103567-estender-500-o-que-e-empatia-e-qual-sua-importancia-no-processo-de-lideranca

O que é empatia e qual sua importância no processo de liderança

Uma empresa pode ser a mais automatizada e possuir os melhores recursos do mercado, mas se sua ferramenta básica não for considerada, nada disso agrega valor a ela. Estamos falando de pessoas! As pessoas fazem toda a magia acontecer: o sucesso nos negócios e no desenvolvimento de projetos e o avanço de qualquer tipo de tecnologia.

Saber o que é empatia e exercê-la para lidar com o próximo é fundamental para que qualquer ação dê certo e, pensando nisso, trouxemos para você o significado de empatia, uma das características essenciais que um verdadeiro líder deve ter. Pronto para ser uma inspiração como líder? Confira!

O que é empatia

Empatia é a capacidade de entender emocionalmente outra pessoa. É conseguir se colocar no lugar dela e sentir o que ela poderia estar sentindo em determinada situação. É estar disposto e se permitir entrar em contato com uma sensação que não é sua.

Demonstramos empatia quando somos sensíveis a alguém e quando nos aproximamos da forma mais verdadeira possível, sem preconceitos ou julgamentos.

Dessa forma, é mais fácil tomar uma decisão adequada e coerente. O ser humano tem essa belíssima capacidade desenvolvida, e usá-la demonstra sabedoria e maturidade.

Empatia e a performance no trabalho

A empatia é uma habilidade que todo bom líder deve ter. Ela ajuda na boa comunicação com a equipe, o que melhora o desempenho de todos no trabalho, desde o colaborador responsável por simples atividades operacionais, até o gerente que desempenha as atribuições mais estratégicas.

Levar cada um desses membros do grupo em consideração, estar próximo deles e entender o que os motiva, quais são seus desejos, crenças e valores, faz com que todos trabalhem em sintonia.

A soma das partes acaba gerando um resultado melhor do que quando cada um trabalha individualmente, aumentando de forma considerável a produtividade. Lidar com uma equipe é lidar com a diversidade, e nos deparamos a todo momento com pessoas que têm idades, gostos e opiniões diferentes.

Isso não significa que uma ideia seja melhor do que outra: ao se colocar no lugar de cada um, analisando como ele chegou em determinado ponto, podemos ter grandes surpresas!

Comportar-se dessa forma é a melhor maneira de combater a nossa má tendência de pensar que todas as decisões que tomamos serão sempre as mais acertadas.

Como ter empatia

Seu colega de trabalho ficou muito chateado com a atitude de outro profissional e, por isso, seu rendimento caiu, e ele não se sente mais motivado. Se tivesse acontecido com você, você não ficaria triste, trataria o ocorrido de outra maneira, diferente do seu colega.

Para se conectar com ele, imagine uma situação na qual você ficou triste, como em uma discussão com alguém que você gosta muito. Essa é a tristeza que seu colega está sentindo; você é capaz de sentir o que ele sente. Agora tente interpretar a situação do ponto de vista dele.

Para melhor elucidar esse ponto, podemos falar de um caso mais extremo. Imagine uma situação de morte na família de um subordinado ou colega de trabalho que ocupe uma posição semelhante à sua. Quão sensível uma pessoa que tenha passado por isso não ficaria nas semanas e meses seguintes de trabalho?

Parece óbvio tratar disso, mas não é. Isso porque, em poucos dias, o seu colega que tenha enfrentado uma situação tão difícil já estará de volta ao trabalho. Também em poucos dias as pessoas não lembrarão dos últimos acontecimentos e já exigirão dele um desempenho de alguém que esteja em seus melhores dias.

Ter empatia em uma hora como essa significa adequar a demanda de trabalho de seu colega àquilo que ele tenha condições de entregar em termos de resultado. Caso a relação não seja a de patrão e empregado, corra por ele!

Dentro do possível, absorva algumas das atribuições de seu companheiro. Ele enxergará em você alguém com quem possa contar e, quando chegar o seu momento de fragilidade, ele saberá reconhecer o papel dele.

Coerência do líder empático

Mais do que se colocar no lugar do outro, ser uma liderança empática é prezar por coerência. Ou seja, o líder empático é aquele que lidera pelo exemplo. Podemos dizer que é impossível fazer outra pessoa acreditar que você se importa de verdade com o que se passa com ela caso o seu discurso esteja desassociado de suas ações.

Pensando nisso, se o momento em sua organização for de busca por alcançar grandes metas, seja você um exemplo em termos de produtividade. Faça mais pelo seu time do que ele faz por você. Não há jeito melhor de manter uma equipe engajada.

Ao mesmo tempo, é importante não exagerar na dose. Puxar a produtividade de sua equipe até a exaustão pode ser perigoso. Por isso, tente combinar momentos de grande estresse a uma recompensa. Isso não se traduz, necessariamente, em maior remuneração.

Em muitos casos, um ambiente saudável, sem mal-estar entre as pessoas, onde o colaborador se enxergue trabalhando por mais tempo, cumpre bem o papel do dinheiro. Chegar a isso sem ser coerente, atributo indissociável da empatia, é muito difícil!

Inteligência emocional

Inteligência emocional é a habilidade de ter sentimentos positivos, saudáveis e tranquilos. É saber lidar com adversidades da melhor maneira, usando sua empatia para manejar situações de conflito. Para isso, é necessário se conhecer, saber suas possibilidades e limites. Entender como você mesmo funciona permite estar em uma posição mais equilibrada.

Em termos práticos, a inteligência emocional é importante para lidar com as pressões do dia a dia. Quando temos uma meta desafiadora em nosso trabalho, por exemplo, tendemos a entrar em um fluxo de pensamento que nos diz a todo momento: “Você não vai conseguir! Você não conseguir! ” Quem nunca se viu em uma situação como essa?

O problema aumenta de tamanho quando esse sujeito do exemplo é um líder. Afinal, o que se espera de alguém que está à frente de um time é que ele saiba exatamente o que fazer, conduzindo bem o ‘barco’ até em momentos de tempestade.

Nesse sentido, uma liderança dotada de boa inteligência emocional sabe que dias ruins são passageiros. Ao mesmo tempo, esse líder concentrará seus esforços em mobilizar todos os recursos necessários para chegar aonde precisa, sem gastar tempo e energia, simplesmente pensando que não vai conseguir.

Aprender o que é empatia nos faz enxergar o mundo com outros olhos e, consequentemente, viver melhor em sociedade. Estimule sua equipe a desenvolver empatia, pois isso trará resultados para o grupo mais rápido do que você imagina!

Quer ter mais acessos a posts como este? Então assine a nossa newsletter e receba tudo na sua caixa de entrada!

o-que-atrapalha-a-imagem-e-carreira-de-um-atleta.jpeg

O que atrapalha a imagem e carreira de um atleta?

Já faz muito tempo que os atletas profissionais deixaram de ser somente atletas e assumiram o papel de celebridades. Existem fãs dispostos a fazerem tudo para estar perto de seus ídolos e não escondem o amor pelo profissional, seja através de fã clubes, copiando o visual e até mesmo por meio de tatuagens, como no caso de uma fã que tatuou o nome do Neymar em sua boca. Outra coisa muito comum de acontecer é a exposição cada vez maior de atletas jovens que não possuem maturidade para lidar com a fama e o dinheiro que conquista.

A indisciplina é muito comum em atletas jovens que estão no inicio da carreira e em atletas que estão no fim de sua vida profissional e já possuem sua imagem consolidada. Os casos mais comuns de indisciplina no mundo dos esportes são aqueles relacionados às faltas nos treinos quando o atleta passou a noite festejando e bebendo e acabam não tendo condições de ir treinar.

É importante que a família, o clube e o empresário interfiram para reverter a situação, pois a carreira de um atleta profissional é muito curta, e sua imagem pode contribuir para conseguir trabalhos futuros, seja no ramo esportivo ou em propagandas. Além disso, a indisciplina contribui para a queda de rendimento e na estagnação na profissão.

Já os excessos são mais frequentes em esportes que movimentam muito dinheiro, como o futebol, basquete e tênis por exemplo. A moda da “ostentação” não é novidade no ramo esportivo, sendo fácil encontrar atletas se esbaldando em bebidas, drogas, festas e sexo. Essa atitude demonstra que o atleta está no esporte por dinheiro e para tirar vantagens de situações, e não por amor ao trabalho, como deveria ser.

Como dito, os atletas assumiram papel de celebridades, sendo muito importante que tenham carisma para manter uma boa imagem. Quando falta a empatia e educação, uma imagem negativa é criada, fazendo com que o atleta possa perder o apoio das pessoas e algumas oportunidades na carreira.

Recentemente, vimos o caso do falso roubo ocorrido nas olimpíadas RIO 2016 que envolveu nadadores representantes dos Estados Unidos e repercutiu mundialmente e manchou a imagem dos atletas envolvidos.

Por mais que não seja culpa do atleta, as contusões frequentes também atrapalham a imagem do profissional e interferem também no desenvolvimento de sua carreira. Quando se machuca, o atleta deixa de treinar por um tempo, começa a ficar com receio de realizar certos movimentos, precisa recuperar a forma física e voltar a ter o rendimento que tinha antes.

Quando um atleta tem uma conduta diferente do esperado e passa por cima de leis, o caso é geralmente tratado pela mídia como escândalo, e a imagem do profissional fica marcada pelo resto da carreira. Existem diversos casos de atletas presos por não pagar pensão para seus filhos, conduzindo e batendo o carro bêbados, traições e fraude fiscal, tendo o jogador Messi como um caso recente ocorrido na Espanha.

Pode-se perceber que a imagem e a carreira de um atleta são frágeis e demandam cautela nas ações. Tudo o que o profissional fizer vai refletir positiva ou negativamente em sua imagem e manchar a reputação dos seus patrocinadores, ocorrendo inclusive casos de perda de contratos devido ao mau gerenciamento da carreira.

Se você conhece algum caso marcante em que a imagem e a carreira de um atleta foram afetadas por suas ações, deixe um comentário abaixo!