Gatilhos mentais: o que são e como utilizá-los na liderança?

Quem ocupa cargos elevados e tem outras pessoas sob o seu comando precisa estar em sintonia com as melhores estratégias disponíveis, de forma a conquistar os resultados esperados e arrancar o máximo de produtividade da equipe. Pensando nisso, preparamos esse post explicando o que são gatilhos mentais e como utilizá-los na liderança.

Eles podem ser um recurso relevante em termos de comunicação, fazendo com que os liderados atuem em prol de objetivos importantes com o seu melhor desempenho, estimulando tomadas de decisão mais assertivas por meio da persuasão. Continue lendo e aprenda mais sobre o tema.

O que são gatilhos mentais?

Podemos definir os gatilhos mentais como estímulos estratégicos, que são aplicados de forma a persuadir o interlocutor a direcionar suas ações e decisões para determinado sentido. É uma tática bastante conhecida no universo do marketing e de vendas, mas que também pode ter uma clara relevância dentro do ambiente organizacional.

Na maioria das vezes, os gatilhos mentais são muito discretos, mas podem fazer uma diferença considerável no ouvinte. No entanto, para que isso ocorra, é necessário que o processo argumentativo conte com argumentos convincentes, relacionados com aspectos instintivos, emocionais e sociais, que automatizarão as escolhas e trarão o resultado esperado.

Quais são os principais gatilhos mentais?

Agora que você já conheceu melhor o conceito de gatilhos mentais e entendeu um pouco como ele pode ser aplicado por um líder dentro de um contexto empresarial, vamos esmiuçar o assunto e traz o exemplo de algumas das estratégias que podem ser utilizadas nesse sentido na sua equipe. Acompanhe.

Autoridade

O gatilho mental da autoridade não tem a ver com hierarquia, mas sim com o fato de que o interlocutor tem consciência de que você sabe do que está falando. Na realidade, você é uma autoridade no assunto, gerando confiança e afastando possíveis questionamentos. Para isso, você precisará ter uma excelente capacitação técnica e alta credibilidade profissional.

Reciprocidade

Já o gatilho mental da reciprocidade é usado quando alguma coisa é oferecida, mas causa uma imposição implícita de se receber algo em troca. Ele parte da premissa de que, sendo bom com o colaborador, ele buscará ser recíproco. Na empresa, isso pode ocorrer, por exemplo, quando você dá um bônus para alguém cumprir um projeto mais trabalhoso ou fazer hora extra.

Urgência

O gatilho mental de urgência é um dos mais utilizados por empresas e profissionais que trabalham com vendas. Eles trabalham a mente dos clientes, passando a sensação de escassez ou de que perderão uma oportunidade caso não fechem logo o negócio. Basicamente, a técnica visa limitar o tempo, para que as pessoas tomem uma decisão rápida e intuitiva.

Como você pôde ver no post, os gatilhos mentais podem ser um recurso interessante, utilizados com sabedoria pelos líderes que desejam obter o máximo de performance da sua equipe e dos profissionais.

Gostou de aprender o que são gatilhos mentais e como utilizá-los na liderança? Quer conferir mais conteúdos como esse em primeira mão? Então, não deixe de seguir nossos perfis no Facebook, no Twitter e no LinkedIn!

Conheça 7 impactos positivos de uma gestão feminina na empresa

Há muitos anos, as mulheres já vêm conquistando seu merecido espaço no mercado de trabalho, ocupando cargos e posições de destaque. Nos dias de hoje, elas chegam a ser maioria em muitos segmentos e setores relevantes. No entanto, algumas pessoas ainda têm dúvidas quanto aos impactos positivos de uma gestão feminina na empresa.

O fato é que, junto à capacitação técnica e aos atributos individuais de cada profissional, as mulheres podem proporcionar visões diferentes frente aos desafios da rotina e oferecer soluções que, possivelmente, não seriam pensadas por gestores masculinos. Continue lendo o post e aprenda um pouco mais sobre o assunto!

1. Clara orientação às pessoas

Um dos principais impactos positivos de uma gestão feminina na empresa é o fornecimento de orientações mais claras para as pessoas. Afinal, a boa capacidade de comunicação é uma característica marcante de boa parte das mulheres, ao contrário dos homens, que podem ser mais introspectivos e experimentarem dificuldades em se expressar.

Dessa maneira, a rotina é simplificada e o dia a dia fica mais fácil como um todo, fazendo com que a equipe atue de forma mais coesa e cada colaborador saiba, com maior riqueza de detalhes, o que a gestão espera dele e qual será o seu papel em ações designadas e tarefas específicas. Isso acaba reduzindo também as chances de erros, falhas e retrabalho.

2. Relacionamento interpessoal

A gestão feminina na empresa também tende a oferecer uma maior facilidade em termos de relacionamento interpessoal. Trata-se de um dos pontos fortes das mulheres, que conseguem promover um convívio harmonioso com os colegas de trabalho, um atributo extremamente valioso para um líder dentro do ambiente organizacional.

Se houver relação direta com os clientes, por exemplo, contar com esse tipo de qualidade pode ajudar a elevar os níveis de satisfação ou a resolver problemas difíceis. Também é algo que está diretamente ligado a uma maior facilidade para atuar de maneira colaborativa, ajudando a equipe a elevar sua performance de forma saudável, em benefício do negócio como um todo.

3. Liderança inclusiva

Uma das grandes demandas da sociedade moderna é a necessidade de inclusão dentro do mercado de trabalho, deixando para trás preconceitos antigos e limitações que eram impostas por instituições mais arcaicas. A capacidade de fazer isso é uma verdadeira marca pessoal para muitas mulheres, que fazem questão de dar sua contribuição para a sociedade.

Elas costumam optar por uma liderança inclusiva, na qual todos os membros são igualmente valorizados e poderão dar a sua contribuição. No entanto, é preciso considerar que isso deve influenciar inclusive as fases de seleção e prospecção de talentos, de forma que possam ser achados e contratados profissionais que estejam em sintonia com essa tendência.

4. Estilo inovador

É claro que um gestor ou líder pode ter um estilo inovador, independentemente do seu gênero, não é mesmo? No entanto, não dá para negar que muitas mulheres contam com esse diferencial, não se omitindo diante de dificuldades da rotina, lutando por seus objetivos e se valendo de todas as opções possíveis, empregando a criatividade para sair de situações difíceis.

Gestoras costumam pensar em soluções menos óbvias e ainda podem usar seu bom potencial de comunicação para debater e lapidar as novas ideias com a equipe, considerando as observações realizadas, valorizando opiniões e fornecendo feedbacks. É algo que estão acostumadas a fazer na vida pessoal e podem trazer para a profissional, naturalmente.

5. Elevada dedicação

Outro dos principais impactos positivos de uma gestão feminina em uma empresa é que as mulheres podem promover elevados níveis de dedicação, por meio do próprio exemplo. Afinal, costumam ter apreço por atuar de forma organizada e entregar um serviço bem-feito. Elas têm uma forte tendência à cooperação por natureza, fazendo com que o trabalho em equipe seja trivial.

Muito disso se deve ao fato de que, historicamente, as profissionais de outros tempos precisavam trabalhar muito mais que os homens para terem o seu valor devidamente reconhecido. Com isso, não poderiam se deixar abalar facilmente, o que as tornou mais centradas e envolvidas com seus compromissos, sempre valorizando o conjunto.

6. Equilíbrio sob pressão

Você tem alguma dúvida de que as mulheres conseguem manter um melhor equilíbrio, mesmo quando são expostas a situações de pressão? Desde a mais tenra idade, elas precisam lidar com mais perigos, se familiarizam com as dores da menstruação, disputam vagas com homens em desvantagem de posição e precisam conciliar trabalho, gestação, família e preconceitos.

Logicamente, as habilidades obtidas com todas as dificuldades acabam ajudando nos projetos em equipe, pois elas saberão dosar melhor as palavras e serão mais prudentes na hora de tomar decisões complexas. Dessa maneira, é possível manter o ambiente mais agradável, com um time feliz e empático, que tende a oferecer mais resultados em termos de desempenho.

7. Foco e dedicação

As mulheres têm a capacidade de serem multitarefas, e esse pode ser mais um dos numerosos impactos positivos de uma gestão feminina na empresa. Elas estão habituadas a conciliar os cuidados com a família com a manutenção da casa, a resolução de problemas da empresa, a vida conjugal, a realização de projetos, os estudos e muito mais.

Por conta disso, as mulheres precisam se reinventar sempre que for preciso, sem que percam a sua essência. São comprometidas e estão em sintonia com a diversidade, que é uma característica capital para as organizações do presente e do futuro. Elas sabem reunir pessoas e agrupar opiniões, o que gera menor rotatividade e promove relações profissionais de longo prazo.

Esses são apenas alguns dos muitos impactos positivos de uma gestão feminina na empresa. Se você ainda tinha dúvidas de que uma mulher em posições de liderança poderia trazer grandes benefícios para o seu negócio, agora entendeu um pouco melhor como elas podem contribuir para o sucesso de qualquer organização.

Gostou de conhecer esses 7 impactos positivos de uma gestão feminina na empresa? Quer aumentar os seus conhecimentos sobre o papel de um líder dentro do ambiente organizacional? Então, não deixe de conferir nosso outro post aqui do blog que fala sobre liderança natural!

Como atingir a alta performance profissional? Saiba o que fazer!

Se tornar um profissional de alta performance é muito mais do que ter sucesso financeiro — que precisa ser visto como consequência, para que seja mais fácil seguir com os propósitos. Significa ter satisfação pessoal, progredir na carreira, sair da zona de conforto e se desafiar, potencializar suas habilidades, não parar de estudar etc.

Pareceu difícil? De fato, não é possível atingir todos os objetivos citados de forma simples, especialmente com atitudes cômodas. É necessário traçar planos e ter constância em busca de se tornar um profissional de alta performance. De qualquer forma, essa tem sido uma exigência cada vez maior do mercado de trabalho, que lida com mudanças constantes e precisa de colaboradores aptos a lidarem com isso.

Quer entender mais sobre o que é e como ser um profissional de alta performance? Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

O que é um profissional de alta performance?

A alta performance diz respeito ao comportamento de um profissional com relação a própria carreira, interação com os gestores, colegas de trabalho e com a empresa contratante. Quando as ações exercidas dentro desse âmbito possibilitam melhores resultados profissionais, como a maior produtividade e alinhamento com as metas e objetivos do negócio, a performance pode ser considerada elevada.

Conseguiu entender do que o conceito se trata? Existem algumas características presentes nessas pessoas que ao conhecê-las, é possível ter uma melhor compreensão sobre o profissional de alta performance. Acompanhe:

  • capacidade de resolver problemas de forma rápida e eficiente;
  • habilidade de desenvolver mecanismos que evitem a repetição de problemas;
  • domínio das ferramentas e atividades relacionadas a área do colaborador;
  • disciplina para melhorar constantemente e sair da zona de conforto.

Quais são os ciclos existentes dentro da carreira?

Como foi possível notar, o profissional de alta performance passa por um ciclo de evolução, para alguns esse processo é mais rápido, para outros pode ser necessário mais tempo nas diferentes fases existentes. As fases são as seguintes:

  • fase de aprendizado: ocorre o entendimento do funcionamento dos processos e atuação das pessoas, o que exige proatividade e curiosidade para o avançar;
  • fase de execução: as tarefas diárias podem ser realizadas com certa independência e é necessário aumentar a velocidade e eficiência na execução das demandas, além de criar métodos para diminuir as chances de erro;

Como se tornar um profissional de alta performance?

Se você continuou a leitura até aqui, percebeu que existem algumas atitudes dentro das diferentes fases da carreira que diferenciam o profissional de alta performance daquele que realiza apenas o arroz com o feijão, ou o trivial do que se espera dele. A seguir, conheça mais sobre essas atitudes.

Definir metas profissionais

Possivelmente, você já ouviu falar no ditado popular ‘’quem não sabe para onde ir, qualquer caminho serve.’’ A frase mostra a importância da definição de metas e objetivos para que você saiba qual caminho deve seguir para atingi-los e quais propostas deve recusar, caso elas não tenham alinhamento com seus interesses.

Sem essa definição, o mais provável de acontecer é você se acomodar — por não saber que tipo de profissional deseja se tornar no futuro —, aceitar propostas de trabalho inadequadas e que aumentam a sua desmotivação na carreira, além de desenvolver hábitos nocivos para a profissão.

Entretanto, quando existe um entendimento das suas pretensões, fica mais fácil estipular um plano para que você caminhe na direção desejada e consiga alcançar os resultados de forma mais rápida. Caso contrário, as chances de acomodação e desmotivação na carreira são altas.

Aprimore as habilidades

Nenhum profissional de alta performance nasce pronto e nem quando as metas estabelecidas foram alcançadas é recomendado parar de aprimorar as habilidades para se tornar cada vez melhor. Isso ocorre a partir de cursos, treinamentos, pesquisas, eventos da área e muitas outras possibilidades para que o colaborador não se torne obsoleto e nem estagne na profissão.

Quer entender melhor porque isso é tão importante? Durante a pandemia da COVID-19, muitas profissões precisaram se reinventar de acordo com a nova realidade do mundo e novas necessidades dos consumidores. 

A situação foi delicada e desafiante para todos, mas quem já havia estudando as tendências e aprimorando suas habilidades, conseguiu se adaptar com menos dificuldade e melhor domínio da inteligência emocional, o que evita maiores frustrações.

Aceite desafios

O exemplo citado acima teve sucesso porque, entre outras qualidades existentes, o profissional foi capaz de aceitar desafios e sair da zona de conforto. Como o próprio nome sugere, trata-se de um espaço mais cômodo para os profissionais, já que não existem estímulos para a busca de melhorias — o que também implica em erros ao longo do processo. No entanto, não é o mais adequado para quem busca a evolução.

A busca pela alta performance é encontrada nos desafios profissionais, que devem ser aceitos não apenas esperança e fé de que os resultados serão positivos, mas com a execução de métodos que contribuem para esse alcance. Isso inclui o aprimoramento de habilidades e definição de metas, como foi citado.

Conte com o apoio de uma empresa de gestão e carreira

Ao perceber as inúmeras medidas que precisam ser tomadas para a evolução na carreira, é comum que muitos pensem em desistir por não conseguir gerenciar todos os procedimentos necessários e especialmente, no tempo estipulado. Nesses casos, se torna ainda mais recomendado contar com o apoio de uma empresa de gestão e carreira.

Esse tipo de serviço contribui, por exemplo, ao fazer análise dos pontos fortes e um planejamento de carreira e estratégias para maior crescimento e destaque no mercado. Tais medidas, se tomadas por conta própria, tendem a levar mais tempo para serem executadas, já que nem todos têm o autoconhecimento necessário e nem habilidade de autogestão.

Como ficou nítido, conseguir se tornar um profissional de alta performance não é uma tarefa simples, mas pode render bons frutos, como a satisfação pessoal e melhores oportunidades financeiras. Para isso, não deixe de investir nas dicas citadas.

Pensou no que falamos e deseja saber mais sobre como uma empresa de gestão e carreira pode ser útil? Entre em contato conosco da PD Gestão de Imagem e Carreira e tire suas principais dúvidas!

3 melhores dicas para desenvolver uma visão de mercado afiada

Ter conhecimentos amplos a respeito de qualquer área ou segmento permite que um profissional crie um diferencial competitivo, se tornando mais atrativo para contratantes ou mesmo mais eficiente para atuar de forma autônoma. Por isso, preparamos esse post com algumas das melhores dicas para desenvolver uma visão de mercado afiada.

Com isso, fica mais simples ter êxito no estabelecimento da sua marca pessoal, tirando suas metas do papel e traçando planos de ação orientados para o futuro, possibilitando uma abordagem muito mais proativa e eficaz da sua carreira. Continue lendo o artigo e descubra como fazer isso!

1. Saiba bem o que é visão de mercado

A visão de mercado pode ser conceituada com a capacidade e identificar o que está acontecendo dentro de determinado segmento e suas áreas adjacentes, observando quais caminhos estão sendo tomados por quem vem obtendo sucesso e quais as ações necessárias para se manter competitivo em relação à concorrência.

Com isso, você ganha maior capacidade de fazer um planejamento assertivo para o futuro do seu negócio ou da sua carreira, definindo objetivos a serem alcançados e ações que precisam ser adotadas em curto, médio e longo prazos. É uma forma de ganhar embasamento para a tomada de decisões, minimizando as chances de falhas e erros graves.

2. Invista no seu próprio desenvolvimento

Outra ação relevante para desenvolver uma visão de mercado afiada é investir no seu próprio desenvolvimento. Afinal, você precisará deixar o comodismo para trás e sair de sua zona de conforto, de forma que aprimore os seus atributos, abandone hábitos antigos e consiga ter um olhar voltado para a inovação e as novidades de seu setor de atuação.  

Uma forma inteligente de fazer isso é por meio de cursos que aperfeiçoem os seus pontos fortes e fracos, sobretudo naquelas qualidades mais preponderantes para o sucesso, como liderança, capacidade de comunicação e assim por diante. Outra atitude vantajosa por meio da leitura de obras ou biografias de profissionais de vanguarda na sua área.

3. Melhore as suas relações profissionais

Por fim, a última das dicas para desenvolver uma visão de mercado afiada consiste em melhorar as suas relações profissionais. Todo mundo sabe que, nos dias de hoje, o networking é um ativo importante em qualquer segmento, tanto para quem atua vinculado a uma empresa quanto para quem trabalha como autônomo.

Felizmente, existem muitas oportunidades para isso e você deve aproveitá-las sempre que possível, trocando experiências com aqueles que permitirão uma ampliação dos seus horizontes e o conhecimento de novos caminhos para alcançar o lugar que você deseja. Para isso, foque em palestras, simpósios, congressos, cursos e eventos em geral.

Agora você já sabe como desenvolver uma visão de mercado afiada. Isso é muito importante, sobretudo para quem atua como autônomo, pois permite antecipar tendências e descobrir os caminhos necessários para ganhar clientes e superar a concorrência!

Essas são 3 das melhores dicas para desenvolver uma visão de mercado afiada! Gostou do conteúdo? Então, não deixe de seguir nossos perfis no Facebook, no Twitter e no LinkedIn!

Uma mulher com sacolas de compra na mão e olhando para o celular

Conquiste seus consumidores no momento certo conhecendo a Jornada do Cliente

Com uma busca rápida no Google, nos deparamos com infinitas possibilidades de estratégias que prometem fazer nossas conversões crescerem em escalada. Entretanto, a grande maioria não passa de mera especulação. Isso porque, para que você consiga atrair mais clientes e desenvolver a sua empresa, é preciso primeiro conhecer o consumidor e entender como ele se comporta. Assim, para que você se torne referência no seu mercado, comece explorando e desenvolvendo a sua Jornada do Cliente!

Nesse conteúdo te explicaremos o que ela é, sua importância e também como mapear a sua jornada.

Se interessou pelo assunto? então continue conosco para aprender tudo o que precisa!

Como fazer a minha própria Jornada do Cliente?

Podemos entender a jornada do cliente, também conhecida por jornada do consumidor ou Mapa da Jornada do Cliente, como uma representação visual que mostra o passo a passo do comprador em relação a sua empresa.

Quase como um guia, essa jornada será desenvolvida através de uma relação dos comportamentos recorrentes dos clientes em união ao que se conhece deles, através de uma persona.

O resultado disso são soluções claras de que medidas devem ser tomadas para que o cliente seja atraído e convertido com maior facilidade pela empresa.

Dizemos que a jornada do cliente é essencial para todas as marcas pelo motivo de que ela não desenvolve apenas uma relação de tudo o que precisa saber sobre o consumidor – o que, por si só, já seria incrível – mas apresenta soluções para os problemas que encontrar.

Assim, ao desenvolver o seu mapa, você será capaz de compreender o cliente e ajudá-lo exatamente no que ele precisa.

Agora que já sabemos o que é e a importância da jornada, chegou a hora de aprender a mapeá-la!

Conheça o seu consumidor

O primeiro passo dessa estratégia de gestão, que é a jornada do cliente, é conhecer o seu consumidor.

Para isso, sugerimos o desenvolvimento de uma persona. A qual é uma personagem fictícia que exponha os seus clientes, de forma a representar o consumidor ideal de uma empresa.

A persona é composta por inúmeras características, sendo algumas delas:

  • Idade
  • escolaridade
  • Localização
  • Classe econômica
  • Dores
  • Necessidades
  • Objeções a sua empresa
  • Marcas que admira
  • canais de comunicação que mais usa

Entre muitos outros. Porém, vamos dar destaque às dores e necessidades aqui!

Uma vez que você sabe o que seu cliente precisa e deseja, é hora de organizar isso internamente. Desse modo, selecione palavras chave que correspondam a essas dores e necessidades.

Com as palavras em mãos, pense em formas de utilizá-las dentro do seu site. Possibilidades muito úteis são estratégias de SEO e de Marketing de conteúdo.

Dessa forma, você conseguirá se fazer presente no momento de escolha do seu cliente e iniciará ele na sua jornada!

Mapeie os pontos de contato

Assim, o passo seguinte para mapear a sua jornada é encontrar os pontos de contato, também conhecidos como touchpoints.

Eles nada mais são do que toda e qualquer interação que venha a acontecer entre um cliente e a marca. Desde de um clique no leia mais até o cadastro de um cartão, todas as interações precisam ser encontradas nesse momento.

Mas não se assuste, achar seus touchpoints é mais simples do que se pode imaginar. Para isso, basta seguir diferentes caminhos e realizar diferentes ações dentro da sua empresa. Anote cada uma dessas interações e, no fim, vai ter seu mapeamento dos pontos de contato completo.

Por fim, basta atribuir métricas para os pontos principais. Baseie elas em seus objetivos como empresa e encontre os touchpoints que precisam de mais atenção.

Crie uma hipótese

Na sequência, é hora de desenvolver uma hipótese. Isso significa que, durante sua jornada até aqui, você deve ter pensando em melhorias para a sua empresa, e encontrado brechas no seu mapeamento que precisam ser solucionados, certo?

Essa é a hora de encontrar as tais soluções e organizar sua nova jornada do cliente.

Entretanto, devemos lembrar que a jornada só pode ser vista como aprovada se seus clientes te disserem isso. Assim, precisamos primeiro criar uma hipótese e validá-la com alguns consumidores.

para saber se sua nova jornada está boa, peça para que alguns compradores a experimentem e os entreviste para saber o que acharam.

Implemente a Jornada

Uma vez que sua proposta foi aprovada, basta implementar a sua nova e aprimorada jornada do cliente!

Contudo, não se esqueça de armazenar todos os dados que encontrou, bem como suas soluções e até mesmo insights que não foram usados. A jornada é muito instável, ou seja, se modifica com extrema facilidade. Assim, é preciso que seja refeita constantemente.

Ao guardar suas informações, verá que ela se tornará muito mais simples e prática de ser revisitada e reestruturada.

Conclusão

A jornada do cliente é um mecanismo inteligente para quem deseja ver sua empresa crescer. com ela, você será capaz de atrair, converter e fidelizar cada vez mais consumidores.

Dessa forma, use a jornada para conhecer sua clientela e oferecer a ela exatamente o que deseja!

Antes, apenas não esqueça de nos deixar um comentário.

mulher-branca-com-café-na-mão-sorrindo-demostra-a-personalidade-dela

Quais os tipos de personalidade e como identificar o seu?

Cada pessoa tem as suas próprias características, demandas e anseios. Isso se reflete, logicamente, não apenas na vida pessoal, mas também nas escolhas profissionais e nas competências adquiridas no exercício de nossas atribuições. Pensando nisso, preparamos esse post mostrando quais os tipos de personalidade e como identificar o seu.

Os traços que compõem a individualidade sempre foram muito estudados pelos psicólogos e, nos dias de hoje, temos bastante conteúdo sobre o tema. Essa noção, portanto, pode ser útil para o seu autoconhecimento, a identificação de problemas ou mesmo uma transição de carreira. Confira.

Racionais

Não dá para falar dos tipos de personalidade sem falar dos racionais, não é mesmo? Eles são aqueles que estão voltados para resolver os problemas de forma lógica, sem deixar que as emoções se sobreponham à sua coerência e equilíbrio.

Costumam ser bons líderes, embora nem sempre tenham as melhores capacidades de relação interpessoal. Tendem a ser firmes em seus valores, focados e estratégicos. Pessoas com esse perfil são imprescindíveis, por exemplo, na vida corporativa.

Idealistas

Os idealistas são aqueles que buscam a identidade, por meio da paixão e do autoconhecimento. O crescimento pessoal é um dos seus grandes focos e, por isso mesmo, costumam ser bons professores, conselheiros ou mesmo ativistas. 

Entre os seus pontos fortes, podemos destacar a sabedoria e a gentileza, mas de uma maneira que não deixe de lado a própria autenticidade. Costumam ser tão intensos quanto inspiradores, mesmo quando se tornam líderes.

Sentinelas

Os sentinelas, que também podem ser chamados de guardiões, também são um dos mais relevantes e interessantes tipos de personalidade que podemos encontrar. Como o próprio nome já diz, eles estão em busca de segurança, voltados para a preservação do seu grupo ou empresa.

Isso quer dizer que tendem a ser bastante esforçados e cautelosos, sendo parceiros leais e responsáveis. Como líderes, tendem a ser estáveis e responsáveis, ocupando muito bem cargos de logística, supervisão, defesa ou mesmo como executivos.

Artesãos

Os artesãos, logicamente, são aqueles que dão valor ao abstrato e, via de regra, tem grandes habilidades artísticas, que podem se refletir na música, no teatro, na política, nos esportes ou mesmo em negociações. Eles estão em busca de sensações e costumam ser bastante otimistas e focados no momento presente, sem grandes planejamentos.

São movidos por estímulos e valorizam a liberdade, confiando sempre nos instintos. Ousados e espontâneos, são parceiros animados, criativos e líderes com grande capacidade de resolução e mediação de problemas. Entre os ofícios que mais ocupam, podemos destacar o empreendedorismo, a construção e a promoção.

Esses são alguns dos tipos de personalidade mais comuns que podemos encontrar no dia a dia. Identificar a sua pode ajudar a ter melhores resultados na carreira, bem como a compreender de que maneira você pode melhorar seus atributos e se tornar um profissional mais completo.

Gostou de aprender quais são os tipos de personalidade e como identificar o seu? Quer receber outros posts do mesmo tipo, inteiramente grátis, em primeira mão? Então não deixe de assinar a nossa newsletter!

uniforme feminino olimpíada

O uniforme feminino que perde jogos, mas ganha patrocínios

A Olimpíada é um dos maiores palcos do esporte mundial. Olhos de todo o mundo se viram para a capital escolhida para sediar os jogos a cada quatro anos. Não é surpresa então que assuntos e discussões atuais ganhem grande visibilidade durante esse período. Esse ano, um tema muito discutido foi a sexualização da mulher no esporte. Por muito tempo a discrepância no uniforme feminino e masculino vem chamando atenção não só dos praticantes, mas também dos torcedores. Em algumas modalidades, como handebol, vôlei de praia e ginástica, essa diferença de traje é mais visível, porém esse tópico já vem sendo questionado por diversas atletas no mundo esportivo.

As Olimpíadas de Tokyo foram marcadas por dois casos em que atletas e federações se colocaram contra aos padrões de vestimenta impostos. Um deles foi com o time de Handebol da Noruega, que trocou biquinis por short. As jogadores deram declarações que, além de se sentirem desconfortáveis com os biquínis por restrigirem seus movimentos, também as superssexualizavam. Elas já haviam feito a troca da roupa no mundial antes dos jogos e acabaram recebendo uma multa de 150 euros por jogadora, porém foram apoiadas por sua federação ao adotarem o uniforme alternativo. A escolha do mesmo traje para jogos de Tokyo, no entanto, não foi bem vista e a seleção foi ameaçada de ser eliminada da competição, caso não usasse o mesmo uniforme dos outros times. O mais chocante disso tudo é que o uniforme do handebol masculino são shorts até o joelho e blusas bem largas. Então, o argumento do Comitê Olímpico Internacional, de que o uniforme teria que seguir um padrão, não faz sentido.

O segundo caso, em que os uniformes tomaram as manchetes no Japão, foi com o time de ginástica feminino da Alemanha, que optou por um uniforme bem parecido com o do masculino. Ao invés de usarem collant, como as outras delegações, o time competiu com macacões cobrindo grande parte de seus corpos. Até então, as únicas atletas que tomaram uma atitude assim foi por questões religiosas. E sabe-se que o mundo da ginástica tem sido abalado nos últimos anos por diversos casos de abusos sexuais com meninas. Portanto, a escolha desse novo uniforme pode dar às jovens atletas mais segurança e confiança na hora de praticar o esporte.

Esse debate da sexualização da mulher no esporte começou nas Olimpíadas do Rio 2016 com o vôlei de praia. Nesta edição, percebeu-se que a preocupação maior estava concentrada nos corpos das atletas e não na parte técnica, dando a entender que a aparência era mais importante do que o talento dentro de quadra. No masculino, o uniforme é bem diferente, shorts longos e blusas bem largas, e essa diferença se dá pela questão do patrocínio. As mulheres são obrigadas a usarem biquínis, pois as marcas acreditam que mostrar o corpo das atletas traz audiência e, portanto, mais lucro. 

Quando a questão é religiosa, não há muita discussão porque qualquer adaptação no uniforme é aceita. Porém, quando são as próprias mulheres querendo escolher o que vão usar, parece que elas não têm força suficiente e não podem opinar sobre o próprio corpo. Quando faz frio, as competidoras precisam pedir autorização aos juízes e dirigentes para usarem roupas de manga comprida e, apenas com o aval deles, elas podem fazer essa mudança de vestimenta. Todo esporte precisa de regras, o problema está quando as mesmas só se aplicam às mulheres. E a mídia tem um papel importantíssimo na mudança desse panorama, pois os estereótipos criados fazem com que as mulheres que se encaixam em determinados padrões físicos consigam mais patrocinadores do que outras. 

A atleta está sempre trabalhando e performando no seu limite e, a partir do momento que o foco passa a ser o uniforme e a preocupação sobre seu corpo, isso começa a prejudicar a performance no esporte. Quanto mais à vontade as atletas estiverem, melhor serão seus desempenhos. A luta não é para que todas as mulheres passem a usar shorts, mas sim para que elas possam escolher o uniforme que as deixam mais confortáveis para fazer aquilo que realmente importa: performar em alto nível.

saúde mental no esporte

Saúde Mental no esporte leva o Ouro: caso Simone Biles e a vulnerabilidade do atleta

Café da manhã, treino, academia, almoço, treino da tarde, fisioterapia, jantar, cama e no dia seguinte tudo de novo. A vida de um atleta é intensa, o tempo dedicado ao esporte passam de 8 horas diárias e a rotina fisicamente sacrificante é um pré-requisito para qualquer um que queira competir em alto nível. A tecnologia vem ajudando o esporte a chegar num nível nunca antes visto, inúmeros recordes sendo batidos, atletas na melhor forma física de todos os tempos,  técnicos usando números; dados e estatísticas para planejar o treinamento perfeito e fazer com que atletas cheguem nas competições preparados para tudo. Mas, por que então uma atleta como Simone Biles, que tem a melhor estrutura para treinos no mundo, chega na maior competição como favorita e desiste de competir? Isso nos mostra que, sim, nós precisamos falar sobre saúde mental no esporte e a vulnerabilidade do atleta!

Essa questão da saúde mental é um tema que vem ganhando visibilidade nos últimos anos e, por mais impactante que seja ver uma atleta no naipe da Simone Biles passar por isso, muitos outros atletas já passaram, estão passando ou vão passar por problemas de saúde mental. Michael Phelps afirma ter tentado suicídio logo após as olimpíadas de 2012, a tenista Naomi Osaka também decidiu se colocar em primeiro lugar e ficou fora de dois torneios importantes na última temporada de tênis.

As questões mentais são tão importantes quanto as físicas. A única diferença é que uma lesão, por exemplo, você consegue ver através de um exame de raio-x. Problemas psicológicos são mais difíceis de perceber. Torcedores e, muitas vezes, técnicos não têm a dimensão dos problemas de saúde mental que os atletas estão passando, mas quem sofre sente muito e, na maioria das vezes, sente calado.

Simone Biles carrega o peso que tantos outros atletas têm que lidar: o peso de ser perfeito. A sociedade criou uma imagem de que os esportistas profissionais têm que ser o exemplo de perfeição e, se não cumprirem a expectativa quanto à performance, são vistos como amarelões, pipoqueiros ou fracos. Eles são quase super heróis e devem colocar suas vidas de lado para servir ao esporte e ao torcedor. E é aí que mora o problema porque o atleta é um ser humano que pensa, sente, tem dor e tem medo. Ele não pode ser essa figura perfeita pra tudo, ele tem outras facetas que são tão importantes ou mais.

A derrota dói e algumas vezes dói até mais que uma lesão. Os atletas precisam ser acolhidos, então é preciso aprender a acolher atletas que estão passando por problemas de saúde mental. Talvez Simone Biles tenha passado por isso por anos e ninguém esteve lá para confortá-la. O atleta tem sempre uma mistura de sentimentos, tudo muito à flor da pele. Com a vitória e a derrota sempre tão perto, os atletas têm que lidar com esses dois pólos todos os dias de suas vidas.

Vulnerabilidade tem sido um assunto muito abordado nos dias de hoje, ainda mais quando se fala de liderança. É de extrema importância que uma atleta como Simone Biles, que representa um país como os Estados Unidos, tenha dado visibilidade a esse assunto. É importante que as pessoas entendam que essa realidade enfrentada por ela pode acontecer com qualquer pessoa, vinda de qualquer lugar. Todo mundo sofre pressão, não importa a profissão e o mercado em que você trabalha. A diferença entre um atleta e um profissional, é que o atleta esconde suas fragilidades e suas dores. O esporte nos mostra que, independente da área de atuação, todos tem limites. Portanto, o burnout é uma questão que deve ser considerada e trabalhada no mundo de hoje.

A olimpíada é uma competição única na vida do atleta, mas a vida do atleta está acima de qualquer coisa. A mente tem que ser tratada da mesma forma que o físico, com a mesma importância e cuidado. A saúde mental é parte do esporte, o que ela está fazendo talvez mude a história olímpica. Esses jogos já entraram na história por muitas razões: mudança de data por conta de uma pandemia, atletas trans participando, e Simone Biles mostrando que somos humanos antes de sermos atletas. O que ela fez e a vulnerabilidade que ela teve só comprova mais ainda o fenômeno que ela é, e porquê ela é uma das maiores atletas de todos os tempos.

jogador de vôlei Douglas Souza

Douglas Souza, o jogador de vôlei que virou a Juliette das Olimpíadas

Já imaginou ganhar 1 milhão e meio de seguidores da noite pro dia? Foi isso que aconteceu com o jogador de vôlei Douglas Souza. O atleta que chegou no Japão com 200 mil seguidores e já passa da marca de 2 milhões e seiscentos mil, após um de seus vídeos viralizarem. Ele já é o jogador de vôlei mais seguido no instagram e o sucesso é tanto que a empresa da cantora Preta Gil já fechou com o atleta para gerenciar sua carreira

Indo para sua segunda olimpíada, o jogador de vôlei Douglas Souza vem conquistando várias pessoas com seu jeito simpático e irreverente. Após um de seus vídeos viralizar, ele se tornou o queridinho das celebridades e vem ganhando milhares de seguidores a cada hora. Com apenas 25 anos e indo em busca da sua segunda medalha de ouro olímpica, o atleta tem chamado atenção não somente pelo seu lado humorado, mas também por levantar a bandeira LGBTQIA +. Douglas foi o primeiro jogador de vôlei da seleção brasileira a se assumir gay e falar abertamente sobre o assunto. 

Tokyo 2021 já começou antes mesmo dos primeiros apitos dentro de quadra. Que os jogos vão ser fechados para o público todos já sabem, mas nem por isso os amantes do esporte estão chateados. Atletas de todas as nacionalidades têm enchido suas redes sociais de registros mostrando cada detalhe das instalações e rotina olímpica. Por que então, Douglas Souza teve extremo sucesso em meio a tantos outros atletas postando o mesmo conteúdo?

A fama repentina não é algo incomum nessa era de redes sociais, como foi o caso de Juliette e Gil, ambos participantes do reality show Big Brother Brasil, que alcançaram números impressionantes em seus perfis durante o programa. Mas, o que faz algumas pessoas se destacarem entre tantas outras?

Num mundo onde muito se copia, a autenticidade é algo que vale muito. Se pegarmos todos esses fenômenos da web, o que eles têm em comum é justamente o fato de serem eles mesmos e conseguirem muito bem trabalhar suas identidades e entregar aos seus seguidores uma persona consistente. O jogador de vôlei tem mostrado o dia-a-dia na vila olímpica com muito bom humor e criatividade, Douglas Souza tem dado visibilidade a artistas como Pabllo Vittar e encantado grupos que não teriam costume de assistir aos atletas brasileiros.

A estrada para o ouro ainda é longa, mas se a competição fosse nas redes sociais, essa medalha já era brasileira. A facilidade em arrancar sorrisos das outras pessoas já faz com que o jogador de vôlei Douglas Souza seja sensação das olimpíadas, e agora é só esperar para ver aonde essa estrela vai chegar fora das quadras. Enquanto isso, vamos continuar acompanhando os posts e ficando por dentro dos jogos em Tokyo de uma forma leve e espirituosa.

falta-de-planejamento

Tem problemas com a falta de planejamento de carreira? Saiba como se organizar

Escolher os melhores caminhos é sempre um desafio, que está presente não apenas na nossa vida pessoal, como na profissional também. Você se identifica com essa situação e está tendo problemas com a falta de planejamento de carreira? Então você precisa conferir esse post no qual daremos algumas dicas úteis de como se organizar.

O fato é que, com um pouco de paciência, autoconhecimento e estratégia, é possível reverter esse cenário e utilizar as suas demandas, necessidades e seus pontos fortes em prol dos cargos, posições e salários que você deseja em curto, médio e longo prazos. Continue lendo e veja como fazer isso!

Invista em autoconhecimento

O primeiro passo para organizar o seu planejamento de carreira consiste em ampliar os seus níveis de autoconhecimento. Isso é essencial não apenas para que você entende quais são as posições disponíveis que estão em sintonia com as suas principais competências, mas também o que você mesmo espera e deseja do seu futuro.

Além disso, essa é uma maneira de ganhar mais equilíbrio e inteligência emocional, visto que você passará a saber quem você é de verdade. Você pode fazer isso de forma autônoma, buscando livros e conteúdos que auxiliem nessa jornada ou, se desejar resultados mais expressivos, contar com uma consultoria profissional.

Trace objetivos e metas claras

Agora que você já aumentou os seus níveis de autoconhecimento, o próximo passo consistirá em traçar os objetivos que você deseja alcançar. Dependendo das suas escolhas, você também precisará investir em aprimoramentos, cursos, treinamentos, aquisição de novas habilidades ou até mesmo em uma fase de transição de carreira.

No entanto, independentemente das suas metas, um bom plano traçado tudo será mais fácil e simples. Vale lembrar também que o planejamento bem definido tem o papel de tornar você um colaborador mais produtivo e eficaz, evitando uma série de atitudes negativas, como atrasos, esquecimentos e procrastinação.

Não abra mão da tecnologia

Por fim, para fazer um bom planejamento de carreira, você pode (e deve) fazer da tecnologia uma poderosa aliada. Por meio dos aplicativos corretos, você poderá aumentar a produtividade no dia a dia e ganhar mais organização, o que permitirá até mesmo que você assuma mais compromissos, sem riscos de esquecimento.

Dependendo do app, você poderá anotar os seus objetivos, o que pode ser feito, inclusive, de acordo com as datas e prazos que você estipulou. Opções não faltam no mercado, muitas das quais totalmente gratuitas, como blocos de anotações, agendas inteligentes, softwares de gestão, programas de controle financeiro e assim por diante.

Agora você já sabe como se organizar e resolver o seu problema com a falta de planejamento de carreira. Siga esses passos e trace seu plano, pois essas ações simples ajudarão você a se alavancar profissionalmente e, de quebra, contribuirão para que você alcance não apenas o sucesso profissional, mas também a satisfação pessoal que você sempre sonhou!

Gostou de aprender um pouco mais sobre o planejamento de carreira? Ainda ficou com algum questionamento ou tem uma sugestão? Então não deixe de fazer um comentário aqui no post!