Posts

transição profissional

Transição profissional: 6 ações para ter sucesso nessa caminhada

A transição profissional é quando um indivíduo busca maior satisfação com sua carreira, trocando parcialmente ou por completo seu ramo de atuação para uma escolha que traga mais bem-estar e qualidade de vida.

Apesar de parecer impossível, é preciso ressaltar que praticamente todas as pessoas conseguem realizar essa mudança complicada. Tudo depende de um planejamento realista e calculado para que no futuro não surjam imprevistos financeiros ou, até mesmo, uma sensação de arrependimento durante o caminho ou com a nova escolha.

Vale ressaltar que, normalmente, leva-se algum tempo para conseguir fazer uma transição bem-sucedida e, portanto, nenhuma atitude “brusca” ou inconsequente pode ser vista como uma boa alternativa para quem busca atuar em uma nova área.

Neste post falaremos mais sobre como você pode fazer essa mudança com total segurança e sucesso com 6 dicas práticas. Ficou interessado no assunto? Continue a sua leitura até o final!

1. Identifique os motivos da transição profissional

A princípio, a ideia inicial é entender a razão por trás da transição. Muitas pessoas simplesmente desejam mudar de ramo acreditando que essa é a solução para todos seus problemas, mas, na prática, elas podem estar criando maiores desafios e complicações do que conseguem imaginar no momento de dificuldade.

É preciso lembrar que ao mudar de carreira você precisa aprender (quase sempre) uma nova profissão, com novas obrigações, novo método de trabalho e uma infinidade de pequenas particularidades.

Em alguns casos, o problema pode estar simplesmente na sua companhia ou na sua região, portanto, não deixe de fazer uma autoanálise séria e competente antes de ingressar em uma nova aventura.

2. Planeje seu tempo e orçamento

Com uma autoanálise bem estabelecida e com a total certeza de que a escolha mais apropriada é a transição para outra área, chegou o momento de planejar seu tempo e orçamento para os próximos meses.

Afinal, uma mudança dessas exige (na maioria dos casos) uma nova formação, o que envolvem gastos e um espaço de tempo considerável. Por isso, sente com calma e comece a analisar quais são suas disponibilidades e alternativas.

Os cursos são de graduação? São técnicos? De especialização? Quanto custa a opção mais vantajosa para seu currículo? Quantas horas de estudo durante a semana você vai precisar? É necessário estagiar? Todas essas particularidades devem ser colocadas no papel antes da mudança. 

Não se esqueça de incluir seus gastos e demais informações que movimentem seu orçamento mensal — especialmente se seu objetivo for a troca de emprego em um curto espaço de tempo, o preferível é que você tenha uma folga financeira de pelo menos 6 meses antes de iniciar essa nova empreitada.

3. Avalie seus interesses e habilidades

Ainda no momento da escolha do seu curso, não se esqueça de levar em conta seus principais interesses e habilidades. Na dúvida, opte por aqueles assuntos que você mais gosta de estudar e que costuma passar o tempo aprendendo.

Tudo isso auxilia você a escolher um trabalho descomplicado e que seja alinhado com sua personalidade e propósito de vida. Durante essa avaliação, não se esqueça de ser sincero em relação às principais habilidades — o ideal é focar nos pontos fortes em vez dos fracos, simplesmente por uma questão de retorno do investimento (tanto de tempo quanto de dinheiro).

Essa dica deve ser feita em conjunto com a anterior e, sem dúvida, essa é uma das partes mais importantes durante a sua transição profissional. Evite áreas muito diferentes da sua ou que você tem pouco ou nenhum conhecimento e experiência. Idealmente, sua escolha deve estar dentro dos seus interesses atuais. Como dica extra, não persiga somente o retorno financeiro.

4. Estude o mercado de trabalho

Estudar o mercado de trabalho também é imprescindível para o sucesso. Será que daqui a alguns anos sua nova carreira estará firme no mercado? Existe crescimento? Qual o tamanho da concorrência profissional? Tudo isso deve ser levado em consideração.

Obviamente, não é possível prever o futuro com exatidão, mas é sempre importante ouvir e procurar pelos profissionais que já atuam e que apresentam um prognóstico realista para os anos que estão por vir.

Isso também auxilia você durante sua nova formação (se necessária) e sobre suas principais estratégias para o futuro. Esse planejamento deve sempre levar em consideração o médio e longo prazo, por isso, é preciso ter um pouco de criatividade e assiduidade nos estudos para conseguir ter, pelo menos, uma ideia geral do que os próximos anos podem reservar para sua nova carreira.

5. Potencialize seu currículo com novos treinamentos

Durante sua transição, é mais do que recomendado que você comece a potencializar seu currículo de forma contínua. Procure por experiências (mesmo como voluntário), pequenos cursos e demais qualificações que possam transformar por completo o seu currículo.

Algumas dessas alternativas podem ser feitas de forma prática e em curto espaço de tempo nas suas horas vagas. Portanto, aproveite o ensino a distância e todas as ferramentas que estão à disposição.

Quanto maior for seu investimento e interesse na sua nova área, maiores serão as probabilidades de sucesso no futuro. Inclusive, não se esqueça de colocar sua experiência e competências atuais para conseguir fomentar ainda mais as suas principais atividades.

6. Busque apoio profissional

Por fim, lembre-se de que o apoio profissional para esse tipo de mudança existe e é extremamente recomendável. Como pôde ser percebido, o caminho a ser trilhado é longo e existe uma série de passos que devem ser dados de maneira proativa até uma transição segura e com reais chances de sucesso.

Os profissionais que trabalham com gestão de carreira estão aptos e amplamente treinados a auxiliar em todas essas análises e abordagens, fazendo com que um plano realista, mensurável e aplicável seja criado em um curto espaço de tempo (e com menor risco).

Aqui na PD Gestão de Imagem e Carreira fazemos esse trabalho e ainda auxiliamos você a criar uma marca pessoal forte, entre outros diferenciais que te colocam a frente de toda a concorrência, seja durante a sua transição profissional ou a sua carreira atual.

Gostou do post? Visite o nosso site e conheça mais sobre o nosso trabalho — estamos à disposição e prontos para lhe ajudar!

tipos de carreira

Você conhece os tipos de carreira? Veja quando vale a pena mudar

Existem vários tipos de carreira e a maioria das pessoas sequer sabe disso. Durante nossa vida, é muito comum seguirmos o tradicional caminho no mundo corporativo, sem nos darmos conta de que existem várias outras opções que podem estar mais alinhadas com nossa personalidade e objetivo de vida.

A escolha equivocada de um desses tipos pode provocar uma constante sensação de infelicidade, além de outros sintomas emocionais como falta de ânimo ou até mesmo ansiedade e estresse excessivo.

Neste post, falaremos mais sobre o tema e informaremos quando é a hora ideal para fazer a troca da sua atividade profissional de maneira eficaz e com pouco risco. Ficou interessado? Continue sua leitura até o final!

Quais os principais tipos de carreira?

A carreira tradicional (ou burocrática)

A carreira tradicional é aquela que todos nós conhecemos: uma atividade profissional em uma empresa de porte variável que normalmente apresenta um plano de carreira que está vinculado às metas e ao tempo de trabalho.

Esse caminho é famoso por sua estabilidade financeira e pelo baixo risco e menor qualificação. Diversas empresas do varejo, por exemplo, costumam apresentar e disponibilizar oportunidades para quem precisa de um emprego e deseja fornecer sua mão de obra.

O ponto negativo é que os ganhos financeiros costumam ser dentro da média salarial do país e a chance de crescimento, apesar de existir, quase sempre está presa aos prazos e requisitos apresentados durante a contratação (em alguns casos, não há grande possibilidade de ascensão). Líderes e pessoas com mais proatividade podem sentir-se presos ou descontentes com esse tipo de carreira.

A carreira empreendedora 

A carreira empreendedora é aquela em que um indivíduo abre uma empresa. Apesar de parecer impossível, é importante mencionar que não é preciso iniciar grande ou, até mesmo, com investimentos multimilionários — é possível começar uma atuação com investimentos modestos ou bem pequenos.

Esse tipo de carreira é marcada pelo alto risco, mas pelas grandes chances de ganhos financeiros no futuro. Diferente do que a maior parte das pessoas pensam, a carga de trabalho tende a ser maior, além do estresse e das demandas diárias.

Apesar disso, muitas pessoas preferem essa abordagem em relação às outras por conta da liberdade criativa e da chance de controle total. Indivíduos mais proativos e com ideias mais visionárias tendem a querer perseguir esse caminho, que normalmente é mais indicado para os mais experientes no ramo em que se deseja empreender.

A carreira acadêmica

A carreira acadêmica dificilmente é levada em consideração, mas é outra que pode gerar grandes ganhos financeiros e um destaque no mercado de trabalho que poucos podem se dar o luxo de conquistar.

Apesar disso, vale destacar que esse crescimento pode levar, pelo menos, uma década, além de uma profunda e constante vida dedicada aos estudos para a área de interesse. Para perseguir o caminho é importante estar se qualificando constantemente e, principalmente, produzindo conteúdo acadêmico (como pesquisas com metodologia apropriada) de forma regular. Ir da graduação para um doutorado leva tempo, mas é extremamente gratificante.

Esse tipo de carreira é mais voltada para pessoas que apresentam profundo interesse em alguma área do conhecimento, e, sem dúvidas, é necessário ter aptidão e muita vontade de querer ensinar, uma vez que normalmente o mercado de trabalho está voltado para área do ensino (em grande parte).

Quando é hora de mudar e como fazer isso com segurança?

Como você pôde ver, existem alguns tipos de carreiras que podemos seguir para alcançar o sucesso profissional e a autorrealização. Lembrando que existem indivíduos que alternam entre essas áreas durante algumas vezes em sua vida.

A hora para mudar de ramo normalmente acontece quando há insatisfações profundas e um interesse cada vez maior e gradativo por outras questões profissionais, como salário, qualidade de vida ou chance de crescimento.

Por isso, é indicado que você pratique o autoconhecimento para saber, entre os tipos de carreira, qual o seu em especial e quais são as alternativas que mais servem para seu caso — não existe uma resposta correta e somente você pode encontrar o ideal para sua vida.

Gostou do post? Aproveite a visita e veja como fazer e qual a importância da avaliação de carreira. Aprenda mais sobre esse importante tema!

vida e carreira

Como equilibrar vida e carreira para ter melhores resultados?

Entender como equilibrar vida e carreira é uma das chaves para conseguir transformar sua qualidade de vida. Afinal, lidamos com um mundo cada vez mais exigente, e saber como controlar as novas e frequentes demandas profissionais é uma habilidade que precisa ser desenvolvida por todos nós.

Porém, como já deve ser do seu conhecimento, não basta somente focar no trabalho: o lazer e as responsabilidades pessoais também devem ser equilibradas de forma estratégica, para que possamos ser pessoas completas, saudáveis e funcionais.

É importante mencionar que o foco constante e completo na profissão pode gerar inúmeros malefícios para a saúde, como aumento do estresse, ansiedade, depressão e a famosa Síndrome de Burnout, desencadeada pelo excesso nas atividades profissionais.

Abaixo, falaremos mais sobre como você pode evitar que isso aconteça com algumas medidas práticas. Pronto para saber mais? Continue sua leitura até o final!

Aprenda a delegar tarefas de forma adequada

Um dos maiores erros que cometemos é ter a ilusão de que precisamos fazer tudo. Essa mentalidade, apesar de nobre, é uma das causadoras de estresse e da ansiedade no mundo empresarial.

É fundamental saber delegar tarefas e entender que as pessoas também são capazes de desenvolver um bom trabalho. Confie naqueles que estão a sua volta e sempre preze pela qualidade do trabalho final.

Essa medida faz com que sua agenda fique menos lotada e também ajuda a tornar os colaboradores cada vez mais capacitados ao longo do tempo. Portanto, comece o quanto antes essa nova abordagem na sua liderança.

Separe momentos de lazer na sua rotina

Para conseguir equilibrar vida e carreira, não existe saída: é preciso separar momentos de lazer durante a semana. Invista em hobbies, passeios e atividades recreativas para conseguir ter uma vida funcional.

Como dica extra, procure manter-se fisicamente ativo nesses momentos e não deixe de aproveitar essas horas com as pessoas que você gosta. A família e seus amigos agradecerão pelo esforço.

Note que essa medida também é importante para sua saúde mental e qualidade de vida — ter o que fazer fora da vida profissional é uma necessidade de todos nós e precisamos cultivá-la frequentemente.

Desconecte-se do trabalho de tempos em tempos

Por fim, não deixe de se desconectar do trabalho por completo. Para algumas pessoas, isso pode ser o final de semana, para outras, os dias de folga. Não importa quando, o importante é conseguir afastar-se do trabalho por algum tempo.

É extremamente comum as pessoas retornarem para o lar com todas as demandas e preocupações da jornada de trabalho. Esse problema tem aumentado com a conectividade constante e a cada vez mais dificultosa delimitação entre vida pessoal e profissional.

Por isso, separe suas folgas para você e sua família. Comece a criar o hábito de desconexão durante esses momentos e entenda que nem sempre sua presença constante é importante para os resultados da sua empresa. Pode parecer difícil no início, mas essas são medidas imprescindíveis para quem deseja equilibrar vida e carreira de forma saudável e eficaz.

Gostou do post? Siga nossas redes sociais! Estamos no Facebook, Twitter, LinkedIn, YouTube e Instagram!

frustracao-profissional

Aprenda a lidar com a frustração profissional para alavancar a carreira

A frustração profissional é uma circunstância pela qual praticamente todo profissional liberal passa durante sua carreira. Esse sentimento de descontentamento normalmente está relacionado com perfeccionismo, altas exigências pessoais e até mesmo grandes expectativas que eventualmente podem estar acima do esperado para o mercado de trabalho.

Durante essa fase, é importante manter atenção onde realmente importa e procurar alternativas que possam diminuir a frustração em curto, médio e longo prazo. Conseguir equilibrar o lado emocional com o planejamento de carreira pode facilitar e transformar completamente a qualidade de vida daqueles que buscam melhores resultados.

Neste post falaremos como você pode idar com a frustração profissional de forma prática e sem grandes dificuldades. Gostou da ideia? Continue sua leitura até o final!

Saia da sua zona de conforto

Muitas vezes nós só desejamos trabalhar com um único público. Não damos atenções para demandas específicas e, por isso, ficamos sujeitos à alta concorrência e aos demais problemas que diminuem consideravelmente nossa chance de crescimento.

Especialmente para quem é profissional liberal, é extremamente importante ficar atento às novas tendências e oportunidades de cada época. De forma geral, todas as atividades profissionais apresentam certos nichos que são lucrativos e quase sempre inexplorados.

Portanto, o indicado é observar essas alternativas com cuidado, fazendo, se for necessário, algum tipo de especialização para poder lidar com total confiança e capacidade com essas novas áreas quase inexploradas.

Compartilhe seus sentimentos

Compartilhar como você se sente com relação à sua carreira é extremamente importante. Essa é uma medida de curto prazo que pode ajudar você a reorganizar sua vida de maneira proativa e a buscar novas ideias.

Esse “desabafo” pode ser feito com um profissional da área da saúde mental (como um psicólogo, por exemplo) ou com outro colega de profissão que está em algum patamar mais elevado. Em muitos casos, os mais experientes já passaram por isso e podem facilitar bastante seu caminho rumo ao sucesso.

Apesar de parecer inofensivo inicialmente, conseguir lidar com suas emoções é uma importante medida para atingir o bem-estar imediato. A prática da meditação e outras atividades que visam a saúde (como exercícios físicos) também são atitudes que podem ajudar nessa descarga emotiva.

Pratique o autoconhecimento

Por fim, não se esqueça de praticar o autoconhecimento para ver quais são suas reais intenções e anseios para o futuro. Tirar um tempo para si mesmo a fim de conseguir organizar as coisas é extremamente importante, especialmente quando falamos da vida profissional.

Faça uma autoanálise profunda e extremamente realista. Inclua questionamentos como: é possível crescer nesse ramo? Qual a média salarial? Existem pessoas que ganham muito bem? Como fazer para se destacar? Onde quero estar daqui a 5 anos? Quais são meus sonhos? Eles são compatíveis com a minha carreira?

Todas essas questões ajudam a direcionar suas ações para o futuro. Daí em diante é preciso ter proatividade e uma mentalidade positiva em busca do sucesso, não só financeiro, como emocional.

Vale ressaltar que a frustração profissional é uma questão séria que merece a sua atenção. Recomendamos que você aja o quanto antes para mudar essa circunstância desagradável que pode gerar vários problemas de saúde, como depressão e ansiedade. Por isso, não postergue seu mal-estar e tenha em mente que é possível mudar de situação com algumas medidas práticas.

Gostou do post? Que tal uma leitura complementar sobre como mudar sua imagem pessoal? Com certeza essa postagem ajudará na sua vida e carreira de forma positiva — dê uma olhada!

avaliação de carreira

Avaliação de carreira: qual a importância e como pode ser feita?

A avaliação de carreira é uma das únicas formas que temos para definir nossa satisfação profissional. Somente com uma análise dos nossos ganhos financeiros, reconhecimento e possibilidade de crescimento podemos traçar um plano realista e verdadeiro para o futuro.

Curiosamente, a maioria das pessoas não tira um tempo para fazer essa autoanálise. Elas não avaliam os pontos positivos e negativos do seu trabalho, e quase nunca se perguntam se é possível ou não alcançar novos patamares ou fazer um trabalho realmente prazeroso.

Devemos sempre ressaltar que o trabalho é uma atividade que toma grande parte da nossa vida, por isso, é nossa responsabilidade tentar buscar as melhores oportunidades e, principalmente, aquilo que nos enche de satisfação e prazer.

Neste post, falaremos mais sobre a importância da avaliação de carreira, mencionando como você pode fazer a sua, seus benefícios e qual é a frequência ideal para essa autoanálise. Gostou da ideia? Continue sua leitura até o final!

Quais os impactos do seu trabalho na sua vida pessoal?

A maior parte das pessoas separam por completo sua vida pessoal da profissional. Apesar de essa ser uma abordagem louvável e até mesmo uma boa prática, é preciso ter em mente que não é possível fazer uma distinção completa. Em algum momento, essas duas áreas entrarão em conflito ou gerarão algum tipo de problema pessoal.

Por isso, o primeiro passo para realizar uma avaliação de carreira é tentar entender esse aspecto importante da sua existência. Você realmente gosta do seu trabalho? Ele gera bons momentos? Satisfação pessoal? 

Todas essas perguntas devem ser feitas e respondidas com total sinceridade. Esse é um exercício importante para garantir sua saúde mental e sua qualidade de vida no futuro — especialmente se você sente falta de tempo livre ou sofre com o peso do estresse no cotidiano.

Quais são suas perspectivas de crescimento?

A segunda pergunta importante é sobre suas perspectivas de crescimento. Onde você se vê em cinco ou dez anos? Quais são as possibilidades reais de uma ascensão? Quais são os passos a seguir para conquistar esses novos resultados? Dá para ganhar mais? 

Há a possibilidade de crescimento? O salário é satisfatório? Assegurará sua qualidade de vida nos anos seguintes? Todos esses questionamentos conseguem trazer à tona a verdadeira realidade da sua atividade profissional.

Ao sentir que as coisas não vão bem, é importante pausar por um breve momento e realmente repensar a sua vida e metas para o futuro. A maior parte das pessoas deixam as coisas passar e, posteriormente, queixam-se da infelicidade — e essa certamente não é uma abordagem saudável.

Na dúvida, procure por ajuda profissional e entenda que existem consultorias com a pura finalidade de ajudar você a fazer a avaliação de carreira, que, inclusive, pode ser feitas anualmente para quem deseja acompanhar a área profissional de perto.

Vale mencionar que pessoas mudam de área o tempo todo, e, talvez, se for o seu caso, é melhor começar o mais cedo possível para conseguir realmente aproveitar a vida e ter mais felicidade. Se você gosta do que faz e acha que pode conseguir mais resultados, saiba que essa realidade também é possível — só depende das suas ações e planejamento.

Gostou do post? Assine nossa Newsletter e receba em primeira mão nossas novas postagens no seu e-mail!

Agora é o momento certo para mudar de carreira?

A pandemia fez muita gente rever prioridades e repensar suas escolhas profissionais. Mas será que este é um bom momento para mudar de carreira?

“Tomar a decisão de mudar de empresa ou de profissão não é tarefa fácil. Fazer uma transição exatamente agora, em meio a esse contexto de caos e com um futuro cheio de incertezas exige ainda mais cautela”, diz Patrícia Dalpra, especialista em Personal Branding e Gestão de Carreira.

Não importa se você é funcionário de uma organização ou profissional liberal, se você está enfrentando o dilema sobre fazer uma transição agora ou esperar a pandemia passar, é preciso lembrar que qualquer mudança pode trazer satisfação e sucesso, mas, em contrapartida, envolve riscos, desafios e muito planejamento.

Segundo a especialista, insatisfações momentâneas com a sua empresa ou negócio, modismos temporários ou até dificuldades pessoais não devem ser encarados como o combustível principal para uma mudança. “O segredo dessa iniciativa deve suscitar de seus gostos, desejos, sonhos e propósitos de vida. Não troque a sua história e a formação meramente por uma oportunidade que está em alta ou que simplesmente pague melhor naquele momento”, destaca.

Patrícia ressalta que, em certos casos, “ficar onde está” não é necessariamente sinônimo de estagnação. “Pode ser uma estratégia para ganhar mais tempo, planejar-se melhor e acertar nas escolhas”, diz.

A seguir, ela lista alguns pontos que devem ser levados em conta para uma decisão sem erros ou arrependimentos futuros.

Confira a matéria completa aqui.

job crafting

Entenda agora mesmo o que é Job Crafting e como beneficia as empresas

O Job Crafting é, basicamente, a forma como você encara sua profissão. Pessoas que não conseguem entender um sentido na sua atividade profissional costumam não só receber menos, como também estão mais suscetíveis a sentir infelicidade ou até mesmo a desenvolver comorbidades de origem psicológica, como a depressão.

O termo surgiu com um estudo realizado por duas pesquisadoras norte-americanas, que ao término, descobriram que mesmo pessoas com funções iguais tinham perspectivas e resultados completamente diferentes.

Ao longo dos últimos anos, esse termo vem sendo estudado e amplificado para as mais variadas áreas profissionais, sendo uma importante ferramenta para quem deseja encontrar maior satisfação pessoal e até mesmo mudar sua vida profissional de maneira definitiva.

Abaixo, falaremos mais a respeito e como você pode se beneficiar do Job Crafting, além de como as empresas podem aplicá-lo e garantir uma equipe mais engajada e preparada para realizar as tarefas mais importantes do dia a dia.

Pronto para saber mais? Continue sua leitura até o final!

Como o Job Crafting funciona na prática?

Falando especificamente da origem do termo, as pesquisadoras que estudaram duas equipes de limpezas distintas de um hospital perceberam que havia diferenças significativas entre a forma que alguns profissionais lidavam com suas tarefas diárias.

Um grupo ressaltava que seus esforços não tinham muito valor, eles não sentiam prazer em fazer a limpeza e relataram que estavam simplesmente ali para ganhar seu salário no fim do mês, essencial para sua sobrevivência.

Já com a segunda equipe foi constatado o oposto: uma satisfação maior e um propósito completamente diferente. Essas pessoas se sentiam importantes, apesar de suas atividades mais simples, e relatavam que mesmo limpando, estavam contribuindo para a melhora dos pacientes.

O que fica nessa breve “lição” é que, de fato, o significado da profissão e das tarefas faz total diferença na satisfação pessoal. E, a partir daí, surgiu o trabalho de ressignificação da profissão, para garantir melhores resultados e principalmente melhor qualidade de vida para toda equipe.

Na prática, a busca é pelo sentido e pela real importância das tarefas que estão sendo realizadas. Diferente do que a maioria das pessoas pensam, em muitas das vezes, a área operacional de uma companhia é a mais importante para os resultados finais, uma vez que é a partir desse grupo de colaboradores que a organização efetivamente funciona e se torna capacitada a atender seus clientes.

Por que o conceito de Job Crafting é tão importante para as empresas?

Com o auxílio do Job Crafting, os profissionais passam a ter um propósito maior do que simplesmente receber um salário. Isso gera um engajamento profissional completamente diferente tanto para a realização das tarefas quanto para identificar e sugerir novas mudanças nos processos organizacionais.

Sabendo disso, é extremamente importante trabalhar esse conceito com a equipe. Fazer cada colaborador sentir seu valor e lugar na empresa é extremamente produtivo e saudável, o que faz com que automaticamente o time crie um laço de união e de propósito imprescindível para alcançar novas metas e patamares.

Por essas razões, é extremamente importante identificar a insatisfação profissional. Entender as frustrações e motivações do seu pessoal pode modificar completamente a forma como você delega as tarefas e organiza as demandas.

Por via de regra, as companhias que aplicam o Job Crafting conseguem profissionais mais satisfeitos, com maior nível de competência e de motivação para enfrentar as condições difíceis que o mercado de trabalho impõe a cada mudança.

Como aplicar o Job Crafting na sua companhia?

Aplicar o Job Crafting não é uma das tarefas mais fáceis. É preciso muito cuidado para não soar pretensioso ou até mesmo tentar transformar algumas tarefas mais básicas em grandes eventos que mudam o mundo, o importante é encontrar o equilíbrio e a sobriedade.

Além disso, não existe uma maneira única de aplicação. O Job Crafting depende de uma análise profunda da equipe da sua organização, de modo a entender as paixões dos profissionais e conhecer um pouco mais sobre a personalidade de cada colaborador, algo essencial para acertar na ressignificação.

Profissionais que têm apreço pela responsabilidade social, podem entender que seu trabalho é, além de importante para companhia, uma maneira de garantir que as pessoas tenham o melhor que elas buscam.

Enquadrar a missão da empresa, os valores e princípios é fundamental nessa etapa, que além de muito importante leva algum tempo para ser cumprida. De forma geral, o Job Crafting pode ser visto como um trabalho relativamente contínuo e intimamente ligado a cultura empresarial.

Lembrando que além da ressignificação do trabalho, nós também podemos realizar a ressignificação de tarefas e de relações interpessoais. O trabalho é bem amplo e varia de acordo com as necessidades de cada organização. 

Qual o papel do líder com a aplicação do Job crafting?

Por fim, é fundamental entender que o Job Crafting não é simplesmente uma medida impessoal, com cartazes e com materiais explicativos. Os líderes devem estar intimamente relacionados com esse processo de mudança, e em suma, são eles os responsáveis pela aplicação da ressignificação.

Estreitar os laços na equipe e conseguir uma comunicação assertiva são duas vias que ajudam na aplicação da metodologia, além de serem uma das únicas formas de realmente conseguir instaurar as mudanças empresariais que são buscadas.

É imprescindível lembrar que o Job Crafting deve ser aplicado como uma forma de aumentar a satisfação e a qualidade de vida dos profissionais, dando o reconhecimento e a satisfação que eles precisam para conseguir desempenhar seu papel.

Os benefícios empresariais devem ser tidos como segundo plano ou até mesmo devem ser vistos como “efeito colateral” das medidas, que são extremamente benéficas quando bem aplicadas e levadas a sério.

Em termos gerais, o Job Crafting ainda é um termo que está sendo amplamente debatido e estudado no meio acadêmico e profissional, e a perspectiva é que, ao longo dos próximos anos, as pessoas se sentirão cada vez mais felizes e satisfeitas com suas atividades profissionais.

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais e ajude mais pessoas a terem acesso a este material!

mudança de área

Você sabe qual o momento certo para a sua mudança de área?

O que falta para você crescer profissionalmente e conquistar aquela tão sonhada mudança de área na empresa? Ou, se você é autônomo e sempre sonhou em atuar em outro setor, será que vale esperar mais algum tempo para apostar nessa transição? 

Não importa se você é liberal ou funcionário de uma organização, a mudança de área pode sempre ser um desejo e um objetivo dentro da profissão, ainda mais em se tratando das gerações mais modernas e mais motivadas pela busca do “novo”

Para tentarmos ajudar nessa iniciativa e, principalmente, orientar quanto à hora certa de decisão, preparamos este post com dicas preciosas de como deve ser realizada essa mudança de área, sem erros ou arrependimentos futuros. Vamos conferir? 

Afinal, o que deve motivar realmente a mudança de área? 

Mudar de área, muitas vezes, reflete em mudança de profissão e, portanto, a alteração não deve ser feita por meio de ações impensadas ou impulsionadas por emoções temporárias. É preciso traçar objetivos e metas e ter total ciência de que o caminho de volta pode ser mais difícil ou mesmo nem existir. 

Sendo assim, de primeira, insatisfações momentâneas com a sua empresa ou negócio, modismos temporários ou até dificuldades pessoais não devem ser encarados como o combustível principal para uma mudança de área. O segredo dessa iniciativa deve suscitar de seus gostos, desejos, sonhos e propósitos de vida. Não troque a sua história e a formação meramente por uma oportunidade que está em alta ou que simplesmente pague melhor naquele momento.

Em certos casos, “ficar onde está” não é necessariamente sinônimo de estagnação. Pode ser uma estratégia para ganhar mais tempo, planejar-se melhor e acertar nas escolhas.

Vale a pena mudar de área? 

Não é uma regra, mas, evidentemente, mudar para algo que realmente lhe preencha profissionalmente é o melhor caminho. No entanto, é importante destacarmos que qualquer mudança de área pode trazer satisfação e sucesso para a pessoa, mas, em contrapartida, envolve riscos, desafios e muito planejamento. 

Pensando nisso, separamos algumas vantagens e desvantagens que devem ser levadas em consideração na hora dessa decisão. Confira! 

Vantagens 

Sem dúvidas, a mudança de área pode proporcionar muitas vantagens ao profissional, especialmente no quesito satisfatório e de reconhecimento por vencer um desafio importante em sua vida. Por isso, os pontos a seguir são alguns dos principais benefícios que você poderá conquistar nessa jornada: 

  • satisfação pessoal; 
  • possibilidade de ganhos maiores, mais tempo livre, realizações etc.; 
  • conquistas e realizações pessoais; 
  • sucesso profissional. 

Desvantagens 

Por outro lado, ainda que os resultados possam ser satisfatórios, o trajeto a ser percorrido na mudança de área nem sempre é o mais confortável e fácil. Assim, para que se tenha ciência disso, a lista abaixo destaca alguns desses possíveis desafios pelo caminho. Confira: 

  • riscos com a antiga profissão; 
  • possíveis gastos e investimentos iniciais; 
  • instabilidades (especialmente para autônomos); 
  • necessidade de maior disciplina e de planejamentos; 
  • vontade de voltar atrás. 

Em resumo, o desejo pela mudança de área é algo natural na vida de qualquer profissional. No entanto, é fundamental que qualquer ação tomada seja motivada por propósitos e objetivos reais, e não apenas por emoções e fenômenos temporários.

Portanto, antes de buscar fazer uma nova faculdade ou de enviar currículos para uma nova empresa, pare, pense, estude, converse com o chefe e com outros profissionais, analise bem a situação, enxergue além dos horizontes, conheça todas as alternativas e aja mais com a cabeça e menos com o coração nessa hora. 

Gostou deste post que trata da mudança de área? Quer mais dicas para a sua carreira? Então, não deixe de ler também o nosso próximo artigo e saiba como alcançar as suas metas com o autodesenvolvimento pessoal

como utilizar o linkedin

Como utilizar o LinkedIn na gestão de carreiras?

O LinkedIn é considerado a melhor rede social para alavancar a carreira e conseguir melhores oportunidades. Basta saber se promover, interagir e utilizar a plataforma corretamente. Veja nossas dicas de como utilizar o Linkedin!

As redes sociais ganharam o mundo e, nesse contexto, muitos profissionais aproveitam essa oportunidade para conquistar destaque e mostrar os seus trabalhos. Mas, para ganhar verdadeira notoriedade, é importante saber como utilizar o LinkedIn na gestão de carreiras.

Isso porque a rede foi criada exatamente para ajudar pessoas a se relacionarem com outros profissionais e possíveis clientes, demonstrando suas qualidades e especializações.

Por isso, vamos mostrar neste post algumas dicas de como utilizar o LinkedIn para alavancar sua carreira profissional. Continue a leitura e fique de olho!

Crie um perfil atrativo

Tudo começa com uma boa imagem do perfil. Você deve ter bom senso na hora de escolher sua foto. Opte por aquela que seja mais discreta, demonstrando certa maturidade. O ideal é passar uma imagem mais profissional, mas sem exageros.

Outro ponto importante é colocar todas as suas informações profissionais em ordem cronológica para que outros membros possam conhecer sua trajetória. Além disso, é importante preencher os dados com cursos, especializações, idiomas e qualquer outro assunto relevante.

Lembre-se de atualizar o seu perfil sempre que for necessário para não deixar nada de fora.

Faça networking

O LinkedIn permite que você possa ampliar o seu networking. Por isso, sempre que for possível, faça contato com influenciadores da sua área de atuação para que eles ajudem a divulgar e destacar o seu perfil profissional.

Você pode aproveitar para encontrar ex-colegas de estudos ou de trabalhos já realizados, aumentando suas chances e fazendo novas conexões. Essa rede social possibilita novas transações de negócio, criando oportunidades de fechar parcerias e conquistar novos clientes. Faça proveito disso!

Siga o perfil de empresas de sucesso

Você sabia que inúmeras companhias já possuem uma conta no LinkedIn? Isso facilita a comunicação entre profissionais e marcas

Sendo assim, tente seguir o perfil de todas as empresas nas quais você deseja trabalhar.

Assim, você acabará apresentando seu currículo e fazendo com que o grupo conheça todos os detalhes importantes sobre sua carreira de forma rápida, simples e mais efetiva.

Faça uma abordagem certeira

Sabe aquele velho ditado que diz que a primeira impressão é a que fica? No mundo online, o primeiro contato é o que fica.

Assim que você começa uma conversa com uma empresa, é importante que realmente saiba o que dizer. Por isso, pesquise sobre a companhia e o trabalho que ela realiza, obtendo todos os dados necessários para que sua abordagem seja feita de forma correta.

É importante manter um diálogo educado, mas sem perder muito a formalidade. Afinal, você estará entrando em contato com organizações e outros profissionais e, por isso, é preciso manter uma linha mais séria e focada para que não haja excesso de intimidade.

Tenha um perfil em outros idiomas

O LinkedIn permite que você crie o seu perfil em diversos idiomas dentro da mesma URL. Trata-se de um recurso que ajuda a fortalecer a sua imagem perante o mercado, dando um diferencial competitivo diante das empresas internacionais e multinacionais.

Para isso, selecione a opção de incluir a sua rede em outras línguas. O site fará uma cópia das suas informações de forma automática e, então, você poderá fazer a tradução no idioma que desejar.

Publique conteúdos relevantes

Outra maneira de dar um salto na carreira e conseguir a atenção dos principais contratantes do seu mercado é com a ajuda do marketing de conteúdo. Porém, em vez de criar um site ou alguma plataforma, é possível utilizar do próprio LinkedIn para fazer postagens de valor.

Ao escrever conteúdos relevantes no seu perfil, você consegue gerar uma discussão positiva, envolvendo outros profissionais influentes e até mesmo chamando atenção das empresas que estão ao seu redor.

Aposte em novas técnicas e abordagens no seu mercado e jamais deixe de mencionar seu posicionamento — sempre de forma cordial — sobre algum tema importante e que possa ajudar alguma causa.

Essa é uma das melhores formas de mostrar sua expertise e parte das suas competências profissionais, o que é ótimo para conseguir aumentar seu networking na rede social e alcançar novas oportunidades.

Divulgue suas conquistas

Todo profissional requisitado apresenta uma boa lista de conquistas. No seu perfil no LinkedIn é possível colocá-las de forma estratégica, como uma maneira de engrandecer seu currículo e suas habilidades profissionais.

Apesar disso, não se esqueça de ser cordial e de fazer a divulgação do seu trabalho de maneira neutra e positiva — evite textos demasiadamente exagerados e com algum viés de convencimento.

O ideal é demonstrar sua jornada até seu momento atual e, de maneira sutil, demonstrar como você foi capaz de superar desafios e resolver alguns dos problemas mais desafiadores da sua indústria.

Tenha um perfil completo e atualizado

Fez um novo curso? Participou de algum evento importante? Não deixe de sempre atualizar seu perfil no LinkedIn. Também aproveite para preencher todos os requisitos da plataforma, informando todos seus dados mais importantes.

Ter um perfil atualizado demonstra para os empregadores que você está ativo e sempre se desenvolvendo profissionalmente. Por isso, procure pelo menos uma vez por mês postar alguma coisa, descrevendo algum momento ou adicionando mais qualificações.

Seus esforços serão recompensados e você, em pouco tempo, será considerado como uma das maiores referências da sua área de atuação dentro dessa importante rede social que é muito eficaz para quem busca para atingir o reconhecimento.

Participe de grupos

Assim como o Facebook, o LinkedIn também apresenta a funcionalidade de grupos. Eles são excelentes ferramentas para criar networking e até mesmo interagir e ajudar outros companheiros que estão trabalhando dentro da sua área.

Quanto mais conhecimento e auxílio você garantir para outros profissionais, maiores serão suas chances de conseguir um novo trabalho e se tornar referência no seu mercado. Note que, a cada postagem bem pensada, você está aumentando sua autoridade e está criando uma percepção positiva a seu respeito dentro da rede social.

Por essa razão, procure participar do máximo possível de grupos relevantes e que sejam capazes de gerar boas soluções e novas alternativas para antigos problemas ou dificuldades do seu mercado de trabalho.

Essa colaboração ativa também ajuda você a desenvolver suas habilidades, liderança e seu personal branding — todas as características essenciais de um profissional de valor capaz de gerar muitos resultados.

O LinkedIn na gestão de carreiras contribui para que o seu currículo completo e atualizado possa percorrer o mundo corporativo, abrindo portas que você sempre sonhou. É uma maneira mais prática de conquistar as oportunidades que busca.

Gostou deste post sobre como utilizar o LinkedIn? Quer conhecer outras informações importantes sobre carreira e negócio? Siga nossas redes sociais — estamos no Facebook, Twitter, LinkedIn, Youtube e Instagram!

proatividade

Proatividade: como essa característica pode ajudar em sua carreira profissional?

A proatividade é uma das principais características de um profissional de sucesso. Inclusive, a cada ano grandes empresas ressaltam sua importância e encorajam seus colaboradores a cada vez mais terem uma atitude de ação perante sua jornada de trabalho.

O que muitas pessoas não sabem é que ser proativo não significa simplesmente tomar grandes iniciativas ou resolver grandes problemas de maneira individual. Na verdade, ser proativo é conhecer e suprir as pequenas demandas do cotidiano de maneira rápida e objetiva.

Ao longo do tempo, essas pequenas ações se tornam fonte de conhecimento e podem até mesmo promover uma mudança na organização empresarial. Por isso, entenda que você não necessariamente precisa ser um inovador para gerar mudança.

Neste post, falaremos mais sobre a proatividade e como ela pode ajudar sua carreira. Ficou interessado no assunto? Continue sua leitura até o final!

A percepção do mercado sobre a proatividade

Todo mercado vê a proatividade com bons olhos. Afinal, em ambientes de grande produtividade, o que interessa são resultados, e ser capaz de agilizar ou até mesmo potencializar esse processo de maneira individual é uma grande forma de demonstrar confiança e um bom trabalho.

A maioria das empresas busca por colaboradores que sejam capazes de resolver assertivamente as mais variadas questões do dia a dia. E, diferente do que muitos podem imaginar, esses pequenos impasses estão em todos os setores de uma companhia.

Um exemplo muito comum de ser observado acontece nos setores operacionais de uma empresa, onde o pessoal encarregado da limpeza, por exemplo, não age somente quando chamado e sim quando surge algum problema em um corredor ou sala.

O mesmo acontece com o pessoal da área da Tecnologia de Informação, que resolve um problema antes mesmo que ele se torne crônico e impossibilite o funcionamento dos computadores de um escritório.

Todos podem atuar de forma proativa, fazendo sua função quando há uma demanda, mesmo que pequena, no seu setor. Essa medida deve ser sempre encorajada e, em nível corporativo, é o que costuma diferenciar o bom do excelente profissional.

Se tornando proativo durante a jornada de trabalho

Acima você observou alguns dos exemplos mais práticos sobre medidas proativas dentro de uma companhia, seja ela qual for. O importante a ser frisado é que o profissional proativo não espera o trabalho aparecer, e sim vai atrás dele quando não há nada impedindo.

Em termos mais simples, a proatividade é simplesmente a resolução de um problema antes que ele se torne real ou grande demais a ponto de atrapalhar a linha de trabalho de um ou mais setores.

Os profissionais que seguem esse comportamento frequentemente estão relacionados com características de liderança que geram encantamento nos clientes e na sua própria empresa.

Por fim, note que a proatividade também pode aparecer quando novas mudanças vão surgindo ao longo do tempo. Aqueles colaboradores que conseguem cortar processos burocráticos ou etapas dentro do seu trabalho, sem gerar nenhum tipo de problema, também são bem estimados e normalmente bem vistos pelos seus superiores.

O que importa é sempre ter uma mentalidade voltada para resultados e em um processo cada vez mais vertical, uma vez que a eficiência é o que realmente gera grandes conquistas.

Por essa razão, a proatividade deve ser instaurada com pequenas medidas simples do seu cotidiano, e não com grandes ideias logo de início. O ideal também é compreender que dificilmente grandes ideias surgem do nada, e sim são fruto de um aprimoramento constante dos métodos de trabalho.

Gostou do post? Curta nossa página do Facebook e tenha acesso a mais conteúdos como este em primeira mão!