Posts

caso-rawvana-responsabilidade-youtuber-influencer

Caso da youtuber Rawvana e a responsabilidade dos influencers

Com a exposição gerada pelas redes sociais, as polêmicas nunca acabam e recentemente apareceu mais uma: o caso Rawvana.

rawvana-1

Você sabe quem é Rawvana?

Se você é havy user de redes sociais e tem um lifestyle saudável é capaz de já ter passado por algum vídeo dela. Yovana Mendoza Ayres, mais conhecida como Rawvana, é uma youtuber de San Diego – Califórnia (EUA), que contava com mais de três milhões de seguidores (YouTube e Instagram) e se tornou ídola de crudiveganos ao compartilhar, desde 2013, vídeos em inglês e em espanhol mostrando seu estilo de vida e sua alimentação sem produtos de origem animal e à base de alimentos crus.

Até esse ponto, tudo parece perfeito. No entanto, Rawvana se envolveu em uma polêmica que custou a sua imagem, a perda de milhares de fãs e também de patrocinadores que financiavam o conteúdo produzido por ela.

Durante uma viagem a Bali, sua amiga publicou um vídeo no Instagram onde aparece Rawvana prestes a comer um peixe e esses poucos segundos destruíram anos de reputação. Se pensarmos que ela construiu sua imagem através de um estilo de vida crudivegano que ela prega e dizia praticar, ela aparecer em um vídeo comendo um peixe é algo bastante contraditório, não é mesmo? E foi exatamente essa contradição que foi criticada. Ela, então, foi chamada de fraudulenta, com direito a petição para tirar seu canal do ar.

Ela explicou que estava com sérios problemas de saúde e, por isso, foi obrigada a incluir alimentos cozidos na sua dieta. No entanto, já era tarde demais porque, além de ser algo contraditório com seu estilo de vida, ela não contou isso para seus seguidores. Foi mais um “flagra” das redes sociais.

Já sabemos que para uma marca se tornar top of mind, ela precisa de transparência, autenticidade, consistência de imagem, relevância em meio ao seu público e ter uma história por trás de seu sucesso. No caso Rawvana faltou transparência e consistência de imagem, o que foi determinante para o seu fracasso.

Agora, por que isso é tão grave?

Vamos entender que um youtuber é uma marca pessoal que tem grande influência sobre milhares de pessoas e, no caso de Rawvana, ela era uma marca pessoal de grande sucesso. Se analisamos os dados da pesquisa realizada pelo Youtube no Brasil em parceria com a Provokers em 2018, “o consumo de vídeo online no Brasil teve alta de 135% nos últimos quatro anos”. Além disso, o “YouTube atingiu a marca de mais de 800 canais no Brasil que ultrapassam a base de um milhão de inscritos”. Ou seja, um canal de youtube de grande sucesso exerce influência sobre milhares de pessoas e isso, de certa forma, é delicado e um pouco perigoso.

Rawvana não é médica e nem especialista em saúde ou nutrição, ela é uma produtora de conteúdo que compartilhava seu lifestyle e suas receitas. Ela ficou doente devido à falta de um especialista para avaliar a dieta que ela mesma compartilhava. Quantas outras pessoas também não devem ter perdido qualidade de saúde depois de seguir a dieta da youtuber?

De acordo com um levantamento do órgão de pesquisa americano Pew Research Center feito com jovens com idade entre 13 a 17 anos nos Estados Unidos, o YouTube “se destacou como líder de acessos, sendo a preferência de 85% dos jovens”. Quantos jovens ela não deve ter influenciado? Precisamos pensar que nesta fase da vida os jovens estão passando por questões hormonais que modificam seus corpos e alguns estão sofrendo bullying nas escolas devido a sua aparência física. E muitos estão construindo seus valores, o que os deixa mais abertos a opiniões e, por isso, são mais influenciáveis. Veja quanta responsabilidade tem um youtuber.

Eu li uma frase muito interessante no artigo “YouTube, o grande radicalizador”, que saiu no The New York Times, que dizia que nós estamos “testemunhando a exploração computacional de um desejo humano natural: o de olhar “por trás da cortina”, ir a fundo em algo que nos interessa”. É exatamente isso. Quando passamos de meramente consumidores para criadores de conteúdo, passamos a estar cada vez mais expostos a informação. E essa informação nem sempre é segura, ela beira o limite do real/falso, aparentemente saudável/fraudulento, moderado/radical, etc. As Fake News é um grande exemplo disso.

Nós presenciamos a vitória de Donald Trump para presidência nos EUA e a de Bolsonaro no Brasil que teve grande influência das Fake News de ambos os lados: direita e esquerda. Fora isso, tem a questão das opiniões que se disseminam e podem causar grande efeito negativo na vida de milhares de pessoas. Um exemplo disso é o caso da youtuber que compartilha ideias antifeministas que causa grande indignação em muitas pessoas, mas acaba lucrando com esses “views” e influenciando outras jovens mulheres a pensar igual. Ou então o caso do youtuber Júlio Cocielo que fez “piada” racista em relação ao jogador francês Kylian Mbappé no Twitter. Cocielo tem um canal visto por milhares de jovens que o idolatram por seus vídeos engraçados e são influenciados por ele, tanto que o youtuber contava com vários patrocinadores antes da polêmica. Aceitar uma “piada” racista é aceitar o racismo porque a verdade é que todos os dias milhares de jovens e adultos sofrem racismo disfarçado em forma de “piada”.

Se pensamos em youtubers/influencers e seus patrocínios, de acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto QualiBest, os influenciadores são “a segunda fonte de informações para a tomada de decisão na compra de um produto, citada por 49% dos respondentes, perdendo apenas para amigos e parentes, citados por 57% dos respondentes”. Ou seja, é muita responsabilidade para uma pessoa só!

Então, para concluir, é preciso pensar na influência que nós temos sobre as pessoas. Tanto você quanto eu somos uma marca pessoal e precisamos ter consistência de imagem e transparência para construir uma marca de credibilidade e boa reputação. E, acima de tudo, ser responsáveis pelo conteúdo que criamos.

270707-estender-500-entenda-as-diferencas-entre-personal-branding-e-marketing-pessoal

Entenda as diferenças entre personal branding e marketing pessoal

O gerenciamento de carreira é essencial para os profissionais que almejam se tornar referência no mercado em que atuam. Nesse contexto, entender as diferenças entre branding pessoal e marketing pessoal é imprescindível para adotar as estratégias certas para impulsionar a sua imagem, características e vida profissional.

Cuidar da sua imagem e a forma como você desenvolve as suas potencialidades ajuda a construir uma boa reputação — fator indispensável para conquistar a preferência e fidelidade do seu público-alvo.

Para tanto, é necessário conhecer as ferramentas disponíveis e que ajudam nesse processo. Quer saber como? Confira, abaixo, quais são as diferenças entre branding pessoal e marketing pessoal, e como aplicar esses conceitos de maneira assertiva e equilibrada!

O que é branding pessoal?

O termo branding pessoal, também conhecido como gestão da marca pessoal, tem a ver com a sua autenticidade, ou seja, tudo aquilo que você tem de único e mais pessoal e a maneira como você extrai e dispõe o seu melhor a partir disso.

Um  exemplo atual de branding pessoal de sucesso é a cantora brasileira Anitta, que contrariou aqueles que acharam que ela faria sucesso apenas com uma música de funk, quando, na verdade, ela se estabeleceu no mercado nacional e segue desbravando o cenário internacional nos mais diversos ritmos musicais.

Para isso, a cantora passou por um processo de autoconhecimento e definiu a que veio, demonstrando autenticidade tanto em cima do palco quanto nas redes sociais e conferências das quais participa.

A artista acrescenta valor à sua marca pessoal ao se comunicar de maneira clara por mensagens e músicas, além de ter autoridade e educação no seu mercado de trabalho, visto que reconhece os preconceitos voltados para o gênero do funk e busca neutralizá-los com ações  que influenciem positivamente os demais cantores do ramo e os preconceituosos, a fim de abrir caminhos para sua própria atuação e marca.

O que é marketing pessoal?

Marketing pessoal são as ações e estratégias guiadas por um planejamento que o ajudarão a se colocar no mercado de uma maneira mais eficaz e exitosa a fim de atingir um determinado objetivo.

A diferença para o branding pessoal é que essas ações independem de suas características pessoais e podem ser planejadas mais pelo interesse do público do que à potência de sua marca pessoal — se pensarmos novamente nos artistas veremos que muito deles são direcionados mais por interesses comerciais do que originalidade, por exemplo.

Pelo fato do marketing pessoal não depender de questões subjetivas, esse conceito ainda é confundido com publicidade barata e propaganda arrogante de feitos pessoais, o que não representa o que estamos explicando aqui.

O marketing pessoal funciona melhor quando é alinhado com o branding pessoal e no próximo tópico você entenderá como funciona a junção de ambos os conceitos.

Como se beneficiar de ambas as formas?

Você já deve ter percebido que ambos os conceitos não estão muito distantes um do outro e que, na verdade, juntos, podem se ajudar e alavancar o melhor de cada um.

Conforme dissemos ao final do primeiro tópico, o marketing pessoal pode ser a trilha ou o alicerce pelo qual a marca pessoal é “domada” ou “potencializada”. Conhecendo sua própria forma de atuação e como tirar o melhor proveito disso você pode:

  • encontrar a maneira mais eficiente de comunicar quem você é e o que faz;
  • melhorar seu poder pessoal, construindo conexões mais assertivas com as pessoas gerando novas oportunidades;
  • liderando a si mesmo será capaz de liderar outros melhorando seu desempenho profissional de uma forma geral.

Existem ainda os profissionais especializados em gestão de imagem e carreira que podem te ajudar amplamente nesse processo. Se você sente que pode trabalhar melhor seu branding pessoal e seu marketing não deixe de cogitar essa possibilidade.

Como melhorar o seu branding pessoal?

O desenvolvimento do seu branding requer o uso de estratégias para que você crie valor diante do seu público, confira algumas delas a seguir.

Entenda o seu nicho e público

Não basta ser apaixonado por aquilo que você faz, para se conectar com as pessoas é imprescindível entender bem o seu nicho e público. Portanto, pesquise sobre o mercado de atuação e  quem é o público-alvo, o que lhe permite ajustar as suas competências de acordo com as necessidades percebidas na área.

A partir dessas respostas, você saberá exatamente com quem está falando e, logo que tipo de mensagem deve transmitir a essas pessoas.

Compreenda o seu meio de comunicação

Tão importante quanto a mensagem a ser levada ao seu público é a forma como ela será transmitida. É preciso que você olhe para as suas habilidades e competências e identifique em qual meio de comunicação pode se dar melhor.

Se você costuma escrever bem, a sua principal ferramenta de expressão é a escrita. Mas, se sente à vontade diante das câmeras, use vídeos. Enquanto quem é tímido pode apostar em podcasts, por exemplo.

Use conteúdo em vídeo ao seu favor

YouTube é considerado a segunda ferramenta de pesquisas mais popular do mundo, ficando atrás apenas do Google. A plataforma reúne bilhões de usuários que assistem a incontáveis horas de vídeos diariamente.

Inclusive, a tendência é que o consumo de conteúdos em vídeo seja maior do que os outros formatos nos próximos anos, o que se dá devido ao aumento do uso de aparelhos mobile e da rotina corrida entre as pessoas, que preferências os vídeos por ter um formato mais prático de acessar.

Sendo assim, se você ainda não está presente no YouTube, comece a criar o seu canal agora mesmo, personalizando-o de acordo com a sua identidade. Tenham em mente que o público deve reconhecer a sua marca a partir no design do espaço e no próprio conteúdo.

Pensando nisso, elabore um planejamento visual e produza conteúdos relevantes, que estejam em harmonia com o propósito e valor da sua marca pessoal.

Esteja presente nas redes sociais

Na configuração da sociedade atual, as redes sociais estão entre os canais mais importantes para divulgar o seu branding. Essas plataformas oferecem diversas oportunidades de captação de clientes, além de permitir que você construa um relacionamento próximo e duradouro com o público.

A sua entrada nas redes sociais sob uma perspectiva profissional também necessita de um planejamento. É possível criar páginas que reforcem a sua identidade visual e conceitual, e fazer post escritos e em vídeo que estimulem o engajamento dos seus seguidores. Isso não significa utilizar esses canais para fazer propagando do seu serviço o tempo todo, mas sim transmitir os seus valores, de modo que os seguidores os reconhecem e se interessem pelo produto final.

Com esse conjunto de estratégias, você pode estabelecer e reforçar o seu branding pessoal, criando uma reputação positiva perante o seu nicho de atuação e ampliando a sua rede de contatos, o que gera novas oportunidades de negócios.

Gostou desse post? Compartilhe-o nas redes sociais e mostre para os seus amigos como trabalhar o seu branding pessoal e ser bem-sucedido!

263961-o-que-compoe-uma-marca-pessoal

O que compõe uma marca pessoal?

Personal branding é uma estratégia de marca que serve para que você estabeleça a imagem que deseja mostrar ao mundo. Ela é bastante utilizada por empresas que buscam construir uma imagem forte e que seja lembrada pelo público-consumidor, mas também vem ajudando a definir pessoas como profissional. Para isso, é importante saber como criar uma marca pessoal!

Mas, o que de fato compõe o personal branding? No post a seguir, daremos algumas dicas importantes sobre esse assunto para que você comece a criar sua marca pessoal já. Acompanhe!

Quais são os fundamentos de uma boa marca pessoal?

Um personal branding forte e marcante se baseia em alguns pilares. Desse modo, é importante entendê-los para determinar que caminhos você deve seguir para construir sua própria marca. Confira quais são!

A ideia de que você é uma marca

Há marcas que não precisam de explicação para que o público entenda quem são. Quando pensamos na Harley-Davidson e no produto que ela criou, por exemplo, já temos em mente o tipo de imagem que ela deseja passar sobre si e qual o perfil daqueles que se interessam por ela.

Pense nas características que gostaria que fossem associadas a você. Sobre qual assunto você espera ser reconhecido como autoridade? Anote essas ideias e trabalhe nelas!

A autenticidade de sua imagem

Nada mais cansativo do que construir uma imagem que nada tem a ver com você. Lembre-e que além de trabalhar duro para ter uma imagem sólida, você ainda terá que sustentá-la. É bem mais fácil ser autêntico e defender valores que realmente tenham a ver com a sua identidade, não é mesmo?

Além do mais, as pessoas reconhecem alguém que não está sendo verdadeiro com as suas ideias. Portanto, fingir ser algo que não é pode ser a pior propaganda para a sua imagem pessoal.

A autoridade que você transmite

Sabe os assuntos que você domina porque já estudou sobre eles e se interessa muito? Marketing, gestão de carreira, presença online, enfim, pense nos temas que goste e que consiga falar com propriedade sobres eles. Escolha alguns, faça uma lista, relacione-os e crie conteúdo.

Ao publicá-lo, você pode se tornar uma autoridade, alguém que merece ser ouvido. Para isso, desenvolva um site, grave vídeos para o YouTube e sempre preze pela qualidade do material que está disponibilizando.

A sua presença nas redes sociais

É de extrema importância ser ativo nas redes sociais, sobretudo naquelas que mais têm a ver com a sua imagem pessoal.

Contudo, mesmo que você se sinta à vontade para publicar tudo o que gosta e o que pensa nesses canais, é preciso lembrar de que elas podem funcionar como uma extensão de seu trabalho, ou seja, uma forma de reforçar a sua imagem.

Desse modo, é sempre válido pensar bem antes de publicar qualquer coisa. Pergunte-se: o conteúdo tem chances de ofender alguém ou um grupo? Se a resposta for positiva, ele não é nada recomendável. Também avalie se terá condições de rebater possíveis críticas com argumentos bem formados e sólidos.

Como se sabe, algumas postagens podem viralizar e, dependendo do conteúdo, requerer uma gestão de crise. Na internet, assim como na vida, é sempre melhor prevenir do que remediar!

Uma rede de contato apoiadora

Algumas pessoas se tornam referência em sua área de atuação e, você, como alguém muito bem informado e relacionado, precisa fazer contato com elas. Isso mostra que você tem uma rede de troca de informações e que está sempre ao lado de quem é interessante e relevantes para sua área de atuação.

Como criar uma marca pessoal de sucesso?

Algumas pessoas não têm a ideia clara sobre como criar uma marca pessoal de sucesso. Para que isso aconteça, é preciso entender o que ela significa e quais são os seus efeitos. Veja algumas dicas:

Encante as pessoas

A ideia principal de uma marca pessoal forte é seu nível de encantamento. Isso mesmo, é o quanto você encanta as pessoas e estabelece uma relação de confiança para que elas aceitem (e queiram) negociar com você. Isso acontece porque elas foram cativadas pelo seu personal branding.

Para conseguir isso, surpreenda. Faça algo inesperado, mesmo que em pequenos gestos. Eles podem ser significativos, pois valorizam quem o recebe.

Deixe uma impressão duradoura

Ao oferecer momentos mágicos de interação, você consegue esse efeito de encantamento. E isso não requer grandes investimentos, mas sim pequenas atitudes, como saudar ou discursar de forma simples, que alcance os ouvintes.

Também é preciso ter um estilo bem definido, como uma frase marcante em seu slogan ou uma característica de sua aparência, por exemplo. Se você tiver um cartão de visita —  na verdade, isso é fundamental, já que será, muitas vezes, seu primeiro ponto de contato —, foque em um design elegante e que se destaque dos demais de alguma forma.

Invista em sua presença online

O mesmo vale para seu e-mail, site ou página nas redes sociais. Fuja da aparência comum e crie algo exclusivo, que transmita o que você deseja passar. Além disso, mantenha essas mídias atualizadas e com conteúdo relevante, como explicamos antes.

E mais: se você tem vários canais de presença online, prepare-se para responder seus clientes em todos eles. Deixar alguém sem um retorno pode prejudicar sua imagem pessoal. Portanto, esteja disponível!

Quando for entrar em contato com alguém, também é interessante visitar o seu perfil e buscar pontos de conexão como:

  • um hobby que a pessoa pratica;
  • sua área de trabalho;
  • um filme assistido e partilhado em seu perfil;
  • seu artista favorito etc.

Entenda o seu valor

Algumas pessoas não têm clareza a respeito de quem são ou do que podem oferecer. Lembre-se que seu valor é mais que seu trabalho! Na verdade, ele se baseia no que você é capaz de proporcionar. Portanto, entenda qual o seu valor, isto é, saiba o que pode acrescentar às pessoas que pretende alcançar e foque sua imagem pessoal nisso.

Assim, saiba quais são seus pontos fortes e fracos, e procure meios para se desenvolver e melhorar constantemente, ganhando autoconfiança e trabalhando suas dificuldades para superá-las.

Conheça seu público-alvo

Sabe as pessoas que você deseja alcançar? Esse é seu público-alvo! Para que sua marca transmita aquilo que ele considera importante, você precisa conhecê-lo detalhadamente.

Ao se encantar com sua imagem, o público procurará por você quando precisar do tipo de trabalho que realiza ou serviço que oferece. Por isso, tenha uma proposta de valor que diga claramente:

  • o que você faz;
  • para quem você faz;
  • por que você faz isso bem.

Agora você já sabe como criar uma marca pessoal inesquecível e encantar as pessoas. Dê os primeiros passos e, conforme avançar, aprenderá mais com a sua trajetória. Além disso, nunca deixe em segundo plano o seu personal branding, pois ele pode ser o ponto-chave para o sucesso de sua carreira.

Quer construir uma marca forte e duradoura? Entre em contato conosco e saiba como fazer isso da melhor forma!

qual-a-relacao-entre-o-branding-e-o-storytelling-de-uma-marca.jpeg

Qual a relação entre o branding e o storytelling de uma marca?

Você sabia que o storytelling de uma marca ajuda a criar oportunidades para atrair pessoas até o seu negócio? Por isso, é fundamental que você tenha conhecimento sobre as diferentes ferramentas que auxiliam o seu marketing a conquistar um lugar de destaque no mercado competitivo.

Pensando nisso, preparamos este post para que você entenda melhor o que é storytelling e qual a sua relação com o branding. Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

O que são branding e storytelling de uma marca?

Branding, conhecido também como gestão de marcas, nada mais é do que um conjunto de ações que visa construir a imagem do seu negócio diante da percepção do cliente. Ou seja, é uma forma estratégica que, quando feita de maneira eficiente, consegue colocar sua marca em um posicionamento efetivo e bem visto pelo consumidor.

Para que ele realmente funcione, é necessário corresponder a uma identidade, tornando-se única nos pontos de contatos e tendo ligação direta aos interesses e necessidades dos seus clientes. Em resumo, o branding é a percepção que o seu público-alvo tem em relação à sua marca.

Enquanto isso, storytelling é uma técnica que possibilita adquirir habilidades de contar uma história cativante por meio de recursos audiovisuais e de palavras. Trata-se de um método que auxilia o marketing e, da melhor forma possível, promove o seu empreendimento para que você consiga oferecer os seus produtos e serviços de maneira indireta e mais persuasiva.

Qual a ligação entre branding e storytelling?

Podemos dizer que o storytelling é uma ferramenta de auxílio ao branding. Isso porque, tendo uma gestão de marca eficaz aliada a uma história bem contada, você cria um marketing mais interessante e atrativo.

Assim, é possível fazer com que sua audiência sinta-se mais próxima da sua marca. Essa habilidade de contar histórias que emocionam aumenta a conexão entre você e o seu público, além de construir confiança e empatia entre sua empresa e as pessoas que ela alcança.

Como o storytelling pode contar a história de uma marca?

Quando você consegue contar uma história cativante, isso cria aspectos neurológicos e psicológicos que aumentam o foco e a atenção das pessoas na mensagem que está sendo transmitida. Saiba como conquistar isso!

Crie a mensagem

Ela deve ser positiva, atingindo o lado emocional da pessoa. Você deve passar um recado que consiga prender o público e que possa ser sempre lembrado.

Pense nos grandes mestres da humanidade e em como eles são referenciados até hoje. Um bom exemplo são as famosas marcas de refrigerantes que usam dias comemorativos para emocionar e encantar com suas lindas histórias e efeitos especiais, como a Coca-Cola na época do Natal.

Mude pensamentos

Quando você gera um conflito de ideias, acaba apimentando a história. Tente mudar os padrões das pessoas e fazer com elas reflitam sobre o que a sua empresa está passando para elas! Com isso, você desperta o desejo de conhecer mais sobre o que está sendo falado e de buscar mais informações para saciar a necessidade de aprender.

Construa bons personagens

A ideia é criar personagens que são semelhantes aos seus possíveis clientes, fazendo com que cada pessoa consiga se identificar com ao menos um deles. Use e abuse da criatividade, deixando todo o contexto mais próximo da realidade. Entretanto, dê também aquele toque de sentimentalismo, como os famosos finais felizes dos filmes.

O storytelling de uma marca é fundamental para quem deseja atingir o público e criar um vínculo mais íntimo com ele. Quando que você fizer seu planejamento de marketing, inclua essa ferramenta e se beneficie de tudo o que ela proporciona.

Gostou das nossas dicas? Então, siga-nos no Facebook e no LinkedIn e acompanhe outros conteúdos que vão transformar a sua carreira!

veja-como-usar-pontos-fortes-e-fracos-para-se-destacar-no-mercado.jpeg

Veja como usar pontos fortes e fracos para se destacar no mercado

Você sabe por que deve conhecer quais são seus pontos fortes e fracos para se destacar profissionalmente? Pois bem! Essas informações são fundamentais para que seja possível realçar aquilo que você tem de bom, aprimorar o que for necessário e apresentar um perfil mais interessante para o mercado de trabalho.

Pessoas equilibradas, com qualidades realçadas e defeitos atenuados, tendem a ser mais requisitadas para boas chances de trabalho. Porém, analisar os próprios defeitos e qualidades pode ser um processo complexo. Afinal, nem sempre estamos prontos para encarar nossa intimidade tão de perto, não é mesmo? Mas saiba que tal atitude vale a pena!

Pensando nisso, leia este post com atenção e aprenda como usar seus pontos fortes e fracos para se destacar no mercado!

Por que é importante saber quais são os pontos fortes e fracos?

Independentemente da sua área de atuação, uma coisa é certa: para conquistar as melhores chances e ser lembrado nas oportunidades certas, sendo considerado um profissional de destaque e rendimento, é preciso apresentar um conjunto de fatores.

Qualificação, competência, produtividade, personalidade e agilidade, é claro, estão entre eles. Nesse sentido, para apresentar um conjunto mais equilibrado e interessante, é necessário você mesmo entender quais são seus pontos fortes e fracos.

Como identificar seus pontos fortes e fracos?

Esse é um processo íntimo, que só você pode fazer. É claro que vale, e muito, a iniciativa de buscar a opinião de terceiros sobre como você age, para considerar na sua avaliação. Mas, no fim das contas, só você pode entender a sua vida interior, as origens das suas características e todas as particularidades da sua personalidade.

Por isso, preste atenção nas dicas a seguir e identifique seus pontos fortes e fracos com mais eficiência!

Reflita sobre a sua vida e a sua personalidade

Inicie o processo com uma boa autoanálise e reflexão sobre a sua própria vida, suas conquistas, seus objetivos e suas características inatas. A partir daí, suas qualidades e seus defeitos começam a vir à tona, e iniciar uma mudança fica mais fácil.

Peça feedbacks de pessoas que o conhecem bem

No entanto, basear o seu diagnóstico somente na autoanálise pode fazer com que aspectos importantes fiquem de fora. Há características suas que somente os outros conseguem apontar.

Por isso, é relevante pedir a ajuda de familiares, de amigos e de colegas de trabalho. Pergunte francamente quais são os pontos fortes e fracos que eles enxergam em você e considere isso na sua autoanálise.

Pense sobre como você se porta diante de determinadas situações

Para fechar, pense como você se comporta diante de determinadas situações — seja na vida pessoal, seja no trabalho. Faça perguntas do tipo:

  • Como eu ajo quando estou em um local onde não conheço ninguém?
  • Se perdesse todo o meu dinheiro, como faria para me virar?
  • De que forma eu trato pessoas de diferentes classes sociais?

Colocando-se em situações diferentes, mesmo por mais absurdas ou inesperadas que pareçam, você entra em contato com características que não são óbvias e nem aparecem no dia. Essa é a relevância desse exercício.

Ao concluir seu processo de autoanálise, você deverá saber responder quais são os seus pontos fortes e fracos. Por sua vez, isso é o início de um trabalho de branding, cujo pilar é o autoconhecimento para iniciar uma mudança.

Para saber mais sobre o assunto, que tal assinar a nossa newsletter e receber todas as atualizações do blog direto no seu e-mail? Até a próxima!

entrevista-com-patricia-dalpra-no-estadao-sobre-carreira-e-reputacao-de-neymar

Entrevista com Patricia Dalpra no Estadão sobre a Carreira e Reputação de Neymar

Neymar, que pretendia terminar a Copa do Mundo como melhor jogador do mundo, foi embora da Rússia em baixa. O craque brasileiro acabou duramente criticado não só pelo futebol apresentado na eliminação do Brasil diante da Bélgica, mas principalmente pelo seu comportamento. As reações a cada falta sofrida foram consideradas falsas e exageradas. Neymar foi parar na capa de jornais de vários países e a repercussão negativa pode, inclusive, interferir a sua inserção no mercado publicitário. Essa é a avaliação de Patrícia Dalpra, especialista na área de branding e gestão de imagem, em entrevista ao Estado.

Neymar tem 99 milhões de seguidores no Instagram e 61 milhões de curtidas no Facebook. Mas Neymar dificilmente fala fora da mídia social. Na sua opinião, a identificação dele com o público é superficial?

A mídia digital (redes sociais) é um dos canais para estreitarmos nossa relação com a audiência. Entretanto, muitas pessoas esquecem que não existe uma separação entre a imagem nas redes sociais e a imagem física. Na minha opinião, não existe verdade em seus posts. Parece que tudo é feito estrategicamente por ele, ou pela pessoa que gerencia a sua imagem, para mostrar algo que os seguidores gostariam de ver. Entretanto, eu, como “sua audiência”, não percebo como algo genuíno, verdadeiro, espontâneo. Neste momento de “crise” as peças começam a se encaixar e a tomarem proporções que não são necessariamente verdadeiras. Sabemos que atualmente as redes sociais funcionam como uma ferramenta fundamental para a comunicação com a audiência da “marca” e é estratégica. Quando falamos de personal branding ou marca pessoal, tudo aquilo que compromete a verdade passa ser um ponto extremamente negativo para a pessoa pública e para a sua reputação. Este canal precisa ser utilizado para se comunicar com o seu público de forma genuína, só com autenticidade a interação com sua audiência será verdadeira e mais próxima. Não vejo uma proximidade do atleta com os seus fãs.

Na sua opinião, é possível restaurar sua reputação fora do campo?

Na verdade, não conseguimos separar a reputação. Ela acompanha a marca, a imagem ou a pessoa em todos os lugares em que ela estiver presente. Reputação é algo que demoramos para construir. É um trabalho contínuo e constante. Porém, para destruí-la basta uma ação equivocada para que todo um trabalho seja colocado em risco. Coincidentemente vim para a Croácia no dia em que o Brasil perdeu. Hoje me pego torcendo pelos croatas como se fosse o meu Brasil e, quando sabem que sou brasileira, falam de Neymar. E o que me chama a atenção são os comentários recorrentes que escuto sobre ele. “Neymar é fake”.  Acredito que ninguém esteja questionando as habilidades técnicas de Neymar, mas neste momento o comportamento do atleta vem sendo questionado. A reconstrução seguramente pode ser feita, porém precisa-se mais de ações do que de palavras. O seu comportamento deverá ser coerente com a imagem que ele quer mostrar para o mundo de uma maneira geral. A meu ver, é preciso trabalhar sua imagem partindo de elementos verdadeiros que façam parte de sua história, de seu DNA. Todos nós temos características positivas e negativas, é comum a todo ser humano. Entretanto, quando falamos de imagem e reputação, este trabalho precisa ser consistente e coerente. Esta comunicação da imagem precisa partir do seu branding e não do marketing. O branding trabalha com a verdade e o marketing encontra uma forma para se comunicar com seu público alvo sem se preocupar com a autenticidade. Algumas vezes podem se caracterizar como verdadeiras, presentes no DNA, mas outras vezes estas características são criadas. E não necessariamente partem da verdade. Como expliquei anteriormente, a reputação é algo que é construído dia após dia. Quando trabalhamos com a verdade é muito mais fácil manter a coerência. Se no lugar da verdade nos basearmos em algo que não é real, em algum momento a consistência e a coerência vão por água abaixo.

Veja a entrevista completa aqui.

por-que-uma-consultora-de-imagem-precisa-de-uma-marca-pessoal-forte.jpeg

Por que uma consultora de imagem precisa de uma marca pessoal forte?

Sua marca pessoal é a forma como você se apresenta para o mundo. Ela inclui seu estilo, seus interesses e suas habilidades. Independentemente do ramo de atuação, gerenciar a marca pessoal para consultora de imagem pode ser a chave para o sucesso.

É importante mostrar sua personalidade e posicionar-se como uma autoridade na área. Uma marca sólida e bem construída ajuda a conquistar mais clientes e a obter sucesso no mercado.

Pensando nisso, preparamos este artigo para você entender a importância de uma consultora de imagem adquirir uma marca forte. Boa leitura!

Aposte no seu diferencial

Ao pensar em marca pessoal para consultora de imagem pensamos também em um estilo único. Comece se questionando:

  • Quais são os principais atributos do seu trabalho?
  • O que você pode apresentar para um cliente que outros profissionais não apresentam?

Como muitas pessoas não sabem se apresentar, aprimorar a sua marca pessoal é uma excelente maneira de se diferenciar das outras consultoras de imagem ao seu redor — especialmente em setores mais concorridos.

Para isso, busque o apoio de uma empresa focada em desenvolvimento de carreira e gestão de imagem.

Inspire credibilidade e segurança

Ao trabalhar sua marca pessoal, é necessário entender o que você representa e como espera ser reconhecida pelas pessoas. Esse ponto é muito importante e determina como todo o trabalho deverá ser feito para alcançar uma posição de referência no mercado.

Uma boa dica é buscar inspiração em outros profissionais da área. Pense em nomes de sucesso e entenda como essas pessoas gerenciam suas imagens e quais são os seus diferenciais. Porém, lembre-se de que é fundamental ser autêntico — uma marca pessoal que não seja natural pode não funcionar por muito tempo.

Quem desenvolve uma boa marca passa a transmitir muito mais credibilidade e confiança para seus clientes. Assim, as chances de tornar-se uma influência no mercado é muito maior.

Mantenha uma boa rede de contatos

Manter uma rede de contatos é uma excelente forma de divulgação da sua marca pessoal e do seu trabalho. Para isso, cultive relacionamentos genuínos com apoiadores e outros especialistas do setor.

Além do mais, saiba conquistar parceiros que complementem os serviços que você oferece e que tenham o potencial de ampliar a divulgação do seu trabalho entre o público que você deseja atingir.

Participe de eventos para se informar sobre as novidades e ser notado, invista em conteúdos exclusivos para os seguidores e divulgue o seu trabalho por meio de redes sociais e blogs. Acima de tudo, procure entender quais são os reais problemas dos seus clientes (e dos possíveis clientes também) para se estabelecer como a solução que eles estão buscando.

Para superar a concorrência dentro da área é necessário se destacar. É nesse momento que entra a importância da marca pessoal para consultora de imagem e da divulgação do seu nome. Portanto, gerenciar uma boa marca exige dedicação e é um processo que precisa ser constantemente revisto para garantir um resultado positivo.

Se você busca uma empresa de confiança para auxiliar no desenvolvimento e na gestão da sua imagem, entre em contato conosco!

uso-de-imagem-de-esportista-quais-os-cuidados-que-devem-ser-tomados.jpeg

Uso de imagem de esportista: quais os cuidados que devem ser tomados?

Fotografar atletas pode ser bem produtivo desde que sejam respeitadas algumas regras. Isso porque o uso de imagem de esportista implica leis e cuidados que devem ser tomados tanto pelo fotógrafo profissional quanto pelo retratado nas fotografias — seja atleta, seja técnico (personal branding).

Para que o fotógrafo possa usufruir da sua profissão, apresentamos, a seguir, algumas dicas importantes na hora de utilizar as fotos que produzir. Acompanhe!

O que é licença de uso de imagem de esportista?

Primeiramente, para que seja possível usar as imagens, é necessário obter uma licença e a autorização do fotografado. Esse tipo de contrato assegura o uso dos retratos e protege não apenas o fotógrafo, mas os direitos do esportista.

O objetivo principal é usar a lei para garantir que o trabalho possa ser feito dentro do regime imposto, garantindo o bem-estar do atleta e a proteção das imagens.

A licença é um direito personalíssimo e independente, que se torna um bem jurídico para oferecer segurança aos envolvidos. Com isso, esse documento permite que o profissional utilize as fotos sem que haja problemas futuros, como ações judiciais.

Quais cuidados devem ser tomados pelo esportista?

Os atletas precisam ter certos cuidados ao ceder o direito de imagem a um fotógrafo, pois, em alguns casos, podem ocorrer problemas na veiculação das fotos. Assim, o esportista que será fotografado deve ficar atento sobre a capacidade e o profissionalismo do profissional que vai fotografá-lo.

Além disso, é importante avaliar a qualidade e a reputação da empresa que será vinculada à imagem do atleta. É importante que ela seja uma companhia séria que não incentive ações negativas, como é o caso de organizações que incitam o uso de produtos tóxicos.

É necessário ter um contrato de direito de imagem para que as fotos possam ser publicadas. E, para que tudo corra como esperado, é importante que o atleta ou sua equipe faça uma avaliação detalhada de tudo o que é abordado no documento para garantir legitimidade.

Depois disso, quando há a divulgação da imagem, é fundamental verificar se o contrato foi cumprido para que não haja desvio no uso das fotos. Isso porque alguns fotógrafos utilizam a imagem em campanhas que não foram autorizadas pelo atleta, o que pode causar constrangimento e até problemas profissionais.

O trabalho feito entre o fotógrafo e o atleta deve ser respeitado. Por isso, o esportista deve ficar atento se as imagens não são utilizadas para difamá-lo ou em propagandas que não foram autorizadas.

Qual a diferença entre licença de uso de imagem e contrato de trabalho?

A licença de uso de imagem de um atleta é feita em contrato, que deve ser o mais detalhado possível. Nele, são definidas como as imagens podem ser associadas a uma determinada marca ou empresa. Dessa forma, tanto o fotógrafo quanto o esportista se asseguram, com base nos direitos e deveres estabelecidos no documento.

Já o contrato de trabalho é usado quando o atleta tem vínculo empregatício com uma equipe. Um jogador de futebol, por exemplo, assina um contrato de trabalho para representar um time. Assim, ele tem de cumprir obrigações trabalhistas e tem direitos regidos por lei.

A melhor forma de promover um acordo de trabalho, seja para a utilização de imagem, seja para uma contratação de trabalho, é gerenciar a vida do atleta. No entanto, isso pode não ser uma tarefa fácil.

Por isso, é essencial contratar um gestor de carreira que possa indicar o caminho que vai garantir o bem-estar do esportista. O uso de imagem de esportista pode implicar diversas regras, mas com os conselhos de um gestor, é possível fazer um trabalho de qualidade, sem que haja prejuízos.

Que tal conhecer mais dicas de como construir uma carreira no esporte? Saiba mais no e-book “Planejamento de Carreira para Esportista“.

como-verificar-se-sua-marca-pessoal-agrega-valor.jpeg

Como verificar se sua marca pessoal agrega valor

Cuidar da sua estratégia de personal branding é extremamente importante, seja qual for a sua área de atuação. Mas, mais do que trabalhar forte na sua marca pessoal, você precisa saber como avaliar se ela está agregando valor à sua imagem, ou se os esforços precisam ser reavaliados. É sobre esse assunto que trataremos neste post!

É a sua marca pessoal que distingue você no mercado! É por meio dela que você passa a ser requisitado e lembrado. Além do mais, esse é um investimento que traz repercussões em clientela, faturamento e divulgação. Mas é preciso acompanhar os efeitos que sua estratégia de personal branding vem apresentando.

Pensando nisso, preparamos este post para mostrar a importância de ter uma marca pessoal forte e como você pode verificar se ela está agregando valor, de fato. Continue lendo para saber mais a respeito do assunto!

Invista em um plano de desenvolvimento da sua marca pessoal

Esse assunto é recorrente aqui no blog. No mundo competitivo em que vivemos, de mercados complexos e demandas diversificadas, manter uma boa imagem pessoal, alinhada com os parâmetros da sua área, é vital! Afinal, como você vai se diferenciar no meio da multidão?

É por isso que vale muito a pena desenvolver uma estratégia de personal branding — expressão em inglês que designa o trabalho de marca pessoal — e, é claro, colocá-la em prática. Hoje em dia, há muitas ferramentas ao dispor de quem precisa se tornar notável.

Formação profissional e pessoal, cursos de aperfeiçoamento e de atualização, entre outros, são fundamentais, mas estão ao alcance de todos, não é mesmo? Aquelas características, ou conjunto de traços de personalidade que são seus (e de mais ninguém), vão ter importância nesse processo de construção da sua estratégia de personal branding.

Uma vez feito o planejamento e sejam executadas as ações, como saber se o investimento está dando certo? É sobre isso que vamos falar, a seguir! Confira!

Descubra se o seu plano está dando certo

Como você vai saber se a sua marca pessoal está agregando valor à sua trajetória e ao mercado no qual está inserido? Esse é um processo de avaliação e observação, que você, juntamente à sua equipe de branding (caso a tenha), deverá fazer.

Notou que seus convites aumentaram? Seu nome é citado espontaneamente com mais frequência nas redes sociais? Aquela parceria tão sonhada finalmente se concretizou? Chamaram você para ministrar aulas ou palestras? Seu telefone não para de tocar?

São esses resultados que mostrarão se o caminho que você está trilhando é positivo, ou se precisa ser reavaliado. Portanto, é preciso ficar de olho nas repercussões de tudo o que você faz dentro do planejamento de marca pessoal. Somente assim você poderá investir naquilo que funciona mais, ou modificar o que não anda trazendo tanto retorno assim.

E para isso, nada melhor do que contar com uma equipe profissional, que entende os movimentos do mercado e conhece as principais estratégias para tornar qualquer pessoa uma verdadeira referência em sua área. Se interessou? Então, entre em contato agora mesmo e descubra como podemos ajudar nesse processo! Será um prazer atender você!

personal-branding-qual-a-importancia-do-marketing-digital.jpeg

Personal branding: qual a importância do marketing digital?

Você já ouviu falar de personal branding? Em poucas palavras, nada mais é do que a gestão da sua marca pessoal. Todos desejam o sucesso profissional e ser bem-sucedido na carreira escolhida, mas às vezes algo parece dar errado e você não consegue progredir. Quando isso acontece, é necessário avaliar onde está o problema para que a solução seja assertiva. E muitas vezes, mesmo sendo um ótimo profissional, o problema está na imagem que você passa para as pessoas.

Pensando nisso, no post de hoje abordaremos sobre esse conceito, para que você entenda perfeitamente sobre ele. Vamos lá?!

O que é personal branding?

Como dito anteriormente, personal branding é uma expressão de origem inglesa que significa “marca pessoal”. Para que um profissional seja bem-sucedido, é necessário que ele gerencie muito bem sua marca, com o objetivo de firmar uma imagem positiva e se estabelecer no mercado que é tão competitivo.

Essa marca é a união de vários elementos: personalidade, interesses, habilidades, conhecimentos, dentre outros. Por meio dela é que você construirá a reputação e fará com que as pessoas tomem um certo conhecimento sobre a sua pessoa.

Qual a importância do personal branding?

Como profissional, seja de qualquer área, é necessário que você saiba quais são seus diferenciais para que consiga explorar de maneira mais prática e eficiente. Por isso é tão importante o autoconhecimento, para você entender quais são suas melhores aptidões, os pontos fortes e os pontos fracos. É de fundamental importância que o profissional também tenha em mente quais são seus objetivos, para que os resultados sejam ainda mais positivos e dentro do que ele espera.

Como aplicar o personal branding no marketing digital?

Existem outros elementos, além do autoconhecimento, que são tão fundamentais quanto para construir e aplicar o personal branding. É essencial para a construção de uma imagem positiva se vestir adequadamente de acordo com o evento ou ocasião, realizar uma boa higiene pessoal e, acima de tudo, demonstrar empatia com o próximo. Aparência influi decisivamente na maneira como as pessoas veem e te enxergam como profissional.

Estar presente no digital e trabalhar com produção de conteúdo também é fundamental. Mas fique atento: é importante que esse conteúdo seja relacionado à sua área de atuação, para que você demonstre conhecimento e autoridade no assunto. Eles podem ser divulgados em blogs, sites e compartilhado nas redes sociais.

Quando você publica curiosidades, dicas e textos sobre o assunto em que trabalha, estará automaticamente fazendo uma propaganda de si mesmo, sem tornar-se inconveniente. Estar conectado com profissionais do seu ramo também é uma dica valiosa. A partir desse contato, você pode participar de grupos, fomentar debates e discussões sobre o assunto do seu trabalho.

É essencial que você também trabalhe sua identidade visual, para que qualquer pessoa possa te reconhecer ao ver o seu conteúdo, dando personalidade ao seu projeto.

E aí, gostou do conteúdo? Agora que você sabe o conceito de personal branding e como aplicá-lo, que tal nos seguir nas redes sociais? Assim, você estará por dentro de todo nosso material publicado. Estamos presentes no Facebook, Twitter e Linkedin.