Posts

autoconhecimento

Entenda a relação entre o autoconhecimento e a gestão de carreira

O autoconhecimento é uma das principais ferramentas para quem deseja gerir melhor sua carreira. Conhecendo seus pontos fortes e fracos, é possível traçar um planejamento de curto, médio e longo prazo para alcançar melhor produtividade e novos resultados.

O autoconhecimento é vantajoso por uma série de motivos, entre eles a possibilidade de conhecer as próprias fraquezas e qualidades. Ao conhecer a si próprio, o indivíduo consegue identificar quais são as mudanças necessárias para evoluir, seja no âmbito profissional ou na vida pessoal.

No caso da gestão de carreira, o autoconhecimento pode ser o diferencial necessário para que você se destaque no mercado de trabalho e tenha o diferencial competitivo que é tão importante, além de ajudar em outros aspectos. Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e confira!

Como usar o autoconhecimento para ascender profissionalmente

Buscar o autoconhecimento profissional significa acreditar que a sua carreira depende apenas de você e saber que conquistar os seus objetivos fará de você uma pessoa mais realizada no longo prazo.

Essa busca pelo conhecimento próprio faz com que a pessoa analise-se internamente e descubra como solucionar os problemas que poderiam interferir no seu crescimento, além de também analisar as potencialidades existentes em si mesmo.

Para conseguir conquistar o autoconhecimento, é preciso determinar primeiro os seus objetivos e as suas metas. Sabendo onde quer chegar, é possível traçar os meios para atingir seus objetivos e depois verificar os impedimentos existentes, como as fraquezas que podem atrapalhar nessa caminhada.

Dessa forma, você também descobrirá quais são seus pontos fortes e utilizando-os para o crescimento pessoal.

Também é importante saber que existirão alguns impedimentos, e que a força de vontade e o foco serão primordiais para que você consiga ir adiante. Depois que as maiores barreiras forem derrubadas, você perceberá como será fácil se conhecer e seguir adiante com seus sonhos e objetivos.

Como determinar os processos de autoconhecimento e gestão de carreira visando o sucesso

Existem alguns momentos em que o autoconhecimento pode ser o fator determinante para que você alcance o sucesso. No início da carreira, ele pode ajudá-lo a fazer as melhores escolhas, possibilitando que você encontre sua vocação.

Além disso, o autoconhecimento ajuda a ter um desenvolvimento profissional mais rápido e eficiente, auxiliando a trabalhar uma imagem pessoal que se comunique com seus objetivos pessoais e profissionais. Com isso a pessoa consegue tomar decisões de carreira mais acertadas.

Outro momento em que o autoconhecimento pode ajudar muito na gestão de carreira é quando o profissional não se sente completamente satisfeito com seu trabalho e decide seguir novos rumos. Essa é uma decisão que precisa de bastante reflexão para que não haja arrependimentos e frustrações no futuro.

Como atingir o autoconhecimento

É possível aprimorar o autoconhecimento de diversas formas, como veremos nos próximos tópicos. Uma delas é por meio do coaching ontológico, uma ferramenta utilizada para o gerenciamento de carreira. Com ela é possível saber quais são as suas necessidades e as suas limitações. Dessa forma fica mais fácil evitar que o indivíduo vá contra sua natureza e se sinta psicologicamente abalado.

O profissional que ajuda a chegar ao autoconhecimento pode até mesmo entrar em contato com questões emocionais e traumas que afetem a vida profissional. Desse modo, será possível conseguir respostas para os motivos das fragilidades e das necessidades internas, mostrando formas de resolver a situação e atingir as metas.

Entretanto, o processo não depende só do profissional, pois a pessoa precisa estar disposta a realmente fazer autorreflexões e realizar todos os planejamentos estratégicos de ação que forem propostos.

Como é o processo na prática

O autoconhecimento pode ser praticado de diversas formas. Algumas pessoas conseguem desenvolver por meio de palestras ou livros, outras necessitam de experiências mais imersivas, como psicoterapias e cursos. Algumas dicas para aprimorar seu conhecimento próprio são:

Faça psicoterapia

Ainda é comum associarem pessoas que fazem terapia com aquelas que têm algum problema emocional ou psicológico. No entanto, qualquer pessoa pode fazê-la e usufruir de seus benefícios.

A terapia promove reflexões acerca dos assuntos que compõem sua vida. Por isso, ela é uma ferramenta poderosa para quem busca o autoconhecimento e o desenvolvimento do poder de decisão.

Ela se baseia no princípio que cada um de nós é responsável pelas nossas atitudes, e que a verdadeira mudança ocorre quando parte de nós mesmos. Durante o processo, você passa a se conhecer melhor prestando atenção nas suas escolhas e atitudes.

Preste atenção nos seus pensamentos

Esse é um exercício simples e que você pode fazer a qualquer momento. Sempre que estiver perdido nos seus pensamentos e sem saber que caminho tomar, pare e reflita sobre o que você está pensando.

Como você se sente ao pensar sobre o assunto? Por que isso o preocupa? Quais são as possíveis soluções para o problema? No início esse exercício pode ser difícil, mas com o passar do tempo ele fica mais natural. Com isso, será cada vez mais fácil observar, controlar e direcionar seus pensamentos para conquistar seus objetivos.

Faça uma linha do tempo da sua vida

Tire um dia para você construir uma linha do tempo da sua vida e da sua carreira. Pegue um papel e um lápis e liste lembranças sobre sua infância, adolescência e vida profissional.

Anote tudo que você considera importante na sua vida e que tiveram um impacto nas suas decisões: sua relação com seus pais, suas amizades, seus relacionamentos amorosos etc.

Quando você terminar suas anotações, leia com atenção todas elas e reflita como cada acontecimento afetou quem você é hoje. Você pode se surpreender com o resultado desse exercício ao ver como fatos do passado influenciam suas atitudes no momento.

Por mais que você não possa mudar o que passou, conhecer bem o seu passado pode ajudá-lo a entender melhor sobre si e tomar melhores decisões para o futuro.

Faça o exercício roda da vida

Ao terminar sua linha do tempo, pode ser interessante aproveitar o momento para fazer um dos exercícios de autoconhecimento mais poderosos de todos.

A roda da vida, é uma maneira breve, didática e bem simples de entender onde sua atenção está voltada e como você pode melhorar sua qualidade de vida atentando aos pontos mais importantes.

Para fazer esse exercício, desenhe um círculo e em seguida divida-o em 8 partes, colocando em cada um desses espaços as áreas vitais da sua vida, como: família, carreira, finanças, saúde, amor, cultura, espiritualidade e educação.

Sentindo necessidade, você pode incluir ou, até mesmo, remover uma dessas categorias para ter mais foco e uma visão ainda mais abrangente dos seus esforços durante a rotina.

Em seguida, faça uma autoavaliação e numere de 1 a 10 a sua atenção para cada um desses aspectos pessoais. Algumas pessoas gostam de colorir essa numeração de uma forma visual, pintando o espaço reservado para cada área da vida (lembrando que o centro seria o 0 e o topo o número 10), enquanto outras preferem somente colocar um número dentro desse espaço.

Após esse exercício fica bem claro ver onde seu tempo e esforço está sendo gasto durante a semana, o que ajuda a iniciar um plano de desenvolvimento das áreas que você sente carência ou está tentando melhorar.

Lembrando que esse exercício deve ser feito periodicamente, sempre que houver necessidade. Não se esqueça que as prioridades mudam de acordo com a fase da sua vida e não existe certo e errado, apenas o que funciona ou não para você.

Tendo sempre essa “ferramenta” em mãos, fica mais fácil ter controle daquilo que realmente faz a diferença e deve ser modificado para que melhores resultados sejam atingidos, seja na carreira ou na vida pessoal.

Evite a autossabotagem

A autossabotagem é uma das principais causas para nosso fracasso. Inclusive, esse é um fator que muitas vezes não conseguimos perceber por um longo período, somente nos dando conta do problema quando ele já está bem exacerbado.

Apesar dessa aparente dificuldade, identificar um comportamento com caráter de autossabotagem não é difícil, basta seguir esse padrão: toda atividade que dificulta ou impede a ação daquilo que é mais próximo do seu objetivo, é uma atividade negativa e com característica de autossabotagem.

O que queremos dizer com isso? Bem, pense que seu objetivo é emagrecer e seu plano é perder alguns quilos na balança fazendo escolhas mais saudáveis. A autossabotagem acontece quando você se coloca em situações onde cumprir suas metas são bem difíceis.

No caso do emagrecimento, em vez de frequentar um restaurante com alimentos saudáveis ou até mesmo preparar e transportar suas próprias refeições, você deixa para última hora e acaba optando pelo fast food, dando uma desculpa de tempo.

Certamente, haverão situações em que o tempo livre será escasso, por isso, o ideal é manter-se preparado e sempre com alternativas que estejam de acordo com sua meta.

Quando nos tornamos conscientes desse tipo de comportamento, rapidamente percebemos que, na maioria das vezes, nós mesmos atrapalhamos nossa caminhada para o sucesso. Portanto, muita atenção e sempre esteja ciente das suas ações e consequências.

Leia livros

O interesse por livros de autoconhecimento vem crescendo no Brasil. Cada vez mais pessoas se preocupam em tomar decisões profissionais baseadas no conhecimento das suas qualidades, motivações, vontades e propósitos.

Buscar livros sobre a temática é uma alternativa para quem não sabe por onde começar ou está com a agenda apertada para fazer psicoterapia, por exemplo. Não faltam listas com boas indicações na internet. Busque um bom livro e comece a se conhecer melhor!

Há muitos autores estrangeiros que tratam do tema — e existem livros famosos, como o de Eckhart Tolle, que escreveu o renomado “O poder do agora”. Também temos escritores brasileiros como Mário Sérgio Cortella, autor do livro “Por que fazemos o que fazemos”.

Utilize serviços especializados

Cursos e palestras sobre autoconhecimento são opções para quem busca experiências imersivas. Geralmente esses cursos contam com um facilitador, uma pessoa que vai provocá-lo com pensamentos e questões.

A partir disso, você vai conseguir refletir sobre sua vida e escolhas profissionais, clareando seus pensamentos e focando nas suas vontades, nos seus princípios e valores.

É importante frisar que por serem cursos de curta duração, eles são indicados para quem quer dar um start no processo de autoconhecimento. Após concluído, você deve continuar esse processo sozinho.

Outras ferramentas que podem ser utilizadas no processo do conhecimento próprio são os serviços especializados de percepção de imagem e coaching oferecidos pela PD Gestão de Imagem e Carreira.

Por serem individualizados, eles utilizam ferramentas de análises específicas, potencializando sua evolução.

Você entendeu a relação entre o autoconhecimento e a gestão de carreira? Lembre-se de que conhecer a si próprio é um exercício constante e não só traz benefícios profissionais, mas também pessoais.

Além disso, entender seus objetivos e suas ambições podem fazer você atingir seus objetivos de forma mais rápida e eficiente. Por isso, não deixe esse assunto para depois!

Gostou deste post e quer ficar por dentro de outros conteúdos sobre carreira? Então, assine a nossa newsletter!

lifelong learning

Lifelong learning: o que é e qual a sua importância para a carreira?

Certamente, você já ouviu alguém falar a expressão “vivendo e aprendendo” sempre quando algo de surpreende acontece ou naquele momento de descoberta, certo? Pois bem, talvez ela resuma bem o conceito de lifelong learning, que, ao pé da letra, significa aprendizado contínuo. 

Mas, na prática, o lifelong learning tem um conceito muito mais amplo e apurado, utilizado por diversas pessoas e líderes no mundo inteiro, no intuito de manter a mente sempre em funcionamento e, principalmente, aprimorando novos conhecimentos. 

Como especialistas em gestão de carreira e sempre buscando assuntos novos para a sua evolução profissional —  e pessoal —, nós resolvemos preparar um post exclusivo para abordar mais a fundo esse conceito e trazer para você dicas importantes e muito úteis na hora de adotar o lifelong learning em sua rotina. 

Sendo assim, continue a leitura até o final, tome nota das dicas e comece a praticar o quanto antes. Tudo pronto para aprender? Então, vamos lá. 

Afinal, o que define o conceito de lifelong learning? 

Como bem resumimos, a expressão traz um sentido de aprendizado prolongado, mais especificamente, ao longo de toda a vida e carreira. Falando assim, pode parecer algo natural de nossa evolução, já que o tempo nos ensina coisas novas a cada dia. 

Por um lado, isso faz todo sentido. Porém, por outro, se pararmos para pensar em nossas formações, vemos que muitas vezes nos limitamos apenas aos aprendizados formais, ou seja, aqueles que nos são ensinados dentro de uma comunidade, de instituições e de ciclos fechados. 

O conceito de lifelong learning estipula, justamente, que devemos ultrapassar essas barreiras e nós próprios nos incentivarmos a buscar novos conhecimento fora dessa “caixinha” pronta. 

Essa ideia começou a surgir na Europa durante os anos 70 e ganhou força em todo o mundo a partir dos 90. O intuito principal daqueles que buscavam adotar o conceito de lifelong learning em suas vidas e profissões era de estimular, de maneira voluntária, proativa e permanente, o seu autodesenvolvimento, a partir de experiências novas de aprendizagem. 

E por que isso é tão importante para os profissionais? 

Tanto empresas como profissionais autônomos podem implementar o conceito de lifelong learning em suas rotinas e os benefícios dessa prática podem ser infindáveis. Vale ressaltar que essa ideia não visa questionar ou concorrer com outros métodos de aprendizagem, muito menos substituir as instituições de ensino, mas sim de se tornar uma importante aliada para o processo evolutivo dessas pessoas. 

O objetivo principal é instigar os profissionais a buscarem novos conhecimentos e atualizações por meio de experiências de aprendizagem. Ou seja, não se trata de cursos, treinamentos ou estudos específicos sobre um determinado assunto. O lifelong learning é definido como um processo voluntário e praticamente natural, no qual a pessoa busca, procura e se interessa por absorver aquilo. 

Além disso, o lifelong learning é uma tendência do novo século, que acompanha uma mudança contínua nos perfis das profissões. Hoje, os postos de trabalho e as habilidades necessários para ocupá-los estão se transformando a cada dia. 

Diplomas e certificados não são mais os únicos diferenciais para garantir uma posição no mercado. Os conhecimentos e habilidades são cada vez mais fundamentais e nem mais precisam ser, necessariamente, comprovados com papéis, canudos ou certificações. 

Como adotar o conceito de lifelong learning ao longo da vida? 

Há pelo menos 4 pilares que sustentam o conceito de lifelong learning e todos são fundamentais para a sua adoção na prática. São eles: aprender a conhecer, a fazer, a conviver e a ser. 

Ou seja, o primeiro passo é, literalmente, se permitir aprender. É fundamental que isso seja voluntário e não por uma necessidade ou obrigação. Depois, saber fazer refere-se a colocar em prática aquele aprendizado. Também é importante que esse pilar seja feito de forma intuitiva, prazerosa e com vontade. 

O terceiro pilar, saber conviver, também defende a ideia de que você precisa compreender as interdependências dentro de um aprendizado e que, certamente, no futuro e com outras pessoas envolvidas, provavelmente haverá conflitos, visões diferentes e ideias de mudanças. Esse processo é essencial dentro do lifelong learning e mostra como a aprendizagem precisa ser constante e infinita. 

Por fim, você precisa “aprender a ser” aquilo que foi absorvido como aprendizado. Dessa forma, você constrói uma personalidade, age mais conscientemente, ganha mais autoridade e, principalmente, se torna capaz de compartilhar os ensinamentos. 

Mas como adotar todos esses pilares na prática? A seguir, destacamos alguns conselhos úteis que podem ser praticados. Confira! 

  • reconheça os seus interesses e objetivos pessoais – essa é uma das dicas mais importantes para se adotar o lifelong learning no dia a dia. Afinal, o que você busca e sonha? Sabendo disso, fica mais fácil traçar um objetivo e construir seus aprendizados em cima daquilo que realmente lhe interessa e satisfaz; 
  • monte uma lista de desejos – coloque no papel ou numa planilha um plano de assuntos nos quais gostaria de se aprofundar e comece as pesquisas; 
  • identifique como gostaria de se envolver e quais os recursos são precisos – alimente essa sua lista com leituras, dicas, sites, cursos, livros, revistas, palestras, entre outros canais que possam contribuir para o seu aprendizado; 
  • separe um momento para aprender – o aprendizado pode ser contínuo e a cada momento de sua vida. Porém, busque reservar um tempo em seu dia para focar nos recursos que escolheu para se aprimorar;
  • busque aplicar o aprendizado na prática – é fundamental buscar aplicar, na prática, tudo aquilo que aprender no processo de lifelong learning, seja uma habilidade, seja apenas um conceito;
  • permita-se escutar e aprender com os demais – nunca pense que os conhecimentos são intransferíveis ou limitados a livros, instituições e a especialistas. Permita-se absorver novas informações e aprendizados, sem pré-conceitos.

Em resumo, essas são algumas dicas sobre o conceito de lifelong learning e como ele pode ser adotado em seu dia a dia. Vale reforçar a ideia de que essa prática nunca visará questionar e muito menos substituir os aprendizados “formais” e obrigatórios de nossas vidas. Porém, de uma forma simplificada, ele defende a aquela velha ideia de que aprender nunca é demais e não há tempo certo para tal. Portanto, busque por conhecimento contínuo! 

Gostou do nosso post? Então não deixe de compartilhar em suas redes sociais e aproveite para marcar amigos, familiares e colegas de trabalho que podem tirar proveito dessas ideias. 

transicao-de-carreira-era-digital

Entrevista da Patricia Dalpra para NUBE sobre Transição de carreira na era digital

Conforme as inovações tecnológicas se intensificam, atividades envolvendo máquinas passam por transformações ao mesmo tempo. Então, esse momento, se bem gerido, pode se desdobrar em uma nova era de empregabilidade e expansão do mercado de trabalho global.

De acordo com o Fórum Econômico Mundial de 2018, as empresas já esperavam uma quebra na fronteira entre humano-máquina. Assim, a estimativa até 2022 é de 75 milhões de empregos extintos e 133 milhões de novos adaptados ao ciclo digital. 

O ponto divisor de águas nesta fase está relacionado ao bem-estar, esclarece a Estrategista em Personal Branding e Gerenciamento de Carreira, do Rio de Janeiro, Patrícia Dalpra. “A relação com o trabalho está muito ligada ao propósito. Como fazer algo com essência. O financeiro ainda é importante, mas não mais determinante. O novo profissional quer ser feliz agora”, explica.

Com a mudança de cenário corporativo surgem algumas dúvidas. “Gosto das minhas atividades diárias?”, “qual o meu objetivo nesse setor?”, “só estou nesse lugar por causa do salário?”. Por consequência, o conhecimento de si é decisivo. 

Foi o caso de Juliana Farias, formada em Design de Interiores, mas atualmente cursando e atuando em marketing. Ela descobriu a falta de sinergia como designer quando já fazia estágio e estava em processo de trabalho de conclusão de curso (TCC). “Eu não era feliz naquela área, fazia minhas tarefas muito ‘empurrada’. Então, comecei a me questionar e busquei me conhecer melhor. Foi um processo de seis meses mais ou menos até me encontrar”, comenta Juliana. 

A transição na prática

Por isso, é preciso entender quais são os seus talentos, suas forças, seus valores, além das habilidades a serem desenvolvidas. Isso é, saber ligar os pontos. “O processo de autoconhecimento é incontestável”, defende Patrícia. Dessa forma, a prática da mudança de rotina corporativa é essencial e passa por algumas fases:

  1. Entender os motivos pelos quais quero mudar de ramo. Onde quero chegar? Quais as minhas motivações? São alguns questionamentos interessantes para instigar nossa mente. 
  2. Analisar o mercado e perceber as oportunidades. Logo, é primordial entender as necessidades e comparar com as suas competências para obter a melhor sincronia. 
  3. Apoio de um especialista. Nessa etapa é imprescindível o suporte de um especialista do assunto para um gerenciamento do caminho. Ele auxilia, inclusive no seu personal branding, ou seja, a fazer presença digital e participar ativamente de discursos relacionados ao seu novo nicho de mercado.

Veja a matéria completa aqui.

transição de carreira

Afinal, como superar o medo da transição de carreira?

Nos tempos atuais, boa parte das pessoas não está satisfeita com um emprego comum. Muitas vezes, queremos saber que estamos contribuindo para a sociedade e deixando nossa marca pessoal, qualquer que seja o nosso ramo ou o segmento de atuação. Por isso, você não pode deixar de saber como superar o medo da transição de carreira.

Esse pode ser um momento de incertezas e desafios, mas que é necessário para a realização de sonhos e a conquista de objetivos, ainda que isso possa ser difícil de ser percebido nas etapas iniciais. Você também está vivendo esse dilema? Então, não deixe de conferir o conteúdo a seguir.

Por que alguém investe na transição de carreira?

Uma transição de carreira não tem implicações apenas na vida profissional. O fato é que, dependendo da escolha e da mudança, essa é uma atitude que pode gerar uma quebra de paradigmas dentro de nós mesmos, aumentando os nossos níveis de felicidade, reduzindo o estresse e trazendo satisfação pessoal.

No entanto, como precisamos pagar as contas no final do mês e, na maioria das vezes, temos outras pessoas que dependem da gente, é comum ter medo e diversos outros sentimentos negativos nesse momento. É crucial, então, ter autoconfiança para superar os desafios e, com o passar do tempo, prosperar profissionalmente.

Quais as dicas para uma boa transição de carreira?

Como você pôde ver acima, é natural que alguém invista na transição de carreira não apenas por questões pessoais, mas também porque isso implica uma satisfação pessoal e uma maior autorrealização, sobretudo em médio e longo prazo. Continue lendo e confira algumas dicas para ter sucesso nessa empreitada!

Desenvolva o autoconhecimento

O primeiro passo para uma boa transição de carreira é elevar seus níveis de autoconhecimento. Afinal, é muito importante que você saiba o que lhe traz felicidade e quais são os seus pontos fortes, de maneira que possa cruzar essas informações e, dessa forma, escolher um novo ofício ou ramo de atuação no qual você possa prosperar. 

Analise seus maiores interesses

O passo seguinte do autoconhecimento é analisar quais são os seus principais interesses na área em que deseja atuar. Você deve explorar minuciosamente as novas opções de carreira que se apresentam, mas não deixando de revisar os projetos bem-sucedidos que você já executou, identificando as suas habilidades mais desenvolvidas.

Esquematize a sua transição

Agora que você já domina os elementos relacionados a si mesmo e ao seu passado profissional, chegou a hora de olhar para o futuro. Avalie qual é a sua reserva financeira, quais são os cursos que você deve realizar e como pode melhorar o seu networking. Coloque no papel o passo a passo e veja de quanto tempo você precisará para alcançar o seu objetivo.

Como você pôde ver, o medo da transição de carreira é um sentimento comum, mas que pode ser minimizado com um bom autoconhecimento e com o planejamento adequado. Um suporte especializado pode auxiliar nesse processo, sobretudo se estiver relacionado com serviços e soluções de coaching!

Quer contar com uma ajuda para superar o medo da transição de carreira? Entre em contato com a nossa empresa e conheça as soluções que temos para oferecer!

planejamento e gestão de carreira

Entenda a importância do planejamento e gestão de carreira

Ser um profissional de destaque é, cada vez mais, um desafio no mercado atual, uma vez que a competitividade vem crescendo exponencialmente e em praticamente qualquer segmento. Diante dessa realidade, quem anseia por sucesso e estabilidade não pode deixar de conhecer a importância do planejamento e gestão de carreira.

Traçar metas tangíveis e objetivos inteligentes é algo muito importante, e quem não faz isso pode encontrar ainda mais dificuldades para achar uma posição valiosa ou para disputar os cargos que pagam os melhores salários. Ficou interessado no assunto? Então, não deixe de conferir o conteúdo a seguir!

Afinal, o que é o planejamento de carreira?

O planejamento de carreira pode ser entendido como uma estruturação ou um fluxograma, no qual um profissional estipula o caminho que pretende percorrer para chegar a um ou mais objetivos. Usualmente, as próprias empresas e organizações faziam isso para seus colaboradores, mas as próprias pessoas estão tratando de traçar o seu.

Essa programação inclui não apenas as etapas, mas também as competências necessárias para atingir as posições hierárquicas desejadas, assim como as ações que deverão ser tomadas para desenvolver capacidades e aptidões. É essencial, portanto, que isso não fique somente no âmbito das ideias e seja colocado em prática.

Como fazer o seu planejamento de carreira?

Avalie suas habilidades e competências

O primeiro passo para fazer o seu planejamento de carreira consiste em avaliar suas habilidades e competências. Afinal, somente com esse conhecimento é que você poderá traçar estratégias sobre aquilo que precisa ser aprimorado e também sobre quais são os pontos fortes que podem se tornar o seu diferencial competitivo no mercado.

Defina metas e objetivos profissionais

Um bom planejamento de carreira também envolve a definição de metas e objetivos profissionais. Para isso, você precisa saber, por exemplo, qual é o cargo que almeja alcançar. Não é necessário se limitar à sua empresa: use a internet e pesquise as trajetórias profissionais possíveis na sua área.

Faça um mapeamento do mercado

Conhecer o mercado no qual você está inserido é uma excelente estratégia para quem deseja se destacar e também pode ser um recurso valioso na hora de fazer o seu planejamento de carreira. Estude e pesquise bastante sobre outros profissionais do seu ramo, sobre as empresas e, especialmente, sobre o que há de novo no segmento.

Elabore e realize um plano de ação

Por fim, o seu planejamento de carreira precisa incluir a elaboração e a realização de um plano de ação propriamente dito. É nessa ferramenta que você deve incluir um objetivo principal, pequenas metas a serem cumpridas, as habilidades necessárias para isso e os recursos de que você precisará para atingi-las.

Como você pôde ver, o domínio do planejamento e gestão de carreira é essencial para quem não quer se limitar no mercado. A ajuda de um suporte especializado e de um coaching pode ser o diferencial de que você precisa para se planejar e chegar à posição que deseja!

Gostou de aprender mais sobre planejamento e gestão de carreira? Quer contar com a ajuda de quem entende desse assunto? Então, não perca mais tempo e entre em contato conosco!

metas profissionais

Defina suas metas profissionais para 2020

A virada do ano é um momento de muita celebração e de festejar, mas também é um período que abre a possibilidade de reflexão. Ainda que você esteja satisfeito com a sua carreira ou mesmo que tenha vontade de dar uma guinada diferente no seu ramo, saber como definir suas metas profissionais para 2020 é muito importante.

O grande ponto é que, ao contrário do que muita gente pensa, essa pode ser uma tarefa um pouco complexa, uma vez que, invariavelmente, você deverá alinhar as suas expectativas e anseios de acordo com os seus recursos e soluções. Continue lendo esse conteúdo e descubra como fazer isso!

Afinal, o que são metas profissionais?

Antes de definir quais serão as suas metas profissionais para 2020, é preciso dominar um pouco melhor esse conceito. Uma meta pode ser entendida como um alvo específico que você deseja alcançar, em consonância com os seus pontos fortes, e a criação dos meios necessários para que você possa ter sucesso nessa empreitada. 

Você pode compreender que, para atingir um grande objetivo, você precisa traçar metas menores e mais tangíveis, que pavimentarão o percurso para o sucesso ambicionado. Perceba que, dessa maneira, algo que poderia parecer excessivamente grandioso e até distante pode se tornar mais simples, por meio de ações mais pontuais.

Sabendo melhor sabe o que são metas, fica mais simples começar a definir as suas. No entanto, você não pode deixar de ser pragmático, pois alinhar as suas expectativas com possibilidades reais é imprescindível para que você tenha êxito em seus desafios e, antes de tudo, não acabe frustrado com eventuais decepções.

Por que alinhar expectativas e possibilidades?

Alinhar a expectativa do que o profissional busca atingir conforme seus recursos e possibilidades é uma excelente estratégia para qualquer pessoa. Afinal, superestimar o quanto nós conseguimos fazer em um período pode ser uma ideia péssima para seu o planejamento e, sobretudo, para a sua motivação, não é verdade?

Embora se desafiar seja algo muito importante, é essencial fazer isso de forma progressiva, observando quais serão os caminhos a serem tomados e monitorando o seu avanço. Para fazer isso, é bom apostar na reflexão e no autoconhecimento. Um bom coaching, por exemplo, pode ser uma ajuda extremamente valiosa nesse ponto.

Como definir metas profissionais para 2020?

Agora que você já entendeu melhor o que são metas profissionais e descobriu quais são as razões pelas quais você precisa alinhar expectativas e possibilidades, chegou a hora de aprender, de uma vez por todas, como definir as suas metas profissionais para 2020! Continue lendo e observe como fazer isso!

Identifique os seus objetivos de vida

O primeiro passo para definir metas para 2020 é reavaliar quais são os objetivos da sua vida. Você está satisfeito com o seu local de trabalho, recebe adequadamente pelo cargo em que se encontra, sente-se seguro diante das competências que apresenta? Em caso negativo, você poderá até cogitar uma transição de carreira.

Independentemente disso, você deve ponderar se você está feliz com o que você faz, pois essa é a única maneira com que você possa se dedicar de corpo e alma para atingir os seus objetivos. Energia e competência deverão ser a sua marca pessoal, que contribuirão para que você se aproxime do propósito de sua existência.

Rascunhe alguns objetivos esporádicos

Depois de compreendê-los melhor os seus objetivos de vida, você pode partir para a próxima etapa, que consiste em colocar aquilo que você deseja no papel. Essa é uma forma de visualizar melhor suas metas e também de ajudar a despertar a energia interior necessária para que você possa atingi-las.

Na verdade, essa tarefa não precisa, necessariamente, se ater à carreira profissional e nem precisa ser nada muito detalhado. Pode ser um esboço de um planejamento maior, que virá a seguir, apenas para esclarecer algumas ações que podem (ou devem) ser tomadas em curto e médio prazos. 

Avalie as suas principais características

Qualquer profissional que anseia pelo sucesso deve avaliar as suas principais características, não é verdade? A ideia aqui não é saber se você é melhor ou pior do que os outros, mas sim descobrir quais são as aptidões que podem direcionar o seu planejamento futuro e as suas metas para 2020.

Vale a pena perceber que algumas pessoas são mais eficientes no papel de líder, enquanto outras apresentam um melhor desempenho quando orientadas. Não há mal nenhum nisso, e ter um mínimo de autocrítica é fundamental para que você entenda o tipo de colaborador que você é e como pode explorar melhor forças e fraquezas.

Veja onde você pode se aperfeiçoar

Como dissemos, ter fraquezas ou características nas quais você não se destaca não é propriamente um problema. Esse autoconhecimento ajuda a direcionar suas energias e objetivos, mas também pode ser um indicativo de que, de acordo com seu ramo e sua posição, algumas habilidades podem precisar de aprimoramentos.

Esse é um campo tão amplo que você pode, por exemplo, sentir a necessidade de aprender um segundo idioma, aumentar as suas habilidades de comunicação ou apenas ser mais paciente. Dependendo do caso, algumas aulas de yoga ou a orientação de um coach podem ter um efeito tão positivo quanto o de um curso caríssimo.

Elabore um pequeno plano de ações

Por fim, depois de seguir todos esses passos, você pode partir para um plano de ações propriamente dito. Aqui, mais do que no rascunho, você deve colocar as suas metas profissionais para 2020, levando em consideração todos os itens que você ponderou e aquilo que realmente é possível para esse ano.

Caso você tenha decidido aprimorar um aspecto no qual você precise de aulas particulares, por exemplo, é crucial colocar isso no planejamento, avaliando sobre o tempo, o investimento que será feito e até como isso impactará sua rotina. São detalhes que ajudarão na sua inteligência emocional e o deixarão mais próximo do sucesso.

Como você pôde ver, definir suas metas profissionais para 2020 é muito importante e você deve sempre observar o seu planejamento, analisando a sua evolução para atingir os objetivos propostos.

Gostou de aprender como definir suas metas profissionais para 2020? Então não deixe de fazer um comentário aqui no post!

gerenciamento de carreira

Quando é preciso ajuda profissional para gerenciamento de carreira?

Mudar de negócio ou fazer um planejamento da própria vida profissional não requer apenas intuição e força de vontade. Em muitos casos, é preciso pedir ajuda a alguém com conhecimento especializado em gerenciamento de carreira.

Esse profissional pode dar sugestões mais acertadas para o que você precisa, além de ajudar a fortalecer a sua imagem no mercado.

Mas em quais momentos é ideal procurar por esse tipo de ajuda? Acompanhe este artigo e conheça 6 sinais de que a sua carreira precisa de uma direção mais arquitetada.

1. Crise na imagem pessoal

Percepção negativa por parte do público, baixa popularidade, má aceitação nas redes sociais e exposição exagerada na mídia. Esses são alguns aspectos que mostram que existem problemas na reputação da imagem de uma pessoa ou corporação. Isso pode ocorrer em qualquer momento da vida profissional.

Essa crise de imagem é bastante comprometedora para os negócios de qualquer um. Atletas, celebridades, empresas e profissionais de diversos setores precisam ficar de olho na integridade da sua imagem.

Quando se esbarra em uma crise desse tipo, é chegada a hora de pedir ajuda profissional para fazer o gerenciamento da carreira. É necessário o apoio adequado para lidar com a situação de crise e reduzir ao máximo as suas consequências.

2. Indecisão sobre o mercado de atuação

Muitos profissionais têm inúmeras ideias na cabeça e gostariam de colocá-las em prática, mas sentem dificuldade de compreender qual o mercado ideal para atuar. Também não sabem como traçar objetivos e estratégias. Que tal procurar, então, uma ajuda profissional?

Com alguém que tem boa capacidade, formação adequada e visão de mercado, será possível resolver essas dificuldades. Por meio de uma orientação profissional, você vai poder identificar as características sociais e econômicas fundamentais para o seu negócio.

Além disso, terá a chance de estudar casos de sucesso e de conhecer outras estratégias de gestão para o seu empreendimento ou carreira.

3. Transição de carreira

Você tem uma formação acadêmica e já atua na sua área, mas sente falta de ter o seu próprio caminho? Procura por um segundo momento profissional em busca de novas oportunidades? Então, você deveria solicitar uma ajuda profissional para fazer o gerenciamento dessa fase de transição de carreira.

Inclusive, esse é o caso de muitos atletas profissionais que, por conta do esporte, em breve terão que deixar as quadras ou as piscinas devido ao desgaste físico.

Sendo assim, é necessário o auxílio de um profissional para planejar a transição de carreira ainda quando o indivíduo estiver na ativa. Isso para que o processo seja feito de forma gradual, segura e sem grandes transtornos financeiros, por exemplo. Afinal, uma transição de carreira não é uma aposentadoria, mas sim uma mudança para novos horizontes.

4. Necessidade de ampliar a abrangência do Marketing Pessoal

Muitas pessoas imaginam que o Marketing Pessoal se reduz somente às suas vestimentas e ao modo de falar ou de se apresentar dentro da sua área de atuação ou empresa.

Porém, quem pensa assim já deve saber que está em desvantagem em relação aos outros concorrentes. Atualmente, é preciso estender o Marketing Pessoal para várias outras áreas da sua vida.

Por exemplo, saber como se comportar nas redes sociais e viver intensamente a profissão é extremamente importante para quem almeja sucesso no mundo atual.

Afinal, já passou o tempo em que somente o local de trabalho era importante. Hoje, todos nós sabemos que o alcance das mídias sociais é extremamente válido para seu sucesso ou fracasso.

Não se esqueça de que o networking também faz parte da sua carreira e que, atualmente, é tido como uma das partes essenciais para seu sucesso. Por isso, cuidar da sua imagem pessoal e reputação é muito importante para manter as portas abertas.

Para quem tem dúvidas sobre esses novos aspectos, certamente a ajuda profissional pode ser eficaz para desmistificar certos conceitos e até mesmo para aumentar suas chances de conquistar novas oportunidades.

5. Lentidão na progressão da carreira

A lentidão na progressão da carreira pode ser um sintoma de várias atitudes cometidas ao longo do tempo. Em muitos casos, o profissional se acomoda, deixando de se renovar e de inovar dentro da sua área de atuação. Certamente, isso tem um preço.

A fim de conseguir saltar para os cargos mais importantes da sua companhia, é preciso ter uma formação acadêmica exemplar, além da capacidade de demonstrar resultados expressivos de forma constante.

Obviamente, tudo isso está relacionado com o seu marketing pessoal e com vários outros aspectos da sua vida profissional, mas certamente esses são bons pontos de partida.

Para organizar tudo isso e conseguir ter foco e um plano de ação eficaz, o coaching de carreira é uma ferramenta indicada. Com ela, você consegue ir mais longe em menos tempo.

A ajuda profissional, para esses casos, é extremamente bem-vinda. Em especial, para aquelas pessoas que não sabem mais o que fazer.

6. Atuação em uma nova área

Atuar em uma nova área é desafiador. É muito comum não saber como começar ou até mesmo quando iniciar essa nova empreitada.

Afinal, mudar de carreira exige muita dedicação e, sem um plano adequado, todas as mudanças podem se tornar um verdadeiro pesadelo devido aos grandes riscos financeiros.

Para gerenciar esses riscos com mais eficácia e não tomar nenhuma decisão equivocada, sempre é importante contar com profissionais capacitados ao seu lado. Eles saberão direcionar seus esforços e, principalmente, auxiliarão você a conseguir as melhores oportunidades que o mercado pode oferecer.

Não se esqueça de que simplesmente abandonar seu emprego atual e conseguir outro pode se tornar um grande problema de difícil solução. O ideal é sempre permanecer atento e principalmente preparado para conseguir cargos semelhantes com remunerações próximas do seu nível atual. No entanto, para conseguir esse feito, é preciso ter planejamento e muito conhecimento sobre o tema.

Essas foram algumas das situações que requerem uma ajuda especializada. Para o sucesso nesse tipo de orientação, é fundamental que você procure por gestores de carreira com referência no mercado. Por isso, dê uma olhada na cartela de clientes já atendidos por eles.

Se você estiver passando por algumas das circunstâncias apresentadas neste artigo ou precisa de um apoio profissional no gerenciamento de carreira, entre em contato conosco para ter orientações adequadas. Nós estamos prontamente preparados para ajudá-lo a conseguir o sucesso que você busca na sua vida profissional.

diversidade-e-inclusao-nas-empresas-por-que-voce-deve-se-preocupar.jpeg

Diversidade e inclusão nas empresas: por que você deve se preocupar

A diversidade e inclusão nas empresas tem sido um tema cada vez mais debatido no mundo moderno. Afinal, como lidar com as diferenças e, principalmente, quebrar velhos preconceitos que prejudicam não somente o ambiente profissional, mas também as relações interpessoais?

Esse pode ser um assunto delicado e, por isso mesmo, resolvemos preparar este post, destacando algumas dicas e informações bem úteis, que mostram a importância do tema em nossa rotina profissional e para a sociedade.

Sendo assim, sem mais delongas, vamos direto ao ponto. Podemos começar?

Diversidade e inclusão nas empresas é a mesma coisa?

É legal colocar essa questão na mesa, pois ainda há muito profissional e até empresas que consideram ambos os termos sinônimos. Mas não é bem assim!

Então, qual é a diferença? Podemos dizer que a diversidade está mais ligada a uma representação demográfica. Por exemplo, quantos negros, LGBTQ+, mulheres e pessoas com necessidades especiais (PNEs) trabalham atualmente na sua empresa? O ambiente é, de fato, diverso ou se caracteriza por um único perfil de profissionais?

Já a inclusão diz respeito ao processo que garante a diversidade de pessoas na empresa e, principalmente, o acesso às mesmas chances de desenvolvimento interno.

Para se ter uma ideia, ainda que a diversidade e inclusão nas empresas seja algo frequentemente debatido, a realidade é que as minorias ainda estão longe de ter chances igualitárias dentro de um negócio. Tá na hora de mudar isso, não é?

Por que se preocupar com a diversidade e inclusão nas empresas?

Tendo em vista que esse tema se tornou também uma forma de estratégia de algumas empresas, cabe ao profissional estar preparado, saber lidar e, claro, aprender com essas diferenças. Sendo assim, confira algumas dicas!

Talentos negligenciados

Não é cor, gênero ou estilo que define o talento de alguém. Devido a uma padronização de imagem na sociedade, decorrente de preconceitos, diversos profissionais talentosos encontram dificuldades para entrar no mercado de trabalho, o que é ruim não só pra eles, mas para a sociedade em geral.

Assim, investir em processos que garantam diversidade nas empresas está longe de ser apenas uma tendência, pois também envolve uma questão estratégica: ao garantir que mais pessoas sejam contratadas exclusivamente por seu talento pode ser uma medida decisiva para o aumento da produtividade, criatividade e sucesso.

Imagem do negócio

Outra importância de se trabalhar a diversidade e inclusão nas empresas está ligada à imagem que isso cria para o negócio. Afinal, estamos lidando com aceitação, quebra de preconceito, igualdade, oportunidade, entre outros assuntos que sempre foram questões importantes para grande parte da sociedade e do mercado.

Dessa forma, a empresa se torna diferenciada, mostra que tem responsabilidade social e respeito ao próximo. Sem dúvidas, isso soma à imagem e ao posicionamento da marca, ajudando-a a atrair cada vez mais clientes que se importam com esse tema, além de colaboradores talentosos e motivados.

Mais dinâmica ao negócio

Além da questão social e humana que essa estratégia promove comprovadamente, a diversidade e inclusão nas empresas têm rendido resultados e lucros extraordinários para muitos negócios por aí.

Afinal, quando o tema não se limita apenas ao momento de contratação, a tendência é que ele influencie também o clima organizacional, a cultura da empresa, a integração das equipes e, por fim, a produtividade de cada colaborador, o que consequentemente gera mais retornos ao negócio.

Essas são algumas das dicas e informações sobre diversidade e inclusão nas empresas e por que esse assunto é tão relevante, tanto para quem contrata, como para os profissionais que atuam no mercado.

Em resumo, muito mais do que reconhecimento e aceitação das diferenças, vemos que esse tema também envolve questões estratégicas e diferenciais em muitos pontos.

Curtiu? Quer ficar por dentro de outras dicas e informações para a sua carreira e sobre o que há de mais atual no mercado? Se inscreva em nossa newsletter e recebe as próximas novidades diretamente na sua caixa de entrada!

gerenciamento de carreira de atletas

4 lições de Tom Brady sobre o gerenciamento de carreira de atletas

Existem celebridades do esporte que, além de serem excepcionais na modalidade que praticam, atingem um patamar de sucesso que transcende a sua atividade e pode ser utilizado como referência por qualquer pessoa. Pensando nisso, preparamos esse conteúdo com 4 lições de Tom Brady sobre o gerenciamento de carreira de atletas.

O quarterback é reconhecido no mundo todo não apenas pelos seus lançamentos precisos ou pelo badalado casamento com a supermodelo brasileira Gisele Bündchen, mas justamente pela forma que ele lida com a mídia e as oportunidades que se apresentaram ao longo do tempo. Continue lendo e aprenda com ele!

1. Invista fora do seu ramo

A carreira de um atleta, de uma maneira geral, é bastante efêmera e termina mais cedo que a maioria dos profissionais, principalmente em modalidades de muito contato físico, como é o caso do futebol americano. Seja por conta da idade ou por lesões mais graves, é essencial buscar uma nova abordagem para continuar crescendo.

Tom Brady fez isso e investiu em ramos totalmente diferentes. Um dos seus grandes cases de sucesso é o “The TB 12 Method”, um manual de nutrição que utiliza a sua marca pessoal para ensinar as pessoas a terem um estilo de vida que proporcione um “desempenho máximo sustentado”, basicamente cuidando do que se come.

2. Fique calmo nas horas difíceis

Embora o quarterback seja o atleta que mais precisa se manter calmo e racional no futebol americano, qualquer pessoa necessita dessa qualidade em algum momento de sua carreira. No trabalho ou na vida pessoal, uma decisão errada pode ter consequências devastadoras e, por isso, cabe a todos trabalharmos o equilíbrio emocional e a coerência.

3. Vá além do que é comum

Para boa parte dos atletas, seguir as orientações dos preparadores físicos dos seus clubes, comer o que é recomendado pelos nutricionistas e cumprir as obrigações táticas do treinador já é um tremendo desafio. Portanto, na maioria das vezes, eles já ficam extremamente satisfeitos se vencerem esses desafios.

No entanto, para se tornar um mito como Tom Brady, é preciso ir além do senso comum e sair de sua zona de conforto. Ele sempre buscou mais que o habitual de um jogador e incluiu no seu dia a dia tudo aquilo que pudesse maximizar sua performance, como um plano alimentar específico e cuidados extras com sua saúde mental.

4. Mantenha a humildade sempre

Embora Tom Brady já possa ser considerado um dos maiores atletas de futebol americano de todos os tempos, ele demonstra a vontade de um garoto e o foco que poucos esportistas tiveram ao longo da história. Além disso, Brady sempre exprime sua gratidão, seja pelos companheiros, pela família, pelos técnicos e demais profissionais que trabalham para o sucesso do time.

Seguindo essas lições de Tom Brady sobre o gerenciamento de carreira de atletas, você poderá dar um salto de qualidade e se tornar um verdadeiro líder, independentemente da área do mercado na qual você atue!

Gostou de conhecer as lições de Tom Brady sobre o gerenciamento de carreira de atletas? Quer gerir melhor a sua carreira? Entre em contato conosco e descubra como podemos ajudá-lo!