263961-o-que-compoe-uma-marca-pessoal

O que compõe uma marca pessoal?

Personal branding é uma estratégia de marca que serve para que você estabeleça a imagem que deseja mostrar ao mundo. Ela é bastante utilizada por empresas que buscam construir uma imagem forte e que seja lembrada pelo público-consumidor, mas também vem ajudando a definir pessoas como profissional. Para isso, é importante saber como criar uma marca pessoal!

Mas, o que de fato compõe o personal branding? No post a seguir, daremos algumas dicas importantes sobre esse assunto para que você comece a criar sua marca pessoal já. Acompanhe!

Quais são os fundamentos de uma boa marca pessoal?

Um personal branding forte e marcante se baseia em alguns pilares. Desse modo, é importante entendê-los para determinar que caminhos você deve seguir para construir sua própria marca. Confira quais são!

A ideia de que você é uma marca

Há marcas que não precisam de explicação para que o público entenda quem são. Quando pensamos na Harley-Davidson e no produto que ela criou, por exemplo, já temos em mente o tipo de imagem que ela deseja passar sobre si e qual o perfil daqueles que se interessam por ela.

Pense nas características que gostaria que fossem associadas a você. Sobre qual assunto você espera ser reconhecido como autoridade? Anote essas ideias e trabalhe nelas!

A autenticidade de sua imagem

Nada mais cansativo do que construir uma imagem que nada tem a ver com você. Lembre-e que além de trabalhar duro para ter uma imagem sólida, você ainda terá que sustentá-la. É bem mais fácil ser autêntico e defender valores que realmente tenham a ver com a sua identidade, não é mesmo?

Além do mais, as pessoas reconhecem alguém que não está sendo verdadeiro com as suas ideias. Portanto, fingir ser algo que não é pode ser a pior propaganda para a sua imagem pessoal.

A autoridade que você transmite

Sabe os assuntos que você domina porque já estudou sobre eles e se interessa muito? Marketing, gestão de carreira, presença online, enfim, pense nos temas que goste e que consiga falar com propriedade sobres eles. Escolha alguns, faça uma lista, relacione-os e crie conteúdo.

Ao publicá-lo, você pode se tornar uma autoridade, alguém que merece ser ouvido. Para isso, desenvolva um site, grave vídeos para o YouTube e sempre preze pela qualidade do material que está disponibilizando.

A sua presença nas redes sociais

É de extrema importância ser ativo nas redes sociais, sobretudo naquelas que mais têm a ver com a sua imagem pessoal.

Contudo, mesmo que você se sinta à vontade para publicar tudo o que gosta e o que pensa nesses canais, é preciso lembrar de que elas podem funcionar como uma extensão de seu trabalho, ou seja, uma forma de reforçar a sua imagem.

Desse modo, é sempre válido pensar bem antes de publicar qualquer coisa. Pergunte-se: o conteúdo tem chances de ofender alguém ou um grupo? Se a resposta for positiva, ele não é nada recomendável. Também avalie se terá condições de rebater possíveis críticas com argumentos bem formados e sólidos.

Como se sabe, algumas postagens podem viralizar e, dependendo do conteúdo, requerer uma gestão de crise. Na internet, assim como na vida, é sempre melhor prevenir do que remediar!

Uma rede de contato apoiadora

Algumas pessoas se tornam referência em sua área de atuação e, você, como alguém muito bem informado e relacionado, precisa fazer contato com elas. Isso mostra que você tem uma rede de troca de informações e que está sempre ao lado de quem é interessante e relevantes para sua área de atuação.

Como criar uma marca pessoal de sucesso?

Algumas pessoas não têm a ideia clara sobre como criar uma marca pessoal de sucesso. Para que isso aconteça, é preciso entender o que ela significa e quais são os seus efeitos. Veja algumas dicas:

Encante as pessoas

A ideia principal de uma marca pessoal forte é seu nível de encantamento. Isso mesmo, é o quanto você encanta as pessoas e estabelece uma relação de confiança para que elas aceitem (e queiram) negociar com você. Isso acontece porque elas foram cativadas pelo seu personal branding.

Para conseguir isso, surpreenda. Faça algo inesperado, mesmo que em pequenos gestos. Eles podem ser significativos, pois valorizam quem o recebe.

Deixe uma impressão duradoura

Ao oferecer momentos mágicos de interação, você consegue esse efeito de encantamento. E isso não requer grandes investimentos, mas sim pequenas atitudes, como saudar ou discursar de forma simples, que alcance os ouvintes.

Também é preciso ter um estilo bem definido, como uma frase marcante em seu slogan ou uma característica de sua aparência, por exemplo. Se você tiver um cartão de visita —  na verdade, isso é fundamental, já que será, muitas vezes, seu primeiro ponto de contato —, foque em um design elegante e que se destaque dos demais de alguma forma.

Invista em sua presença online

O mesmo vale para seu e-mail, site ou página nas redes sociais. Fuja da aparência comum e crie algo exclusivo, que transmita o que você deseja passar. Além disso, mantenha essas mídias atualizadas e com conteúdo relevante, como explicamos antes.

E mais: se você tem vários canais de presença online, prepare-se para responder seus clientes em todos eles. Deixar alguém sem um retorno pode prejudicar sua imagem pessoal. Portanto, esteja disponível!

Quando for entrar em contato com alguém, também é interessante visitar o seu perfil e buscar pontos de conexão como:

  • um hobby que a pessoa pratica;
  • sua área de trabalho;
  • um filme assistido e partilhado em seu perfil;
  • seu artista favorito etc.

Entenda o seu valor

Algumas pessoas não têm clareza a respeito de quem são ou do que podem oferecer. Lembre-se que seu valor é mais que seu trabalho! Na verdade, ele se baseia no que você é capaz de proporcionar. Portanto, entenda qual o seu valor, isto é, saiba o que pode acrescentar às pessoas que pretende alcançar e foque sua imagem pessoal nisso.

Assim, saiba quais são seus pontos fortes e fracos, e procure meios para se desenvolver e melhorar constantemente, ganhando autoconfiança e trabalhando suas dificuldades para superá-las.

Conheça seu público-alvo

Sabe as pessoas que você deseja alcançar? Esse é seu público-alvo! Para que sua marca transmita aquilo que ele considera importante, você precisa conhecê-lo detalhadamente.

Ao se encantar com sua imagem, o público procurará por você quando precisar do tipo de trabalho que realiza ou serviço que oferece. Por isso, tenha uma proposta de valor que diga claramente:

  • o que você faz;
  • para quem você faz;
  • por que você faz isso bem.

Agora você já sabe como criar uma marca pessoal inesquecível e encantar as pessoas. Dê os primeiros passos e, conforme avançar, aprenderá mais com a sua trajetória. Além disso, nunca deixe em segundo plano o seu personal branding, pois ele pode ser o ponto-chave para o sucesso de sua carreira.

Quer construir uma marca forte e duradoura? Entre em contato conosco e saiba como fazer isso da melhor forma!

caso-anitta-e-eleicao-2018

Ele não, mas e ela? Caso Anitta e a eleição 2018

“Diga quem você é, me diga
(…)
Tira a máscara que cobre o seu rosto
Se mostre e eu descubro se eu gosto
Do seu verdadeiro jeito de ser”

Quando falamos de marca, falamos exatamente disso: transparência.

Qual é a sua essência? Que valores defende? O público quer saber.

Em outro artigo que escrevi sobre a Anitta, também comentei sobre isso. Vamos relembrar alguns dados?

dado 1

dado 1

Cada dia mais as discussões sobre inclusão e direitos está maior. A desigualdade de gênero no ambiente profissional, por exemplo, é algo que está sendo altamente debatido pelas mídias e pelo mercado. Cada dia mais as marcas são obrigadas a reconhecer e enxergar de fato as minorias. Uma marca que ignora e escolhe se manter calada sobre as minorias está suscetível a críticas e a boicote. As marcas sempre tiveram medo de se posicionar, mas hoje elas também têm medo de se manter em silêncio (e devem mesmo).

A verdade é que ninguém mais quer ser representado por uma marca que não olha de verdade para o seu público. Então se a marca prefere se manter calada por medo de perder vendas, isso pode gerar um feedback negativo enorme. Algumas marcas resolvem fazer uma inclusão artificial das minorias na tentativa de se comunicar com elas, só para dizer que não as ignorou ou que se posicionou, o que se torna um tiro no próprio pé.

Como diz a pesquisa da TrendWatching, as pessoas hoje buscam marcas que sejam transparentes para manterem um “relacionamento” verdadeiro. Digo isso porque ninguém quer conversar com uma marca que só interessa pelo seu público na hora de vender algo. Queremos que ela nos conheça, nos enxergue, nos represente e esteja conosco nas horas boas e ruins.

Mas por que estou dizendo isto tudo? Porque Anitta é uma marca.

Ela vende um produto que são as suas músicas e vende um serviço que é o entretenimento. E recentemente teve uma grande polêmica envolvendo sua imagem. Grande parte do seu público começou a cobrar um posicionamento dela, questionando seu papel social como figura pública, acerca do candidato Bolsonaro após ela seguir um perfil de uma amiga que abertamente declara seu apoio ao candidato. Ela, no entanto, diz que tem o direito de não se manifestar sobre política e que não gostaria de ter sua imagem atrelada às eleições.

A grande questão é: ela deveria ou não se posicionar?

Veja bem, a questão vai muito além do fato dela ter seguido um perfil que declara apoio ao candidato ou sobre seu direito ao voto secreto.

No trabalho de gestão de imagem e carreira, temos que lidar com muitas situações diferentes. Nós sabemos que em situações de crise de imagem, é necessário que se tome uma posição. Às vezes, se tem que escolher entre dar uma resposta ao público ou manter-se calado. Mas tudo tem um preço e você está suscetível a críticas nos dois casos. No entanto, uma escolha errada pode custar uma carreira. De verdade.

Aqui Anitta escolheu não se posicionar nem contra e nem a favor do candidato, dando apenas uma declaração rasa sobre o assunto. No entanto, além do candidato em questão ir contra tudo que a cantora já defendeu publicamente, ele já deu muitas declarações homofóbicas e o público LGBT+ é o que mais iria sofrer consequências ruins se ele for eleito.

O público LGBT+ é o que mais gera lucro para a música pop, é o que chamamos de Pink Money. Além disso, grande parte do público da Anitta é LGBT+. A cantora, inclusive, já foi coroada rainha na Parada LGBT+. Ela já declarou publicamente apoio à comunidade e em seus stories (um dos mais vistos no mundo) sempre grita “um beijo para as POCS” (gíria LGBT+). Anitta, portanto, tem um relacionamento de longa data com este público.

O grande questionamento do seu público é: não queremos ser representados por artistas que estão conosco apenas quando a situação é favorável. Então, Anitta, você está conosco nesta luta? O país está passando por um momento muito difícil e a comunidade LGBT+ pode perder seus direitos se este candidato for eleito. Esta luta por direitos já causou a morte de muita gente e pessoas são hostilizadas todos os dias por causa da homofobia. Se a cantora se diz feminista, a favor das minorias, contra desigualdade em todos os níveis e uma defensora dos direitos LGBT+, é óbvio que ela não poderia votar em um candidato que vai contra tudo isto que ela defende. Então, qual é o problema de Anitta ser uma representante destes direitos se ela sempre fez isso durante a sua carreira? Agora que a situação está desfavorável ela não quer se posicionar? Isto é o que está sendo questionado.

Como marca ela não pode representar artificialmente, entende? Se ela sobe ao palco e grita junto com o seu público LGBT+ palavras de luta a favor de seus direitos em um momento feliz, também deve defender esses direitos em momentos desfavoráveis. O efeito desse silêncio é muito pior, especialmente para um artista.

A questão não é se ela é direita ou esquerda, vai além da política. Estamos falando de valores e toda marca tem “missão, visão e valores”. A questão aqui é dizer “eu, como pessoa defensora das diferenças, vou contra os valores que esse candidato prega, então #elenão”. Mas falar isso abertamente e não nas entrelinhas. A conversa tem que ser direta e transparente. É isso que o público pede das marcas hoje em dia. Transparência é tudo e a cantora Anitta sempre foi citada como tendo um de seus pontos fortes a transparência.

Uma pessoa que sempre se posicionou, não pode abrir mão do seu papel social quando a situação aperta. Não estamos falando aqui de uma partida de futebol em que às vezes o jogador é hostilizado pelo seu desempenho na partida e, às vezes, é melhor ficar quieto para a poeira abaixar. Estamos falando de valores, transparência, relação direta com o público.

Então, só para finalizar. É importante sim se posicionar. Não digo sobre política, mas sobre quais valores você defende. E deixar claro para o seu público se você está com ele até o fim ou não. Porque se for uma relação artificial… aí sinto te dizer que esse amor é tipo aquele amor de verão, ele passa e mesmo que voltem a se encontrar, a relação não será mais a mesma.

como-ter-uma-marca-pessoal-positiva.jpeg

Como ser uma pessoa marcante positivamente?

Todos nós temos características singulares que nos diferenciam de todas as outras pessoas. Para não sermos apenas mais um na multidão, é necessário que sejamos vistos como uma pessoa marcante. Além disso, é de extrema importância que sejamos lembrados de forma positiva, tanto no mercado de trabalho quanto no nosso meio social. Para isso, é importante que trabalhemos determinados valores de forma a alcançar uma marca pessoal positiva.

A seguir confira algumas maneiras de agir que fazem a diferença na forma como você será lembrado pelas pessoas.

Ser agradável no primeiro contato

Todos já ouvimos, em algum momento da vida, a expressão “a primeira impressão é a que fica”. O conceito popular é comprovado por pesquisas recentes. Elas nos mostram que nosso cérebro prontamente discernem aspectos relativos ao outro no momento em que os conhecemos e, ainda, que essas verdades criadas por ele são difíceis de serem modificadas à medida em que recebemos mais informações sobre a pessoa.

Sem contar que quando somos agradáveis já em um primeiro contato as pessoas se tornam mais receptíveis e nos dão mais atenção. Assim, devemos definir como queremos ser vistos e criar uma maneira de nos apresentar às outras pessoas de forma a alcançarmos a marca pessoal que pretendemos desenvolver.

Ser diferente

Todos nós temos peculiaridades a serem exploradas nos nossos perfis. Como você quer ser lembrado? Tenha sempre em mente as características positivas que você possui e trabalhe em cima delas, de modo a torná-las marcantes e únicas.

Ser positivo

Agir de maneira positiva é essencial para se tornar uma pessoa marcante, uma vez que o otimismo faz com que as pessoas consigam tirar delas o melhor que podem. Assim, sendo uma pessoa positiva você naturalmente levará o otimismo aos outros, que tendem a se lembrar da sua imagem de forma agradável.

Ser simpático

Sorrir e chamar as pessoas pelo nome são formas práticas de ser lembrado de maneira positiva. Em uma reunião de trabalho, por exemplo, é essencial fazermos contato visual com o outro, dizendo seu nome e sorrindo, em busca de uma marca pessoal memorável.

Ser sincero

As pessoas podem facilmente perceber quando estamos forçando determinado comportamento. Então, ao nos comunicarmos com o outro, é necessário que realmente tenhamos interesse no que ele tem a nos dizer, estando dispostos a ouvi-lo. Esse também é um meio eficaz de sermos ouvidos, uma vez que esse comportamento faz com que o outro também tenha interesse naquilo que temos a dizer.

Ser educado

As famosas frases “por favor” e “muito obrigado”, que aprendemos desde a infância, devem ser utilizadas em todas as oportunidades, seja durante uma reunião ou após um encontro, tanto pessoalmente quanto por algum meio eletrônico.

Especialistas indicam ainda que enviar mensagens e cartões palpáveis com esses conteúdos a partir de métodos tradicionais de entrega gera um efeito positivo na imagem pessoal. Levando-se em consideração que receber e-mails se tornou muito comum e as caixas de entrada estão sempre cheias, não sendo possível abrir todos eles, essa seria uma forma de nos destacarmos.

Portanto, aja de forma positiva ao criar sua marca pessoal, definindo valores a serem seguidos e mantendo o foco neles. Dessa forma, torne-se uma pessoa marcante positivamente, deixando de lado características comuns ou que provoquem lembranças com aspectos negativos nas outras pessoas.

Comece agora a ser lembrado de forma positiva: compartilhe as informações com seus amigos nas redes sociais!

sua-marca-no-mercado-de-trabalho-esta-prejudicando-sua-carreira.jpeg

Sua marca no mercado de trabalho está prejudicando sua carreira?

Em um cenário comercial hostil e altamente competitivo é muito importante se perguntar como anda a sua reputação no mercado de trabalho e o que ela diz sobre você? O objetivo é que essas perguntas sejam rapidamente respondidas — e que as respostas sejam positivas. Mas, se você não conseguiu encontrar um resposta adequada, provavelmente, há algo que precisa ser mudado.

Uma boa marca no mercado de trabalho pede uma apresentação pessoal de qualidade, habilidade de comunicação, capacidade de observação, persuasão e determinação. Então, perceba, sua marca pessoal é uma peça importantíssima para a sua carreira. Portanto, é preciso trabalhar em prol desse desenvolvimento de forma positiva.

Então, se você é um profissional que deseja decolar definitivamente, veja aqui o que se deve considerar ao expor sua marca e analise os pontos que podem estar prejudicando sua carreira.

1. Desconhecer o que é o Personal Branding

Você sabe o que é Personal Branding? É o termo em inglês que trata exatamente da marca pessoal. Apesar de parecer algo simples, é bom ter conhecimento sobre essas terminologias específicas que estão no meio de comunicação.

Então, o primeiro ponto é pensar em você como uma marca. Analise suas qualidades importantes e veja como você gostaria de ser reconhecido.

Essa é uma questão de planejamento e gestão de autoimagem e carreira. Sendo assim, agregue valor a si mesmo, pois, consequentemente, você agregará valor a sua marca. Cuide de sua trajetória para que seu nome seja valorizado.

2. Ficar na zona de conforto

Por vezes, um profissional já adaptado às suas funções não percebe que necessita sair da zona de conforto e dedicar-se ao seu empreendimento, procurando novas formas de desenvolvimento para sua marca.

A segurança de algo estável pode ser positiva, mas também pode gerar o comodismo. Não deixe que a falta de perspectivas te domine, esteja atento e conectado com as opções que o mercado apresenta para o seu crescimento. Sair da zona de conforto é saber inovar, buscar informações e manter a criatividade sempre em movimento.

3. Ser resistente às ferramentas de marketing profissional

Primeiramente, é importante entender a relevância de trabalhar com marketing: de acordo com Philip Kotler, uma marca valoriza os clientes e “representa simbolicamente o consumidor”. Para chegar a essa etapa, o estadunidense afirma que “o marketing não pode ser visto apenas como um setor, pois esse setor deve funcionar como um papel decisivo para o sucesso de um negócio”.

Ou seja, com um bom planejamento estratégico, você poderá moldar a imagem que o público-alvo deseja ver. Então invista, estude, esteja atento às opções de marketing e desenvolva a criatividade, promovendo soluções para atender às necessidades de seu público.

4. Não ter um bom networking

Networking é o mesmo que rede de trabalho, ou seja, é a sua rede de contatos profissionais que tem como objetivo amparar em questões como contratação de pessoas ou contatos com mais clientes.

É um momento de interação, que permite que pessoas interessadas no mesmo ramo troquem experiências e, principalmente, ajudem a aprimorar qualidades do seu negócio. Tenha em mente as suas atividades e a importância em exercê-las.

Nesse âmbito, é importante construir bons vínculos, organizar seus contatos, transmitir credibilidade e manter o uso saudável das redes sociais. Investir em networking, é promover sua marca. Reveja sua participação nos grupos sociais, deixe o espaço para a boa inteiração, pondo fim a negatividade que a falta de contatos pode gerar.

5. Deixar promover sua apresentação online

Para Dan Schawbel, fundador da Millennial Branding,”se você quiser competir nessa economia você precisa ter a presença online correta. É fazer ou morrer” — ou seja: a tecnologia está diretamente ligada à informação, se você quer ter uma marca forte, invista em sua apresentação online e cuidado para não cometer equívocos.

Ao criar um site ou redes sociais tenha em mente seus objetivos, escolha assuntos específicos e seja cativante. Explique sua experiência e aptidões. Com certeza as oportunidades vão começar a aparecer. E, por fim, tenha personalidade, seu perfil será procurado por apresentar uma marca que realmente tem algo a oferecer.

Quer saber mais sobre como melhorar sua marca no mercado de trabalho? Então continue conosco e conheça os 5 sabotadores de imagem para um profissional!

branding-para-introvertidos-4-dicas-para-voce-se-sobressair.jpeg

Branding para introvertidos: 4 dicas para você se sobressair

Para ter uma carreira de sucesso, é preciso promover o branding pessoal, o que pode ser bastante difícil para pessoas introvertidas. Falar em público, expressar opiniões e demonstrar conquistas profissionais são passos extremamente complicados para quem vive na timidez. No entanto, algumas práticas específicas de branding para introvertidos podem dar certo.

É o caso de investir mais na rede de relacionamentos e participar de outra maneira das reuniões em grupo. Também criar e atualizar um perfil on-line com todas as conquistas profissionais pode ser bastante eficaz.

Quer saber mais? Acompanhe este texto e conheça quatro passos para destacar a sua marca pessoal, mesmo que você seja introvertido.

1. Mantenha um perfil on-line com suas conquistas profissionais

Em muitas situações, os introvertidos são ignorados pelos outros, mesmo sendo talentosos e bons de trabalho. Isso ocorre, principalmente, pela falta de divulgação daquilo que fazem.

Nesse sentido, é necessário falar mais sobre suas conquistas. Mesmo que você não goste de se expor, é interessante pelo menos ter um currículo atualizado em alguma plataforma on-line. Assim, basta se apresentar e dizer que possui um perfil on-line e as pessoas vão buscar informações sobre você.

2. Apresente a sua opinião por escrito

Geralmente, em uma reunião de equipe, com sala cheia, com colaboradores de diversos departamentos, os introvertidos acabam não falando nada. No fim das contas, deixam de demonstrar suas opiniões e apontamentos.

Para não deixar de se expressar, se for muito complicado falar em público, procure entregar algo escrito. Rascunhe um relatório durante o encontro e tente lê-lo quando for questionado sobre o seu posicionamento frente a determinado assunto.

3. Ensaie antes de apresentações em público

As apresentações em público são uma dor de cabeça para muitos introvertidos. Aquelas pessoas olhando fixamente para você e um silêncio perturbador são as sensações vividas pelos introvertidos nessas situações.

Uma alternativa para se dar bem nesses momentos é ensaiar o que deverá ser dito. Anote os pontos principais e repasse as falas. Leve-os em um papel anotado para a apresentação, caso se esqueça de algum detalhe. Também utilize técnicas de linguagem corporal para melhorar a sua argumentação.

4. Aproveite os colegas para ajudar no seu branding pessoal

Embora não sejam muito comunicativos, os introvertidos conseguem criar relações de lealdade e confiança com aqueles com quem se relacionam. Aproveite essas pessoas e utilize-as como referências para o seu trabalho.

Aquele colega de escritório que sabe o quanto você é bom no que faz pode dar boas recomendações sobre você. Sendo assim, durante um processo seletivo para um novo cargo ou  empresa, ofereça nomes de pessoas para referências sobre o que você faz. Esse é um tipo de marketing de relacionamento bastante eficaz.

É importante também ficar atento aos elementos sabotadores de imagem profissional. Por exemplo, repetir a mesma roupa em dias seguidos e não se vestir de acordo com o ambiente de trabalho podem arruinar a sua reputação. Pense nesses pontos e tente evitá-los.

Com essas informações você já quer avançar nas suas estratégias de branding pessoal? Então, conheça alguns passos fundamentais para isso.

confira-quando-o-excesso-de-ego-atrapalha-sua-marca-pessoal.jpeg

Confira quando o excesso de ego atrapalha sua marca pessoal

Na vida profissional é preciso ter jogo de cintura para lidar com o próprio ego. Houve um tempo em que pessoas muito autoconfiantes eram frequentemente consideradas como um ideal profissional por seu potencial produtivo. Atualmente, no entanto, esse perfil gera desconfiança, pois essas mesmas características se mostraram problemáticas para o cotidiano.

Nem por isso o oposto, isto é, introversão, baixa autoestima e falta de iniciativa, se tornaram o ideal. O equilíbrio das emoções e a capacidade de manejar as próprias habilidades é o que está em jogo.

Dessa forma, não há mais espaço para apostar em excesso de confiança ou falsa modéstia como estratégias de marca pessoal; o autoconhecimento e a busca pelo aprimoramento pessoal são os únicos caminhos seguros para ter uma imagem bem-sucedida, o que é importante para tudo!

Não importa se você é vinculado a uma empresa, autônomo, prestador de serviços ou mesmo concursado. Uma marca pessoal positiva sempre abre caminhos.

Nesse sentido, para evitar que o excesso de ego atrapalhe a sua marca pessoal, listamos algumas situações-problema para você refletir. Confira!

O monopólio da palavra

Em atividades coletivas é positivo ter iniciativa para falar, mas não exagere! Quando, nesse contexto, uma pessoa é sempre a primeira a tomar a palavra, pode acabar falando demais e interrompendo os outros. Isso passa a impressão de que ela se considera mais importante do que os demais. Isso “pega mal”. Escutar e esperar também são qualidades, lembre-se disso.

O autoelogio

Utilizar muitos adjetivos sobre si mesmo é outro erro comum do excesso de ego que faz desmoronar qualquer marca pessoal. Se você é bom em algo e tem uma qualidade vantajosa, não precisa dizer isso: demonstre. Falar das próprias experiências com clareza e objetividade e deixar que os outros tirem suas próprias conclusões é muito mais eficaz.

A melhor ideia

Em situações nas quais é preciso dar uma opinião ou oferecer soluções para um problema, pode ser que você tenha a melhor alternativa. No entanto, por melhor que seja a sua ideia, outras pessoas também podem ter boas sugestões. Essas opções podem se complementar.

Tentar impor o próprio ponto de vista é sempre negativo para a marca pessoal e é sintoma do excesso de ego. Nesse caso, procure ouvir com atenção as diversas sugestões e estabelecer um diálogo, no sentido de conciliar as propostas.

A solicitude unilateral

Se você oferece ajuda, também peça ajuda. Ser sempre a pessoa que se oferece para ajudar, mas que nunca busca aos outros, também constrói uma imagem de ego inflado e excesso de autossuficiência. Nenhum ser humano é completamente independente. Precisar dos outros com parcimônia é um sinal de abertura e permite que eles se sintam importantes.

O narrador personagem

Em situações nas quais você precisa se fazer conhecer e conhecer outras pessoas, cuidado para não falar demais sobre si mesmo. Ainda que você tenha muitas experiências e muito o que falar, procure filtrar o que é realmente essencial e demonstre interesse pelos outros.

Pessoas que falam muito sobre si e não demonstram a mesma disposição para conhecer o outro são vistas como egocêntricas.

Essas são algumas situações e posturas que precisam ser observadas para que um possível excesso de ego não comprometa sua marca pessoal.

Identificar-se com essas situações não é motivo de vergonha ou negação; ninguém nasce perfeito, e mudar o próprio comportamento é sempre fruto de um trabalho pessoal.

Se você está aqui, lendo esse texto, já está dando um passo importante! Agora, para não deixar esse conhecimento estagnado, compartilhe este conteúdo nas redes sociais e contribua para o crescimento pessoal de mais pessoas.

saiba-como-ter-um-blog-pode-ajudar-no-seu-branding-pessoal.jpeg

Saiba como ter um blog pode ajudar no seu branding pessoal

O marketing de conteúdo é uma das ferramentas mais poderosas para alavancar a força e o sucesso de uma empresa. Só que isso também serve para a sua própria carreira: afinal, você deve tratá-la como um negócio. O seu branding pessoal ajuda substancialmente no nível das oportunidades que você conquista, dando mais autoridade ao seu nome em sua área de atuação e usando todo o poder da internet para qualificá-lo ainda mais.

Um dos principais aliados do marketing de conteúdo é o blog. Com simplicidade de uso e alto potencial de alcance, este formato é o ideal para transmitir seu conhecimento de maneira acessível. Com uma publicação recorrente e relevante, em pouco tempo você consegue fortalecer seu branding pessoal.

Veja a seguir 5 passos para ter um blog que ajuda no seu branding pessoal:

1. Escolha um nicho

É fácil encontrar diversos blogs focados em assuntos gerais. No entanto, a força da internet se revela justamente no contrário, nos temas mais específicos. Em vez de falar sobre direito trabalhista, por exemplo, por que não focar este tema dentro do contexto portuário? Você certamente possui aspirações bem particulares no seu meio de atuação, basta produzir conteúdo relacionado a ele para logo se tornar uma referência naquela área.

2. Planeje o que será publicado

Ao fisgar o seu leitor com pautas legitimamente interessantes, ele vai querer sempre mais conteúdo. Para contar com mais disciplina neste caminho até o fortalecimento do seu branding pessoal, certifique-se de criar um calendário com o que você irá abordar semanalmente ou mensalmente. Ao designar datas para tudo, você evita esquecer ou deixar tudo para depois. Lembre-se: o visitante que encontra um blog abandonado dificilmente volta.

3. Promova seu conteúdo

O espaço é bastante concorrido na internet, assim como a atenção do público. Conte com algumas ferramentas extras para garantir um impulso na audiência do seu blog, nem que seja em seus períodos iniciais. Que tal patrocinar determinadas palavras-chave relacionadas ao seu trabalho pelo Google AdWords e conquistar visitas de gente procurando pelo seu segmento? Com a popularidade das redes sociais, também vale a pena investir em posts pagos via Facebook Ads.

4. Atenção às imagens

Os seres humanos são criaturas visuais, muito impactadas por fotos e imagens. Independentemente do assunto tratado no seu blog, o seu branding pessoal pode ficar ainda mais fortalecido se você tiver atenção especial ao conteúdo visual do seu blog. Evite publicar artigos sem fotos, procurando usar pelo menos uma para ilustrar o post. Também vale a pena considerar a inclusão de infográficos para explicar assuntos complexos, por exemplo.

5. Forneça seu contato

Se o objetivo do seu blog é fortalecer seu branding pessoal e conquistar maior atenção do seu mercado, você precisa ser facilmente acessível através dele. Inclua suas informações em uma página de contato, como telefone, e-mail e o que mais julgar relevante. Você também pode convidar os leitores a entrar em contato com você no final dos posts, caso necessitem de mais informações ou de um serviço específico.

Graças a todo o potencial da internet, qualquer profissional consegue se destacar, bastando se dedicar à publicação de conteúdo relevante para a audiência. Não é mais necessário contar com a sorte e conquistar espaço em publicações especializadas: você mesmo pode ter a sua e fortalecer seu branding pessoal desta maneira.

Fique por dentro das melhores dicas de gestão de carreiras diretamente pelo seu Facebook. Curta a página da PD Gestão de Imagem e Carreira!

personal-branding-entenda-como-isso-pode-te-ajudar.jpeg

Personal Branding: entenda como isso pode te ajudar

É comum encontrar em todos os grupos de idade e fases de carreira pessoas perdidas que não sabem o que esperar do seu futuro profissional, muito menos o que fazer no atual momento para mudar sua situação.

O autor do livro “Personal Branding: construindo sua marca pessoal”, Arthur Bender, chama a atenção para um aspecto importante na trajetória profissional de cada um, que é a sua própria marca pessoal, e o que é preciso fazer para valorizá-la.

A responsabilidade sobre o rumo da sua carreira

Algumas pessoas se iludem ao conseguirem uma vaga em uma grande empresa, achando que estão garantidas para o resto da vida, outras acreditam que a oportunidade que precisam ainda não chegou e passam anos esperando.

Essas duas formas de lidar com a carreira refletem uma ausência de responsabilização pelas próprias escolhas. São exemplos do que pode acontecer se não tomamos as rédeas da nossa vida e não trabalharmos continuamente para alcançar lugares melhores.

Transferir culpa para terceiros ou jogar o futuro à sorte não farão com que você evolua, apenas desperdiçará seu tempo com ilusões e fantasias sobre o que poderia ter acontecido, ou o que pode acontecer.

A dificuldade em colocar as metas em prática

Mesmo após assumir as rédeas do seu futuro, quando a decisão de progredir já foi internalizada, outros desafios passam a surgir.

Transformar ideias em ações requer um planejamento, porém, antes disso, sem uma base sólida sobre a sua própria marca, dificilmente o resultado será coeso.

Trabalhar a sua própria identidade em meio a tantas possibilidades do mundo de hoje, torná-la única e atribuir valor à própria visão, tudo isso depende do um aspecto primordial, que é a confiança.

Confiar no que você pode oferecer de diferente para o mercado, na sua capacidade de executar um projeto, na própria história e, o mais importante, conseguir transmitir essa confiança.

Nesse sentido o personal branding trabalha o fortalecimento da autoconfiança, bem como a valorização da própria marca, através de técnicas de marketing e comunicação na construção de sua marca pessoal.

Instrumentos que podem ajudar na marca pessoal

Uma boa reputação é construída por um conjunto de aspectos, sendo o principal deles a própria conduta profissional. Porém, para dar visibilidade a essa reputação, tornando-a pública, existem ferramentas adequadas que possibilitarão esse objetivo.

Portfólio, blogs, sites e perfis em redes sociais podem ser eficazes para trabalhar a sua imagem. Tais instrumentos são vantajosos no sentido de serem simples, podendo ser gratuitos, de grande alcance e rapidez no uso de informações.

Além disso, livros autorais, participação em eventos e congressos, palestras e vídeos são um diferencial.

Um ponto importante a ser destacado é que, no caso de ser utilizado mais de um recurso, é preciso ter coerência e passar em todos eles a mesma imagem.

A fidelização de pessoas se conquista através, também, de um padrão já esperado, o que inclui estética, frequência de postagem, linguagem, temática, conteúdo, estrutura, etc.

Para conhecer mais detalhes sobre como trabalhar sua marca pessoal, confira o ebook 5 passos para criar sua marca pessoal, que traz dicas importantes que mostram como colocar isso em prática!

Saiba_aproveitar_momentos_de_crise_para_destacar_sua_marca_pessoal.jpg.jpeg

Saiba aproveitar momentos de crise para destacar sua marca pessoal

A crise econômica que assola o Brasil gera não apenas a perda de investimentos para o país, mas amplia o desemprego, aumenta o número de empresas que fecham as portas e diminuem o poder aquisitivo médio da população. Apesar de se tratar de um cenário preocupante, muitos especialistas em empreendimentos e sucesso de carreira apontam os momentos de crise como uma das melhores oportunidades para abrir novos negócios, ampliar os horizontes de trabalho e promover novas marcas.

Nada de resignação e acomodação em tempos de crise! Confira agora algumas dicas para auxiliar na promoção da sua marca pessoal e faça da instabilidade econômica um fator favorável ao seu crescimento!

Destacando-se da concorrência

Atualmente, muitas pessoas sentem que não conseguem promover um diferencial competitivo pelo fato de terem a sensação de que tudo já foi feito e não existe nada para inovar. Isso é um erro crasso. Mesmo que você tenha uma marca que vende um produto “tradicional” o destaque está na maneira como você enxerga as fraquezas do segmento e se estrutura para preencher essa lacuna.

Nem tudo é baseado no peso do seu diploma ou da experiência, por isso, em épocas de crise há espaço para as ideias que se adequam à realidade e trazem alguma inovação. Não se apegue apenas aos modelos de sucesso, procure entender a razão para o prestígio e não tenha medo de mesclar receitas bem-sucedidas com novas ideias. O mais importante é fazer um bom estudo do setor, procurar referências e analisar quais são as experiências que o consumidor deseja ter.

Não tenha medo da exposição

Atualmente, aquela empresa que não se comunica nas redes sociais está fadada a perder muitas posições para seus concorrentes. Esses sites de relacionamento permitem a exposição da sua marca pessoal para sua rede de amigos, que pode ir se expandindo conforme você investe na divulgação do seu trabalho.

Crie uma fan page no Facebook, uma conta no Instagram, um perfil no LinkedIn ou em qualquer outra rede em que seu público esteja. Em outras palavras, seja visto, se exponha. Mas cuidado com os exageros e para não misturar suas crenças pessoais com a voz da sua marca, isso pode gerar polêmica e afastar pessoas do seu negócio.

Crie conteúdo

A neurociência explica um pouco sobre o ímpeto de consumo do ser humano. Quando vemos um anúncio de um produto que desejamos, nosso cérebro se enche de dopamina e isso nos dá prazer ao comprar. Mas, atualmente, as empresas já não se restringem a vender por estímulo, ou seja, deixaram de vender o “que”, e passaram a vender o “por que”.

Essa mudança de estratégia só dá certo por meio do convencimento do consumidor da importância daquele produto ou serviço que ele está prestes a adquirir, e para vender o “por que” a empresa precisa de conteúdo, dar informação útil ao cliente em potencial para que ele tenha embasamento para consumir. O marketing de conteúdo é uma ótima saída para isso, e marcas geradoras de conhecimento ganham mais força no mercado e cativam os seus seguidores.

Essas são algumas práticas que auxiliam empreendedores na construção de uma marca forte e diferenciada. Lembre-se de que os modelos de consumo e a maneira de abordagem do público-alvo vão se transformando com o passar do tempo e surgimento de novas tecnologias. Os tempos de crise abrem espaço para aqueles que surgem com ideias de vanguarda.

Conhece mais alguma dica importante para fortalecer a sua marca ou quer compartilhar suas experiências? Então não se esqueça de deixar seu comentário no post!

Imprima_sua_marca_pessoal_em_tudo_aquilo_que_fizer.jpg.jpeg

Imprima sua marca pessoal em tudo aquilo que fizer

Em um mundo em que todos os ramos de atuação têm uma grande oferta de profissionais — cada vez mais qualificados —, a potencialização de uma marca pessoal poderosa e que seja capaz de atrair potenciais clientes e construir uma boa reputação perante o mercado é uma medida de sobrevivência. Porém, essa não é tarefa das mais fáceis.

Para se destacar no meio da multidão, você precisa construir uma marca pessoal forte e imprimi-la em tudo aquilo que fizer. Confira a seguir algumas dicas que vão ajudar você nessa importante missão!

Construa sua marca pessoal

Antes de ser capaz de imprimir sua marca pessoal em seu cotidiano, você precisa construí-la. Nesse momento, muitos aspectos são importantes: a forma com que você se apresenta pessoal e virtualmente, o modo como se veste e a maneira como se comporta, tudo isso tem o poder de impactar positiva e negativamente na construção de sua marca.

Se você quer criar uma boa reputação profissional, precisa aproveitar todas as oportunidades que tiver para construir uma imagem consolidada, condizente com os seus valores, sua essência e com aquilo que você deseja transmitir ao mercado.

Valorize suas interações

Sua marca pessoal é construída e reforçada a todo tempo, e não apenas enquanto você está efetivamente trabalhando. Por isso, todas as suas interações são uma excelente oportunidade para imprimir sua própria marca.

No contato, não apenas com clientes e parceiros de trabalho, mas também com familiares, amigos e com as pessoas em geral, procure ser aquilo que você realmente é e alinhe sua marca pessoal à sua verdadeira essência.

A melhor maneira de ser único e repleto de diferenciais é sendo você mesmo; e a melhor oportunidade de fazer isso é durante suas interações. Valorize-as, pois isso vai ajudar muito a reforçar sua marca.

Tire proveito das redes sociais

A maioria das pessoas tem conta em pelo menos uma das muitas redes sociais. Portanto, usar a internet com sabedoria é fundamental.

Mais uma vez, é preciso alinhar sua marca pessoal à sua essência. Nas redes sociais, mantenha uma postura que esteja de acordo com o modo que você deseja que as pessoas enxerguem sua marca.

É comum vermos pessoas cuja vida virtual é completamente diferente da imagem que querem transmitir com sua marca. Isso pode deixar o público confuso e pode fazer com que sua marca perca a consistência.

Use as redes sociais para mostrar a melhor versão de si mesmo!

Seja digno de credibilidade

Em tudo o que fizer, seja digno de credibilidade. Cumpra sempre o que prometer e tenha embasamento com as coisas que você fala. Quando se trata de uma marca pessoal, qualquer erro pode ser fatal ao seu sucesso, então, é preciso estar atento e procurar evitar tudo aquilo que possa ameaçar sua credibilidade. Procure atuar em sua vida pessoal e profissional com clareza, coerência e consistência.

Sua imagem, sua marca pessoal e seu comportamento precisam estar alinhados. Por isso, continuamente reflita: qual será a impressão que estou transmitindo com determinados comportamentos? De que maneira minha forma de falar e de me vestir impactam na visão que as pessoas tem de mim? Analisar essas questões pode ajudá-lo a aprimorar a si mesmo e melhorar sua reputação perante o mercado.

Seja qual for a área em que você atua, invista em sua qualificação, pois isso interfere diretamente na qualidade daquilo que você oferece ao público e é uma das mais relevantes formas de transformar sua marca pessoal positivamente.

Gostou desse texto? Então aproveite e confira também 6 maneiras de promover sua marca pessoal!