confira-quando-o-excesso-de-ego-atrapalha-sua-marca-pessoal.jpeg

Confira quando o excesso de ego atrapalha sua marca pessoal

Na vida profissional é preciso ter jogo de cintura para lidar com o próprio ego. Houve um tempo em que pessoas muito autoconfiantes eram frequentemente consideradas como um ideal profissional por seu potencial produtivo. Atualmente, no entanto, esse perfil gera desconfiança, pois essas mesmas características se mostraram problemáticas para o cotidiano.

Nem por isso o oposto, isto é, introversão, baixa autoestima e falta de iniciativa, se tornaram o ideal. O equilíbrio das emoções e a capacidade de manejar as próprias habilidades é o que está em jogo.

Dessa forma, não há mais espaço para apostar em excesso de confiança ou falsa modéstia como estratégias de marca pessoal; o autoconhecimento e a busca pelo aprimoramento pessoal são os únicos caminhos seguros para ter uma imagem bem-sucedida, o que é importante para tudo!

Não importa se você é vinculado a uma empresa, autônomo, prestador de serviços ou mesmo concursado. Uma marca pessoal positiva sempre abre caminhos.

Nesse sentido, para evitar que o excesso de ego atrapalhe a sua marca pessoal, listamos algumas situações-problema para você refletir. Confira!

O monopólio da palavra

Em atividades coletivas é positivo ter iniciativa para falar, mas não exagere! Quando, nesse contexto, uma pessoa é sempre a primeira a tomar a palavra, pode acabar falando demais e interrompendo os outros. Isso passa a impressão de que ela se considera mais importante do que os demais. Isso “pega mal”. Escutar e esperar também são qualidades, lembre-se disso.

O autoelogio

Utilizar muitos adjetivos sobre si mesmo é outro erro comum do excesso de ego que faz desmoronar qualquer marca pessoal. Se você é bom em algo e tem uma qualidade vantajosa, não precisa dizer isso: demonstre. Falar das próprias experiências com clareza e objetividade e deixar que os outros tirem suas próprias conclusões é muito mais eficaz.

A melhor ideia

Em situações nas quais é preciso dar uma opinião ou oferecer soluções para um problema, pode ser que você tenha a melhor alternativa. No entanto, por melhor que seja a sua ideia, outras pessoas também podem ter boas sugestões. Essas opções podem se complementar.

Tentar impor o próprio ponto de vista é sempre negativo para a marca pessoal e é sintoma do excesso de ego. Nesse caso, procure ouvir com atenção as diversas sugestões e estabelecer um diálogo, no sentido de conciliar as propostas.

A solicitude unilateral

Se você oferece ajuda, também peça ajuda. Ser sempre a pessoa que se oferece para ajudar, mas que nunca busca aos outros, também constrói uma imagem de ego inflado e excesso de autossuficiência. Nenhum ser humano é completamente independente. Precisar dos outros com parcimônia é um sinal de abertura e permite que eles se sintam importantes.

O narrador personagem

Em situações nas quais você precisa se fazer conhecer e conhecer outras pessoas, cuidado para não falar demais sobre si mesmo. Ainda que você tenha muitas experiências e muito o que falar, procure filtrar o que é realmente essencial e demonstre interesse pelos outros.

Pessoas que falam muito sobre si e não demonstram a mesma disposição para conhecer o outro são vistas como egocêntricas.

Essas são algumas situações e posturas que precisam ser observadas para que um possível excesso de ego não comprometa sua marca pessoal.

Identificar-se com essas situações não é motivo de vergonha ou negação; ninguém nasce perfeito, e mudar o próprio comportamento é sempre fruto de um trabalho pessoal.

Se você está aqui, lendo esse texto, já está dando um passo importante! Agora, para não deixar esse conhecimento estagnado, compartilhe este conteúdo nas redes sociais e contribua para o crescimento pessoal de mais pessoas.

Artigos Relacionados

Patricia Dalpra é Estrategista em personal branding e gerenciamento de carreira.

O trabalho que Patricia Dalpra desenvolve surgiu de uma vontade e de uma certeza: vontade de levar pessoas e empresas a crescer, alcançar seus objetivos de negócios e de imagem e se relacionar melhor com outras pessoas e empresas; e certeza de que um trabalho estruturado de gestão de imagem e carreira é um dos melhores caminhos para se chegar lá.

Ao longo de mais de uma década, a Patricia Dalpra já trabalhou para centenas de profissionais, executivos, empresários, atletas, instituições e empresas.

Specialties: Gestão de imagem, gestão de carreira e coaching. Personal branding, branding executivo, brand on, brand off, estudo do dna pessoal e corporativo e comunicação.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *