Liderança em tempos de crise: o que se espera do líder moderno?

É quase um consenso no mercado que uma boa liderança se destaca justamente em tempos de crise. Afinal, é quando o profissional que ocupa um cargo estratégico precisa reorganizar o trabalho desenvolvido no setor dele, manter os funcionários engajados, propor soluções e alternativas para as dificuldades enfrentadas e transmitir uma mensagem de superação e adaptação alinhada à visão de negócio da companhia.

Por esse motivo, preparamos um post com as principais características que fazem parte do perfil do líder moderno e como elas contribuem para uma gestão menos engessada e capaz de atender tanto as expectativas das organizações quanto as dos colaboradores. Acompanhe e saiba quais são elas e como aprimorá-las!

Feedback contínuo

A primeira delas é o feedback contínuo. Isso, porque os colaboradores querem saber como o desempenho deles é avaliado dentro da empresa, se estão atendendo as expectativas dos supervisores, se as metas batidas são o suficiente e se há algo que podem melhorar ou corrigir na forma como realizam o trabalho ou se relacionam com os colegas.

Porém não se trata apenas de um retorno esporádico e feito de qualquer maneira — o que acaba, muitas vezes, tornando a situação vergonhosa e desconfortável para o funcionário que ouve várias críticas (em alguns casos, até mesmo na frente de todo o setor).

Ao contrário, os profissionais esperam da liderança moderna uma postura proativa quanto a esse assunto. Ou seja, um gestor que regularmente faz reuniões individuais com eles para conversar e transmitir o que a organização precisa, mas também ouvindo as demandas dos colaboradores. Basta lembrar que em períodos de crise as pessoas querem manter os empregos, mas também buscam reivindicar mudanças na jornada de trabalho, no local de atuação e até na quantidade afazeres e funções que exercem.

Portanto o líder deve saber elogiar os pontos positivos da equipe — engajando-a com o trabalho — e indicar os pontos de melhoria quando preciso, sem que para isso seja necessário constranger, rebaixar ou fazer comparações entre os funcionários.

Para desenvolver essa habilidade de dar feedbacks, uma boa sugestão é fazer treinamentos de oratória, contar com sessões de coaching de liderança e, é claro, promover um bom relacionamento interpessoal com os profissionais que você gerencia para estabelecer uma confiança mútua entre ambas as partes.

Capacidade de lidar com o pessoal e o profissional

O líder moderno também se destaca por romper com aquela premissa equivocada de que ele é superior aos colaboradores por estar em um cargo acima dos demais e que a interação com essas pessoas só ocorre no meio profissional. Isso está mudando (e para melhor). Afinal, os trabalhadores querem um chefe humano com quem se identifiquem e possam confiar, não apenas uma figura que dê ordens e faça cobranças periódicas.

Alguém que seja capaz de vê-los não só como profissionais prontos para assumir tarefas, mas também como pessoas que têm dificuldades, limitações e necessidades diversas, ainda mais em tempos de mercado instável, recessão econômica e problemas familiares e de saúde. Resumindo: um gestor que pratique a empatia, valorize o diálogo e seja flexível quanto às particularidades de cada funcionário.

Para aprimorar essa capacidade de lidar com diferentes pessoas é preciso exercitar a sua compreensão de mundo e a sua sintonia com o próximo, colocando-se no lugar dos colaboradores e buscando entender as dores deles como se fossem suas.

gestão de imagemPowered by Rock Convert

Além disso, é necessário que você realize reuniões individuais e grupais, pesquisas internas e momentos de confraternização tanto no escritório quanto fora dele para ter a oportunidade de realmente conhecer quem são os seus funcionários, conversar com eles de igual para igual e entender qual é o background de cada um deles. Será isso o que vai estabelecer a conexão, a confiança e a segurança nessa relação líder e liderado.

Inteligência emocional

Fora o que já foi dito, a inteligência emocional é uma característica crucial para quem almeja cargos de liderança. Tanto é que as organizações estão atentas a isso — e é fácil entender o porquê. Afinal, um líder precisa gerenciar recursos financeiros, quadro de colaboradores, indicadores de performance, atividades internas e externas etc.

Ou seja, ele lida constantemente com múltiplas responsabilidades e com uma pressão significativa por resultados não só por parte dos colaboradores, como também da direção da companhia — e tudo isso pode sofrer alterações e se agravar consideravelmente em tempos de crise.

Logo é preciso muito mais do que jogo de cintura para se adaptar à nova situação. Você deve ter altos níveis de resiliência, autoengajamento e equilíbrio emocional. Do contrário, a tendência é sucumbir na tomada de decisões, no gerenciamento de problemas e no realinhamento de metas e objetivos.

Se você quer desenvolver a inteligência emocional, saiba que é indicado contar com consultoria especializada em gestão de imagem e carreira e realizar cursos voltados para a compreensão e o controle das emoções na vida pessoal e profissional.

Promoção de soluções

Por fim, mas não menos importante, há a promoção de soluções — um aspecto crucial e indispensável pela ótica das empresas. Isso, porque, se em períodos de crescimento e expansão de negócio os líderes devem estar sempre um passo a frente para divulgar a marca, ocupar novas praças, otimizar os custos e processos internos, melhorar o atendimento ao consumidor e potencializar a qualidade do serviço e/ou dos produtos, durante uma crise essa capacidade deve estar ainda mais aflorada.

Basta ter em mente que nesse tipo de cenário é comum cortar despesas, remanejar orçamentos internos, repensar o volume de ações publicitárias, reduzir o número de funcionários e, em alguns casos, até fechar filiais e estabelecimentos. Logo é indispensável que você seja a mente por trás de alternativas criativas, econômicas e sustentáveis a longo prazo para garantir a sobrevivência do empreendimento.

Portanto para ser um promotor de soluções, estude a saúde financeira, logística e comercial da sua empresa, esteja atento às novidades e tendências do setor e faça pesquisas prévias de mercado a níveis local, regional e nacional.

Como você viu, a liderança moderna está bastante relacionada a dar um retorno positivo às demandas daqueles que serão os seus funcionários. Por isso, é importante saber liderar pelo exemplo, servindo como referência de postura profissional para eles no ambiente corporativo e mostrando como alcançar o sucesso mesmo em momentos de crise, quando é preciso se reinventar e buscar soluções para não perder espaço no mercado.

Gostou do nosso artigo? Então compartilhe-o nas redes sociais e ajude a inspirar os líderes das futuras gerações!

autoconfiança na marca pessoalPowered by Rock Convert

Patricia Dalpra é Estrategista em personal branding e gerenciamento de carreira.

O trabalho que Patricia Dalpra desenvolve surgiu de uma vontade e de uma certeza: vontade de levar pessoas e empresas a crescer, alcançar seus objetivos de negócios e de imagem e se relacionar melhor com outras pessoas e empresas; e certeza de que um trabalho estruturado de gestão de imagem e carreira é um dos melhores caminhos para se chegar lá. Ao longo de mais de uma década, a Patricia Dalpra já trabalhou para centenas de profissionais, executivos, empresários, atletas, instituições e empresas.

Specialties: Gestão de imagem, gestão de carreira e coaching. Personal branding, branding executivo, brand on, brand off, estudo do dna pessoal e corporativo e comunicação.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *