por-que-uma-consultora-de-imagem-precisa-de-uma-marca-pessoal-forte.jpeg

Por que uma consultora de imagem precisa de uma marca pessoal forte?

Sua marca pessoal é a forma como você se apresenta para o mundo. Ela inclui seu estilo, seus interesses e suas habilidades. Independentemente do ramo de atuação, gerenciar a marca pessoal para consultora de imagem pode ser a chave para o sucesso.

É importante mostrar sua personalidade e posicionar-se como uma autoridade na área. Uma marca sólida e bem construída ajuda a conquistar mais clientes e a obter sucesso no mercado.

Pensando nisso, preparamos este artigo para você entender a importância de uma consultora de imagem adquirir uma marca forte. Boa leitura!

Aposte no seu diferencial

Ao pensar em marca pessoal para consultora de imagem pensamos também em um estilo único. Comece se questionando:

  • Quais são os principais atributos do seu trabalho?
  • O que você pode apresentar para um cliente que outros profissionais não apresentam?

Como muitas pessoas não sabem se apresentar, aprimorar a sua marca pessoal é uma excelente maneira de se diferenciar das outras consultoras de imagem ao seu redor — especialmente em setores mais concorridos.

Para isso, busque o apoio de uma empresa focada em desenvolvimento de carreira e gestão de imagem.

Inspire credibilidade e segurança

Ao trabalhar sua marca pessoal, é necessário entender o que você representa e como espera ser reconhecida pelas pessoas. Esse ponto é muito importante e determina como todo o trabalho deverá ser feito para alcançar uma posição de referência no mercado.

Uma boa dica é buscar inspiração em outros profissionais da área. Pense em nomes de sucesso e entenda como essas pessoas gerenciam suas imagens e quais são os seus diferenciais. Porém, lembre-se de que é fundamental ser autêntico — uma marca pessoal que não seja natural pode não funcionar por muito tempo.

Quem desenvolve uma boa marca passa a transmitir muito mais credibilidade e confiança para seus clientes. Assim, as chances de tornar-se uma influência no mercado é muito maior.

Mantenha uma boa rede de contatos

Manter uma rede de contatos é uma excelente forma de divulgação da sua marca pessoal e do seu trabalho. Para isso, cultive relacionamentos genuínos com apoiadores e outros especialistas do setor.

Além do mais, saiba conquistar parceiros que complementem os serviços que você oferece e que tenham o potencial de ampliar a divulgação do seu trabalho entre o público que você deseja atingir.

Participe de eventos para se informar sobre as novidades e ser notado, invista em conteúdos exclusivos para os seguidores e divulgue o seu trabalho por meio de redes sociais e blogs. Acima de tudo, procure entender quais são os reais problemas dos seus clientes (e dos possíveis clientes também) para se estabelecer como a solução que eles estão buscando.

Para superar a concorrência dentro da área é necessário se destacar. É nesse momento que entra a importância da marca pessoal para consultora de imagem e da divulgação do seu nome. Portanto, gerenciar uma boa marca exige dedicação e é um processo que precisa ser constantemente revisto para garantir um resultado positivo.

Se você busca uma empresa de confiança para auxiliar no desenvolvimento e na gestão da sua imagem, entre em contato conosco!

uso-de-imagem-de-esportista-quais-os-cuidados-que-devem-ser-tomados.jpeg

Uso de imagem de esportista: quais os cuidados que devem ser tomados?

Fotografar atletas pode ser bem produtivo desde que sejam respeitadas algumas regras. Isso porque o uso de imagem de esportista implica leis e cuidados que devem ser tomados tanto pelo fotógrafo profissional quanto pelo retratado nas fotografias — seja atleta, seja técnico (personal branding).

Para que o fotógrafo possa usufruir da sua profissão, apresentamos, a seguir, algumas dicas importantes na hora de utilizar as fotos que produzir. Acompanhe!

O que é licença de uso de imagem de esportista?

Primeiramente, para que seja possível usar as imagens, é necessário obter uma licença e a autorização do fotografado. Esse tipo de contrato assegura o uso dos retratos e protege não apenas o fotógrafo, mas os direitos do esportista.

O objetivo principal é usar a lei para garantir que o trabalho possa ser feito dentro do regime imposto, garantindo o bem-estar do atleta e a proteção das imagens.

A licença é um direito personalíssimo e independente, que se torna um bem jurídico para oferecer segurança aos envolvidos. Com isso, esse documento permite que o profissional utilize as fotos sem que haja problemas futuros, como ações judiciais.

Quais cuidados devem ser tomados pelo esportista?

Os atletas precisam ter certos cuidados ao ceder o direito de imagem a um fotógrafo, pois, em alguns casos, podem ocorrer problemas na veiculação das fotos. Assim, o esportista que será fotografado deve ficar atento sobre a capacidade e o profissionalismo do profissional que vai fotografá-lo.

Além disso, é importante avaliar a qualidade e a reputação da empresa que será vinculada à imagem do atleta. É importante que ela seja uma companhia séria que não incentive ações negativas, como é o caso de organizações que incitam o uso de produtos tóxicos.

É necessário ter um contrato de direito de imagem para que as fotos possam ser publicadas. E, para que tudo corra como esperado, é importante que o atleta ou sua equipe faça uma avaliação detalhada de tudo o que é abordado no documento para garantir legitimidade.

Depois disso, quando há a divulgação da imagem, é fundamental verificar se o contrato foi cumprido para que não haja desvio no uso das fotos. Isso porque alguns fotógrafos utilizam a imagem em campanhas que não foram autorizadas pelo atleta, o que pode causar constrangimento e até problemas profissionais.

O trabalho feito entre o fotógrafo e o atleta deve ser respeitado. Por isso, o esportista deve ficar atento se as imagens não são utilizadas para difamá-lo ou em propagandas que não foram autorizadas.

Qual a diferença entre licença de uso de imagem e contrato de trabalho?

A licença de uso de imagem de um atleta é feita em contrato, que deve ser o mais detalhado possível. Nele, são definidas como as imagens podem ser associadas a uma determinada marca ou empresa. Dessa forma, tanto o fotógrafo quanto o esportista se asseguram, com base nos direitos e deveres estabelecidos no documento.

Já o contrato de trabalho é usado quando o atleta tem vínculo empregatício com uma equipe. Um jogador de futebol, por exemplo, assina um contrato de trabalho para representar um time. Assim, ele tem de cumprir obrigações trabalhistas e tem direitos regidos por lei.

A melhor forma de promover um acordo de trabalho, seja para a utilização de imagem, seja para uma contratação de trabalho, é gerenciar a vida do atleta. No entanto, isso pode não ser uma tarefa fácil.

Por isso, é essencial contratar um gestor de carreira que possa indicar o caminho que vai garantir o bem-estar do esportista. O uso de imagem de esportista pode implicar diversas regras, mas com os conselhos de um gestor, é possível fazer um trabalho de qualidade, sem que haja prejuízos.

Que tal conhecer mais dicas de como construir uma carreira no esporte? Saiba mais no e-book “Planejamento de Carreira para Esportista“.

proposta-de-valor-e-diferenciacao-de-carreira-entenda-essa-relacao.jpeg

Proposta de valor e diferenciação de carreira: entenda essa relação

No mundo do trabalho, é importante demonstrar aspectos de diferenciação de carreira. Mas o que é isso? É tudo aquilo que faz com que alguém seja a pessoa ideal para assumir determinado cargo, oferecer assessoria ou ser considerada especialista em uma área.

Uma ferramenta que permite o reconhecimento dos diferenciais profissionais é a proposta de valor. Quanto melhor você consegue demonstrar o valor do seu trabalho, mais chances tem de ser escolhido por empresas ou clientes para executar determinado projeto.

Quer aprender a trabalhar sua proposta de valor e usá-la para se destacar dos demais? Então, continue a leitura e mãos à obra!

O que é uma proposta de valor?

Vamos começar pela definição desse conceito, pois você precisa entender o que é uma proposta de valor para conseguir elaborá-la

O termo se refere à promessa que você faz a quem busca os seus serviços. Quando entram em contato com você, os potenciais clientes precisam entender com clareza:

  • como seu produto/serviço resolve o que eles precisam;
  • os benefícios comprovados daquilo que você oferece (principalmente relativos à otimização de tempo, economia ou lucro e garantia de bem-estar);
  • por que fazer negócio com você será melhor do que com outros.

Por que é importante ter uma proposta de valor?

Quando se trata de trabalho, sabemos que a concorrência é um grande obstáculo. Você já parou para pensar no número de pessoas que oferecem exatamente os mesmos serviços que você? Se você atua como profissional liberal, por exemplo, lidar com a concorrência é uma situação ainda mais evidente na sua vida.

Assim, para ter êxito e conseguir viver do seu trabalho, você precisa mostrar aos clientes que é diferenciado, ou seja, precisa agregar valores e vantagens que levem as pessoas a preferirem você em vez dos seus concorrentes.

Como definir uma proposta desse tipo?

Para conquistar as pessoas e transformá-las em clientes, você tem que convencê-las de que é a melhor escolha para ajudá-las. Para efetivar isso, é fundamental posicionar bem sua imagem e falar com quem realmente está predisposto a fazer negócio com você.

Seu posicionamento profissional pode ser determinado a partir de características como:

  • um atributo — algo que só você (ou que você entre poucos) tem, por exemplo, “o único profissional da cidade que oferece este serviço”;
  • um benefício — algo em seu serviço que seja comprovadamente melhor que dos outros, como “100% das pessoas orientadas alcançaram seus objetivos”;
  • um determinado público, de forma a atrair clientes qualificados e fiéis — “assessoria exclusiva a profissionais da saúde”;
  • o preço e a qualidade — demonstrar que a qualidade do seu trabalho vale o preço a ser pagado: “serviço certificado pelo órgão X” ou “profissional premiado pela instituição Y”.

Outro quesito importante para sua proposta de valor é o preço daquilo que você oferece. Em uma pesquisa, a Fecomércio do RJ descobriu que, para mais de 80% das pessoas, é o preço que influencia a decisão de compra. Assim, sua proposta deve deixar claro ao cliente se ele:

  • pagará mais do que o normal, porém terá mais vantagens;
  • pagará o valor padrão, mas ganhará além do que é normalmente oferecido;
  • pagará menos, mas assim mesmo ganhará o que comumente é oferecido;
  • ganhará menos, mas também pagará um valor bem mais baixo.

Sobre o preço, vale ainda pensar em diferentes formas de cobrar pelo que você oferece, visando deixar seu trabalho acessível a diferentes perfis. Assim, estabeleça de dois a três tipos de planos de serviços — um mais econômico, um padrão e um mais caro.

Como minha proposta leva a uma diferenciação de carreira?

Após definir os aspectos comentados no tópico acima, você precisa deixá-los explícitos na sua proposta de valor.

Portanto, é importante abordar esses pontos ao conversar com seus clientes e também na hora de planejar seu marketing e publicidade. Assim, você conseguirá estabelecer sua identidade profissional e demonstrará, com mais precisão, quais características o destacam profissionalmente.

Pronto para elaborar sua proposta de valor? Aproveite as informações deste texto e demonstre às pessoas que a diferenciação de carreira faz de você um grande profissional!

Tem outras sugestões ou dúvidas sobre o tema? Experiências para compartilhar com a gente? Deixe seu comentário e entre para a conversa!

imagem-profissional-e-reputacao-quais-as-principais-diferencas.jpeg

Imagem profissional e reputação: quais as principais diferenças?

Você sabe quais são as diferenças entre imagem profissional e reputação? Para que o seu negócio possa decolar e sua marca se tornar forte no mercado, é fundamental que sua imagem como profissional seja positiva e sua reputação seja a melhor possível diante dos clientes. Com isso, sua empresa se torna mais atraente, gerando mais valorização para seus produtos e serviços.

A fim de alcançar os resultados desejados, é relevante que você conheça as diferenças entre imagem profissional e reputação e saiba sobre a importância delas para a sua carreira. Então, acompanhe nosso texto para entender mais sobre esse assunto!

O que é imagem profissional?

A imagem profissional é como as pessoas conseguem enxergar você. Quando observamos um indivíduo, geralmente analisamos suas qualidades e seus defeitos; sua forma de agir e de se comportar em reuniões sociais; seu jeito de vestir; seus gestos; sua maneira de se expressar e diversos outros detalhes que compõem a figura que estamos vendo.

Na vida profissional não é diferente. Os consumidores, assim como a concorrência, verificam cada comportamento, ressaltando não apenas o lado bom, mas também o lado negativo. É por isso que a imagem profissional deve ser a mais adequada para a sua carreira.

Por exemplo: você se sentiria seguro em usar os serviços de um advogado caso ele se comportasse de maneira inadequada em uma audiência, usando gírias e vestimentas impróprias? Provavelmente não!

E reputação, o que é?

Já a reputação vai além de uma boa roupa ou de colocação corporal. Ela é visada de acordo com sua forma de conduzir um negócio. A reputação está ligada mais ao caráter do profissional, em como ele atende e honra seus compromissos, entre outros aspectos.

Nesse sentido, quando as pessoas pensam sobre sua reputação, são a sua honestidade e o seu comportamento que estão sendo considerados. Se você falha ou não cumpre com algum compromisso, é sua reputação que está em jogo.

Quais são as principais diferenças entre imagem profissional e reputação?

A imagem está na cabeça do público e do consumidor de uma empresa. São percepções criadas individualmente quando há um contato direto ou indireto com o profissional. Já a reputação não exige uma proximidade com a marca, na medida em que ela pode ser moldada apenas com o que é ouvido ou visto sobre algo.

Somado a isso, a reputação leva mais tempo para ser construída, pois precisa de maior consistência e intensidade. Por sua vez, a imagem é formada a partir do momento em que uma pessoa entre em contato com a empresa ou com o profissional.

Muitos profissionais possuem uma imagem, mas nem todos consegue alcançar a reputação que desejam, pois trata-se de um processo mais demorado.

A imagem pode trazer uma sensação de qualidade e eficiência. Além disso, reflete a competência do profissional e, consequentemente, a sua marca. Vale lembrar que é possível mudar a imagem conforme as necessidades da profissão.

Contudo, a reputação, depois de consolidada, dificilmente será mudada. Por isso, é essencial dar a devida atenção para como seu negócio está sendo visto, pois uma má reputação pode ser o fim de uma carreira.

O maior responsável por criar boa imagem profissional e reputação é você mesmo. Assim, cuide da sua marca e de como você é visto no mercado, de modo a colher bons frutos no futuro.

Para alavancar ainda mais sua carreira, aproveite que está por aqui e leia este outro artigo sobre como melhorar sua imagem pessoal com 5 mudanças de comportamento! Até mais!

refacao-media-training-para-atletas-4-indicios-de-que-voce-precisa-fazer.jpeg

Media training para atletas: 4 indícios de que você precisa fazer!

Além de muito treinamento, talento pessoal e determinação, o sucesso de um atleta também passa pelo media training, ou seja, o profissional precisa saber se comportar bem nas entrevistas coletivas ou no relacionamento diário com a imprensa.

Entretanto, vários atletas acabam derrapando neste quesito e, muitas vezes, prejudicam a própria imagem, além de afastarem potenciais patrocinadores. Por meio das orientações de um media training, é possível melhorar o desempenho junto à imprensa.

Neste post, vamos mostrar quatro indícios de que um atleta precisa fazer um treinamento de mídia para obter bons resultados na comunicação com a imprensa e, consequentemente, com seus admiradores ou adversários.

1. Achar que falar com a imprensa é perda de tempo

Seja por vergonha ou medo de uma exposição negativa, muitos atletas evitam falar com a imprensa. Mas isto não é um bom comportamento — afinal, quanto maior for o sucesso em sua modalidade, mais pessoas estarão interessadas em ouvir o ídolo.

O importante é saber o momento certo de dar as declarações, além de ter uma boa orientação por parte da assessoria para não se envolver em assuntos polêmicos. Como as falas refletem a imagem dos clubes, é preciso investir nos pronunciamentos dos líderes para que a credibilidade não seja afetada.

2. Querer influenciar na matéria

Um dos grandes erros de quem não tem um treinamento de mídia é a incorreta maneira de se comportar com os jornalistas. Pedir para ler a matéria antes de ser publicada, oferecer vantagens ou até mesmo dinheiro para ter o nome divulgado ou pegar o microfone do repórter na hora de responder as perguntas são falhas inadmissíveis.

O despreparo pode até mesmo render reportagens contrárias ao atleta, com um saldo extremamente negativo perante a sua imagem junto ao público.

3. Ignorar a imprensa em um momento de crise

Quando determinado assunto polêmico atinge um clube, envolvendo um ou mais atletas, é preciso esclarecer o fato seja por meio de uma coletiva de imprensa ou por meio de uma nota oficial. Se não houver um acompanhamento de um profissional de media training, o efeito pode ser ainda mais drástico.

Deixar de falar com a imprensa pode se transformar em um tiro no pé. É preciso orientar bem o atleta para que não fuja do assunto, esclarecendo todos os pontos e também sabendo ter jogo de cintura para não cair em ciladas, como opinar sobre fatos que não estejam em pauta.

4. Falar sobre o que não domina

Se um atleta entrar em uma coletiva de imprensa sem dominar o assunto que estará em pauta, na maior parte das perguntas, o efeito pode ser negativo tanto para a imagem do profissional quanto do clube que representa.

É preciso escolher bem quem vai falar e preparar a pessoa antes da coletiva. Além disso, quem tem a cabeça quente e fala sem pensar em muitos momentos necessita de um devido treinamento para não causar polêmicas diante dos jornalistas. Ou se envolver em escândalos, como aconteceu com o MC Biel!

O temperamento dos atletas é um bom indicador na hora de definir quem vai falar — depois de uma vitória ou, principalmente, de uma derrota.

Caso Riascos

Recentemente, o atacante colombiano Riascos demonstrou, após uma derrota do Cruzeiro por 2 a 0 contra o Fluminense, o que não se deve fazer. Possivelmente sem um devido treinamento de mídia, o jogador deu declarações polêmicas criticando a diretoria do clube, o que acabou influenciando em seu afastamento do time, fora outras punições.

Por isso, é importante saber o que se fala, pois palavras mal colocadas podem acabar com uma promissora carreira de atleta, independentemente do esporte ou da fama conquistada.

Uma das soluções viáveis para evitar este tipo de problema é buscar empresas que possam contribuir no desenvolvimento das carreiras e gestão de imagem, com várias estratégias voltadas ao crescimento dos esportistas.

E se você acha que o investimento deve acontecer apenas nos ambientes com a presença da imprensa está muito enganado. Veja em outro artigo que a imagem na web tem suma importância na valorização da imagem pessoal dos profissionais.

sindrome-de-burnout-da-animacao-ao-esgotamento-profissional.jpeg

Síndrome de Burnout: da animação ao esgotamento profissional

O mundo moderno trouxe muitas oportunidades de carreiras, mas, consequentemente, muitos problemas de saúde. Isso porque a correria do dia a dia e o estresse têm causado distúrbios que levam muitas pessoas a terem uma péssima qualidade de vida, e a Síndrome de Burnout é uma das doenças que têm atingido muitos profissionais.

Para que você entenda melhor sobre o assunto, abaixo, explicaremos do que se trata essa síndrome e quais trabalhadores são os mais afetados. Acompanhe!

O que é Síndrome de Burnout?

Trata-se de um esgotamento que afeta tanto o lado físico quanto o psicológico da pessoa, causando um desgaste profissional.

O termo foi criado pelo psicólogo norte-americano Herbert Freudenberger para descrever os efeitos do estresse excessivo causado por algumas profissões relacionadas com a saúde, como medicina, enfermagem, psiquiatria etc.

Atualmente, a síndrome deixou de ser usada apenas para essas áreas, mas passou a ser ligada aos demais trabalhadores, incluindo as donas de casa. Ou seja, qualquer pessoa que se encontre sob forte exaustão pode desenvolver o problema.

Quais são os sintomas dessa síndrome?

As pessoas que são afetadas por essa doença sentem cansaço e fadiga constantes. Além disso, outros sintomas podem surgir, tais como:

  • perturbação do sono, tendo insônia ou sono excessivo;
  • dores de cabeça e musculares;
  • alterações fortes de humor;
  • falhas de memória e dificuldade em se manter concentrado;
  • irritabilidade, podendo chegar à agressividade;
  • baixa autoestima e até depressão.

Devido aos sinais, é sempre importante procurar ajuda de um médico para tratar o problema antes que ele possa se agravar.

Quais profissionais são os mais afetados?

A Síndrome de Burnout pode atingir qualquer profissão, especialmente quando o trabalho exige grande esforço e dedicação, fazendo com que o trabalhador tenha uma autocrítica negativa e passe horas do seu dia voltado para seu serviço.

Qualquer pessoa que preste um serviço sob pressão, ou que esteja envolvida diretamente com a vida de outros indivíduos, como profissionais da saúde, militares e bombeiros, tende a desenvolver a doença com mais facilidade.

Como tratar e controlar esse problema?

O tratamento é à base de antidepressivos e psicoterapia. No entanto, para isso, é necessário passar por uma consulta e verificar as recomendações indicadas. Para completar, é fundamental que a pessoa reveja sua rotina, dando preferência para a sua saúde e qualidade de vida.

Nada adianta ter completa dedicação ao trabalho se isso causar problemas graves às suas condições físicas e emocionais. A melhor dica é criar uma rotina favorável, incluindo uma boa dieta, exercícios físicos e momentos de lazer.

Para contornar a situação e controlar o problema, é essencial que você se desconecte do trabalho sempre que for para casa. Além disso, faça pausas durante o serviço, procurando fazer algo que tire seu foco e relaxe sua cabeça.

Você deve gerenciar o seu tempo para que possa cumprir com suas obrigações, sem causar danos à saúde. A carreira é importante, mas levar uma vida mais saudável fará com que você siga um caminho mais promissor, aprendendo a ter mais desenvolvimento pessoal.

A Síndrome de Burnout é uma doença que pode ser evitada quando a pessoa começa a desacelerar, controlando suas atividades profissionais e suas tarefas de maneira que nada prejudique outras áreas da vida.

Quer receber mais dicas como essas e ter uma carreira favorável que traga harmonia e felicidade? Assine nossa newsletter e acompanhe mais informações! Até mais!

como-verificar-se-sua-marca-pessoal-agrega-valor.jpeg

Como verificar se sua marca pessoal agrega valor

Cuidar da sua estratégia de personal branding é extremamente importante, seja qual for a sua área de atuação. Mas, mais do que trabalhar forte na sua marca pessoal, você precisa saber como avaliar se ela está agregando valor à sua imagem, ou se os esforços precisam ser reavaliados. É sobre esse assunto que trataremos neste post!

É a sua marca pessoal que distingue você no mercado! É por meio dela que você passa a ser requisitado e lembrado. Além do mais, esse é um investimento que traz repercussões em clientela, faturamento e divulgação. Mas é preciso acompanhar os efeitos que sua estratégia de personal branding vem apresentando.

Pensando nisso, preparamos este post para mostrar a importância de ter uma marca pessoal forte e como você pode verificar se ela está agregando valor, de fato. Continue lendo para saber mais a respeito do assunto!

Invista em um plano de desenvolvimento da sua marca pessoal

Esse assunto é recorrente aqui no blog. No mundo competitivo em que vivemos, de mercados complexos e demandas diversificadas, manter uma boa imagem pessoal, alinhada com os parâmetros da sua área, é vital! Afinal, como você vai se diferenciar no meio da multidão?

É por isso que vale muito a pena desenvolver uma estratégia de personal branding — expressão em inglês que designa o trabalho de marca pessoal — e, é claro, colocá-la em prática. Hoje em dia, há muitas ferramentas ao dispor de quem precisa se tornar notável.

Formação profissional e pessoal, cursos de aperfeiçoamento e de atualização, entre outros, são fundamentais, mas estão ao alcance de todos, não é mesmo? Aquelas características, ou conjunto de traços de personalidade que são seus (e de mais ninguém), vão ter importância nesse processo de construção da sua estratégia de personal branding.

Uma vez feito o planejamento e sejam executadas as ações, como saber se o investimento está dando certo? É sobre isso que vamos falar, a seguir! Confira!

Descubra se o seu plano está dando certo

Como você vai saber se a sua marca pessoal está agregando valor à sua trajetória e ao mercado no qual está inserido? Esse é um processo de avaliação e observação, que você, juntamente à sua equipe de branding (caso a tenha), deverá fazer.

Notou que seus convites aumentaram? Seu nome é citado espontaneamente com mais frequência nas redes sociais? Aquela parceria tão sonhada finalmente se concretizou? Chamaram você para ministrar aulas ou palestras? Seu telefone não para de tocar?

São esses resultados que mostrarão se o caminho que você está trilhando é positivo, ou se precisa ser reavaliado. Portanto, é preciso ficar de olho nas repercussões de tudo o que você faz dentro do planejamento de marca pessoal. Somente assim você poderá investir naquilo que funciona mais, ou modificar o que não anda trazendo tanto retorno assim.

E para isso, nada melhor do que contar com uma equipe profissional, que entende os movimentos do mercado e conhece as principais estratégias para tornar qualquer pessoa uma verdadeira referência em sua área. Se interessou? Então, entre em contato agora mesmo e descubra como podemos ajudar nesse processo! Será um prazer atender você!

a-importancia-de-trabalhar-a-construcao-do-branding-na-lideranca.jpeg

A importância de trabalhar a construção do branding na liderança

Ao dirigir por uma estrada e ver pequenos arcos amarelos, você já sabe que há um fast food próximo, certo? Só de citarmos, inclusive, você deve saber de qual lanchonete estamos falando. Agora, imagine usar esse poder na sua carreira. Eis a importância do branding na liderança!

É preciso criar a sua marca pessoal para que as pessoas se lembrem de você — por isso, desenvolver personal branding é fundamental! Steve Jobs é um ótimo exemplo de branding na liderança. Todos nós gostaríamos de ser um pouco como ele, não é mesmo? Por isso, montamos este post que o ajudará a chegar lá. Continue a leitura e bom proveito!

A transparência é ouro para os líderes na era de fake news

Você deve ter ouvido muito esse termo no último ano. Fake news é um termo muito usado nos dias atuais para falar sobre matérias jornalísticas, artigos em blogs etc., que não transmitem fatos verdadeiros.

A abrangência das fake news é tão vasta na vida cotidiana que o Facebook e seu criador — Mark Zuckerberg — têm sofrido uma perda crescente de prestígio.

Por isso, o branding na liderança tem como ponto de partida a transparência. Nem colaboradores e nem parceiros confiam em líderes que omitem informações, não compartilham ideias ou decisões e agem em desacordo com seus discursos.

Portanto, seja sempre transparente quando precisar contar boas ou más notícias, certo?

A autenticidade é crucial para o branding na liderança

Walt Disney conseguiu criar sua marca como líder por ser extremamente autêntico. Pessoas são, antes de tudo, humanas. E elas querem ver no outro um ser humano também!

Com o crescente uso e a influência das redes sociais na vida de todos nós, é importante achar um equilíbrio entre o pessoal e o profissional. No entanto, dá para usar isso a seu favor! Aproveite as redes sociais, em especial o LinkedIn, para mostrar quem é você e como a sua visão de mundo influencia a sua liderança.

Os melhores líderes não evoluem sozinhos

Quando você começa a construir o branding na liderança, as pessoas começam a se lembrar de você com maior facilidade. E são essas pessoas, sejam colaboradores, sejam parceiros, que vão evoluir ao seu lado e espalhar a sua marca para o mundo afora.

Ninguém caminha solitário pelo mundo corporativo! Deixamos nossa marca nas pessoas, e elas nos ajudam a passar essa mensagem adiante. Para criar essa rede, nossas atitudes contam mais que nossas palavras!

Além de Steve Jobs, Walt Disney é um excelente exemplo de um líder que é lembrado até hoje! Ele encantava as pessoas que o cercavam com uma atitude sempre positiva e comprometida com o trabalho que contaminava a todos.

Como começar a criar sua marca como líder

Além de tudo que citamos, tenha em mente os 3 pilares da liderança ao construir o seu branding. Acompanhe!

1. Direção

O bom líder indica o caminho, informando o que o outro deve fazer e como atuar. Para conseguir dirigir bem, ele precisa encorajar as pessoas e ser um bom ouvinte, a fim de conhecer e criar uma conexão com seus colaboradores.

2. Inspiração

Para inspirar os que nos cercam, precisamos dar o exemplo. Por isso, para construir uma boa marca como líder, seja compreensivo, comunicativo, justo, disposto, bem-humorado etc. Tudo que um líder faz é observado de perto por quem o cerca — isso não significa que você não pode errar, mas que, quando isso acontecer, deve admitir e reparar o erro.

3. Reconhecimento

Reconhecer um bom trabalho não significa apenas distribuir bônus ou prêmios. Dê retorno sobre o desempenho das pessoas, demonstre que você se preocupa com cada uma e que todas são importantes e merecem a sua atenção.

Agora que você já sabe da importância de trabalhar o branding na liderança, aproveite para assinar nossa newsletter e receber em primeira mão dicas exclusivas e valiosas que o ajudarão a evoluir na carreira. Vamos lá!

diferencial-competitivo-3-dicas-para-encontrar-o-seu.jpeg

Diferencial competitivo: 3 dicas para encontrar o seu

O diferencial competitivo é um assunto muito falado nos dias de hoje. Entretanto, poucos sabem da real importância de se destacar entre os demais profissionais da área.

Será que isso significa, apenas, ser o mais eficiente? Ou existem outras características que colaboram para ter um diferencial? A dúvida segue existindo e, com ela, a estagnação profissional.

E foi pensando nesse assunto que desenvolvemos este artigo sobre a importância de ter um diferencial e algumas dicas para que você se destaque no mercado de trabalho. Ficou curioso? Continue lendo e saiba como isso é possível! Vamos lá?

Entenda o que é um diferencial competitivo

Um diferencial competitivo pode ser definido como uma característica ou um  atributo que deixa um determinado profissional em destaque em relação aos outros que atuam na mesma área.

Essa característica não é, necessariamente, algo engessado. Por exemplo, o diferencial pode ser um hábito, um atributo da personalidade ou, até mesmo, algum curso ou capacitação.

Veja qual a importância desse diferencial para sobressair na carreira

Como lei natural do mercado, uma empresa sempre buscará todas as formas e mecanismos que a ajudem a se destacar entre as suas concorrentes, não é mesmo? E, nessa busca, um dos fatores mais valorizados é justamente recrutar colaboradores que tenham o mesmo objetivo: destacar-se.

É nesse ponto que percebemos a importância que ter um diferencial competitivo faz na carreira de alguém. Imagine uma seleção para recrutamento de novos consultores de imagem. Obviamente, a empresa selecionará para fazer parte da equipe aqueles que terão um nível maior de entrega, se mostrando mais produtivos.

Portanto, se você ainda pensa que ter uma qualificação básica é o suficiente para conseguir uma boa imagem profissional, reformule agora mesmo esse pensamento. E, para começar, veja abaixo algumas dicas para obter o seu próprio diferencial!

Confira 3 dicas para encontrar o seu diferencial competitivo

1. Conheça seus pontos fortes e fracos

A maioria das pessoas ainda não valoriza o autoconhecimento. No entanto, a partir do momento em que você passa ter ao seu dispor essa ferramenta de melhoria contínua, automaticamente, já estará na frente dos concorrentes.

Conhecer quais são os seus pontos fortes é uma forma de valorizar o seu trabalho e reconhecer-se como um bom profissional. Por outro lado, saber em quais pontos você ainda deixa a desejar também é essencial para buscar formas de aprimorar-se.

2. Seja proativo

Essa é uma das qualidades mais buscadas atualmente pelos recrutadores. Um profissional é considerado proativo quando possui a habilidade de se antecipar e solucionar problemas — antes mesmo de receber um comando do seu líder.

Você já deve imaginar por que essa característica é considerada um diferencial competitivo, não é mesmo? É claro que uma empresa prefere um funcionário que supere as expectativas a outro que só tome atitudes se for ordenado. Esse colaborador acaba gerando perda de tempo — e tempo é dinheiro.

3. Torne-se referência na sua área de atuação

Você possui um bom currículo? Realizou os cursos básicos que a maioria das pessoas também já fez? Ótimo! Mas ainda não é o suficiente. Ter no seu currículo o que todos os outros competidores também têm é importante, mas não faz de você um candidato diferente.

Por esse motivo, é imprescindível que você busque sempre capacitar-se e atualizar-se em relação às novidades e tendências do mercado, pois assim estará um passo a frente dos outros que não possuem os mesmos conhecimentos.

Invista, portanto, na proposta de valor de sua marca se quiser vê-la crescer, pois, dessa maneira, ela funcionará como o diferencial competitivo que vai fazer a diferença para o seu público-alvo.

E para se tornar ainda mais competitivo, baixe o nosso e-book e aprenda a construir a sua marca pessoal! Até a próxima!

entenda-o-que-e-marketing-de-influencia-e-por-que-praticalo.jpeg

Entenda o que é marketing de influência e por que praticá-lo!

O marketing de influência é uma tendência que só vem ganhando força nos últimos anos, e entender a importância de praticá-lo pode ser essencial para uma estratégia assertiva no meio on-line.

Se você vem buscando formas de obter melhores resultados profissionalmente e ainda não sabe como, confira as informações que separamos a seguir. Boa leitura!

Afinal, o que é marketing de influência?

A transformação digital colocou o cliente no centro das atenções. Hoje, o interesse do consumidor vem muito antes daquilo que parecia ser o produto ideal e as necessidades de ganho imediato das empresas. Assim, conquistar a confiança dos compradores se tornou um grande desafio, e o marketing de influência tem sido uma nova tendência que veio mudar esse jogo.

Sua premissa é se valer de sujeitos que tenham relevância em comunidades virtuais e nichos de mercado para conseguir conquistar o coração e a mente do público que acompanha e aceita a ideia desses influenciadores digitais.

Por que o marketing de influência tem crescido tanto?

Ainda que, no passado, quando a propaganda ainda vivia os seus tempos áureos, já existisse o marketing de influência por meio de anúncios televisivos com figuras públicas importantes, isso era praticado de uma forma muito limitada.

Com o grande volume de informações e ofertas disponíveis na Internet, as pessoas têm estado cada dia mais conscientes acerca dos temas que lhe interessam e bem mais seletivas quando o assunto é compra.

Alguns especialistas de marketing, até mesmo, afirmam que, hoje, as pessoas já não confiam mais nas empresas e que, por isso mesmo, é preciso se valer do marketing de influência para driblar essa situação.

Em um contexto tão desafiador como esse, é natural que essa importante ferramenta de posicionamento no mercado se torne relevante e tenha crescido tanto. Empresas e profissionais, de uma forma geral, precisam ser estratégicos para crescerem e manterem-se no mercado atual.

Como se beneficiar do marketing de influência?

Bom, vamos combinar que o marketing de influência não funciona apenas para grandes corporações que queiram utilizar influenciadores digitais para a evangelização de suas marcas, certo? Vamos considerar também que nem todo influenciador digital deve ser um youtuber ou blogueiro famoso para exercer influência sobre as pessoas, combinado?

Por exemplo, no ano passado, a empresa estadunidense TD Ameritrade lançou a campanha “Human Finance Project”, após decidir que precisava conquistar o público, apesar de perceber que as pessoas viam serviços financeiros de uma forma negativa.

Após acompanhar alguns usuários nas redes sociais, que falavam sobre finanças, e interagir com eles, fez com que divulgassem a sua marca sem que precisasse pagar um tostão, fazendo com que sua campanha se tornasse viral.

Nenhuma dessas pessoas era uma celebridade de Internet, mas todas tinham relevância nas comunidades em que atuavam. Isso foi o suficiente para que a TD Ameritrade tivesse êxito em suas ações.

Por isso, leve em conta as seguintes questões se quiser se beneficiar do marketing de influência:

  • você, ou a sua empresa, não precisa de um grande orçamento para isso, já que a vantagem está justamente em usar a influência de forma estratégica;
  • não há a necessidade de contar com grandes nomes do meio virtual para evangelizar a sua marca (veja o caso da TD Ameritrade);
  • como qualquer outra ação de marketing, é necessário planejamento — saiba para quê, como, com qual verba e em quanto tempo realizará isso;
  • conheça bem o seu nicho de atuação e aja da maneira mais inteligente possível para trazer os melhores resultados.

Como foi possível observar, essa ferramenta compreende muito bem o espírito dos novos tempos e, justamente por isso, tem tudo para trazer o sucesso que você almeja.

Se gostou de saber o que é marketing de influência e por que prática-lo, assine nossa newsletter. Sempre temos o melhor conteúdo de carreira e gestão de imagem. Vamos lá!