importancia-do-branding-na-gestao-de-carreira-dos-profissionais-de-saude-e-direito

Entenda qual é a importância do branding na gestão de carreira dos profissionais de saúde e direito!

Aprender a fazer uma boa divulgação das suas qualidades profissionais é essencial para a sobrevivência em qualquer segmento do mercado, especialmente em tempos tão competitivos como os dias de hoje. Sendo assim, você não pode deixar de entender qual é a importância do branding na gestão de carreira dos profissionais de saúde e direito!

Essas são áreas reconhecidamente complexas e que demandam um grande conhecimento técnico, mas ele não será suficiente se você não souber gerar valor para a sua imagem perante o seu público-alvo, trabalhando a sua marca pessoal. Confira o conteúdo que preparamos a seguir e descubra como fazer isso.

O que é branding pessoal?

Podemos definir o branding pessoal como a maneira como você gerencia a sua imagem, sobretudo do ponto de vista profissional. Ou seja, é como você age e se posiciona para direcionar o público a compreender quem você é, o que você deseja passar e o que você tem, efetivamente, para oferecer.

Em outras palavras, é um gerenciamento estratégico de como você deseja estar na memória das pessoas, trabalhando para projetar para sua audiência, administrando e conduzindo essa percepção, investindo em opções para conquistar mais de engajamento e na criação de uma reputação positiva.

Antigamente, essa era uma preocupação quase que exclusiva de empresas e grandes marcas. Mas, com o aumento da concorrência em praticamente todos os segmentos do mercado, profissionais foram encorajados a fazer isso por si mesmos, realçando seus pontos fortes e manejando a formal pela qual são vistos pelo mundo!

Qual a diferença entre branding pessoal e marketing pessoal?

Por mais que esses conceitos guardem uma similaridade importante, é inegável que o branding pessoal tem muitas diferenças em relação ao marketing pessoal. No marketing, o intuito é atingir o público-alvo, satisfazer suas necessidades e apostar em ações efetivas para se comunicar com o mercado de uma maneira mais ampla.

Já o branding também tem um papel de divulgação, mas é mais específico quanto à forma com que as pessoas reagem a uma marca ou a um indivíduo, tendo inclusive uma resposta emocional. Nele, é preciso direcionar as percepções, sempre em sintonia com seus objetivos e suas próprias características.

A relação do branding com o profissional do futuro

Não é difícil perceber que o branding pessoal será muito importante para o profissional do futuro, até mesmo em função da alta concorrência em praticamente todos os segmentos do mercado. Essa concorrência torna mais complexa a atração de clientes e a criação de valor para que uma pessoa se torne referência em seu ramo de atuação.

Ter uma forte presença digital, sobretudo nas mídias sociais, faz parte do branding e de trabalhar bem sua marca pessoal, pois o bom uso da internet aumenta a exposição de qualquer pessoa e pode, estrategicamente, ajudar a ajustar e manejar a forma pela qual o público compreende, observa e interage com a sua imagem.

Como você pôde ver, o branding pessoal pode ser uma excelente ferramenta estratégica, para que você conquiste uma vida profissional de sucesso!

Gostou de aprender mais sobre a importância do branding pessoal? Então confira também nosso guia completo sobre o autoconhecimento na gestão de carreiras!

confira-4-habilidades-do-futuro-que-vao-fazer-a-diferenca-no-mercado.jpeg

Confira 4 habilidades do futuro que vão fazer a diferença no mercado

Não é novidade para ninguém que as mulheres estão, cada vez mais, ocupando o seu espaço na sociedade e atingindo posições que estejam em consonância com a sua qualificação. Se você também deseja evoluir em sua carreira, é fundamental conhecer as habilidades do futuro que farão a diferença no mercado.

O fato é que, ainda que o preconceito esteja diminuindo em todo o planeta e boa parte das empresas já percebeu que um toque feminino pode trazer excelentes resultados, é essencial descobrir e se apropriar de diferenciais que são positivos ao mundo profissional.

Neste post, confira 4 dessas habilidades.

1. Flexibilidade cognitiva

Definitivamente, a flexibilidade cognitiva é uma das habilidades que fará a diferença no mercado. Esse conceito diz respeito à capacidade de expandir as formas de pensar, criando novas maneiras e descobrindo caminhos diferentes para solucionar os problemas que surgem no cotidiano.

É uma aptidão imprescindível, por exemplo, para líderes e gestores, que são responsáveis pelas tomadas de decisão. Quanto mais flexível é uma pessoa, mais capacidade ela terá de perceber novos padrões e criar associações singulares entre as ideias que, porventura, venham a surgir na empresa ou segmento.

2. Inteligência emocional

A inteligência emocional já é uma habilidade muito solicitada atualmente e promete, com o passar do tempo, se tornar cada vez mais imprescindível no mercado de trabalho. Trata-se de saber reconhecer, avaliar e ponderar não apenas sobre as próprias emoções, como também com as de outras pessoas.

Isso envolve o estabelecimento de empatia e, logicamente, a produção de resultados positivos dentro do âmbito profissional. Essa é uma aptidão social extremamente importante, sobretudo em tempos altamente tecnológicos, nos quais o distanciamento se tornou uma marca forte.

3. Criatividade

O profissional também precisará ser, cada vez mais, um ser criativo, que consegue conectar as informações que surgem de uma forma inovadora, mas fazendo com que isso gere resultados positivos. As novas tecnologias e produtos também contribuem, pois demandam caminhos diferentes.

Vale perceber que, mesmo com todas as evoluções que estamos vivendo, as máquinas ainda não têm a capacidade criativa do ser humano, o que faz com que esse seja um dos pontos fortes para quem deseja ocupar os melhores cargos nas organizações do futuro.

4. Pensamento crítico

Por fim, pouco adianta reunir todas as qualidades mencionadas se a pessoa não possuir pensamento crítico. Essa é uma habilidade que reúne raciocínio, lógica e uma visão ampla do mercado, o que a torna, logicamente, muito difícil de ser conseguida.

O profissional do futuro deverá ser capaz de utilizar coerência e estratégia para questionar determinados problemas, identificar boas oportunidades, avaliar as diferentes soluções para um obstáculo e saber incorporar as novidades que a tecnologia proporciona.

Pronto! Aqui você pôde conhecer mais sobre as habilidades do futuro, logo, se deseja se diferenciar no seu segmento, contar com a visão de um profissional focado no desenvolvimento de carreira e gestão de imagem pode auxiliar no descobrimento e na apropriação das aptidões que você precisa!

Então, quer se dedicar desde já para não ficar para trás? Entre em contato conosco, queremos muito ajudar!

afinal-o-que-sao-soft-skills-e-por-que-sao-tao-importantes.jpeg

Afinal, o que são soft skills e por que são tão importantes?

Para conquistar o emprego dos seus sonhos ou ter uma boa estabilidade na carreira, independentemente da sua área de atuação, é preciso oferecer diferenciais e desenvolver habilidades, tanto do ponto de vista técnico quanto do profissional. Por isso, é essencial saber o que são as soft skills e por que elas são tão valorizadas.

Poucas pessoas estão familiarizadas adequadamente com esse conceito, mas o fato é que ele vem ganhando bastante espaço no mercado e sendo cobrado por muitos contratantes e profissionais de recursos humanos. Confira o conteúdo a seguir e aprenda um pouco mais sobre esse assunto!

O que são as soft skills?

O termo “soft skills”, logicamente, deriva do inglês. Enquanto “skill” quer dizer habilidade, “soft” significa algo suave ou macio. No mundo corporativo, esse conceito diz respeito aos atributos e competências que não são diretamente técnicos para a profissão, mas que contribuem para os relacionamentos e o ambiente de trabalho.

Por conta disso, as soft skills não costumam ser exigidas de forma oficial na hora da contratação, mas são extremamente valiosas para qualquer empresa — e os contratantes sabem muito bem disso. Sendo assim, é natural que elas seam cada vez mais valorizadas nos processos de seleção, até mesmo para cargos de liderança.

Aspectos valorizados no ambiente de trabalho

Atitude positiva

Uma atitude positiva é bastante desejada no ambiente de trabalho nos dias de hoje, especialmente porque o estresse e a rotina corrida fazem parte da maioria das profissões. Assim, pessoas que conseguem se manter otimistas e lida bem com a pressão são mais valorizadas, pois sua atitude também estimula a produtividade de quem está em volta.

Trabalho em equipe

Saber trabalhar em equipe também é muito importante, visto que nenhuma empresa ou organização depende apenas de uma única pessoa. Saber unir os talentos e ter boas qualidades de comunicação, portanto, é imprescindível na atualidade, sobretudo em função da grande competitividade do mercado de hoje.

Resolução de problemas

Todo mundo conhece algum profissional que simplesmente “empurra” os problemas para os outros ou gosta de “varrer a sujeita para baixo do tapete”, não é verdade? Pois os gestores estão atentos a essas pessoas e valorizam muito mais indivíduos proativos e que, efetivamente, resolvem os problemas que surgem.

Como desenvolver as soft skills?

Muita gente acredita que as soft skills são características natas. Embora isso tenha uma parcela de verdade, existem atributos que podem ser desenvolvidos com o tempo. O primeiro passo para isso é investir no autoconhecimento, até mesmo para descobrir seus pontos fortes e o que deve ser aprimorado.

Também é muito importante saber gerenciar bem o seu tempo, para se organizar e poder melhorar as suas falhas. Invista no seu poder de comunicação, abra a sua mente para novas aventuras e considere contar com ajuda profissional, como um coach — que poderá direcionar os seus esforços para que você seja mais eficiente!

Como você pôde ver, contar com profissionais dotados de soft skills é um desejo cada vez maior do mercado de trabalho!

E agora, se preparou para desenvolver suas soft skills? Quer conferir outros conteúdos como esse? Então que tal assinar gratuitamente a nossa newsletter?

caso-rawvana-responsabilidade-youtuber-influencer

Caso da youtuber Rawvana e a responsabilidade dos influencers

Com a exposição gerada pelas redes sociais, as polêmicas nunca acabam e recentemente apareceu mais uma: o caso Rawvana.

rawvana-1

Você sabe quem é Rawvana?

Se você é havy user de redes sociais e tem um lifestyle saudável é capaz de já ter passado por algum vídeo dela. Yovana Mendoza Ayres, mais conhecida como Rawvana, é uma youtuber de San Diego – Califórnia (EUA), que contava com mais de três milhões de seguidores (YouTube e Instagram) e se tornou ídola de crudiveganos ao compartilhar, desde 2013, vídeos em inglês e em espanhol mostrando seu estilo de vida e sua alimentação sem produtos de origem animal e à base de alimentos crus.

Até esse ponto, tudo parece perfeito. No entanto, Rawvana se envolveu em uma polêmica que custou a sua imagem, a perda de milhares de fãs e também de patrocinadores que financiavam o conteúdo produzido por ela.

Durante uma viagem a Bali, sua amiga publicou um vídeo no Instagram onde aparece Rawvana prestes a comer um peixe e esses poucos segundos destruíram anos de reputação. Se pensarmos que ela construiu sua imagem através de um estilo de vida crudivegano que ela prega e dizia praticar, ela aparecer em um vídeo comendo um peixe é algo bastante contraditório, não é mesmo? E foi exatamente essa contradição que foi criticada. Ela, então, foi chamada de fraudulenta, com direito a petição para tirar seu canal do ar.

Ela explicou que estava com sérios problemas de saúde e, por isso, foi obrigada a incluir alimentos cozidos na sua dieta. No entanto, já era tarde demais porque, além de ser algo contraditório com seu estilo de vida, ela não contou isso para seus seguidores. Foi mais um “flagra” das redes sociais.

Já sabemos que para uma marca se tornar top of mind, ela precisa de transparência, autenticidade, consistência de imagem, relevância em meio ao seu público e ter uma história por trás de seu sucesso. No caso Rawvana faltou transparência e consistência de imagem, o que foi determinante para o seu fracasso.

Agora, por que isso é tão grave?

Vamos entender que um youtuber é uma marca pessoal que tem grande influência sobre milhares de pessoas e, no caso de Rawvana, ela era uma marca pessoal de grande sucesso. Se analisamos os dados da pesquisa realizada pelo Youtube no Brasil em parceria com a Provokers em 2018, “o consumo de vídeo online no Brasil teve alta de 135% nos últimos quatro anos”. Além disso, o “YouTube atingiu a marca de mais de 800 canais no Brasil que ultrapassam a base de um milhão de inscritos”. Ou seja, um canal de youtube de grande sucesso exerce influência sobre milhares de pessoas e isso, de certa forma, é delicado e um pouco perigoso.

Rawvana não é médica e nem especialista em saúde ou nutrição, ela é uma produtora de conteúdo que compartilhava seu lifestyle e suas receitas. Ela ficou doente devido à falta de um especialista para avaliar a dieta que ela mesma compartilhava. Quantas outras pessoas também não devem ter perdido qualidade de saúde depois de seguir a dieta da youtuber?

De acordo com um levantamento do órgão de pesquisa americano Pew Research Center feito com jovens com idade entre 13 a 17 anos nos Estados Unidos, o YouTube “se destacou como líder de acessos, sendo a preferência de 85% dos jovens”. Quantos jovens ela não deve ter influenciado? Precisamos pensar que nesta fase da vida os jovens estão passando por questões hormonais que modificam seus corpos e alguns estão sofrendo bullying nas escolas devido a sua aparência física. E muitos estão construindo seus valores, o que os deixa mais abertos a opiniões e, por isso, são mais influenciáveis. Veja quanta responsabilidade tem um youtuber.

Eu li uma frase muito interessante no artigo “YouTube, o grande radicalizador”, que saiu no The New York Times, que dizia que nós estamos “testemunhando a exploração computacional de um desejo humano natural: o de olhar “por trás da cortina”, ir a fundo em algo que nos interessa”. É exatamente isso. Quando passamos de meramente consumidores para criadores de conteúdo, passamos a estar cada vez mais expostos a informação. E essa informação nem sempre é segura, ela beira o limite do real/falso, aparentemente saudável/fraudulento, moderado/radical, etc. As Fake News é um grande exemplo disso.

Nós presenciamos a vitória de Donald Trump para presidência nos EUA e a de Bolsonaro no Brasil que teve grande influência das Fake News de ambos os lados: direita e esquerda. Fora isso, tem a questão das opiniões que se disseminam e podem causar grande efeito negativo na vida de milhares de pessoas. Um exemplo disso é o caso da youtuber que compartilha ideias antifeministas que causa grande indignação em muitas pessoas, mas acaba lucrando com esses “views” e influenciando outras jovens mulheres a pensar igual. Ou então o caso do youtuber Júlio Cocielo que fez “piada” racista em relação ao jogador francês Kylian Mbappé no Twitter. Cocielo tem um canal visto por milhares de jovens que o idolatram por seus vídeos engraçados e são influenciados por ele, tanto que o youtuber contava com vários patrocinadores antes da polêmica. Aceitar uma “piada” racista é aceitar o racismo porque a verdade é que todos os dias milhares de jovens e adultos sofrem racismo disfarçado em forma de “piada”.

Se pensamos em youtubers/influencers e seus patrocínios, de acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto QualiBest, os influenciadores são “a segunda fonte de informações para a tomada de decisão na compra de um produto, citada por 49% dos respondentes, perdendo apenas para amigos e parentes, citados por 57% dos respondentes”. Ou seja, é muita responsabilidade para uma pessoa só!

Então, para concluir, é preciso pensar na influência que nós temos sobre as pessoas. Tanto você quanto eu somos uma marca pessoal e precisamos ter consistência de imagem e transparência para construir uma marca de credibilidade e boa reputação. E, acima de tudo, ser responsáveis pelo conteúdo que criamos.

saiba-o-que-e-e-qual-a-importancia-da-presenca-profissional.jpeg

Saiba o que é e qual a importância da presença profissional!

Ao fazer uma apresentação para algum cliente em potencial, enfrentar uma entrevista com um empregador ou aparecer para a sua primeira auditoria em uma empresa, é fundamental passar uma boa presença profissional. Afinal, ela diz tudo sobre como você se apresenta por meio de suas roupas, linguagem corporal, escolha de palavras e habilidades sociais e comportamentais, as famosas soft e hard skills.

Além disso, é uma ótima alternativa para ajudar a se destacar no mercado de trabalho, apresentar suas competências sem precisar mostrar nenhum currículo e transmitir muita autoconfiança e autocontrole. Sendo assim, preparamos um miniguia especial para que você possa compreender o que esse termo realmente significa e incorporá-lo em sua vida da melhor forma. Quer saber como? Então continue a leitura e confira!

Qual é a verdadeira importância da presença profissional?

Todos se preocupam ou cuidam da presença profissional. Inclusive, muitas pessoas se dedicam quase que exclusivamente a aprimorar os conhecimentos técnicos em detrimento do refinamento comportamental, o qual tem tanto ou mais valor que a especialização em si.

Inclusive, quem não tem essa qualidade, além de não se destacar na multidão de e-mails, reuniões de negócios e ocasiões sociais, encontra certas dificuldades para defender suas convicções, influenciar pessoas e manter um índice elevado de acertos em decisões consideradas importantes.

No entanto, o desempenho desses indivíduos não é apenas avaliado pelas suas qualidades técnicas, mas pelos resultados obtidos por meio da condução das atividades, da performance de sua equipe e, principalmente, do seu comprometimento.

A satisfação pessoal também conta muito nesse quesito. Afinal, quem está satisfeito consigo mesmo e com o que transmite para o mundo consegue captar toda a atenção de quem o escuta, transmitindo credibilidade, naturalidade e verdade interior.

Como conseguir ter presença profissional no mercado de trabalho?

O treinamento necessário para desenvolver a presença profissional é relativamente simples, mas requer muita determinação, comprometimento e força de vontade. Confira a seguir os passos necessários para isso:

Desenvolva as soft e hard skills

O primeiro passo para adquirir uma boa presença profissional é desenvolver as soft skills — competências sociais e comportamentais que podem ser amplificadas por qualquer pessoa.

O mercado de trabalho já percebeu as inúmeras vantagens estratégicas obtidas ao contar com essas capacidades. Portanto, elas costumam ser muito valorizadas pela maioria das empresas e é preciso adotá-las o quanto antes. Veja quais são as principais:

  • trabalho em equipe;
  • resolução de problemas;
  • atitude positiva;
  • gestão do tempo;
  • capacidade de comunicação e aprendizado.

Seja positivo

Você já deve saber que um local de trabalho positivo aumenta a produtividade, não é mesmo? Todo mundo tem dias ruins, mas descontar em alguém no escritório — seja em seu colega ou em algum cliente — produzirá respostas e resultados negativos. Portanto, o primeiro passo para ter uma boa presença profissional é pensar positivamente.

Cumpra seus horários

No mercado de trabalho, estar atrasado significa que seu tempo é muito mais importante que o de outra pessoa. Todo mundo tem suas ocupações e a pontualidade é vital para construir uma boa imagem. Ser profissional também é sinônimo de pontualidade. Então, se você se atrasar, peça desculpas e procure não repetir o erro.

Conheça a si mesmo

Se você não reconhece e não entende suas próprias emoções, será muito difícil delimitar o seu território de atuação, tanto profissional quanto pessoal. Por isso, é fundamental que conheça a si próprio e entenda seus limites. Assim, você também poderá definir suas metas profissionais.

Tenha autocontrole

As pessoas que realmente conhecem a si mesmas desenvolvem um autocontrole muito acentuado, dominando suas emoções e situações tensas com bastante facilidade. Portanto, pratique esse exercício diariamente.

Invista na autoconfiança

Ter autoconfiança é a consequência natural das pessoas que se conhecem, sabem identificar as suas emoções, têm a ciência de seu próprio valor e mantêm o controle emocional dentro de um limite razoável para a situação. Além disso, é a principal característica de quem sabe identificar as emoções dos outros, tanto individualmente quanto em equipe.

Valorize seu cliente

Ter uma boa presença profissional inclui desenvolver a capacidade de valorizar as outras pessoas. Usar o nome correto é o primeiro passo para isso e ainda transmite a ideia de que você se importa com os mínimos detalhes.

Se você conseguir se lembrar do nome de alguém depois de ter conversado com ele apenas uma vez, causará uma ótima impressão. No entanto, nem todo mundo tem esse talento, não é verdade?

É muito melhor dizer “Por favor, me diga seu nome de novo!” do que tentar adivinhar e chamar seu cliente ou colega de trabalho com o nome errado. Se referir a alguém do jeito certo é cortês e muito profissional. Então, ao enviar um e-mail, procure soletrar corretamente o nome do destinatário.

Todo mundo gosta de falar de si. Portanto, ouça e repita pequenos trechos das informações que eles transmitirão. Além disso, inclua sempre um sorriso em sua conversa. Quando as pessoas se sentem valorizadas, é provável que confiem muito mais em você e que procurem os seus serviços constantemente.

Vista-se adequadamente

Vestir-se de acordo com a última moda no ambiente de trabalho nem sempre contribui para uma boa presença profissional. Mesmo que muitas empresas sejam um pouco mais casuais, certifique-se de que você está seguindo o código de vestimenta adequadamente. Se necessário, peça esclarecimentos à equipe de recursos humanos. Bom gosto e moda nem sempre são sinônimos e o ideal é seguir as regras com cuidado.

Comunique-se bem

Em um ambiente profissional, não há desculpas para e-mails desleixados ou mensagens mal-escritas. Alguns erros ortográficos podem gerar problemas de interpretação, resultando numa grave falha contra a sua presença profissional. Portanto, peça a alguém que revise e edite os seus comunicados antes de enviá-los ao destinatário.

Procure criar também um papel timbrado profissional e projete uma assinatura padrão para os e-mails do escritório. Uma impressão será estabelecida por meio da sua comunicação escrita e só você decidirá se ela poderá ser negativa ou positiva.

Uma boa presença profissional é aquela que exala confiança. Ao seguir essas dicas, você poderá fazer toda a diferença na sua carreira e criar um ambiente de trabalho que impulsione a empresa para o sucesso.

Além disso, é importante saber que investir no comportamento é o caminho para grandes horizontes, tanto na vida profissional quanto pessoal. Portanto, contar com a ajuda de quem entende desse assunto permitirá que você alcance os seus objetivos e alavanque todas as áreas de sua vida.

E aí, gostou de saber o que é e qual a importância da presença profissional? Quer obter ajuda de quem realmente entende de branding para alavancar a sua carreira de uma vez por todas? Então, entre em contato conosco para que possamos ajudar!

confira-4-mulheres-lideres-em-suas-areas-de-atuacao.jpeg

Confira 4 mulheres líderes em suas áreas de atuação!

O empoderamento feminino é um tema bastante recorrente nos dias de hoje, e a ascensão do outrora chamado “sexo frágil” ao poder já é uma realidade na grande maioria dos países e empresas. Por isso mesmo, conhecer algumas mulheres líderes em suas áreas de atuação pode ser extremamente interessante e muito inspirador!

Temos exemplos em praticamente todos os segmentos e, mesmo com histórias de vida e pretensões bastante diferentes, elas têm algo em comum: atingiram o sucesso em uma sociedade predominantemente patriarcal! Confira o conteúdo a seguir e descubra como isso aconteceu!

1. Cláudia Sender

Você pode ainda não ter ouvido falar sobre Cláudia Sender, mas ela vem deixando a sua marca pessoal na economia brasileira e é, definitivamente, uma das grandes mulheres líderes em suas áreas de atuação! Formada na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), ela é vice-presidente comercial da enorme empresa de aviação TAM.

Estando à frente da companhia, ela tornou-se uma executiva renomada e entrou na lista da Forbes como uma das dez mulheres mais poderosas do país. Cláudia atribui o seu sucesso ao seu histórico de bons resultados em outras empresas, como a Bain & Company, além de seu constante aprimoramento, como um mestrado em Harvard.

2. Luiza Trajano

Caso você ainda não conheça Luiza Trajano, não tenha dúvidas de que, pelo menos, você já ouviu falar sobre o seu grande empreendimento: o Magazine Luiza. A sua trajetória de sucesso é marcada por ter transformado essa pequena rede de lojas em uma das maiores marcas do mercado brasileiro.

São mais de 25 anos à frente do negócio, o que coloca Luiza como um expoente de empreendedorismo, mesmo tendo transpassado períodos de crise e de instabilidade econômica no país. Seus pontos fortes são a inovação e o investimento em uma relação mais próxima não apenas com clientes, mas também com colaboradores.

3. Sheryl Sandberg

Todos sabem que o Facebook se tornou uma das maiores empresas do planeta, mas vale a pena aprender um pouco mais sobre Sheryl Sandberg. No ano de 2008, ela se tornou nada menos do que a chefe operacional de todo o site e a primeira mulher a ocupar uma posição de alto escalão dentro da companhia.

Por essa razão, Sheryl foi considerada uma das mulheres mais influentes do planeta pela Forbes. A sua trajetória de sucesso profissional inclui ter trabalhado no Departamento do Tesouro Norte-americano e como vice-presidente de vendas globais e operações on-line do Google.

4. Rachel Maia

A grande maioria das mulheres reconhece a Pandora como uma marca expoente no ramo de joalherias do Brasil. No entanto, o que muitas talvez não saibam, é que muito disso se deve à atuação certeira de Rachel Maia, que é CEO da Pandora no Brasil desde 2009.

A sua trajetória inclui ter investido em aprender inglês e administração no Canadá, além de um intercâmbio profissional nos Estados Unidos, quando ela trabalhava como gerente financeira do grupo farmacêutico Novartis.

Essas são algumas mulheres líderes em suas áreas de atuação! Ao mirar em bons exemplos, você pode avaliar a sua situação profissional atual e repaginar suas ações, apostando em uma transição de carreira ou em novos aperfeiçoamentos para conquistar cargos de alto padrão ou uma imagem melhor no mercado.

Gostou de conhecer essas mulheres tão inspiradoras? Então, confira também nosso infográfico sobre a liderança feminina no mercado de trabalho!

lideranca-feminina-a-importancia-de-mulheres-como-lideres-na-empresa.jpeg

Liderança feminina: a importância de mulheres como líderes na empresa

Não é novidade que o mercado de trabalho vem se adaptando aos novos tempos, e situações que eram menos comuns em um passado mais distante, como a liderança feminina, passam a ser corriqueiras nos mais diversos segmentos. Diante dessa realidade, entender a importância de mulheres como líderes na empresa é fundamental.

Embora algumas áreas ainda estejam impregnadas por dogmas potencialmente machistas, o fato inexorável é que elas vêm ganhando cada vez mais espaço não apenas na área profissional, mas até mesmo nos campos acadêmicos e científicos. Confira o conteúdo a seguir e aprenda um pouco mais sobre esse fenômeno!

O crescimento da liderança feminina nas empresas

Nos mais diversos campos de atuação e em todos os âmbitos sociais, as mulheres vieram lutando para achar o seu espaço e deixar a sua marca pessoal, largando para trás preconceitos e convenções que faziam com que elas, dependendo da época, sequer tivessem acesso à educação formal e ficassem apenas em casa, cuidando dos filhos.

No entanto, a discriminação por gênero perdeu espaço e, nos dias de hoje, podemos encontrá-las em número igual ou até maior em diversas áreas e segmentos do mercado, inclusive em ramo de alta complexidade, como a medicina e a ciência. Quando avaliadas apenas por suas qualidades e habilidades, as possibilidades são infinitas.

Não demorou para isso se refletir na maior existência da liderança feminina nas empresas, nas equipes e nas organizações, complementando ou até sobrepujando a atuação de gestores e administradores do sexo masculino. E isso não ocorreu por mero acaso, mas sim porque elas têm muito a oferecer e podem fazer a diferença.

A diferença das mulheres como chefes

Com a liderança feminina nas empresas dos mais variados segmentos do mercado, as equipes, as organizações e a sociedade como um todo podem se beneficiar imensamente. Além disso, líderes de ambos sexos conseguem se complementar, mas algumas características das mulheres podem ser altamente vantajosas.

Confira a seguir de quais maneiras elas fazem a diferença.

Mulheres lidam melhor com as adversidades

Você já deve ter percebido ou, pelo menos, ter ouvido falar que as mulheres são muito mais resilientes do que os homens e têm uma maior aptidão para lidar com as adversidades da rotina diária. No entanto, essas são qualidades que podem ajudar bastante no mundo corporativo e são bastante valorizadas no mercado atual.

Para quem passou tanta discriminação ao longo do tempo, é simples inferir que a liderança feminina saberá, na maioria das vezes, contornar melhor as dificuldades, tendo até mesmo mais paciência e perseverança do que boa parte dos homens. E em um país no qual a economia oscila tanto quanto o Brasil, isso é imprescindível.

Mulheres são excelentes em motivar pessoas

Não é novidade para ninguém que boa parte das mulheres são hábeis em motivar os outros e, até mesmo por isso, muitos comentários de cunho machista faziam (e ainda fazem) parte da sociedade, ressaltando o seu elevado poder de argumentação e de convencimento, inclusive para fazer com que seus desejos sejam atendidos.

No entanto, é fato que a liderança feminina é generosa em inspirar e estimular os demais colaboradores e clientes, uma vez que elas são naturalmente motivadoras. Além de boa ouvinte, em linhas gerais, uma mulher tende a lidar melhor com as emoções e acolher as pessoas que estejam passando por dificuldades ou problemas.

Mulheres têm maior inteligência emocional

Embora isso não possa ser considerado como um fato absoluto, as mulheres tendem, na maioria das vezes, a apresentar uma inteligência emocional mais aprimorada do que a dos homens. As causas para isso são discutíveis, mas as explicações podem ir desde a criação mais afetiva, chegando até a motivos orgânicos.

Enquanto seres humanos do gênero masculino produzem altas quantidades de testosterona, um hormônio ligado à agressividade e à aspereza, nas fêmeas predominam o estrogênio e a progesterona, que estão ligados a um comportamento mais equilibrado, empático, amoroso e até mesmo maternal.

Mulheres são boas em colaborar com pessoas

Outro aspecto muito vantajoso da psique feminina é que, usualmente, elas são muito boas em colaborar com outras pessoas, o que é fundamental para o bom funcionamento dos mais variados tipos de organização e empresas. É um instinto natural das mulheres unir indivíduos e formar times coesos e eficientes.

Elas também costumam ter a capacidade de exercer diversos papéis simultaneamente no dia a dia, enquanto os homens têm mais dificuldades em ser multitarefa. Até pelo instinto maternal, boa intuição e elevada percepção, mulheres podem ser ótimas líderes, contribuindo para o desenvolvimento dos colaboradores.

Mulheres tendem a ser mais éticas do que homens

De forma geral, quando comparada com a masculina, a liderança feminina costuma estimular mais os comportamentos éticos e a honestidade entre os seus colaboradores. As mulheres são, normalmente, mais transparentes e abertas à prestação de contas do que homens, que apresentam comportamento mais orgulhoso e intempestivo.

Elas também têm foco no próprio desenvolvimento, sendo aprendizes vorazes e interessadas em encontrar formas de aprimorar os seus pontos fortes pessoais e profissionais. Também possuem maior autoconsciência, são sociáveis, expressivas e próximas, tanto com os objetivos da organização como em projetos particulares.

A liderança feminina e o coaching

Depois de conferir todo esse conteúdo, você deve ter percebido que as mulheres podem não apenas se beneficiar muito das técnicas de coaching, como também podem ser coachs altamente eficientes. Com mais qualificação e a incorporação dos conhecimentos dessa ferramenta, elas podem ser imbatíveis.

A metodologia do coaching deve ser considerada nas empresas e organizações que prezam por mais eficiência, uma vez que a liderança feminina vem ganhando espaço. Dessa forma, essas profissionais podem potencializar ainda mais seus resultados e fortalecer a sua comunicação, majorando o desempenho do seu grupo de liderados.

Como você pode conferir no conteúdo acima, a liderança feminina não apenas é uma realidade no universo corporativo do Brasil e do mundo, como também é uma tendência que deve continuar ganhando espaço nos próximos anos. Sendo assim, quem apostar no diferencial das mulheres, tende a ser mais competitivo em qualquer segmento.

Gostou de aprender mais sobre a liderança feminina? Então compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

entenda-a-importancia-do-branding-para-a-gestao-de-carreira-na-area-da-saude.jpeg

Entenda a importância do branding para a gestão de carreira na área da saúde

Empreender no Brasil é sempre um desafio, até mesmo pelas complexidades que a administração e o gerenciamento estratégico de uma empresa impõem a qualquer segmento do mercado. Diante dessa realidade, entender a importância do branding para a gestão de carreira na área da saúde pode ser muito importante.

Esse conceito vem ganhando espaço, sobretudo em tempos como os de hoje, nos quais os pacientes são muito mais ativos na busca por clínicas que ofereçam o máximo de qualidade em seus atendimentos. Confira o conteúdo a seguir e aprenda um pouco mais sobre esse tema.

O que é branding?

O conceito de branding é utilizado em diversos setores do mercado e, na área da saúde, ele vem crescendo e se tornando importante nos últimos tempos. Essa é uma tática extremamente valiosa, que auxilia a posicionar e diferenciar o médico diante dos concorrentes, proporcionando uma melhor gestão da carreira e da imagem.

O branding tem a capacidade de manejar a percepção do público, por meio de um conjunto de ações estratégicas que melhoram a visão e a imagem de um profissional ou de uma marca, criando um maior engajamento com opiniões positivas.

Como o branding ajuda na área de saúde?

Melhor atendimento do público-alvo

Um dos desafios profissionais de qualquer um que atue na área de saúde é oferecer um atendimento mais eficiente. Mais do que uma estratégia comum de marketing, conseguir isso reforça o branding da clínica e do médico, uma vez que os pacientes tenderão a sair muito mais satisfeitos das suas consultas.

Para isso, invista em ações eficazes, como a aquisição de um sistema de gestão que ajude nas marcações e no envio de lembretes com os horários do próximo encontro. Outra ideia interessante é melhorar a sala de espera, disponibilizando som ambiente, sinal de wi-fi e uma máquina de café, por exemplo.

Comunicação visual mais eficiente

Uma comunicação visual eficiente também faz parte de um bom branding, por isso você não pode abrir mão dessa estratégia na sua clínica. Apostar na qualidade dos detalhes é fundamental para a construção de uma marca médica de valor, que transmitirá para os pacientes uma imagem de seriedade e compromisso.

Sendo assim, conte com bons profissionais para desenvolver o logotipo da empresa, assim como a decoração interior e até mesmo da fachada. O uso de tonalidades sóbrias é sempre recomendado, sobretudo se a sua especialidade for de alta complexidade.

Sintonia com os valores da empresa

Um bom branding também deve estar em sintonia com os valores da instituição, respeitando a percepção emocional que os pacientes terão de sua clínica ou consultório. Se o seu foco for apostar em inovação ou a sua área for muito tecnológica, pode ser interessante aplicar esse conceito no ambiente da empresa.

Da mesma maneira, serviços pediátricos, por exemplo, podem ganhar autoridade se disponibilizarem um meio de contato 24 horas. Dessa forma, torna-se coerente com a experiência que deseja oferecer, estimulando uma percepção positiva de sua marca.

Como você pode ver, a importância do branding é cada vez maior na área de saúde!

E agora, entendeu melhor como o branding é importante para a gestão de carreira na saúde? Quer conferir outros conteúdos como este? Então não perca mais tempo e assine a nossa newsletter!

planejamento-de-carreira-o-que-e-por-que-e-importante-e-mais.jpeg

Planejamento de carreira: o que é, por que é importante e mais!

O mercado de trabalho anda extremamente disputado nos dias de hoje e, por conta disso, ocupar os melhores cargos e posições exige uma administração bastante estratégica da vida profissional. Diante dessa realidade, compreender o que é o planejamento de carreira e por que isso é importante pode ser fundamental.

O fato é que, se em outros tempos bastava se preparar com uma boa graduação e alguns cursos de aprimoramento, atualmente isso já não é mais suficiente. Quem se limita, portanto, estará fadado ao fracasso. Quer evitar que isso aconteça com você? Então não deixe de conferir o conteúdo a seguir.

Afinal, o que é o planejamento de carreira?

O planejamento de carreira é uma estratégia muito útil, na qual uma pessoa pode estipular o caminho que ela pretende percorrer dentro da organização em que trabalha ou na sua vida profissional como um todo. Para isso, ela precisa determinar as competências necessárias para crescer e também quais as expectativas da organização em relação à sua posição.

Em outras palavras, trata-se da elaboração de um plano, de colocar no papel qual é a sua visão de futuro e onde você deseja estar dentro de um, cinco ou dez anos. Essa era uma ação comum entre os gestores, como uma maneira de motivar os colaboradores, mas o ideal é que seja projetada por você, afinal, você deve ser o principal responsável pelo seu sucesso!

Quais são os pilares de um planejamento de carreira?

Um planejamento de carreira pode ser feito de diversas maneiras diferentes, mas ele costuma ter alguns pontos em comum. Em linhas gerais, podemos definir alguns pilares dessa estratégia. É muito importante, por exemplo, que tudo comece com a promoção ou a recuperação da motivação pessoal e da autoestima.

Uma vez que você esteja estimulado para esse desafio, chega a hora de definir os seus objetivos, sejam eles dentro da própria empresa, sejam em uma transição de carreira. Depois, é hora de fundamentar a sua visão de futuro e de definir as ações e os recursos dos quais você precisa para aumentar as suas chances de sucesso.

Qual a importância do planejamento de carreira?

Um bom planejamento de carreira permite que você assuma proativamente o controle da sua vida profissional, e isso é extremamente importante em um mercado tão competitivo como o dos dias de hoje. Dessa forma você consegue, por exemplo, atingir com muito mais facilidade os seus objetivos profissionais e pessoais.

Outro benefício desse tipo de plano é que ele possibilita, com muito mais clareza, que você conheça seus pontos fortes, reforce as suas falhas e observe em que lugar você quer chegar e como percorrerá essa trajetória. Com isso, você ganhará as condições necessárias para identificar distorções, realinhar metas e corrigir a sua rota.

Quem pode fazer o planejamento de carreira?

O mais interessante disso tudo é que não importa se você é um profissional em início de carreira ou um líder de uma grande multinacional: qualquer um pode se beneficiar de um bom planejamento! Essa estratégia ajuda a perceber melhor a sua própria realidade e pode ajudá-lo de diversas maneiras, trazendo subsídios para suas decisões.

Quais são as dicas para um bom planejamento de carreira?

Agora que você já entendeu bem melhor o conceito de planejamento de carreira e observou que qualquer profissional pode se beneficiar dessa estratégia, chegou a hora de conhecer algumas dicas simples e práticas de como utilizar esse tipo de plano para a sua vida corporativa. Confira a seguir algumas sugestões para fazer isso.

Faça uma boa autoanálise

O primeiro passo para fazer um planejamento de carreira é fazer uma autoanálise, afinal, esse tipo de estratégia precisa estar em alinhamento com as suas demandas, expectativas, anseios e necessidades pessoais. Verifique, por exemplo, quais são as suas melhores potencialidades, os seus pontos fracos e onde você deseja estar em curto, médio e longo prazo.

Assim, você pode investir em ações efetivas. Se você precisa aprimorar algumas qualidades técnicas, fazer cursos de aprimoramento na sua área é uma atitude fundamental. Caso você esteja pensando em mudar de carreira ou deseje ter mais inteligência emocional, a ajuda de um bom coach pode ser de grande valia.

Estabeleça as suas metas

Agora que você já fez a sua autoanálise e compreendeu melhor os seus anseios, é o momento de estabelecer novas metas. Caso você queira continuar na sua empresa, por exemplo, e tem interesse em crescer profissionalmente e atingir o ambicioso objetivo de se tornar um diretor, é preciso adquirir a experiência necessária para esse cargo.

Não adianta colocar no papel que você espera que isso ocorra em poucos meses, pois esse não seria um objetivo realista. A saída é dar o primeiro passo traçando alvos reais: em qual cargo você quer estar em cinco anos? Quais habilidades você precisa dominar para isso? Quais oportunidades a organização oferece? E assim por diante.

Invista na ampliação de network

Por fim, ainda que o planejamento de carreira seja uma estratégia pessoal e individualizada, contar com a ajuda e o auxílio de outros profissionais pode ser fundamental para o seu sucesso. Diante dessa realidade, uma ação muito importante, independentemente do segmento no qual você atua, é investir na ampliação do seu network.

Isso significa que você precisa ter uma boa relação não apenas com seus gestores e chefes, mas também com os outros colaboradores e até mesmo com os clientes. Dessa forma, você sempre ficará sabendo quando houver um bom cargo disponível e também terá o nome lembrado pelos outros no caso de uma indicação ou uma oportunidade.

Como você pôde ver, fazer um bom planejamento de carreira é uma estratégia extremamente importante para quem deseja crescer profissionalmente e tem a intenção de se destacar em um mercado tão competitivo. Caso você não se sinta preparado para fazer isso sozinho, a ajuda de um bom coaching pode ser bastante proveitosa e eficiente.

Gostou de aprender um pouco mais sobre o planejamento de carreira? Quer contar com ajuda especializada para fazer isso do jeito certo? Então não perca mais tempo e entre em contato com a nossa empresa!

profissional-liberal-voce-sabe-se-diferenciar-na-sua-carreira.jpeg

Profissional liberal, você sabe se diferenciar na sua carreira?

Diante de tanta concorrência, uma questão que sobressai para o profissional liberal é: como conseguir a diferenciação? Em outras palavras, de que forma se destacar e trilhar uma carreira de sucesso? Afinal, ninguém quer ser apenas mais um entre tantos outros, certo? Pelo contrário: o intuito é chegar ao topo, apresentando um serviço exclusivo.

Para ajudar você nessa missão, preparamos um conteúdo especial abordando algumas ações simples e efetivas, mas essenciais para os profissionais liberais que buscam se diferenciar na carreira. Gostou da premissa? Então continue a leitura!

Amplie a visão

Profissionais de sucesso têm uma visão mais ampla do mundo. Eles saem da zona de conforto e se colocam em situações desafiadoras, despertando habilidades especiais. Assim conseguem, inclusive, prever cenários e a partir de então criar soluções que o cliente nem mesmo conhecia.

Não para por aí. Eles encaram as adversidades como fonte de aprendizagem, fator que os prepara para lidar com qualquer situação — desde as simples até as mais complexas. Por isso, comece a pensar fora da caixinha: largue o senso comum de lado e procure expandir seus horizontes.

Invista em capacitação

Já alertava a sabedoria popular: conhecimento nunca é demais. Essa premissa é totalmente verdadeira, sobretudo para os profissionais liberais — até porque você não quer correr o risco de ficar ultrapassado. Lembre-se de que, em questão de meses, o que havia de mais moderno pode virar obsoleto.

Não à toa, é primordial ficar ligado em relação às novidades do mercado. Inscreva-se em palestras, workshop, cursos e demais eventos relacionados ao seu segmento, atualizando constantemente os saberes. Assim, você passa a estar apto a oferecer atendimento e serviços de excelência, destacando-se da concorrência.

Reconheça pontos fortes e fracos

Existem aqueles que têm dificuldade com a comunicação, uma vez que não conseguem exprimir bem suas ideias. Já outros sofrem com planejamentos. Isso sem falar dos profissionais que dominam muito bem esses dois aspectos mas pecam quando o assunto é marketing pessoal.

Fica evidente, nesse contexto, que cada profissional apresenta pontos fracos e fortes. Cabe a você, então, verificar quais são suas fraquezas e criar métodos efetivos para eliminá-las ou, pelo menos, reduzi-las. Não se esqueça de que um profissional diferenciado mantem o equilíbrio e a harmonia entre todas as características.

Estabeleça metas

Onde você quer estar daqui a cinco, dez ou 15 anos? Se vê trabalhando em um cargo de destaque para uma multinacional ou gerindo um negócio próprio que é referência nacional?

Claro que não há certo ou errado entre essas duas opções. O que não se deve é ingressar na chamada zona de conforto. O ideal consiste em definir metas a curto, médio e longo prazo, criando um plano de ação que possibilite alcançar os objetivos traçados. Afinal, nada cai do céu, certo?

Fato é que, para se diferenciar na carreira, o profissional liberal precisa ter organização e dedicação ao propósito — os resultados estão diretamente ligados ao desempenho. Isso significa que você é o principal responsável pelo seu sucesso ou fracasso.

Agora que já sabe como conquistar a diferenciação no mercado, siga a gente nas redes sociais: estamos no Facebook, no Twitter e no LinkedIn!