Como dar feedback negativo para um colaborador?

O feedback negativo pode ser associado pelo senso comum a um processo prejudicial que inibe e constrange os colaboradores. Entretanto, a verdade é que, dependendo da maneira como você executa o feedback, o desempenho do colaborador e consequentemente da empresa, pode ser otimizado.

Da mesma maneira, o feedback negativo pode atrapalhar a motivação e produtividade da sua equipe, o que também leva ao baixo desempenho empresarial. Tudo vai depender de como esse processo é executado pelos gestores, além do empenho dos colaboradores em transformar isso em evolução. 

Ou seja, considerando que o feedback negativo pode resultar em dores ou delícias dentro de um negócio, de acordo com a forma com que é aplicado, é importante conhecer as melhores práticas para dar retorno. Assim, confira nosso post!

1. Tenha clareza

É preciso considerar que o momento de receber feedbacks costuma ser tenso para a maior parte das pessoas, que podem não se sentir confortáveis com a ideia de serem avaliados e terem os esforços questionados. Por isso, é comum que o nível de concentração diminua, assim como a confiança para pedir melhores explicações do que foi dito pelos superiores.

Dessa maneira, prezar pela clareza é uma das estratégias mais importantes para evitar ruídos na comunicação e diminuir as chances dos colaboradores fazerem interpretações diferentes do que foi dito, o que dificultaria a evolução de cada um, como a identificação de forma coletiva do que pode ter contribuído para erros ou desempenhos insuficientes.

Para isso, é válido ser didático e utilizar recursos visuais, se necessário, como gráficos e dados mensuráveis que contribuem para apresentação do feedback com mais clareza. Estruturar ideias, fornecer exemplos e sugestões também são maneiras de colocar o procedimento em prática.

gestão de imagem

2. Seja gentil

Constranger o colaborador não apenas pode não ter resultado nenhum na melhoria do desempenho, como pode contribuir para a queda na qualidade do trabalho, já que o profissional pode se sentir desmotivado para tentar o seu melhor. 

Então, seja gentil e comece falando sobre os pontos positivos, como o bom desempenho de cada um em determinada atividade, e depois fale sobre o que precisa ser aprimorado, reforçando que existe potencial para alcançar a evolução.

Quer um exemplo? Fale dos motivos que levaram a contratação do colaborador. Isso aumenta a confiança e diminui a tensão do momento, o que também é importante para aumentar a busca pela solução de problemas.

3. Utilize a Comunicação Não-Violenta

A CNV é um conceito desenvolvido por psicólogos que visam uma relação de mais parceria e cooperação, em que a comunicação predominante é sem violência e com empatia. Saber fazer isso contribui para um melhor clima organizacional, o que deve evitar críticas pessoais e grosseiras. Além disso, o princípio dela também inclui saber ouvir o colaborador, para que o feedback seja aplicado com mais eficácia.

Como você pôde perceber, a comunicação adequada pode ser a chave para que o feedback negativo passado aos colaboradores tenha bons frutos tanto do ponto de vista individual quanto coletivo, aumentando o potencial da empresa, que pode se tornar mais produtiva e alinhada com as propostas do negócio. 

Por esse motivo, que tal continuar aprendendo sobre o assunto? Confira o nosso post sobre estratégia de comunicação!

autoconfiança na marca pessoal

Patricia Dalpra é Estrategista em personal branding e gerenciamento de carreira.

O trabalho que Patricia Dalpra desenvolve surgiu de uma vontade e de uma certeza: vontade de levar pessoas e empresas a crescer, alcançar seus objetivos de negócios e de imagem e se relacionar melhor com outras pessoas e empresas; e certeza de que um trabalho estruturado de gestão de imagem e carreira é um dos melhores caminhos para se chegar lá. Ao longo de mais de uma década, a Patricia Dalpra já trabalhou para centenas de profissionais, executivos, empresários, atletas, instituições e empresas.

Specialties: Gestão de imagem, gestão de carreira e coaching. Personal branding, branding executivo, brand on, brand off, estudo do dna pessoal e corporativo e comunicação.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *