x_comportamentos_que_mancham_a_reputação_no_ambiente_de_trabalho.jpg.jpeg

5 comportamentos que mancham a reputação no ambiente de trabalho

Quase todo mundo conhece alguém que não tem uma fama tão boa no trabalho. Alguns são conhecidos por serem rígidos demais, os famosos “carrascos”; outros apresentam certo desequilíbrio emocional, refletindo nas relações de trabalho; entre outras características mais.

Todavia, nem todas essas pessoas que possuem uma má reputação são capazes de reconhecer o que no seu comportamento gera essa imagem negativa.

Quando não temos o hábito de praticar a autocrítica, corremos o risco de ser essa pessoa e estar atrapalhando tanto o nosso próprio desempenho quanto o de outros colegas de equipe.

Para facilitar essa tomada de consciência, destacamos cinco comportamentos que mancham a reputação de uma pessoa no ambiente de trabalho.

1. Atrasos frequentes

Chegar atrasado uma vez ou outra, a ponto de ninguém notar que isso acontece, é absolutamente normal, já que passamos a maior parte da semana trabalhando. No entanto, se a dificuldade em ser pontual se excede, tornando-se um padrão de comportamento, tendo muitas vezes prejudicado a equipe por ausência em horas importantes, certamente isso já foi notado e pode ter se tornado um alerta acerca da sua conduta profissional.

2. Dificuldade em separar o pessoal do profissional

É natural que os acontecimentos da vida façam parte dos assuntos no ambiente de trabalho. Porém, uma dica para perceber quando isso está demais é fazer uma divisão imaginária do percentual de assuntos pessoais e profissionais falados em 100% do tempo que se está trabalhando. Ser sincero consigo mesmo nessas horas é indispensável para trazer mudanças positivas. Se os assuntos pessoais ocuparem grande parte desse tempo, é sinal de que você precisa voltar mais a sua atenção para o trabalho durante o horário de expediente, pois isso deve estar atrapalhando o andamento das tarefas, além de poder incomodar quem não está interessado em saber como foi seu fim de semana.

3. Comportamento inadequado nas redes sociais

Um problema contemporâneo que vem dando o que falar nas empresas é o comportamento de colaboradores na internet. As redes sociais, embora sejam pessoais, servem para mostrar como você é. Portanto, parte da sua imagem é transmitida através de seu perfil virtual. É preciso estar mais atento ainda quando se utiliza o nome da empresa no campo “emprego” publicamente, afinal, você se torna um representante dela.

4. Descontrole emocional

Levar discussões até as últimas consequências, aumentar tom de voz constantemente, xingar, chorar toda vez que receber um feedback e dar em cima de colegas de trabalho são alguns dos comportamentos indesejáveis em qualquer ambiente, principalmente se tratando de um local de trabalho. A responsabilidade sobre o próprio equilíbrio emocional é individual. Ninguém precisa saber o tempo todo o que está passando pela sua cabeça ou o que você está sentindo.

5. Falta de ética

Ética e cooperação andam juntas. Veja essas situações: no momento em que se discute a substituição de uma pessoa, eu me esquivo; quando um membro do grupo tem dificuldade, eu me aproveito da situação para aparecer; meu gestor visa promover alguém e eu passo a ficar próximo dele. Essas são algumas situações em que a ética passou longe.

Não importa o quanto uma atitude imoral possa parecer me beneficiar, todos estão vendo que há em mim um excesso de individualismo. Mais cedo ou mais tarde, essa conduta manchará minha reputação e ninguém vai querer trabalhar comigo, muito menos me indicar para algum cargo. Essa característica precisa ser trabalhada e, no lugar dela, devemos exercitar a empatia. Por isso, não economize no autoconhecimento, que é tão importante quanto o desenvolvimento intelectual.

Essas dicas te ajudaram? Comente no post e diga o que achou!

Entenda_a_relação_entre_o_autoconhecimento_e_a_gestão_de_carreira.jpg.jpeg

Entenda a relação entre o autoconhecimento e a gestão de carreira

O autoconhecimento é vantajoso por uma série de motivos, entre eles a possibilidade de conhecer as próprias fraquezas e qualidades. Ao conhecer a si próprio, o indivíduo consegue identificar quais são as mudanças necessárias para evoluir, seja no âmbito profissional ou na vida pessoal.

No caso da gestão de carreira, o autoconhecimento pode ser o diferencial necessário para que você se destaque no mercado de trabalho e tenha o diferencial competitivo que é tão importante, além de ajudar em outros aspectos. Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e confira!

Como usar o autoconhecimento para ascender profissionalmente

Buscar o autoconhecimento profissional significa acreditar que a sua carreira depende apenas de você e saber que conquistar os seus objetivos fará de você uma pessoa mais realizada no longo prazo.

Essa busca pelo conhecimento próprio faz com que a pessoa analise-se internamente e descubra como solucionar os problemas que poderiam interferir no seu crescimento, além de também analisar as potencialidades existentes em si mesmo.

Para conseguir conquistar o autoconhecimento, é preciso determinar primeiro os seus objetivos e as suas metas. Sabendo onde quer chegar, é possível traçar os meios para atingir seus objetivos e depois verificar os impedimentos existentes, como as fraquezas que podem atrapalhar nessa caminhada.

Dessa forma, você também descobrirá quais são seus pontos fortes e utilizando-os para o crescimento pessoal.

Também é importante saber que existirão alguns impedimentos, e que a força de vontade e o foco serão primordiais para que você consiga ir adiante. Depois que as maiores barreiras forem derrubadas, você perceberá como será fácil se conhecer e seguir adiante com seus sonhos e objetivos.

Como determinar os processos de autoconhecimento e gestão de carreira visando o sucesso

Existem alguns momentos em que o autoconhecimento pode ser o fator determinante para que você alcance o sucesso. No início da carreira, ele pode ajudá-lo a fazer as melhores escolhas, possibilitando que você encontre sua vocação.

Além disso, o autoconhecimento ajuda a ter um desenvolvimento profissional mais rápido e eficiente, auxiliando a trabalhar uma imagem pessoal que se comunique com seus objetivos pessoais e profissionais. Com isso a pessoa consegue tomar decisões de carreira mais acertadas.

Outro momento em que o autoconhecimento pode ajudar muito na gestão de carreira é quando o profissional não se sente completamente satisfeito com seu trabalho e decide seguir novos rumos. Essa é uma decisão que precisa de bastante reflexão para que não haja arrependimentos e frustrações no futuro.

Como atingir o autoconhecimento

É possível aprimorar o autoconhecimento de diversas formas, como veremos nos próximos tópicos. Uma delas é por meio do coaching ontológico, uma ferramenta utilizada para o gerenciamento de carreira. Com ela é possível saber quais são as suas necessidades e as suas limitações. Dessa forma fica mais fácil evitar que o indivíduo vá contra sua natureza e se sinta psicologicamente abalado.

O profissional que ajuda a chegar ao autoconhecimento pode até mesmo entrar em contato com questões emocionais e traumas que afetem a vida profissional. Desse modo, será possível conseguir respostas para os motivos das fragilidades e das necessidades internas, mostrando formas de resolver a situação e atingir as metas.

Entretanto, o processo não depende só do profissional, pois a pessoa precisa estar disposta a realmente fazer autorreflexões e realizar todos os planejamentos estratégicos de ação que forem propostos.

Como é o processo na prática

O autoconhecimento pode ser praticado de diversas formas. Algumas pessoas conseguem desenvolver por meio de palestras ou livros, outras necessitam de experiências mais imersivas, como psicoterapias e cursos. Algumas dicas para aprimorar seu conhecimento próprio são:

Faça psicoterapia

Ainda é comum associarem pessoas que fazem terapia com aquelas que têm algum problema emocional ou psicológico. No entanto, qualquer pessoa pode fazê-la e usufruir de seus benefícios.

A terapia promove reflexões acerca dos assuntos que compõem sua vida. Por isso, ela é uma ferramenta poderosa para quem busca o autoconhecimento e o desenvolvimento do poder de decisão.

Ela se baseia no princípio que cada um de nós é responsável pelas nossas atitudes, e que a verdadeira mudança ocorre quando parte de nós mesmos. Durante o processo, você passa a se conhecer melhor prestando atenção nas suas escolhas e atitudes.

Preste atenção nos seus pensamentos

Esse é um exercício simples e que você pode fazer a qualquer momento. Sempre que estiver perdido nos seus pensamentos e sem saber que caminho tomar, pare e reflita sobre o que você está pensando.

Como você se sente ao pensar sobre o assunto? Por que isso lhe preocupa? Quais são as possíveis soluções para o problema? No início esse exercício pode ser difícil, mas com o passar do tempo ele fica mais natural. Com isso, será cada vez mais fácil observar, controlar e direcionar seus pensamentos para conquistar seus objetivos.

Faça uma linha do tempo da sua vida

Tire um dia para você construir uma linha do tempo da sua vida e da sua carreira. Pegue um papel e um lápis e liste lembranças sobre sua infância, adolescência e vida profissional.

Anote tudo que você considera importante na sua vida e que tiveram um impacto nas suas decisões: sua relação com seus pais, suas amizades, seus relacionamentos amorosos etc.

Quando você terminar suas anotações, leia com atenção todas elas e reflita como cada acontecimento afetou quem você é hoje. Você pode se surpreender com o resultado desse exercício ao ver como fatos do passado influenciam suas atitudes no momento.

Por mais que você não possa mudar o que passou, conhecer bem o seu passado pode ajudá-lo a entender melhor sobre si e tomar melhores decisões para o futuro.

Leia livros

O interesse por livros de autoconhecimento vem crescendo no Brasil. Cada vez mais pessoas se preocupam em tomar decisões profissionais baseadas no conhecimento das suas qualidades, motivações, vontades e propósitos.

Buscar livros sobre a temática é uma alternativa para quem não sabe por onde começar ou está com a agenda apertada para fazer psicoterapia, por exemplo. Não faltam listas com boas indicações na internet. Busque um bom livro e comece a se conhecer melhor!

Há muitos autores estrangeiros que tratam do tema — e existem livros famosos, como o de Eckhart Tolle, que escreveu o renomado “O poder do agora”. Também temos escritores brasileiros como Mário Sérgio Cortella, autor do livro “Por que fazemos o que fazemos”.

Utilize serviços especializados

Cursos e palestras sobre autoconhecimento são opções para quem busca experiências imersivas. Geralmente esses cursos contam com um facilitador, uma pessoa que vai provocá-lo com pensamentos e questões.

A partir disso, você vai conseguir refletir sobre sua vida e escolhas profissionais, clareando seus pensamentos e focando nas suas vontades, nos seus princípios e valores.

É importante frisar que por serem cursos de curta duração, eles são indicados para quem quer dar um start no processo de autoconhecimento. Após concluído, você deve continuar esse processo sozinho.

Outras ferramentas que podem ser utilizadas no processo do conhecimento próprio são os serviços especializados de percepção de imagem e coaching oferecidos pela PD Gestão de Imagem e Carreira. Por serem individualizados, eles utilizam ferramentas de análises específicas, potencializando  sua evolução.

Você entendeu a relação entre o autoconhecimento e a gestão de carreira? Lembre-se de que conhecer a si próprio é um exercício constante e não só traz benefícios profissionais, mas também pessoais.

Além disso, entender seus objetivos e suas ambições podem fazer você atingir seus objetivos de forma mais rápida e eficiente. Por isso, não deixe esse assunto para depois!

Gostou deste post e quer ficar por dentro de outros conteúdos sobre carreira? Então assine a nossa newsletter!

Saiba_aproveitar_momentos_de_crise_para_destacar_sua_marca_pessoal.jpg.jpeg

Saiba aproveitar momentos de crise para destacar sua marca pessoal

A crise econômica que assola o Brasil gera não apenas a perda de investimentos para o país, mas amplia o desemprego, aumenta o número de empresas que fecham as portas e diminuem o poder aquisitivo médio da população. Apesar de se tratar de um cenário preocupante, muitos especialistas em empreendimentos e sucesso de carreira apontam os momentos de crise como uma das melhores oportunidades para abrir novos negócios, ampliar os horizontes de trabalho e promover novas marcas.

Nada de resignação e acomodação em tempos de crise! Confira agora algumas dicas para auxiliar na promoção da sua marca pessoal e faça da instabilidade econômica um fator favorável ao seu crescimento!

Destacando-se da concorrência

Atualmente, muitas pessoas sentem que não conseguem promover um diferencial competitivo pelo fato de terem a sensação de que tudo já foi feito e não existe nada para inovar. Isso é um erro crasso. Mesmo que você tenha uma marca que vende um produto “tradicional” o destaque está na maneira como você enxerga as fraquezas do segmento e se estrutura para preencher essa lacuna.

Nem tudo é baseado no peso do seu diploma ou da experiência, por isso, em épocas de crise há espaço para as ideias que se adequam à realidade e trazem alguma inovação. Não se apegue apenas aos modelos de sucesso, procure entender a razão para o prestígio e não tenha medo de mesclar receitas bem-sucedidas com novas ideias. O mais importante é fazer um bom estudo do setor, procurar referências e analisar quais são as experiências que o consumidor deseja ter.

Não tenha medo da exposição

Atualmente, aquela empresa que não se comunica nas redes sociais está fadada a perder muitas posições para seus concorrentes. Esses sites de relacionamento permitem a exposição da sua marca pessoal para sua rede de amigos, que pode ir se expandindo conforme você investe na divulgação do seu trabalho.

Crie uma fan page no Facebook, uma conta no Instagram, um perfil no LinkedIn ou em qualquer outra rede em que seu público esteja. Em outras palavras, seja visto, se exponha. Mas cuidado com os exageros e para não misturar suas crenças pessoais com a voz da sua marca, isso pode gerar polêmica e afastar pessoas do seu negócio.

Crie conteúdo

A neurociência explica um pouco sobre o ímpeto de consumo do ser humano. Quando vemos um anúncio de um produto que desejamos, nosso cérebro se enche de dopamina e isso nos dá prazer ao comprar. Mas, atualmente, as empresas já não se restringem a vender por estímulo, ou seja, deixaram de vender o “que”, e passaram a vender o “por que”.

Essa mudança de estratégia só dá certo por meio do convencimento do consumidor da importância daquele produto ou serviço que ele está prestes a adquirir, e para vender o “por que” a empresa precisa de conteúdo, dar informação útil ao cliente em potencial para que ele tenha embasamento para consumir. O marketing de conteúdo é uma ótima saída para isso, e marcas geradoras de conhecimento ganham mais força no mercado e cativam os seus seguidores.

Essas são algumas práticas que auxiliam empreendedores na construção de uma marca forte e diferenciada. Lembre-se de que os modelos de consumo e a maneira de abordagem do público-alvo vão se transformando com o passar do tempo e surgimento de novas tecnologias. Os tempos de crise abrem espaço para aqueles que surgem com ideias de vanguarda.

Conhece mais alguma dica importante para fortalecer a sua marca ou quer compartilhar suas experiências? Então não se esqueça de deixar seu comentário no post!