Profissional liberal precisa de CNPJ? Entenda as vantagens do registro

A dúvida se um profissional liberal precisa de CNPJ ou não é muito antiga. Parte desse questionamento está enraizado na falta de entendimento sobre o que de fato é um profissional liberal.

Os profissionais ditos liberais são aqueles que exercem sua atividade de acordo com uma formação técnica, que pode vir por meio de uma graduação ou outro curso. Esses profissionais devem estar registrados no seu respectivo conselho, e a princípio, não há obrigação nenhuma para que o trabalho seja feito mediante CNPJ. É perfeitamente possível trabalhar como Pessoa Física também.

É importante não confundir profissional liberal com profissional autônomo. Os autônomos não precisam de formação e atuam de maneira totalmente independente, sem nenhum vínculo empregatício, o que pode ser diferente no caso dos profissionais liberais.

Nesta postagem, falaremos mais sobre as vantagens do registro do CNPJ e porque muitos optam por essa abordagem para crescer na carreira. Pronto para saber mais? Continue sua leitura!

Algumas das principais vantagens do CNPJ

Uma das principais vantagens em se tornar Pessoa Jurídica são os impostos. Como pessoa física, o abatimento do Imposto de Renda pode chegar até 27,5% do valor total dos recebimentos. Como PJ, esse número pode diminuir pela metade, dependendo da atividade e da sua empresa. Para verificar essas particularidades, é muito importante conversar com um contador.

Em linhas gerais, isso por si só significa um pouco mais de faturamento no final do mês, o que pode impactar positivamente na sua qualidade de vida e o gerenciamento do seu estabelecimento, seja ele uma clínica, consultório ou escritório.

Além do “abatimento” dos tributos que aliviam o lado financeiro, é válido dizer que os profissionais com CNPJ conseguem vários outros benefícios, como maior facilidade para conseguir crédito e financiamentos, conseguem fazer a emissão de nota fiscal e ficam com a alternativa de fornecer vários métodos de pagamentos diferentes. Tudo isso transpira profissionalismo e facilita a vida da sua clientela, que sempre está em busca das melhores alternativas para usufruir dos seus serviços.

Como você pode estruturar sua nova carreira

Se você se convenceu dos benefícios de ser PJ, saiba que fazer a transição de PF para CNPJ não é tarefa fácil. A maioria de nós está pronto para empreender e é natural que no meio do caminho surjam muitas dúvidas e medos sobre qual caminho seguir.

É importante compreender que é perfeitamente possível abrir seu próprio escritório ou estabelecimento. Apesar de ser um grande passo, ele pode ser dado com segurança, equilíbrio e muito planejamento.

Aqui na PD Gestão de Imagem e Carreira nós podemos auxiliar essa transformação da sua atividade profissional, ajudando você a estruturar seus novos objetivos e metas para os novos desafios que estão no horizonte.

O sucesso é uma questão de planejamento e ação na medida certa. Por isso, não deixe de contar com bons profissionais ao seu lado no momento dessa transição. O preparo para liderar uma equipe requer alguns cuidados e é possível encurtar em grande parte dos desafios com ajuda de quem já formou centenas de líderes em todo o Brasil. Bem, esperamos que você tenha finalmente conseguido resolver sua dúvida se o profissional liberal precisa de CNPJ ou não. Precisando de ajuda, conte com a gente!

Gostou do conteúdo? Siga nossas redes sociais! Estamos no: Facebook, Twitter, LinkedIn, YouTube e Instagram.

Entenda melhor a relação entre autoconhecimento e liderança

Ocupar cargos e posições elevadas no mercado de trabalho é um desejo muito comum ao longo da carreira de qualquer pessoa, mas é algo que demanda alguns conhecimentos e determinadas habilidades específicas. Por isso, entender melhor a relação entre autoconhecimento e liderança pode ser muito importante.

Via de regra, um depende do outro, pois não dá parar comandar nada com eficiência sem conhecer os próprios defeitos, expectativas e qualidades. No entanto, por incrível que pereça, muitos bons profissionais pecam nesse quesito. Você acha que pode ser um deles? Então, não deixe de continuar a sua leitura!

O que é autoconhecimento?

O conceito de autoconhecimento reflete o quanto uma pessoa sabe de si mesma. Em suma, isso significa observar seus próprios desejos, anseios, qualidades e, sobretudo, os seus defeitos e limitações. Com isso, é muito mais provável ter capacidade para controlar as emoções, definir objetivos e trilhar uma jornada de sucesso profissional e até mesmo pessoal.

Na realidade, ao se autoconhecer, qualquer um pode criar um ponto de partida para a melhoria de suas características e da forma pela qual elas afetam a percepção que os outros têm. Sendo assim, o bom líder deve ser capaz de refletir sobre suas ações e como elas afetam sua equipe no dia a dia, em busca de lapidação e do aprimoramento constante.

O que significa ter liderança?

Ter liderança significa dirigir pessoas e incentivá-las a cumprirem o que foi determinado. Ou seja, é preciso saber atraí-las, inspirá-las e influenciar comportamentos em prol de um resultado positivo. Logicamente, não é algo simples, pois é preciso lidar com egos, vontades, expectativas, medos, angústias e necessidades pontuais.

Existem formas distintas de liderar, como a liberal, a democrática e a autocrática, sendo esta última aquela na qual há uma maior centralização de poder. Portanto, até para escolher o seu estilo, é essencial apostar no autoconhecimento, pois sua personalidade imprime características que podem ser mais ou menos condizentes com cada opção.

Qual a relação entre autoconhecimento e liderança?

O fato é que a liderança deve ir muito além de comandar um time e o autoconhecimento pode ser muito útil para isso. Ele permite conhecer melhor os próprios pontos fortes e limitações, trazendo a confiança pessoal que é fundamental para quem pretende comandar. Além disso, aprimora a comunicação e permite questionamentos cruciais.

Ao se autoconhecer, você conseguirá trabalhar melhor as potencialidades de cada profissional da equipe, elevando o aprendizado decorrente da relação entre os superiores e os subordinados. Usualmente, quem desenvolve o seu eu interno, observa as próprias reações e aprende com isso, podendo extrapolar isso para o seu time de comandados.

Como você pôde ver, a relação entre autoconhecimento e liderança pode influenciar no dia a dia do trabalho e desenvolver suas habilidades é algo que pode torná-lo um líder muito melhor. Por isso, contar com ajuda profissional de um coach pode ser uma excelente ideia.

Gostou de aprender sobre a relação entre autoconhecimento e liderança? Quer conferir outro post sobre o tema? Então, clique aqui e confira um conteúdo exclusivo no qual falamos sobre a liderança 4.0!

Instagram para negócios: 4 ferramentas para profissionais liberais

Todo mundo sabe que as redes sociais já são parte integrante da vida de grande parte da população, influenciando não apenas o seu comportamento, mas também a forma como consomem produtos e serviços. Pensando nisso, resolvemos preparar um post abordando o Instagram para negócios e algumas de suas ferramentas para profissionais liberais.

Por meio do uso estratégico e programado de tais recursos, é possível angariar mais clientes, atingir um novo público ou até mesmo ganhar mais credibilidade dentro do seu segmento de mercado, gerenciando sua imagem profissional sem gastar nada por isso. Continue lendo o conteúdo e descubra como!

1. Reels

Os Reels podem ser considerados como o recurso do momento no Instagram, visto que a própria plataforma já avisou que impulsionará com mais afinco esse tipo de conteúdo. Ele funciona de forma similar à outra rede social que vem fazendo bastante sucesso atualmente: o Tik Tok.

São vídeos bem curtos, cuja gravação não ultrapassa os 30 segundos. Eles podem ser feitos de forma direta ou com múltiplos cortes, se valendo de efeitos como a realidade aumentada ou áudios externos, como músicas de fundo e dublagens.

2. Vídeos Longos

Relativamente parecido com o Reels, mas a grande diferença está na duração dos vídeos, que pode ser muito maior aqui. A ideia da ferramenta é ser uma espécie de concorrente para o YouTube, com conteúdos mais densos e aprofundados.

Para profissionais liberais que querem usar o Instagram para negócios,  esse formato de vídeos mais longos se configura em uma possibilidade de gerar materiais relevantes e que possam reforçar seu branding pessoal. Também é possível utilizar para “salvar” Lives antigas, para quem não conseguiu assistir ao vivo.

3. Lives

Falando em Lives, precisamos incluí-las na lista de opções para profissionais liberais que querem usar o Instagram para negócios. Elas ganharam muita popularidade com as demandas de distanciamento social, sendo uma alternativa de entretenimento e informação.

Outra possibilidade é o de usá-las para entrevistas ou aulas, além de bate papos com outros usuários da rede. É uma maneira de estabelecer um novo canal de comunicação direta com seu público, promovendo a aproximação de forma natural e orgânica.

4. Fixar comentários

Por fim, não poderíamos deixar de falar da possibilidade de fixar comentários para profissionais liberais que querem usar o Instagram para negócios. É um recurso muito simples e que pode passar desapercebido para alguns usuários, mas que pode ser de grande valia como uma discreta estratégia de marketing natural.

Quando você faz isso na sua postagem, o que foi comentado fica em destaque em seu respectivo post. Com isso, você pode direcionar os “holofotes” para feedbacks positivos, dúvidas interessantes ou qualquer outro conteúdo que deseje que seja visto primeiro.

Como você pôde ver, não faltam estratégias para profissionais liberais que querem usar o Instagram para negócios. Citamos algumas das principais, mas ainda existe o Boomerang, GIFs, filtros e muito mais!

Gostou de apender mais sobre o Instagram para negócios? Quer conferir outro post interessante para profissionais liberais? Então continue conosco e descubra como investir em marketing de conteúdo!

O que é gestão participativa e quais os benefícios para sua liderança?

Você já parou para pensar em quantos benefícios pode colher ao apostar em uma gestão participativa?

Ela é capaz de engajar e motivar os colaboradores de uma forma muito mais rápida e prática, pois demonstra que a liderança confia no potencial de sua equipe.

Mas, quando isso não acontece, dificilmente as pessoas que fazem parte da organização atuarão com o sentimento de dono do negócio.

Nesse cenário, o modelo de gestão participativa é ideal para que a empresa possa alcançar os resultados almejados.

Ficou curioso e quer saber mais sobre gestão participativa? Então, continue a leitura!

O que é gestão participativa?

A gestão participativa nada mais é do que a oportunidade dos funcionários de uma empresa terem a oportunidade de colaborar com ideias e soluções, contribuindo de forma efetiva para a tomada de decisão.

Com isso, a liderança consegue um maior engajamento da equipe, o que é fundamental para a competitividade da empresa no mercado.

Como a gestão participativa funciona na prática?

De forma prática, o gestor da área pede a seus subordinados opiniões para encontrar soluções que sejam capazes de corrigir questões relacionadas ao negócio.

Com isso, os colaboradores passam a se sentir mais valorizados, entregando mais resultados do que se estivessem em uma hierarquia verticalizada de tomada de decisão.

Quais os benefícios da gestão participativa?

A gestão participativa já é uma estratégia utilizada em muitas empresas, justamente porque é capaz de trazer muitos benefícios para a organização. Confira a seguir!

1. Aumento do comprometimento dos colaboradores

Toda empresa que almeja melhores resultado se preocupa em despertar o melhor das pessoas, não é mesmo?

Com a gestão participativa, a empresa é capaz de incentivar o comprometimento por parte do profissional, que passa a entregar com mais qualidade e também pontualidade o seu trabalho, além de contribuir com novas ideias.

Isso acontece porque, ao participar da tomada de decisão, os colaboradores se sentem parte integral da empresa, sentindo-se motivados a sempre contribuir com as melhores ideias e soluções.

2. Crescimento da companhia

Quando as pessoas são solicitadas a conceder a opinião delas a respeito dos desafios da empresa, elas sentem que o crescimento da organização também é responsabilidade delas.

Assim, trabalham com mais motivação e entusiasmo para que as mudanças necessárias sejam feitas de forma rápida e aproveitando os recursos da melhor maneira possível. Logo, a gestão participativa também tem o poder de melhorar o clima organizacional, gerando resultados positivos para todos os envolvidos no negócio.

3. Melhora da comunicação entre as áreas

Diferentemente do que acontece na gestão centralizada, em um modelo de gestão participativa a troca de informações entre as áreas é constante. Isso acontece porque as ideias precisam ser bem alinhadas, tendo como foco a melhor solução para as questões do negócio.

Nesse cenário, a gestão participativa não somente torna possível, mas também requer que a comunicação aconteça de forma integrada entre as áreas. Portanto, para que o modelo de gestão participativa tenha sucesso, é preciso que aja uma maior integração entre as áreas da empresa.

Como vimos, a gestão participativa traz diversas vantagens para a empresa, a exemplo de um maior comprometimento dos colaboradores, melhora da comunicação entre as áreas e outras vantagens que colaboram para o crescimento do negócio.

Se você gostou deste artigo sobre gestão participativa, assine a nossa newsletter para ter acesso a mais conteúdos como este!

Qual a diferença entre valores pessoais e profissionais? Descubra!

Os valores pessoais e profissionais são muito importantes para nosso desenvolvimento. Durante a vida, temos que moldar e adaptar nossos comportamentos de acordo nossos objetivos, visão de mundo e crenças pessoais. Sem essa capacidade de perceber essas nuances, nossas vidas seriam repetitivas, sem nenhum avanço e com pouca margem para melhorias.

Por conta disso, é muito importante tirar um tempo para avaliar quais são suas diretrizes pessoais e profissionais. Como elas interagem entre si e o que você pode fazer para conseguir alcançar vôos maiores na sua carreira e na sua vida pessoal. Essa não é uma tarefa muito fácil. Na verdade, a maior parte das pessoas sequer param para analisar esses aspectos importantes da nossa construção como pessoa e é aqui que pode surgir um grande diferencial de crescimento pra você.

Nesta postagem, o objetivo é fazer com que você compreenda a importância dessas duas áreas de maneira clara, tendo a capacidade de fazer uma introspecção e mudar aquilo que realmente pode transformar seus resultados. Ficou interessado no assunto? Continue sua leitura até o final!

O que são valores pessoais?

Os valores pessoais são aqueles que norteiam a maior parte dos seus comportamentos no dia a dia. Eles só podem ser “encontrados” após muita reflexão. Na maior parte do tempo, nós aprendemos esses comportamentos por observação, educação e criação.

Para identificar quais são esses valores, pense em como você trata as pessoas, o que você acha correto, o que é ético e moral, enfim, tudo o que nós fazemos, de alguma forma, tem uma solidificação no acúmulo de valores que vamos adquirindo ao longo da vida.

Não raro, esses valores podem mudar. E é importante que eles mudem. Conforme a vida vai se tornando mais complexa (ou mais responsável), é importante saber definir e categorizar cada uma dessas etapas com cuidado.

O que são valores profissionais?

Os valores profissionais são semelhantes aos pessoais, a única diferença é que eles estão diretamente relacionados com sua atividade econômica. A maneira de atender, de gerar resultados, de lidar com problemas no trabalho são alguns dos exemplos de onde você pode encontrar as diretrizes dessa parte de sua vida.

Note que, em dado momento, tanto os valores pessoais quanto profissionais se misturam. É como se ambos conversassem entre si e gerassem a personalidade que você tem dentro e fora da sua vida profissional.

Como os profissionais se diferenciam no mercado?

A diferenciação entre cada profissional é fácil de ser vista. Muitas vezes notamos um líder só de ele entrar na sala. Não raro, essa pessoa costuma ser extrovertida, confiante e sempre proativa com os problemas que aparecem e com as metas mais otimistas.

Ao se deparar com essas características, a maioria tende a simplesmente aceitar e perceber que somente esse líder é desse jeito e que elas não tem as mesmas capacidades que esse indivíduo. Essa é uma grande mentira.

Todos nós conseguimos nos adaptar e crescer para se diferenciar profissionalmente. Essa melhora vem do esforço contínuo do refinamento da criatividade, das relações interpessoais e da busca constante pela melhora como pessoa.

É muito importante saber alinhar seus valores pessoais e profissionais para conseguir ascender na carreira. É esse alinhamento que transforma sua visão de mudo e consequentemente seus resultados no curto, médio e longo prazo. Por isso, não deixe de fazer uma introspecção sobre seus comportamentos e sempre que possível, tente refinar e mudar aquilo que realmente te incomoda ou não te serve. Nossos valores devem refletir nossos objetivos e sentimentos, sem deixar que o próximo se sinta prejudicado ou em uma posição de desfavorecimento. O objetivo deve estar na mudança contínua tanto da sua vida, quanto daqueles que te cercam.

Gostou da postagem? Curta nossa página no Facebook e não perca mais nenhum conteúdo como este!

Saiba como conquistar e manter clientes sendo profissional liberal

A alta competitividade do mercado torna o sucesso muito mais difícil de ser atingido nos mais variados segmentos de atuação e isso é ainda mais complexo quando você trabalha sozinho, sem uma grande empresa ou corporação por trás da sua carreira. Sendo assim, é muito importante saber como conquistar e manter clientes sendo profissional liberal.

Felizmente, existem muitas maneiras estratégicas de conseguir isso, aprimorando o relacionamento com o seu público-alvo e fazendo com que seus marca pessoal sejam facilmente percebidos, gerando credibilidade, autoridade e confiança. Continue sua leitura e descubra como fazer isso!

Ofereça uma boa experiência

O primeiro passo para conquistar e manter clientes sendo profissional liberal consiste em oferecer uma boa experiência para eles. Trata-se de um ponto que vem sendo muito debatido nos últimos tempos, pois as pessoas estão muito mais ativas e exigentes em seus processos de consumo, não aceitando serviços medianos como ocorria há algum tempo.

Agora, é fundamental que, desde os primeiros contatos, sejam eles presencialmente, por e-mail, telefone ou redes sociais, você aposte na excelente, promovendo um tratamento diferenciado. Deixe de lado discursos prontos e uma comunicação padrão, mirando em diferenciais como competência, exclusividade e empatia.

Tenha um negócio organizado

Não dá para conquistar e manter clientes sendo profissional liberal sem ter um negócio organizado, não é mesmo? Afinal, pouco adianta você tentar ser diferenciado no seu atendimento se o serviço que você oferece não é de alta qualidade. Por isso, é preciso ter bastante senso crítico, bom conhecimento técnico e muito planejamento.

Para isso, você precisa conhecer a fundo o seu público, compreendendo comportamentos, expectativas e necessidades. Também é crucial estar preparado para ceder em determinados pontos, demonstrando verdadeiro interesse em ajudar. Não se esqueça do pós-venda, pois continuar o relacionamento e pedir feedbacks depois do fim da negociação é fundamental.

Passe uma imagem profissional

Por fim, você não pode conquistar e manter clientes sem passar uma imagem altamente profissional, especialmente se você atua sozinho. Dessa maneira, você é sua própria empresa e o seu nome deve ser sinônimo de credibilidade. Nesse contexto, uma consultoria especializada por ser exatamente o que você precisa e não sabe!

É uma ajuda que poderá contribuir para que você faça uma excelente autoanálise, reconhecendo habilidades e pontos de melhoria. Além disso, pode auxiliar nas mudanças necessárias, encurtando o seu caminho para o sucesso. investir em si mesmo é uma opção certeira, que potencializará seus resultados em curto, médio e longo prazos. 

Agora você já sabe como conquistar e manter clientes sendo profissional liberal. Não se esqueça de tomar alguns cuidados para não passar uma imagem errada, sempre prestando atenção no modo em que se comunica, sendo forma na maneira como se veste e tendo muita parcimônia nas postagens em suas redes sociais!

Gostou de aprender conquistar e manter clientes sendo profissional liberal? Quer aumentar os seus conhecimentos sobre assuntos similares? Então, que tal conferir também o nosso outro post aqui no blog que fala sobre como conquistar seus consumidores no momento certo conhecendo a jornada do cliente?

Saiba quais as 3 profissões em alta no futuro e como escolher

O mercado de trabalho, assim como os mais diversos segmentos da sociedade, está em constante evolução, oferecendo melhores oportunidades para quem contar com as habilidades mais procuradas em cada época. Pensando nisso, resolvemos preparar um conteúdo mostrando quais são as 3 profissões em alta no futuro e como escolher.

Naturalmente, boa parte dos cargos e posições em evidência nos próximos anos parecem estar relacionados com temas de tecnologia e sustentabilidade, tendo em vista que são aspectos cada vez mais presentes e que vêm fazendo com que muita gente pense até em mudar de carreira. Continue sua leitura e surpreenda-se!

1. Profissionais de Big Data

O termo Big Data está relacionado com o imenso volume de dados que são produzidos na internet todos os dias. Isso, na realidade, é um incrível ativo quando bem explorado, o que vem fazendo com que empresas de diversos segmentos, especialmente de tecnologia, busquem maneiras de minerar melhor suas fontes e transformar isso em lucratividade.

Nesse contexto, contar com profissionais de Big Data será imprescindível. Eles serão capazes de selecionar informações para serem trabalhadas, analisadas e transformadas em materiais estratégicos, tanto de sistemas internos quanto externos. Com isso, pode oferecer feedbacks valiosos, criar insights profundos, entender tendências do consumidor e muito mais.

2. Facilitador de TI

Ainda ficando na seara da tecnologia e da sua presença cada vez maior em nossa sociedade, vale ressaltar que outra das profissões em alta no futuro é a do facilitador de TI. A sua função principal é a de explorar as novas tendências digitais, usando as informações obtidas para construir plataformas que concedam mais autonomia para os usuários.

Para atuar nesse ofício, será preciso ter algumas habilidades e pontos fortes, além de ser desejável algum tipo de formação técnica relacionada à área de Tecnologia da Informação. Outro aspecto que pode ajudar a ter sucesso na área é contar com competências de liderança, pois empresas e marcas de maior porte, provavelmente, terão uma equipe para o serviço.

3. Gestor de Resíduos

Na mesma medida que a presença da tecnologia avança em nossa sociedade, a preocupação com os impactos ao meio ambiente vem crescendo, gerando todo um novo mercado para profissionais ligados à sustentabilidade. De uma maneira resumida, é exatamente isso que faz o gestor de resíduos, uma vez que ele contribui com a proteção da natureza. 

Como boa parte das populações está aumentando em número de habitantes, inclusive no Brasil, isso gera uma tremenda demanda para o tratamento de lixo, o que faz disparar a procura por especialista em lidar com restos e escórias, especialmente sólidas. Por ser uma área multidisciplinar, engloba engenheiros, químicos, tecnólogos e assim por diante.

Como você pôde ver, as profissões em alta no futuro podem oferecer boas oportunidades e devem garantir excelentes remunerações. Por isso, se você estiver insatisfeito, é a hora certa para pensar em mudar de carreira e começar a se planejar.

Gostou de conhecer as profissões em alta no futuro? Então, que tal conferir nosso post que fala sobre a alta performance profissional?

Qual seu DNA pessoal? Veja como ele influencia no processo de gestão de carreira

Apostar no autoconhecimento e no descobrimento dos seus pontos fortes e fracos é algo imprescindível para qualquer profissional, visto que essas características podem direcionar as principais decisões que precisamos tomar. No entanto, você sabe qual o seu DNA pessoal e como ele influencia no processo de gestão de carreira?

Esse é um aspecto muito importante, mas cujo conceito ainda não é muito conhecido por aqui, o que pode ser um problema, tendo em vista que, todos os dias, temos que lidar com diversas situações e pessoas, o que pode ser facilitado quando você domina suas principais qualidades. Continue lendo o post e veja como fazer isso!

Afinal, o que é o DNA pessoal?

Podemos identificar o DNA pessoal como um conjunto de características que tornam você um ser único. Na medicina, isso está relacionado com os genes que herdamos dos nossos pais e com a maneira pela qual eles se manifestam. Na vida profissional, isso se trata da sua essência, a sua base de conhecimentos e suas preferências pessoais.

Por que identificar o seu DNA pessoal?

Identificar o DNA pessoal é muito importante no processo de gestão de carreira. Com esse conhecimento, você ganha uma singularidade profissional, ou seja, você passa a ser diferenciar dos outros e agrega valor para os seus serviços. Além de tudo, estar em sintonia com as próprias características garante, certamente, mais motivação e desempenho.

Pense, por exemplo, em uma situação na qual você está participando de um processo seletivo. Muitas pessoas cogitam encarnar um personagem, mas o fato é que recrutadores identificam isso com facilidade. No entanto, usando as habilidades que você já tem por conta do seu DNA pessoal, você tende a causar um impacto positivo, aumentando suas chances de sucesso.

Como identificar o seu DNA pessoal?

Identificar o seu DNA pessoal pode ajudá-lo a se tornar um profissional requintado e diferenciado. Quando você conhece suas próprias ferramentas, forças e competências, você se torna ainda mais único, o que facilita o encontro de boas oportunidades ou, se for do seu desejo, até mesmo de uma transição de carreira.

Em um mercado cada vez mais competitivo, você precisa deixar a sua marca pessoal. Não há uma fórmula mágica, mas é fato que você deve investir no autoconhecimento e analisar quais são os atributos que sempre te colocaram em uma posição de destaque. Avalie também suas preferências e as áreas com as quais você sempre teve mais facilidade.

Depois de conferir esse conteúdo, você já sabe qual o caminho para compreender o seu DNA pessoal e também aprendeu como ele influencia no processo de gestão de carreira. Fazer isso sozinho pode ser algo desafiador e, por isso mesmo, você não pode deixar de cogitar contar com ajuda profissional, buscando uma consultoria especializada no assunto!

Gostou de aprender um pouco mais sobre qual é seu DNA pessoal e de que maneira ele pode influenciar no processo de gestão da sua carreira? Quer dividir esse conhecimento com amigos e conhecidos? Então, que tal compartilhar o post em suas redes sociais?

Será que está na hora de buscar novas oportunidades profissionais?

A maior parte das pessoas encontra, em algum momento de suas vidas, uma profunda insatisfação profissional. Ela pode ocorrer por vários fatores diferentes, como má remuneração, volume de trabalho excessivo, poucos benefícios ou até mesmo falta de reconhecimento. Todos esses pontos são sinais de alerta para a busca de novas oportunidades.

Além de cada um desses fatores mais “clássicos”, existem outros sinais silenciosos que podem causar insatisfação e também provocar alguns questionamentos sobre a carreira e qualidade de vida. Todos esses pontos são de profunda importância e merecem sua atenção, especialmente se o seu foco for a busca do sentido e da realização pessoal.

Nesta postagem falaremos mais sobre eles e ajudaremos você a determinar se chegou o momento ou não de buscar outra oportunidade no mercado de trabalho. Ficou interessado? Continue a sua leitura até o final!

Medo ou desconforto ao ir trabalhar

Muitas pessoas não gostam do seu trabalho. Elas se sentem desvalorizadas e, quase que como uma regra invisível, somente aceitam e repetem as suas tarefas com profunda insatisfação, não importando o dia de amanhã.

Do ponto de vista financeiro, essa atitude faz total sentido. Mas, do ponto de vista pessoal, essa letargia pode provocar grandes problemas no futuro. A falta de satisfação é um desses problemas “invisíveis” que resultam em questões mais sérias, como o surgimento de condições psicológicas como depressão ou síndrome de burnout. Outros problemas de saúde também podem aparecer por conta desse mal-estar constante.

Se você se enquadra nesse perfil, talvez seja hora de se reencontrar profissionalmente. A busca por uma nova qualificação e novos desafios pode ajudar a reacender a alegria e o senso de realização. Por isso, não negligencie esses sinais.

Procrastinação constante

A procrastinação é natural. Todos nós em algum momento do dia postergamos alguma coisa. O problema é quando esse problema se torna crônico, atuando quase como uma força invisível que impede seu avanço profissional.

Nessas ocasiões mais extremas vale a pena fazer uma autorreflexão para entender melhor o que está acontecendo. Será que você gosta do que faz? Suas tarefas realmente te motivam ou você gostaria de fazer alguma coisa radicalmente diferente?

Essas e outras perguntas podem dar uma ideia de direção para sua carreira. Ao identificar problemas mais sérios, como completo desgosto pela sua atuação, talvez seja hora de cogitar novas oportunidades no seu ramo ou, até mesmo, em outra área que esteja mais alinhada com os seus objetivos pessoais.

Falta de aprendizado e estagnação profissional

A falta de aprendizado e a estagnação profissional são outros dois fatores que acendem um sinal de alerta para aqueles que buscam desafios constantes e mais reconhecimento na carreira. Quando notamos que não podemos aprender mais nada no nosso ambiente de trabalho, rapidamente nos conformamos com aquilo que está diante de nós.

Essa situação por si só leva à estagnação profissional que, por sua vez, pode causar uma imensa sensação de insatisfação. Imaginar que aquele é o máximo que você pode ganhar ou que aquele é o seu limite como pessoa pode gerar uma série de questionamentos e afirmações negativas sobre o seu valor próprio.

Por isso, ao identificar esses problemas (e os outros que mencionamos acima), comece a cogitar uma transição de carreira ou até mesmo a busca por novas oportunidades no mercado de trabalho. Essas mudanças trarão os desafios e a motivação que você precisa para continuar se aperfeiçoando e melhorando os seus resultados como profissional e os seus objetivos pessoais.

Gostou do post? Leia o nosso artigo com 8 erros que você não deve cometer e avance na sua carreira em tempo recorde!

Relação interpessoal e intrapessoal: como se conectam no ambiente de trabalho?

Da mesma maneira que uma corporação precisa trabalhar pensando nas relações com os clientes para ter melhores resultados, a relação existente com a equipe interna e até consigo mesmo — já que o autoconhecimento e gerenciamento dos sentimentos influencia na atuação profissional — é fundamental. Quanto a isso, é o que chamamos de relação interpessoal e intrapessoal.

Entender os conceitos acima e a sua importância na corporação é indispensável para que o relacionamento em questão passe a ser trabalho de forma mais adequada, com base na sua relevância. Afinal, especialmente no ambiente corporativo, o que não faltam são interferências internas e externas que podem gerar estresse e desentendimentos que se não forem controlados, podem interferir no desempenho do trabalho.

Diante da importância mencionada, é preciso saber mais sobre a relação interpessoal e intrapessoal para posteriormente otimizar esse relacionamento. Continue a leitura e saiba como fazer isso!

O que é relação interpessoal?

Relação interpessoal diz respeito às interações realizadas com outras pessoas, que podem ser amigos e familiares ou colaboradores, no caso do ambiente corporativo. Cada tipo de relacionamento com outra pessoa exige um comportamento diferente, especialmente no trabalho, já que é preciso variar de acordo com a personalidade e nível hierárquico de cada um, por exemplo. 

Afinal de contas, todo relacionamento precisa levar em consideração o ambiente, o eu e o outro. Assim, é natural que no ambiente de trabalho essa relação exige mais cuidados e atenção para que a qualidade do serviço não seja comprometida devido ao desalinhamento entre os três fatores listados.

O que é relação intrapessoal?

Trata-se do relacionamento estabelecido consigo mesmo, seus desejos e sentimentos, por isso também é conhecida como inteligência intrapessoal. Muitas vezes, a maior dificuldade não é lidar com o outro, mas com o eu. Isso porque, é preciso ser capaz de gerenciar adequadamente as próprias expectativas, cobranças, angústias etc., 24 horas por dia e todos os dias da semana.

Consegue entender porque é tão significativo pensar em uma relação intrapessoal saudável? Para isso, o autoconhecimento é a premissa principal, já que a partir disso, é possível saber seus limites, entender seus pontos fortes e fracos, o que deve ser melhorado e muito mais. Ou seja, se conhecer promove um maior domínio próprio, o que é importante para lidar com as diversas adversidades do dia a dia, principalmente no trabalho.

Quais as diferenças entre relação interpessoal e intrapessoal?

Como foi possível notar, apesar dos dois conceitos serem fundamentais e precisarem ser otimizados de forma conjunta, existem diferenças entre elas que devem ser conhecidas. Quer dizer, a relação interpessoal diz respeito à maneira como nos comunicamos com o outro em qualquer contexto e a segunda com nós mesmos.

O aprimoramento da relação intrapessoal passa necessariamente pelo conhecimento dos nossos pontos fortes e fracos, para que seja possível traçar estratégias mais acertadas nas diferentes situações que podem surgir no dia a dia. 

Enquanto isso, a relação interpessoal depende da forma como interagimos com outra pessoa, mas também recebe influência do nosso próprio desenvolvimento pessoal, o que torna o sucesso desses relacionamentos dependentes um do outro. Afinal, autoestima, autocontrole e entendimento ajudam a ter um olhar mais empático e gentil para o outro, por exemplo.

Como melhorar a relação interpessoal do líder com a equipe?

Quanto se fala em relacionamento com a equipe de trabalho, o líder tem um papel ainda mais importante, já que precisa ser exemplar e guiar os demais membros para terem melhores atitudes. Assim, existem dicas que podem ajudar nesse processo.

Evite julgamentos

Como citado, o ambiente corporativo torna necessária a convivência de pessoas com diferentes personalidades em prol de um objetivo comum: a qualidade do trabalho. Sendo assim, é muito mais adequado e recomendado respeitar as diferenças de personalidade de cada um do que realizar julgamentos desnecessários e que podem tornar a convivência entre os membros desagradável.

Assim, em vez de julgar e fazer suposições, procure entender como as pessoas pensam para agir ou pensar de determinada maneira e se quiser argumentar com relação a algum assunto, o entendimento da personalidade de cada um vai ajudar nesse sentido. Isso é possível por meio de uma aproximação genuína e da tentativa de conexão com a equipe.

Encoraje o aprendizado e em manter a calma

Para que você ajude na construção de uma equipe segura e que tenha uma relação saudável com os demais membros, encorajar o aprendizado e a manter a calma é fundamental. Isso não vai ser possível se o líder tentar impor medo caso alguém erre. Dessa forma, a probabilidade é que os colaboradores se acomodam e tenham medo de se desafiar.

No mercado atual, que lida com um alto nível de concorrência, contar com uma equipe empresarial ousada e inovadora, mesmo que continue atuando na prevenção de falhas, é fundamental para que ele tenha um bom desempenho. Então, é preciso que no seu relacionamento com a equipe esses pontos sejam trabalhados.

Veja o potencial de cada um

É natural que os colaboradores de uma corporação esperam um feedback positivo dos líderes, que devem observar o desempenho de cada um e fazer uma avaliação posterior para motivá-los a continuar no caminho certo ou a buscar caminhos de evolução. 

Por esse motivo, é importante deixar claro para a equipe que você enxerga potencial em cada um, mesmo que eles não enxerguem, e estimulá-los a melhorar. Ações como essas criam um ambiente corporativo mais saudável e direcionado ao caminho de resultados planejados.

Construa diálogos verdadeiros e empáticos

Todo líder precisa saber se comunicar adequadamente, e isso quer dizer muito mais do que ser claro nas informações transmitidas. Quer dizer também ser coerente, empático e verdadeira com o que diz para que os ouvintes sintam verdade e se conectem com mais facilidade ao líder.

Conseguiu perceber como é importante desenvolver a relação interpessoal e intrapessoal? Caso contrário, negligenciar esses aspectos pode impactar negativamente no ambiente corporativo e quanto mais o tempo passa, mais difícil se torna reverter a situação e promover um relacionamento mais saudável.

E então, o que achou do assunto? Compartilhe conosco um comentário com suas dúvidas e opiniões sobre o assunto. Vai ser um prazer debater a pauta!