam a conduta de Trump no governo, o que demonstra um problema sério de comportamento. E, como sabemos, se você tem um comportamento negativo, você vai ter uma imagem negativa. Uma coisa está atrelada a outra!

Como afirmou a revista britânica The Economist, “Donald Trump não tem compreensão do que significa ser presidente” e está longe de ser o “salvador da República” porque “é politicamente inepto, moralmente estéril e inadequado, por temperamento, ao cargo”.  Resumindo, a questão de Trump é um retrato de tudo de negativo que devemos evitar se quisermos nos tornar bons líderes.

Como já falamos anteriormente em outro artigo, duas coisas importantíssimas para ser um bom líder é: empatia e coerência. Ser uma liderança empática é prezar por coerência. Ou seja, o líder empático é aquele que lidera pelo exemplo. E é isto que está faltando a Trump.

Lembre-se: as empresas não querem manter na organização alguém que esteja desalinhado com o comportamento positivo da corporação. Nestes casos, é melhor perder um funcionário do que um cliente.

*Por: Camille Reis

como-o-coaching-ajuda-na-gestao-de-carreira

Como o coaching pode ajudar a traçar novas metas profissionais

A transição de carreira é um acontecimento muito importante na vida de vários profissionais. É comum que as pessoas mudem de trabalho, seja para ter um salário melhor, seja por melhores oportunidades de crescimento, seja por mais qualidade de vida, seja para encontrar a sua verdadeira vocação.

Esse é, portanto, um momento determinante na carreira, no qual é necessário fazer um bom planejamento para elaborar novas metas profissionais. Para isso, você pode contar com o apoio do coaching, um processo conduzido por um profissional preparado para ajudá-la a definir seus objetivos e, principalmente, alcançá-los.

Quer saber mais acerca do tema? Continue a leitura e entenda como é possível fazer uma boa gestão de carreira com a ajuda desse profissional!

Entendendo o que é coaching

Antes de falarmos especificamente de como o coaching pode ajudar a traçar novas metas profissionais, vamos entender um pouco melhor o que é essa profissão que vem crescendo no mundo todo.

Basicamente, trata-se de um conjunto de ferramentas, metodologias e técnicas adotadas por um coach (profissional devidamente habilitado) com o objetivo de levar pessoas ou empresas a alcançarem a alta performance nas suas áreas de atuação, melhorando, assim, seus resultados.

Coaching ontológico

Indo um pouco mais além, existe também uma área do coaching que se baseia na ontologia, uma teoria do estudo do ser, analisando suas emoções, sua linguagem e o seu corpo.

Dessa forma, o coaching ontológico auxilia o coachee (pessoa assessorada pelo coach) a passar por uma verdadeira transformação pessoal, de modo que ele consiga quebrar paradigmas e realizar mudanças significativas de comportamentos e atitudes que podem estar sabotando seu sucesso profissional e pessoal.

Vantagens e benefícios

São inúmeros os benefícios que você terá com o coaching ontológico: sua comunicação será aperfeiçoada, você aprenderá a controlar as suas emoções e melhorará a forma de aprendizagem também.

Tudo isso contribui para o sucesso da sua gestão de carreira, pois um profissional que não sabe lidar com as suas emoções e não tem uma boa comunicação não será bem-sucedido em seu trabalho.

Veja como o coaching é importante para ajudá-la profissionalmente. Saiba que todos nós enfrentamos essas dificuldades. Por isso, temos necessidade de um acompanhamento com o coach para superarmos esses problemas.

Ficou mais claro para você esse conceito? Então continue a leitura e, agora, veja de que forma esse processo pode ser estratégico durante a transição de carreira de um profissional.

Permitindo que você se conheça melhor

coaching é uma oportunidade de buscar o autoconhecimento, que é fundamental para alcançar o sucesso profissional e também pessoal.

Durante o processo de coaching, o coach a ajudará a aprofundar as respostas a perguntas importantes, como:​

  • quais são seus objetivos pessoais? Casar? Ter filhos? Fazer uma pós-graduação?
  • quais são os seus objetivos profissionais e como eles podem ajudá-la a conseguir o que você quer?
  • como você se imagina daqui a alguns anos?
  • como você enxerga as suas qualidades?
  • como você pretende melhorá-las?
  • o que mais almeja conquistar na vida?

Ao fazer essas reflexões, você conhecerá muito melhor suas motivações, crenças, valores, expectativas, habilidades, entre outros aspectos, e, assim, aprenderá a melhor forma de conseguir os resultados que tanto almeja.

Identificando pontos fortes e fracos

Nesse processo de autoconhecimento, você terá uma visão muito mais clara das suas qualidades e fraquezas.

Dessa forma, poderá encontrar uma nova profissão ou trabalho com base nos seus talentos e, quem sabe, até despertar uma vocação, uma paixão.

Por outro lado, identificar seus pontos mais fracos é uma oportunidade de dedicar parte do seu tempo e esforço para se tornar melhor em determinados aspectos da vida profissional.

coaching também atua diretamente na identificação e no desenvolvimento de algumas habilidades e competências necessárias para que você possa chegar aonde quiser.

Direcionando seus passos

Outra etapa importante nesse processo é o plano de carreira. Você vai refletir sobre onde deseja estar nos próximos anos, estabelecer prazos e determinar quais os passos necessários para ter sucesso nessa jornada.

Compreendendo os tipo de coaching

Agora, conheça alguns tipos de coaching e veja qual deles se encaixa melhor no seu perfil.

Vida

Nessa vida, passamos por muitos problemas — temos medos, decepções e inseguranças. Tudo isso contribui para que não tenhamos alegria em viver. Isso também afeta os nossos relacionamentos interpessoais, e todas as nossas interações são prejudicadas.

Por isso, o coaching de vida é fundamental para quem deseja ter mais autoestima e aprender a superar os obstáculos. É algo essencial para o seu desenvolvimento pessoal.

Desse modo, a cliente compreenderá, por meio de muita reflexão, quais são os melhores caminhos a trilhar. Ela saberá lidar com as dificuldades, tendo outra compreensão da realidade que a cerca.

Executivo

Esse tipo de coaching é voltado para quem é líder de uma empresa. Geralmente, quem administra uma organização passa por muitas dificuldades, pois se relacionar com pessoas é algo difícil.

Por isso, o coach é um profissional muito importante que está preparado para ajudá-la. Ele a auxiliará para que você possa superar os seus problemas para com a administração da sua empresa. Você receberá, então, orientações sobre como lidar com a insegurança de estar à frente de uma gestão corporativa e ter a responsabilidade de fazer a organização crescer.

Carreira

coaching de carreira é para você que pensa em seguir uma determinada profissão, mas precisa de ajuda para tomar as decisões acertadamente.

Por exemplo, você pode estar desejando seguir a sua própria carreira, como uma profissional liberal, mas tem medo do futuro. Por isso, ainda permanece em um trabalho que proporciona uma sensação de maior segurança, enquanto poderia almejar coisas maiores.

Dessa forma, é o momento de você procurar auxílio para descobrir o seu verdadeiro potencial. Lembre-se de que você não está sozinha — há muitas pessoas, como você, que estão inseguras. Porém, o seu diferencial é que você descobriu agora que um profissional de coach poderá orientá-la para encontrar o melhor para a sua vida.

Relacionamento

coaching de relacionamento é algo que contribui para a vida de casais que querem uma vida amorosa melhor. É muito comum, em uma relação íntima, que os dois parceiros não se conheçam de verdade. Isso causa muitas discussões e, até mesmo, o desfecho dessa união.

Desse modo, você precisa da orientação do coach para ajudá-la em seu relacionamento. Esse profissional fará com que o casal possa refletir sobre os problemas que tem na vida e como superá-los juntos. Por isso, é importante que as pessoas conheçam umas as outras — para que possam lidar melhor com as suas diferenças. É exatamente nisso que o coaching vai ajudá-la.

Com o apoio do coach, seu planejamento terá ações que facilitarão o caminho até o sucesso.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre coaching, é fácil perceber que, ao passar por esse processo, você conseguirá ser bem mais assertiva na hora de traçar as suas metas profissionais, não é mesmo? É aconselhável que você possa refletir sobre qual é a sua necessidade, para que, assim, busque uma orientação.

Se você gostou dessas dicas sobre gestão de carreira e de vida e quer saber mais sobre como o coach pode ajudá-la, entre em contato conosco. Estamos ansiosos para auxiliá-la no que for possível!

autodesenvolvimento-pessoal.jpeg

Autodesenvolvimento pessoal: entenda a importância de trabalhá-lo

Como está a sua atualização profissional? E sua satisfação com a carreira? Você considera que sua atual posição na empresa valoriza os seus pontos fortes e estimula seu aperfeiçoamento constantemente? O caminho para todas essas respostas é o autodesenvolvimento pessoal, e você não deve perdê-lo de vista.

É por meio das melhorias constantes — tanto no âmbito pessoal quanto no profissional — que você vai chegar mais longe. Existem muitas formas de aperfeiçoar suas habilidades com vistas a se tornar um melhor profissional, e você provavelmente conhece a maioria delas. Então, que tal colocá-las em prática? Neste post vamos guiar você nessa trajetória! Confira!

Em primeiro lugar, faça uma boa autoavaliação

Você é feliz onde está? A posição que ocupa atualmente permite que você exerça os seus principais talentos, dá espaço para o seu crescimento e, sobretudo, traz satisfação pessoal? Faça uma boa autoavaliação para conseguir responder a todas essas perguntas.

Na correria do dia a dia, muitas vezes deixamos reflexões como essas de lado. Assim fica fácil entrar no piloto automático, esquecer dos próprios objetivos e passar anos se dedicando a algo infrutífero.

O autodesenvolvimento pessoal pressupõe que você saiba onde quer chegar, tanto profissionalmente quanto pessoalmente. Para isso você deve se conhecer e ter claros os seus objetivos.

Procure bons cursos, palestras e leituras

A primeira coisa que vem em mente em matéria de autodesenvolvimento é o estudo, e isso faz todo sentido! É por meio do aprendizado que você consegue ir mais longe, aprendendo novas habilidades, ganhando confiança em novas tarefas, abrindo sua mente e fazendo contatos.

Mas qualquer curso vai ajudar? É preciso ter cautela na escolha. Hoje em dia nos deparamos com uma infinita variedade de cursos disponíveis, sobre todas as áreas e nos mais diversos níveis de qualificação. Ao escolher um, busque muitas referências, converse com os professores e com ex-alunos daquele curso, pesquise a colocação desses profissionais e o status da instituição em questão. Dessa forma você vai saber se o curso será efetivo para você.

O mesmo vale para demais atividades de formação: palestras, leituras de periódicos e livros. Busque o que há de melhor na sua área sempre!

Peça e ofereça feedback

Converse com as pessoas que estão ao seu redor para saber como você pode melhorar no relacionamento com elas. Com o seu chefe, por exemplo, você pode obter poderosos feedbacks, que vão nortear qualquer ação com vistas à sua melhoria profissional.

Já com os seus amigos e com sua família você saberá como está sua capacidade de se relacionar, de compreender, de ter paciência e de tratar os outros com cordialidade, por exemplo. Atente-se a tudo isso e procure melhorar naquilo que for necessário.

Por que isso é importante? Porque o relacionamento interpessoal é uma das grandes forças incentivadoras de autodesenvolvimento pessoal. Por meio da resposta e das reações daqueles que convivem com você é possível entender melhor as suas próprias ações.

Planeje e vá atrás dos seus objetivos

Ter metas é positivo para o seu progresso. Pense objetivamente: seu sonho é ter uma experiência no exterior? Então avalie tudo o que for necessário em nome disso. Você precisará aprender um idioma estrangeiro, conhecer a cultura do país desejado, acumular experiência na área, destacar seu currículo entre os demais, procurar moradia, entre outras diversas medidas. O que você deve fazer hoje para concretizar tais planos?

Qual é o caminho natural para conquistar a sua meta? O autoaperfeiçoamento. Então defina suas prioridades em curto e longo prazo e coloque em prática tudo o que for necessário para isso.

Aproveite essas dicas e mantenha-se sempre em dia com o seu autodesenvolvimento pessoal! Que tal ficar por dentro da importância do marketing de relacionamento para melhorar sua imagem? Confira este post e saiba mais sobre o assunto!

transicao-de-carreira-como-preparar-atletas-para-aposentadoria.jpeg

Transição de carreira: como preparar atletas para aposentadoria?

Ser atleta profissional é um grande projeto de vida. Apesar de todas as dificuldades e superações necessárias, a determinação para alcançar as vitórias fazem valer a pena o caminho árduo em busca deste sonho.

Recentemente, acompanhando os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, pudemos perceber como muitas vezes toda a dedicação se resume a alguns minutos de uma prova, um momento único.

Comemoradas as conquistas ou superadas as frustrações, outro passo importante nesse caminho é saber lidar com a transição de carreira, já que a vida profissional de um atleta é, geralmente, mais curta do que na maioria das outras carreiras. Se você ou algum conhecido está passando por esse momento, leia as nossas dicas a seguir.

O que é e como fazer a transição de carreira

Principalmente depois de competições importantes, os atletas podem começar a se questionar sobre a aposentadoria, antes de começarem um novo ciclo de treinamentos. Lidar com as dificuldades, repensar os objetivos e a vida dedicada àquele esporte pode trazer muitas angústias e dúvidas.

A transição de carreira se trata dessa fase, em que um atleta profissional tem que redirecionar sua carreira buscando outras atividades, dentro ou fora do mundo esportivo. Mesmo que não haja razões como alguma lesão, problema de saúde ou idade já avançada, é um momento crucial que nem sempre o profissional está apto para enfrentar.

Por isso, preparar-se com certa antecedência e vislumbrar outras oportunidades é fundamental. O ideal, inclusive, é que essa seja uma preocupação ainda no início da carreira para que se possa passar por essa etapa tranquilamente, explorando outras habilidades, identificando novas áreas de interesse, encontrando situações em que a experiência adquirida seja válida. Aliar o autoconhecimento e uma boa gestão de carreira é uma dica valiosa!

Entender que esse momento vai chegar e que há outros caminhos a serem seguidos é essencial para que não gere problemas como depressão, síndrome do pânico, alcoolismo e o mais recorrente, a falência.

Como se preparar psicologicamente e financeiramente

Encerrar um ciclo de trabalho pode ser bastante impactante, tanto emocionalmente como financeiramente. Se o atleta não se sentir preparado para fazer isso sozinho, deve procurar ajuda de profissionais capacitados para não se perder ou, até mesmo, adoecer ou ir à falência.

Saber administrar esse momento, manter uma imagem positiva e buscar novas oportunidades pode fazer toda a diferença. Um ex-atleta não precisa necessariamente ficar preso a esse ramo, como comentarista, treinador, palestrante, etc. Mas saber trabalhar sua marca pessoal pode ser decisivo para o seu novo negócio.

A redução drástica de renda também deve ser uma preocupação. Investir em outros mercados ou reservar algumas economias podem ser a salvação até que a transição de carreira gere outras fontes para suprir esse desnível. Portanto, é preciso estar ciente dessa possibilidade mesmo que a idade de aposentadoria não esteja próxima, já que imprevistos infelizmente podem acontecer a qualquer hora.

Tão importante quanto preparar-se financeiramente, o lado psicológico deve ser trabalhado para enfrentar essa nova fase de vida de maneira estruturada e consciente.

No Brasil, é comum que muitos atletas não tenham outra formação profissional, um curso superior ou mesmo básico de educação. Os anos de dedicação ao esporte, viajando, treinando exaustivamente e, às vezes, até morando em outro país, dificultam esse processo. Contudo, não é uma tarefa impossível e o ensino a distância tem sido um boa solução para os atletas desenvolverem outras habilidades, mesmo com uma rotina atarefada.

Ter em mente um planejamento e preocupar-se com isso desde o início da carreira pode ser a melhor coisa a se fazer para uma transição de carreira saudável e tranquila. Você concorda? Deixe seu comentário se ainda tem alguma dica para esse momento determinante da vida.

reposicionamento-de-carreira.jpeg

Reposicionamento de carreira: quando aproveitar uma boa oportunidade?

Estabelecer-se em um ramo profissional não é tarefa simples. Menos ainda quando já se tem experiência em uma determinada área e a opção é pela busca de novos horizontes.

O reposicionamento profissional é uma prática comum para muitas pessoas que buscam trilhar suas próprias trajetórias depois de anos dando suporte a projetos empresariais ou familiares.

Para realizar esse movimento com segurança e sucesso, é fundamental ter atenção a alguns fatores determinantes para o reposicionamento de carreira, especialmente quando ele é praticado por alguém que obteve destaque em uma determinada atividade e busca posicionamento profissional com conhecimentos acumulados.

Confira algumas dicas para realizar o reposicionamento de carreira.

Conheça a si mesmo

Definir um novo caminho é uma decisão importante não apenas para a sua carreira, mas também para a sua vida. O reposicionamento profissional requer que, em primeiro lugar, você conheça a si mesmo. Tenha em mente suas virtudes e suas fragilidades, especialmente com a bagagem adquirida.

Descubra seu caminho

É muito comum que um profissional com carreira sólida em uma determinada área queira buscar novos desafios, mas sem ter certeza sobre o mercado ideal. É uma decisão importante e que precisa ser bem calculada, levando em consideração as pretensões profissionais, habilidades e a inserção desse perfil dentro do que o mercado pede.

Mantenha-se atualizado

Mesmo que você esteja buscando um ramo profissional com bastante similaridade com a sua trajetória profissional anterior, lembre-se que qualquer mudança requer a busca por novos conhecimentos. É fundamental que você estude sobre os conceitos que passarão a ser necessários sem esquecer de estar em forma na área em que você sempre atuou.

Cuide da marca pessoal

Para quem busca iniciar uma trajetória em uma carreira autônoma — de consultoria em uma área em que tenha domínio e experiência profissional, por exemplo —, é fundamental cultivar uma eficiente e coerente marca pessoal. Destacar-se como um especialista em determinado assunto é uma tarefa que requer trabalho qualificado e pode dar muito resultado no reposicionamento de carreira.

Valorize a comunicação

Estabelecer-se em uma nova área, ainda que a sua experiência profissional te credencie a isso, é uma tarefa árdua e você precisa valer-se das ferramentas que estiverem ao seu alcance. Comunicar-se com seus clientes em potencial e se estabelecer como autoridade em um assunto são metas que podem ser atingidas através de um blog ou mesmo de um uso adequado das redes sociais.

Apresente-se bem

Quando buscamos o reposicionamento de carreira, precisamos vender nossos serviços novamente, buscar um espaço que ainda não está conquistado. Por isso, é fundamental desenvolver uma boa apresentação de si mesmo e de seu potencial profissional em um novo ramo. Técnicas de linguagem corporal podem ser uma ótima pedida.

O reposicionamento de carreira é uma ótima oportunidade na busca por novos desafios. Sua aplicação, no entanto, requer um ótimo planejamento, atento a vários detalhes que envolvem uma análise do seu perfil e dos objetivos que você pretende alcançar. Não prestar a atenção a esses aspectos pode fazer um profissional cometer os erros mais comuns do planejamento de carreira.

Se você gostou desse post e quer saber mais sobre gestão de imagem e carreira, assine a nossa newsletter e receba um material exclusivo por e-mail. Fique tranquilo, nós não enviamos spam.