a-importancia-de-trabalhar-a-construcao-do-branding-na-lideranca.jpeg

A importância de trabalhar a construção do branding na liderança

Ao dirigir por uma estrada e ver pequenos arcos amarelos, você já sabe que há um fast food próximo, certo? Só de citarmos, inclusive, você deve saber de qual lanchonete estamos falando. Agora, imagine usar esse poder na sua carreira. Eis a importância do branding na liderança!

É preciso criar a sua marca pessoal para que as pessoas se lembrem de você — por isso, desenvolver personal branding é fundamental! Steve Jobs é um ótimo exemplo de branding na liderança. Todos nós gostaríamos de ser um pouco como ele, não é mesmo? Por isso, montamos este post que o ajudará a chegar lá. Continue a leitura e bom proveito!

A transparência é ouro para os líderes na era de fake news

Você deve ter ouvido muito esse termo no último ano. Fake news é um termo muito usado nos dias atuais para falar sobre matérias jornalísticas, artigos em blogs etc., que não transmitem fatos verdadeiros.

A abrangência das fake news é tão vasta na vida cotidiana que o Facebook e seu criador — Mark Zuckerberg — têm sofrido uma perda crescente de prestígio.

Por isso, o branding na liderança tem como ponto de partida a transparência. Nem colaboradores e nem parceiros confiam em líderes que omitem informações, não compartilham ideias ou decisões e agem em desacordo com seus discursos.

Portanto, seja sempre transparente quando precisar contar boas ou más notícias, certo?

A autenticidade é crucial para o branding na liderança

Walt Disney conseguiu criar sua marca como líder por ser extremamente autêntico. Pessoas são, antes de tudo, humanas. E elas querem ver no outro um ser humano também!

Com o crescente uso e a influência das redes sociais na vida de todos nós, é importante achar um equilíbrio entre o pessoal e o profissional. No entanto, dá para usar isso a seu favor! Aproveite as redes sociais, em especial o LinkedIn, para mostrar quem é você e como a sua visão de mundo influencia a sua liderança.

Os melhores líderes não evoluem sozinhos

Quando você começa a construir o branding na liderança, as pessoas começam a se lembrar de você com maior facilidade. E são essas pessoas, sejam colaboradores, sejam parceiros, que vão evoluir ao seu lado e espalhar a sua marca para o mundo afora.

Ninguém caminha solitário pelo mundo corporativo! Deixamos nossa marca nas pessoas, e elas nos ajudam a passar essa mensagem adiante. Para criar essa rede, nossas atitudes contam mais que nossas palavras!

Além de Steve Jobs, Walt Disney é um excelente exemplo de um líder que é lembrado até hoje! Ele encantava as pessoas que o cercavam com uma atitude sempre positiva e comprometida com o trabalho que contaminava a todos.

Como começar a criar sua marca como líder

Além de tudo que citamos, tenha em mente os 3 pilares da liderança ao construir o seu branding. Acompanhe!

1. Direção

O bom líder indica o caminho, informando o que o outro deve fazer e como atuar. Para conseguir dirigir bem, ele precisa encorajar as pessoas e ser um bom ouvinte, a fim de conhecer e criar uma conexão com seus colaboradores.

2. Inspiração

Para inspirar os que nos cercam, precisamos dar o exemplo. Por isso, para construir uma boa marca como líder, seja compreensivo, comunicativo, justo, disposto, bem-humorado etc. Tudo que um líder faz é observado de perto por quem o cerca — isso não significa que você não pode errar, mas que, quando isso acontecer, deve admitir e reparar o erro.

3. Reconhecimento

Reconhecer um bom trabalho não significa apenas distribuir bônus ou prêmios. Dê retorno sobre o desempenho das pessoas, demonstre que você se preocupa com cada uma e que todas são importantes e merecem a sua atenção.

Agora que você já sabe da importância de trabalhar o branding na liderança, aproveite para assinar nossa newsletter e receber em primeira mão dicas exclusivas e valiosas que o ajudarão a evoluir na carreira. Vamos lá!

diferencial-competitivo-3-dicas-para-encontrar-o-seu.jpeg

Diferencial competitivo: 3 dicas para encontrar o seu

O diferencial competitivo é um assunto muito falado nos dias de hoje. Entretanto, poucos sabem da real importância de se destacar entre os demais profissionais da área.

Será que isso significa, apenas, ser o mais eficiente? Ou existem outras características que colaboram para ter um diferencial? A dúvida segue existindo e, com ela, a estagnação profissional.

E foi pensando nesse assunto que desenvolvemos este artigo sobre a importância de ter um diferencial e algumas dicas para que você se destaque no mercado de trabalho. Ficou curioso? Continue lendo e saiba como isso é possível! Vamos lá?

Entenda o que é um diferencial competitivo

Um diferencial competitivo pode ser definido como uma característica ou um  atributo que deixa um determinado profissional em destaque em relação aos outros que atuam na mesma área.

Essa característica não é, necessariamente, algo engessado. Por exemplo, o diferencial pode ser um hábito, um atributo da personalidade ou, até mesmo, algum curso ou capacitação.

Veja qual a importância desse diferencial para sobressair na carreira

Como lei natural do mercado, uma empresa sempre buscará todas as formas e mecanismos que a ajudem a se destacar entre as suas concorrentes, não é mesmo? E, nessa busca, um dos fatores mais valorizados é justamente recrutar colaboradores que tenham o mesmo objetivo: destacar-se.

É nesse ponto que percebemos a importância que ter um diferencial competitivo faz na carreira de alguém. Imagine uma seleção para recrutamento de novos consultores de imagem. Obviamente, a empresa selecionará para fazer parte da equipe aqueles que terão um nível maior de entrega, se mostrando mais produtivos.

Portanto, se você ainda pensa que ter uma qualificação básica é o suficiente para conseguir uma boa imagem profissional, reformule agora mesmo esse pensamento. E, para começar, veja abaixo algumas dicas para obter o seu próprio diferencial!

Confira 3 dicas para encontrar o seu diferencial competitivo

1. Conheça seus pontos fortes e fracos

A maioria das pessoas ainda não valoriza o autoconhecimento. No entanto, a partir do momento em que você passa ter ao seu dispor essa ferramenta de melhoria contínua, automaticamente, já estará na frente dos concorrentes.

Conhecer quais são os seus pontos fortes é uma forma de valorizar o seu trabalho e reconhecer-se como um bom profissional. Por outro lado, saber em quais pontos você ainda deixa a desejar também é essencial para buscar formas de aprimorar-se.

2. Seja proativo

Essa é uma das qualidades mais buscadas atualmente pelos recrutadores. Um profissional é considerado proativo quando possui a habilidade de se antecipar e solucionar problemas — antes mesmo de receber um comando do seu líder.

Você já deve imaginar por que essa característica é considerada um diferencial competitivo, não é mesmo? É claro que uma empresa prefere um funcionário que supere as expectativas a outro que só tome atitudes se for ordenado. Esse colaborador acaba gerando perda de tempo — e tempo é dinheiro.

3. Torne-se referência na sua área de atuação

Você possui um bom currículo? Realizou os cursos básicos que a maioria das pessoas também já fez? Ótimo! Mas ainda não é o suficiente. Ter no seu currículo o que todos os outros competidores também têm é importante, mas não faz de você um candidato diferente.

Por esse motivo, é imprescindível que você busque sempre capacitar-se e atualizar-se em relação às novidades e tendências do mercado, pois assim estará um passo a frente dos outros que não possuem os mesmos conhecimentos.

Invista, portanto, na proposta de valor de sua marca se quiser vê-la crescer, pois, dessa maneira, ela funcionará como o diferencial competitivo que vai fazer a diferença para o seu público-alvo.

E para se tornar ainda mais competitivo, baixe o nosso e-book e aprenda a construir a sua marca pessoal! Até a próxima!

entenda-o-que-e-marketing-de-influencia-e-por-que-praticalo.jpeg

Entenda o que é marketing de influência e por que praticá-lo!

O marketing de influência é uma tendência que só vem ganhando força nos últimos anos, e entender a importância de praticá-lo pode ser essencial para uma estratégia assertiva no meio on-line.

Se você vem buscando formas de obter melhores resultados profissionalmente e ainda não sabe como, confira as informações que separamos a seguir. Boa leitura!

Afinal, o que é marketing de influência?

A transformação digital colocou o cliente no centro das atenções. Hoje, o interesse do consumidor vem muito antes daquilo que parecia ser o produto ideal e as necessidades de ganho imediato das empresas. Assim, conquistar a confiança dos compradores se tornou um grande desafio, e o marketing de influência tem sido uma nova tendência que veio mudar esse jogo.

Sua premissa é se valer de sujeitos que tenham relevância em comunidades virtuais e nichos de mercado para conseguir conquistar o coração e a mente do público que acompanha e aceita a ideia desses influenciadores digitais.

Por que o marketing de influência tem crescido tanto?

Ainda que, no passado, quando a propaganda ainda vivia os seus tempos áureos, já existisse o marketing de influência por meio de anúncios televisivos com figuras públicas importantes, isso era praticado de uma forma muito limitada.

Com o grande volume de informações e ofertas disponíveis na Internet, as pessoas têm estado cada dia mais conscientes acerca dos temas que lhe interessam e bem mais seletivas quando o assunto é compra.

Alguns especialistas de marketing, até mesmo, afirmam que, hoje, as pessoas já não confiam mais nas empresas e que, por isso mesmo, é preciso se valer do marketing de influência para driblar essa situação.

Em um contexto tão desafiador como esse, é natural que essa importante ferramenta de posicionamento no mercado se torne relevante e tenha crescido tanto. Empresas e profissionais, de uma forma geral, precisam ser estratégicos para crescerem e manterem-se no mercado atual.

Como se beneficiar do marketing de influência?

Bom, vamos combinar que o marketing de influência não funciona apenas para grandes corporações que queiram utilizar influenciadores digitais para a evangelização de suas marcas, certo? Vamos considerar também que nem todo influenciador digital deve ser um youtuber ou blogueiro famoso para exercer influência sobre as pessoas, combinado?

Por exemplo, no ano passado, a empresa estadunidense TD Ameritrade lançou a campanha “Human Finance Project”, após decidir que precisava conquistar o público, apesar de perceber que as pessoas viam serviços financeiros de uma forma negativa.

Após acompanhar alguns usuários nas redes sociais, que falavam sobre finanças, e interagir com eles, fez com que divulgassem a sua marca sem que precisasse pagar um tostão, fazendo com que sua campanha se tornasse viral.

Nenhuma dessas pessoas era uma celebridade de Internet, mas todas tinham relevância nas comunidades em que atuavam. Isso foi o suficiente para que a TD Ameritrade tivesse êxito em suas ações.

Por isso, leve em conta as seguintes questões se quiser se beneficiar do marketing de influência:

  • você, ou a sua empresa, não precisa de um grande orçamento para isso, já que a vantagem está justamente em usar a influência de forma estratégica;
  • não há a necessidade de contar com grandes nomes do meio virtual para evangelizar a sua marca (veja o caso da TD Ameritrade);
  • como qualquer outra ação de marketing, é necessário planejamento — saiba para quê, como, com qual verba e em quanto tempo realizará isso;
  • conheça bem o seu nicho de atuação e aja da maneira mais inteligente possível para trazer os melhores resultados.

Como foi possível observar, essa ferramenta compreende muito bem o espírito dos novos tempos e, justamente por isso, tem tudo para trazer o sucesso que você almeja.

Se gostou de saber o que é marketing de influência e por que prática-lo, assine nossa newsletter. Sempre temos o melhor conteúdo de carreira e gestão de imagem. Vamos lá!

gestao-de-conflitos-como-ter-sucesso-com-a-equipe-que-voce-gerencia.jpeg

Gestão de conflitos: como ter sucesso com a equipe que você gerencia

Uma empresa de sucesso se faz com uma boa equipe de trabalho. No entanto, se ela não se relaciona de maneira saudável, a organização tem possibilidade de perder em desempenho. Sendo assim, fazer uma gestão de conflitos ajuda a refrear qualquer ameaças para a produtividade do negócio.

Algumas maneiras podem ser adotadas para gerenciar conflitos. Por exemplo, conversar mais com os colaboradores “problemáticos” e encarar a situação assim que ela começou garante mais chances de tudo ser contornado.

Quer saber mais? Acompanhe este texto e conheça 4 maneiras de gerenciar conflitos na sua equipe.

1. Encare o conflito

Ser líder de uma equipe é muitas vezes uma atividade prazerosa. Mas a gestão de conflitos pode deixar essa atividade menos agradável.

Nesse sentido, muitas vezes, dar as costas para desentendimentos entre os membros, e deixá-los resolver de conta própria suas desavenças, pode parecer o melhor caminho. No entanto, não o é. Essa indiferença pode passar uma imagem negativa sobre o desempenho do gestor.

O líder deve agir imediatamente para solucionar um conflito. Ele deve ser firme e ao mesmo tempo diplomático para encerrar as discussões entre os membros. Um conflito que se inicia precisa ser interrompido para que não ganhe grande proporção.

2. Auxilie seus colaboradores a conhecer seus próprios limites

Um conflito pode chegar a dimensões incontroláveis dependendo da conduta de cada membro da equipe. Alguns conseguem tolerar discussões extensas, outros são mais radicais e partem para as últimas em situações de conflito.

Nesse contexto, é essencial auxiliar os colaboradores a conhecerem seus próprios limites. Converse com os mais “esquentados” para buscarem maneiras de argumentar mais em vez de criarem situações desagradáveis. Ajude-os a identificarem os pontos sabotadores do comportamento profissional deles. Se for o caso, recomende-o frequentar uma terapia ou receber orientações de um coaching.

3. Respeite e considere as diferenças de opinião

Muitos líderes de equipe acabem perdendo a paciência em conflitos na equipe de trabalho. O que deixa o problema ainda maior. Uma maneira de lidar com isso é compreender as diferentes opiniões dos colaboradores.

Em outras palavras, o líder deve se prevenir contra a possibilidade de haver alguém que irá se contrapor à sua proposta em todas as discussões. E, em vez de agir de forma autoritária, perdendo a razão e a liderança, é mais recomendado ouvir os pontos divergentes.

4. Previna conflitos

Uma maneira bastante eficaz de gerenciar conflitos é evitar que eles aconteçam. Nesse sentido, em muitas situações, é possível identificar previamente aqueles colaboradores que possuem histórico de serem mais difíceis de lidar.

Por isso é essencial agir antes que eles comecem a criar problemas. Procure conversar individualmente com esses colaboradores. A maior parte dos conflitos em equipe ocorrem por falta de comunicação, demonstre disponibilidade para compartilhar possíveis insatisfações.

Essas foram algumas aumentar a eficiência da gestão de conflitos. Além disso, é importante evitar a crise de imagem nas redes sociais.

Muitos colaboradores podem sofrer com suas reputações sendo desgastadas na internet e levar isso para dentro da empresa — não deixe que isso aconteça.

Nossas dicas sobre como fazer uma gestão de conflitos mais eficaz foram úteis para você? Então confira mais informações como as deste post seguindo nossas páginas nas redes sociais, estamos no FacebookTwitter e no Linkedin.